Página 1 de 212

Peças sacras de museus Ibram em MG integram exposição do Masp

Obras dos acervos do Museu da Inconfidência, Museu Regional de São João del-Rei e do Museu do Ouro estarão expostas no Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (Masp), a partir do sábado (10). Os três museus fazem parte da rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) em Minas Gerais (MG).

A imagem de São Sebastião é uma das três obras do MRSJDR na exposição do Masp

A imagem de São Sebastião é uma das três obras do MRSJDR na exposição do Masp

As peças integram a exposição temporária Imagens do Aleijadinho, que apresenta a obra de Antônio Francisco Lisboa (1738-1814), uma das principais referências da arte sacra, do barroco e do rococó no Brasil, ativo em Minas de meados do século XVIII ao início do século XIX.

A mostra apresenta cerca de 50 obras, que incluem esculturas devocionais, além de mapas, gravuras, fotografias, pinturas e esculturas de viajantes e outros artistas, que contribuem para a compreensão do contexto e da influência do artífice mineiro na história da arte brasileira.

O Museu Regional de São João del-Rei, por exemplo, emprestou três imagens para a mostra: São Sebastião, São João Evangelista e São Francisco de Assis.

Já o Museu da Inconfidência, em Ouro Preto, emprestou quatro peças: duas esculturas Pastor de Presépio, um Anjo Tocheiro e uma imagem de Nossa Senhora do Carmo.

E o Museu do Ouro, em Sabará, emprestou uma escultura de Sant’ana Mestra. Todas as peças são do século XVIII e feitas em madeira policromada – algumas possuem ainda douramentos.

Em cartaz até 3 de junho, a exposição e o catálogo têm organização de Rodrigo Moura, curador-adjunto de arte brasileira do Masp. Saiba mais.

Texto e foto: Masp e MRSJDR/Divulgação
Edição: Ascom/Ibram

Ibram abre seleção para diretor do Museu do Ouro em Sabará (MG)

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) iniciou hoje (1º) o período de inscrições para a seleção de candidato para ocupar a Função Comissionada do Poder Executivo de diretor do Museu do Ouro/Casa Borba Gato – unidade museológica do Ibram localizada em Sabará (MG).

Podem concorrer servidores ocupantes de cargos efetivos oriundos de órgão ou entidade de quaisquer dos Poderes da União, Estados, Distrito Federal e municípios.

Museu do Ouro/Ibram em Sabará (MG)

Museu do Ouro/Ibram em Sabará (MG)

A seleção acontece em três etapas: análise da documentação para homologação da inscrição, de caráter eliminatório; análise de currículo e plano de trabalho, além de entrevista oral – ambas etapas de caráter classificatório.

Para realizar a inscrição, o candidato deverá encaminhar documentação, conforme consta no edital, para o endereço eletrônico selecao@museus.gov.br, informando no assunto: “Chamada Pública Museu do Ouro / Casa Borba Gato”, até às 23h59min do dia 30 de abril de 2018. Acesse a íntegra do edital e seus anexos.

Instalado na antiga Casa de Intendência e Fundição do Ouro da Vila Real de Nossa Senhora da Conceição do Sabará, o Museu do Ouro foi criado em 1945 e oficialmente inaugurado no ano seguinte.

O acervo e constituído por mobiliário, armaria, porcelanas, imaginária religiosa e objetos ligados a prática da mineração (séculos XVIII e XIX). O Museu do Ouro possui ainda um arquivo histórico e uma biblioteca, localizados na Casa de Borba Gato, edificação do século XVIII.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Museu do Ouro/Divulgação

Museu do Ouro sedia abertura da 2ª Festa Literária de Sabará

museu do ouroO Museu do Ouro, em Sabará (MG), sedia no próximo domingo (26) a abertura da 2ª Festa Literária de Sabará (FLIS), que durante uma semana reunirá na cidade mineira editores, livreiros, autores, professores, narradores de histórias, mediadores de leitura, atores, cordelistas e ilustradores em torno de uma programação que inclui oficinas, palestras, seminários, workshops e shows.

A FLIS tem como objetivos viabilizar o acesso ao livro, às discussões sobre as formas de ler, o fomento às políticas públicas do livro, leitura e bibliotecas, as trocas de experiências entre os professores que formam os leitores dentro da sala de aula, os mediadores de leitura e bibliotecários.

Durante o lançamento da segunda edição da Festa Literária de Sabará, que acontece a partir das 10h, haverá sessão de autógrafos com o escritores Alzira Umbelino, Cláudio Bento, Helena Ferreira, Jorge Dikamba, Kátia Peifer, Neusa Sorrenti, Ricardo Aleixo, Silas Fonseca e Silvânia Dias. Haverá ainda apresentações dos Arautos da Poesia e do Quarteto de Cordas Leonardo Barcellos.

Confira a programação completa da 2ª Festa Literária de Sabará no endereço www.festaliterariasabara.wix.com/flis.

PAC 2: Museu do Ouro inicia trabalhos de requalificação em Sabará (MG)

Trabalho arqueológico no Museu do Ouro

Trabalho arqueológico em terreno onde será construído anexo do Museu do Ouro

No dia 22 de junho, o Museu do Ouro/Ibram, em Sabará (MG), por intermédio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) Cidades Históricas, deu início a um conjunto de ações que visam a sua requalificação como instituição museológica.

Nesta primeira fase, foram liberados R$ 180 mil em recursos para a conclusão dos trabalhos de prospecção arqueológica, em terreno onde será construído um anexo técnico-administrativo, bem como os projetos arquitetônicos da nova construção e de reforma do prédio histórico do museu, com previsão de término em setembro.

História
O Museu do Ouro foi criado pelo Presidente da República Getúlio Vargas, por intermédio do Decreto-Lei n° 7.483, de 23 de abril de 1945, sendo a instituição oficialmente inaugurada no dia 16 de maio de 1946.

Instalado em um prédio em estilo colonial de meados do século XVIII, antiga Casa da Real Intendência e Fundição do Ouro de Sabará, O acervo é constituído por instrumentos, mobiliário, prataria, armaria, peças de arte sacra e objetos ligados a prática da mineração (séculos 18 e 19).

O museu, vinculado ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), é aberto ao público, de terça-feira a sexta-feira, das 10 às 17 h e sábados e domingos das 12 às 17 h. Saiba mais sobre o Museu do Ouro em Sabará.

Texto e foto: Divulgação Museu do Ouro

Museu do Ouro completa 69 anos no próximo sábado (16)

Inauguração do Museu do Ouro, em 1946.

Inauguração do Museu do Ouro, em 1946.

O Museu do Ouro, vinculado ao Ibram e situado na cidade de Sabará (MG), completa, no próximo dia 16, seus 69 anos de inauguração.

Concebido a partir das ideias e propostas de intelectuais e artistas modernistas no final dos anos 1930, o museu registra, preserva e divulga a história do período que compreende a descoberta e o desenvolvimento da atividade de mineração do ouro em Minas Gerais, desde a época colonial – século XVIII até meados do século XX.

A instituição foi criada pelo presidente Getúlio Vargas por intermédio do Decreto-Lei n° 7.483, de 23 de abril de 1945, sendo a inaugurada no dia 16 de maio de 1946.

Nos dias atuais, a instituição volta-se para o desenvolvimento de ações e processos de cunho sócio-cultural. Novas linguagens, atividades, enfoques e interpretações apresentam-se como essenciais para a identificação, o fortalecimento de vínculos e o estreitamento de relações entre o museu, a sua comunidade e o público visitante.

Instalado em um prédio em estilo colonial de meados do século XVIII, antiga Casa da Real Intendência e Fundição do Ouro de Sabará, o museu é aberto ao público, de terça-feira a sexta-feira, das 10 às 17 h e sábados e domingos das 12 às 17 h.

Ibram apresenta na Itália experiência com museus de pequeno porte

Encontro de Pequenos Museus (Itália)

Encontro na Itália reuniu experiências de pequenos museus

Dois servidores do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) retornaram esta semana de uma missão à Itália.

Cinthia Oliveira, coordenadora de Museologia Social e Educação do Ibram, e Ricardo de Carvalho Rosa, diretor do Museu do Ouro, localizado em Sabará (MG), tiveram oportunidade de participar da 5ª Conferência Nacional dos Pequenos Museus, que teve lugar na cidade de Viterbo.

Foram convidados pela Associazione Nazionale Piccoli Musei (APM), associação sem fins lucrativos que visa promover os pequenos museus e uma cultura de gestão específica para eles.

A conferência, realizada pela APM no Museu Nacional Etrusco Rocca Albornoz, contou com a participação de diretores de pequenos museus italianos.

Cinthia Oliveira fez o discurso de abertura sobre a realidade dos pequenos museus no Brasil e do Programa Pontos de Memória. Já Ricardo Rosa falou sobre a experiência com museologia social do Museu do Ouro, que registra entre 10 mil e 12 mil visitantes por ano, especialmente no tocante ao Ponto Memórias do Pompéu.

Semelhanças e diferenças
“Queremos aumentar a atuação dos museus de pequeno porte com a comunidade, por meio dos Pontos de Memória, respeitando as particularidades de cada um, e criando uma relação duradoura e proveitosa. Aos poucos, a comunidade vai se vinculando e despertando o sentimento de pertencimento,” afirmou Rosa.

Pequenos Museus: Itália

Cinthia Oliveira (em pé) apresentou a experiência dos Pontos de Memória no Brasil

Para ele, o encontro com os diretores de museus de pequeno porte italianos foi muito importante para reconhecer semelhanças e diferenças na suas formas de atuação, como também verificar o que pode ser melhorado.

“Encontramos muitos pontos de concordância, mas com especificidades diversas. Eles têm muito boa estrutura física, expografia, museografia. Mas também ficaram muito impressionados com nossa estrutura de pessoal e nossa visitação,” explicou o diretor do Museu do Ouro.

Durante a viagem, os representantes do Ibram também visitaram instituições como o Museu de Bolsena, Museu do Colle del Duomo, Museu da Cerâmica de Tuscia (Palazzo Brugiotti), entre outros locais, junto com autoridades de Viterbo e representantes da área de cultura.

No último dia de viagem, puderam ainda participar de eventos das Jornadas Europeias do Patrimônio realizados em Rocca Albornoz. Conheça o Museu do Ouro e o Programa Pontos de Memória.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Caterina Pisu

Programação no Museu do Ouro marca bicentenário da morte de Aleijadinho

Museu do Ouro (MG)

Aleijadinho é lembrado pelo Museu do Ouro com serenata, palestra, missa e desfile

Entre os dias 21 e 23, o Museu do Ouro/Ibram, em Sabará (MG), realiza atividades em torno do bicentenário da morte de Aleijadinho (1738-1814), artista essencial do barroco brasileiro.

No dia 21, às 20h30, tem início no museu a concentração para Uma serenata para Aleijadinho, que irá percorrer ruas da histórica cidade mineira até a Praça Santa Rita, com a participação dos grupos Sonho e Serenata, Arautos da Poesia e Terceira Idade, além de poetas e moradores da cidade.

Já a palestra As portadas de pedra e o itinerário artístico de Antônio Francisco Lisboa será ministrada no dia 22, às 9h, no museu, pela professora de História da Universidade de Minas Gerais (UFMG) Adalgisa Arantes Campos. As vagas são limitadas e é necessário fazer inscrição para participar.

No domingo (23), a penúltima atividade programada  é uma Missa para Aleijadinho, que acontece na Igreja de Nossa Senhora do Carmo, às 8h30, com participação da Orquestra e Coral da Sociedade Musical Santa Cecília de Sabará. Às 10h, o desfile da Banda Lira da Paz pelas ruas de Sabará encerra a programação. Saiba mais sobre o Museu do Ouro.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Museu do Ouro (MG) lança blog com serviço de pré-agendamento de visitas

Agora é possível acessar as informações sobre o Museu do Ouro (Ibram/MinC), localizado em Sabará – MG, com mais facilidade a partir do novo blog da instituição: http://museudoouro.wordpress.com.

Neste novo espaço virtual é possível fazer o pré-agendamento online da visita, visualizar imagens do acervo e conseguir mais informações sobre o Museu e seus horários e serviços. Também é possível ver vídeos diversos e fotos antigas do edifício histórico, que era a antiga Casa de Intendência e Fundição do Ouro da Vila Real de Nossa Senhora da Conceição do Sabará e foi transformado em museu em 1945.

O Museu do Ouro possui um acervo de 749 objetos, constituídos de mobiliário, armaria, porcelanas, imaginária religiosa e objetos ligados à prática da mineração (séculos XVIII e XIX). Há também um arquivo histórico e uma biblioteca, localizados na Casa de Borba Gato, edificação do século XVIII. Fica aberto de terça a sexta-feira, das 10h às 17h; sábados e domingos, das 12h às 17h. Visite o blog do Museu do Ouro.

Texto: Divulgação Ibram

Museu do Ouro realiza oficina de repasse de técnicas de tapeçaria em Sabará

Nos meses de outubro e novembro, ainda como parte das atividades programadas para a 6ª Primavera dos Museus, o Museu do Ouro/Ibram, localizado em Sabará (MG), realiza o projeto Preservação da Memória e dos Saberes – Técnicas de Confecção de Tapetes.

Museu do Ouro: preservação da memória da produção de tapetes de Sabará

O objetivo do projeto é estreitar o diálogo entre a instituição, a população sabarense e as suas manifestações sócio-culturais, no caso, os tapetes que ornamentam as ruas da cidade, incluídas no trajeto da Procissão de Corpus Christi.

A oficina está sendo realizada na Casa Borba Gato, unidade do Museu do Ouro, às segundas e sextas-feiras, no horário das 14 às 18h. O Museu do Ouro localiza-se à Rua da Intendência, S/Nº – Centro. Outras informações pelo telefone (31) 3671.1848 ou e-mail: mdo@museus.gov.br.

Texto: Divulgação Museu do Ouro

Inauguração do primeiro Ponto de Memória de Sabará nesta sexta (24)

O Ponto Memórias do Pompéu será inaugurado na sexta-feira (24), às 19 horas, no pátio da Escola Municipal Rosalina Alves Nogueira, no Pompéu, município de Sabará (MG).

Durante o evento, coordenado pelos artistas Aline Cântia e Chicó do Céu, e pela historiadora Isabella Menezes, do Museu do Ouro/Ibram, será lançado o edital Seja um contador de histórias, para formação de um grupo local de narradores. O edital é fruto de do prêmio Pontos de Memória do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), que já contemplou 45 iniciativas de memória social no Brasil e três no exterior.

O evento é uma realização do Ibram com o Instituto Imersão Latina, em parceria com o Museu do Ouro, apoio da Escola Municipal Rosalina Alves Nogueira e do município de Sabará.

Os Pontos de Memória
Para atender aos diferentes grupos sociais do Brasil, o Ibram reconhece e apóia ações de memória em comunidades populares das cinco regiões do país.

O programa Pontos de Memória tem por concepção, reconstruir e fortalecer a memória social e coletiva de comunidades a partir do cidadão e de suas origens, histórias e valores. Com metodologia participativa e dialógica, trabalha a memória de forma viva e dinâmica como ferramenta de transformação social.

A dupla Aline Cântia e Chicó do Céu
O trabalho dos artistas começou em 2007, na cidade de Belo Horizonte. Desde então, já percorreram mais de 100 escolas em parcerias com Secretarias Municipais de Educação e Cultura. Em 2011, receberam o prêmio Bolsa de Circulação Literária da Fundação Nacional de Artes (Funarte/MinC).

Além do projeto Ponto de Memória, estão envolvidos com a formação de mediadores comunitários e apresentações pelo Brasil. Também acumulam experiências internacionais em encontros e festivais de Narração de História na Venezuela, Bolívia, Argentina, Cuba e Costa Rica.

Texto e foto: Divulgação Museu do Ouro

Página 1 de 212