Museu de Arte Sacra de Paraty recebe Festa de Santa Rita de Cássia

Ladainha pelo Centro Histórico de Paraty

Ladainha pelo Centro Histórico de Paraty

A Igreja de Santa Rita, onde se localiza o Museu de Arte Sacra de Paraty/Ibram volta a ser palco da festa de Santa Rita de Cássia, depois de seis anos. Em virtude das obras de restauração na Igreja, nos últimos anos as comemorações aconteceram na Matriz de Nossa Senhora dos Remédios.

A tradicional festa acontece em Paraty desde o século 18 e faz parte do calendário litúrgico da comunidade. É um dos principais eventos paroquiais do município, juntamente com a Festa do Divino, Festa da Padroeira Nossa Senhora dos Remédios e Festa de Nossa Senhora do Rosário.

Para a festividade que vão até o dia 19 de julho, a Igreja de Santa Rita recebe missas, ladainhas e solenidades dedicadas à “Advogada das causas impossíveis”, codinome dado a Santa Rita por seus fiéis e devotos. O Museu também permanece aberto para visitação nestes dias.

Em parceria com a Secretaria de Cultura, nos dias 17,18 e 19 o Largo de Santa Rita será palco de atividades culturais, recreativas e esportivas. No domingo (19), estão previstas atividades e apresentações tradicionais como a Dança das Fitas, Dança dos Velhos, Ciranda, leilão de prendas ao som da Banda Santa Cecília e queima de fogos.

Reabertura do Museu de Arte Sacra de Paraty será celebrada com procissão

Imagem de Santa Rita de Paraty

A imagem de Santa Rita de Paraty voltará no sábado (13) ao Museu de Arte Sacra da cidade

A volta da imagem de Santa Rita para o Museu de Arte Sacra de Paraty (MAS/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), celebrará, no sábado (13), a reabertura do museu ao público.

Vinda da Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios, onde ficou durante o período das obras no museu, a imagem seguirá em procissão juntamente com a imagem de Santo Antônio,  e serão acompanhadas pela comunidade local, além de irmandades religiosas.

A cerimônia no sábado (13) tem início previsto para às 19h30 e contará com as presenças do Ministro da Cultura, Juca Ferreira; do Presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Carlos Roberto Brandão; do Prefeito de Paraty, Carlos José Gama Miranda, e da Diretora da empresa Expomus, Maria Ignez Montovani.

Antes da entrada das imagens na igreja, o Mastro de Santa Rita da Festa de 2015 será erguido no Largo de Santa Rita pelos atuais festeiros. O evento contará ainda com a apresentação da Banda Santa Cecília e com o Coral da Universidade do Rio de Janeiro (Unirio).

Ampla reforma
Fechado desde 2011, o MAS foi incluído no processo de requalificação do conjunto arquitetônico de Santa Rita, que teve início em 2006.

Dentre as ações realizadas para a requalificação do museu estavam a descupinização dos retábulos, a recuperação da estrutura do telhado e da rede elétrica, a execução de um novo projeto luminotécnico, a recuperação e restauração de parte dos objetos litúrgicos e a pintura de suas estruturas físicas (fachada e interior). O projeto teve o apoio da Caixa e da Petrobras em sua primeira etapa.

Instalado no conjunto arquitetônico da Igreja de Santa Rita – a Igreja mais antiga da cidade, tombada pelo Iphan –, o MAS ganhou uma nova exposição de longa duração com o intuito de estreitar ainda mais sua relação com a população local, seus ritos religiosos e seus festejos.

Igreja de Santa Rita em Paraty

O MAS integra o conjunto arquitetônico da Igreja de Santa Rita

Um dos destaques do acervo é a imaginária em barro e madeira seiscentista e setecentista europeia e da região de Paraty e do Vale do Paraíba, tais como o Mestre Bolo de Noivas – Mestre de Angra e nomes importantes como Frei Agostinho de Jesus — um dos principais precursores da imaginária em barro do país.

Texto: Ivy Fermon (Ascom/Ibram)
Fotos: (1) Sylvana Lobo-Ibram/ (2) – Henrique Carvalho-Ibram

Museu de Arte Sacra de Paraty reabre suas portas após reforma

Museu de Arte Sacra de Paraty (RJ)

Museu de Arte Sacra de Paraty (RJ)

O Museu de Arte Sacra de Paraty (MAS/Ibram) reabriu suas portas no último sábado (16). Instalado dentro do conjunto arquitetônico de Santa Rita – a Igreja mais antiga da cidade, tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) –, o MAS ganhou uma nova exposição de longa duração com o intuito de estreitar ainda mais sua relação com a população local, seus ritos religiosos e seus festejos.

Fechado desde 2011, o MAS foi incluído no processo de requalificação do conjunto arquitetônico de Santa Rita, que teve início em 2006, com recursos da Petrobras.

Entre as ações realizadas estão a descupinização dos retábulos, a recuperação da estrutura do telhado, a execução de um novo projeto luminotécnico, a recuperação de parte dos objetos litúrgicos a restauração e a recuperação e a pintura de suas estruturas físicas (fachada e interior). O projeto  teve o apoio da Caixa e da Petrobras em sua primeira etapa.

A cerimônia oficial de abertura do Museu de Arte Sacra, no entanto, acontecerá somente no dia 13 de junho, quando será realizada a trasladação da imagem de Santa Rita da Igreja Matriz de Nossa Senha dos Remédios – local onde ficou durante o período de obras – até a Igreja de Santa Rita, sede do museu.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Ibram recebe Museu das Bandeiras após reforma do Iphan

Após a reforma, Museu das Bandeiras ganhará nova expografia

Após a reforma, Museu das Bandeiras ganhará nova expografia

Fechado ao público há nove meses, por conta de obras de restauração, o Museu das Bandeiras, localizado em Goiás (GO), será reentregue ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), no domingo (2), pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

A intervenção incluiu a execução de ações emergenciais (cobertura e drenagem), essenciais (estabilização e revisão estrutural, revisão das instalações, adequação das instalações de detecção e combate ao incêndio, substituição de reboco e repintura) e serviços estratégicos como a elaboração de projetos executivos de restauração.

As obras, que proporcionaram ao museu condições adequadas para a guarda do acervo e atendimento ao público, foram realizadas pela empresa Marsou Engenharia e contratadas pelo valor de R$ 798.750,92. Antes de ser reaberto à visitação do público, o museu ainda passará por revisão expográfica a cargo do Ibram.

Criado em 1954, o Museu das Bandeiras está situado no edifício que sediava a Casa de Câmara e Cadeia da antiga Vila Boa de Goyaz. Construído em 1766, o prédio foi tombado pelo Iphan ainda em 1951, como exemplo da arquitetura civil portuguesa.

Museu de Arte Sacra também será reformado pelo Ibram em parceria com Iphan

“A entrega desta obra representa o compromisso do Ibram, do Iphan e do Ministério da Cultura com a cidade de Goiás, que é um patrimônio nacional”, esclarece o presidente do Ibram, Ângelo Oswaldo.

Boa Morte
Finalizada a intervenção física no Museu das Bandeiras, será a vez de o Museu de Arte Sacra, localizado na Igreja de Nossa Senhora da Boa Morte, entrar em obras.

O Ibram e o Iphan já assinaram termo para a execução de serviços que incluem ações tanto emergenciais quanto serviços essenciais. Será ainda contemplada a elaboração de projeto executivo de restauração.

A Igreja de Nossa Senhora da Boa Morte foi construída em 1779 e tombada pelo Iphan em 1950. Com elementos característicos do barroco, passou a sediar o Museu de Arte Sacra da Boa Morte em 1968. O museu abriga mais de 900 peças de origem portuguesa e telas com temas religiosos.

Texto: Divulgação Iphan
Edição: Ascom/Ibram
Fotos: Iphan (foto 1) e divulgação (foto 2)

Matéria relacionada
Museu das Bandeiras: presidente do Ibram participa de oficina em Goiás

Museu das Bandeiras: presidente do Ibram participa de oficina em Goiás

Neste fim de semana (13 e 14 de setembro), o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo, e a diretora do Departamento de Patrimônio Imaterial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Celia Maria Corsino, estarão em Goiás (antiga Cidade de Goiás).

Eles irão participar de uma oficina organizada pelo diretor dos três museus Ibram na região, Renan Martins, cujo intuito é definir diretrizes para a nova museografia do Museu das Bandeiras – cuja reforma está em sua fase final.

Igreja da Boa Morte em Goiás: Museu de Arte Sacra receberá melhorias

Igreja da Boa Morte em Goiás: Museu de Arte Sacra receberá melhorias

O museu ocupa a antiga Casa de Câmara e Cadeia da Província de Goyaz, prédio cuja construção foi finalizada em 1766, seguindo projeto da Coroa Portuguesa. Criado em 1949, teve como núcleo inicial do acervo o arquivo documental da Delegacia Fiscal do Tesouro Nacional (Fazenda Pública).

Esse conjunto de documentos representa uma das fontes de informação mais importantes sobre a administração pública da região Centro-Oeste durante o período colonial, imperial e republicano. Atualmente, o acervo é composto por 573 peças, incluindo objetos de arte sacra, mobiliário, vestuário, armamentos e utensílios domésticos.

Segundo Angelo Oswaldo, a nova proposta para a exposição permanente do museu deve retomar referências ao uso primeiro do edifício no período colonial, destacando ainda elementos do ciclo do ouro goiano.

O convite a Celia Corsino se deu, especialmente, por ter sido a museóloga responsável pela primeira expografia do Museu das Bandeiras. Ainda participam da oficina a superintendente do Iphan no estado de Goiás, Salma Saddi, as secretárias de Cultura e Turismo de Goiás, e um representante dos guias de turismo da cidade.

Boa Morte
Além do Museu das Bandeiras, o presidente do Ibram visita a igreja de Nossa Senhora da Boa Morte, onde está instalado o Museu de Arte Sacra, que  pertence à Diocese de Goiás, mantido e administrado pelo Ibram, e que deverá entrar em obras em breve. O acervo é constituído de mais de 900 peças, entre objetos litúrgicos, prataria e obras do escultor e pintor goiano José Joaquim da Veiga Valle (século XIX).

“Ainda estamos na fase de planejamento da reforma. Recebemos ontem (11) a vistoria do Iphan no edifício histórico para que, então, o projeto venha a ser concluído”, esclarece Renan Martins. Quanto a reabertura do Museu das Bandeiras, o diretor dos museus Ibram no estado informa não haver ainda data definitiva.

“A obra deve ser finalizada no final deste mês. Mas somente após o cumprimento de procedimentos administrativos, assim como a montagem da nova exposição permanente, é que o Museu das Bandeiras estará pronto para receber o público outra vez”, finaliza.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação/Internet

Obras de requalificação dos museus Ibram em Paraty (RJ) estão adiantadas

As obras de requalificação dos museus Arte Sacra de Paraty e Forte Defensor Perpétuo, ambos na mesma cidade fluminense, já estão avançadas. Vinculados ao Ibram/MinC, os museus estão entre os nove da rede que tiveram serviços de intervenção em seu espaço físico contratados no final do ano passado.

Museu Forte Defensor Perpétuo encontra-se parcialmente fechado ao público. Na foto, atividade realizada ano passado em Paraty

Situado na antiga Igreja de Santa Rita – construída em 1722 e tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1962 – o Museu de Arte Sacra de Paraty já havia dado início, em abril de 2012, à reforma de seu telhado e rede elétrica, através de parceria privada.

Desde o início deste ano, o edifício passa também por intervenções estruturais contratadas pelo Ibram, que seguem em ritmo acelerado.

Os serviços incluem a recuperação da fachada externa da igreja, da nave e da torre sineira, com reparo de todo o reboco e pintura. Os recursos do Ibram também garantirão ao monumento a conclusão da já iniciada atualização de sua rede elétrica, assim como das redes de lógica (telefonia) e segurança.

Sem cimento
“O reboco das paredes externas e internas está sendo feito com argamassa de cal e areia, sem adição de cimento”, explica Henrique Milen Vizeu, Técnico em Assuntos Culturais.

“Está sendo removida toda a antiga argamassa que continha cimento, material que retém muita umidade, extremamente prejudicial ao acervo. Visando também prevenir danos por infiltrações e vazamentos, a caixa d’água do telhado da capela-mor foi transferida para a parte inferior do edifício, concentrada no atual Consistório”, completa o técnico.

No Museu Forte Defensor Perpétuo, a aguardada reforma na estrutura do telhado já está sendo realizada também com a liberação dos recursos do Ibram/MinC. O contrato prevê também a realização de serviços especializados de arqueologia para realizar pesquisa prospectiva no Morro da Vila Velha, área tombada em nível federal sobre a qual o museu está situado. O museu continua parcialmente aberto ao público, apesar das intervenções, que estão sendo feitas de forma escalonada.

A conclusão das obras nos dois museus está prevista para julho. Conheça os museus Ibram.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Matéria relacionada
Modernização: Ibram abre licitações para reformas de mais cinco museus

Paraty quer ser reconhecida pela Unesco como Patrimônio da Humanidade

Paraty (RJ) pode vir a ser Patrimônio da Humanidade na lista da Unesco, disse na cidade o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo, ao falar sobre Ouro Preto e Olinda em conferência na abertura do festival cultural Mimo na sexta-feira (23).

Angelo Oswaldo aproveitou sua viagem a Paraty para visitar os museus Ibram na cidade

Para Oswaldo, Paraty deve integrar os valores de seu acervo cultural às qualidades da paisagem e da natureza e criar um ícone singular. É essa singularidade que lhe garantirá o título.

Ele disse ainda que a inscrição entre os monumentos mundiais somente gera resultados concretos e surte efeito positivo se a cidade assume o título e o utiliza como chave para abrir todas as portas: “caso contrário, o diploma fica esquecido numa gaveta e a cidade descobre que não é patrimônio de ninguém”.

Museus Ibram
Na cidade, Angelo Oswaldo visitou ainda as unidades administradas pelo Ibram em Paraty: o Museu de Arte Sacra, atualmente em reforma, e o Museu Forte Defensor Perpétuo, onde visitou a exposição de máscaras do mestre paratiense Natalino de Jesus Silva e pôde conferir o potencial museográfico do conjunto do Morro da Vila Velha.

O presidente do Ibram confirmou a liberação de recursos do Ministério da Cultura (MinC) e Petrobras para a conclusão das obras de restauro da Igreja de Santa Rita, onde está instalado o Museu de Arte Sacra, e anunciou novos projetos para o Museu Forte. “O apoio da Fundação Roberto Marinho vem garantir o êxito das iniciativas em articulação”, garantiu.

Texto e foto: Ascom/Ibram e Forte Defensor Perpétuo
Edição: Ascom/Ibram

 

Museu de Arte Sacra da Boa Morte em Goiás é tema do Conhecendo Museus

O Museu de Arte Sacra da Boa Morte, que é vinculado ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) e fica na Cidade de Goiás (GO), é o tema da série Conhecendo Museus desta semana.

O sétimo episódio, que foi ao ar na terça-feira (19), será reprisado neste sábado (23) às 15h30. A série é exibida em canais educativos de televisão aberta e por assinatura como TV Brasil, TV Brasil Internacional, Rede Nacional de Comunicação Pública (RNCP), Boa Vontade TV e pela Rede Educação e Futuro de Televisão.

Reconhecido pela Unesco como patrimônio histórico e cultural mundial por sua arquitetura barroca, o museu funciona nas instalações da antiga Igreja Nossa Senhora da Boa Morte, cuja construção foi concluída em 1779. Saiba mais.

A construção em pau-a-pique e pedra, de formato octogonal, abriga um acervo de cerca de mil peças composto de imaginária, prataria, mobiliário, porcelana, retábulos, indumentárias, gravuras e pinturas, além de coroas, cálices, castiçais, tocheiros e lampadários dos séculos 18 e 19, peças de origem portuguesa e telas com temas religiosos. São obras sacras de vários autores, com destaque para o artista Veiga Valle, considerado “o Aleijadinho goiano”.

A temporada 2012 da série Conhecendo Museus vai exibir um total de 52 episódios de 26 minutos cada, com produção assinada pelo Instituto Brasieliro de Museus (Ibram/MinC), Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), TV Escola (MEC) e Fundação José de Paiva Netto. Conheça o projeto.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Banco de imagens Ibram