Página 1 de 212

Confira a programação do Museu de Arte Religiosa e Tradicional para a 17ª SNM

mart 17snmNos dias 14 e 15 de maio, o Museu de Arte Religiosa e Tradicional (Mart/Ibram) promoverá a exibição do documentário “A Noite dos Tempos”, com direção de Ricardo do Carmo e de Lucas Muller. Após a exibição do filme, haverá um debate com os diretores e, em seguida, a apresentação do Griot – Pesquisa, Difusão, Memória em Tradições e Contemporaneidades Afro.

“A Noite dos Tempos” revela a transformação de uma das cidades mais antigas do Brasil num balneário comercial e predatório. Através de depoimentos de historiadores, memorialistas e estudiosos é possível entender o resultado de vinte anos de recebimento de royalties de petróleo, sem investimento na infraestrutura, o aumento desordenado da população, a especulação imobiliária e a perda de identidade.

Através de imagens antológicas e argumentos certeiros é possível identificar o momento em que a história da cidade começa a ser construída: de mundo fechado, Cabo Frio passa a mundo aberto, planetário. Partindo dos dias atuais, entre lampejos de cidade do interior, e relâmpagos cosmopolitas, o documentário resgata a contribuição de povos formadores da cultura local: os saberes indígenas, as tradições portuguesas e a arte africana. Viajando na exuberância da paisagem e na poesia de seu povo, alcança a noite única, a imaginária Noite dos Tempos.

Na terça-feira (14), a exibição de “A Noite dos Tempos” será realizada no próprio Mart, às 19h e na quarta-feira (15), a exibição será no Charitas. A atividade faz parte da programação do Museu de Arte Religiosa e Tradicional na 17ª Semana Nacional de Museus.

Programa Conversadeira: Roda de Conversa

Na tarde desta segunda-feira (13), o MART realizou o “Programa Conversadeira: Roda de Conversa”. Com o tema “O Mart, um museu para preservar o convento” a Roda de Conversa contou com a parceria dos integrantes do Coletivo Gira Sol de Danças Circulares, que realizou um ensaio sob a coordenação da psicopedagoga e arteterapeuta Elvi Vasconcelos.

No dia 15, quarta-feira, a Roda de Conversa abordará o tema “Quilombo e suas tradições”, relacionada à exposição temporária “Terra de Quilombo, Retrato de uma Etnia”, de fotografias de Ricardo Alves, que esteve em cartaz no Mart. O evento abordará os temas ” Territorialidade das comunidades remanescentes dos quilombos “, com a antropóloga Rachel de Las Casas e ” Fotografia documental nas comunidades tradicionais como ferramenta de divulgação da causa quilombolas “, com o fotógrafo documental e extensionista rural Ricardo Alves.

O Programa Conversadeira do Museu de Arte Religiosa e Tradicional propõe encontros periódicos para promover o debate sobre o antigo Convento com base em suas referências materiais. A cada mês, um novo tema relacionado à história, arquitetura ou ao acervo do antigo Convento é trabalhado.

Confira a programação do Museu de Arte Religiosa e Tradicional aqui.

Museu de Arte Religiosa e Tradicional inaugura exposição fotográfica hoje (19)

martO Museu de Arte Religiosa e Tradicional (Mart/Ibram) inaugura às 18h desta quinta-feira (19) a exposição “O Mar, Conexão Divina”, do fotógrafo Luciano Barbosa, com imagens que retratam as paisagens de Cabo Frio.

A mostra apresenta a cidade aos visitantes sob a perspectiva do cotidiano do morador, destacando os eventos tradicionais, a cultura, a pesca artesanal, a preservação do meio ambiente e seu patrimônio imaterial. As 30 fotografias expostas sugerem um “parar para olhar” para cidade tentando fazer com que o observador reconheça as diversas áreas de Cabo Frio e a rotina de seus moradores em conexão com o mar.

A exposição temporária “Mar, Conexão divina” tem entrada gratuita e ficará aberta até o dia 19 de setembro. Ela faz parte do programa de exposições temporárias do Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio, programa este que possui dois objetivos: promover a cultura local a partir da promoção de artistas e manifestações culturais da cidade e da região; e, diversificar e renovar o público do museu a partir de interesses diversos.

 

Museu de Arte Religiosa e Tradicional

O museu é sediado no antigo Convento de Nossa Senhora dos Anjos, que oferece uma exposição permanente de arte sacra dos séculos XVII e XVIII e peças de mobiliário. O prédio, datado de 1686, é tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

O Museu de Arte Religiosa e Tradicional, fica no Largo de Santo Antônio, s/nº, em Cabo Frio (RJ) e está aberto ao público de terça-feira a sexta-feira, das 10h às 17h, e sábados e feriados, das 14h às 18h.

MART abre exposição sobre folias de Reis

Exposição traz fotografias de diversos grupos que realizam a festividade e peças das Folias de Reis da região sudeste, reunidas durante anos de pesquisa.

Exposição traz fotografias de diversos grupos que realizam a festividade e peças das Folias de Reis da região sudeste, reunidas durante anos de pesquisa.

Uma das manifestações culturais de origem religiosa mais tradicionais do Brasil é o tema de exposição que o antigo Convento Nossa Senhora dos Anjos, em Cabo Frio (RJ), que hoje sedia o Museu de Arte Religiosa e Tradicional (MART), recebe a partir desta quinta-feira (22).

Com fotografias do antropólogo Daniel Arrebola (também responsável pela pesquisa e curadoria) e dos fotógrafos locais Nane Camargos, Mauro Rodrigues e Andréia Silva, “Viva Santos Reis! Folias de Reis da Região Sudeste” exibe imagens de diversos grupos que realizam esta festividade na região sudeste.

As folias de Reis são manifestações folclóricas que narram, através de cantos, a visita dos três reis magos do oriente até o local onde haveria nascido o menino Jesus. A manifestação chegou ao Brasil no período da colonização, intensificando-se no império, e aqui foi influenciada pelas culturas africanas e outras manifestações, como as danças juninas francesas.

A festa como conhecemos hoje foi descrita pelo escritor e pesquisador Mário de Andrade como um tipo de “dança dramática”, danças folclóricas de cunho religioso que possuem uma espécie de cortejo e dramatização.

Além dos registros fotográficos, a exposição traz diversas peças das Folias de Reis da região sudeste, reunidas durante anos de pesquisa. Apresenta ainda um mapa da região sudeste onde é possível perceber as diferenças entre as folias realizadas, principalmente nos nomes e roupagens de seu tradicional personagem mascarado.

A exposição pode ser visitada no MART (Largo de Santo Antônio – Centro, em Cabo Frio) de terça a sexta-feira, das 10h às 17h, e aos sábados e feriados das 14h às 18h. A entrada é gratuita.

Chiquinho da Sucata – Reciclando é a nova exposição do MART

19.11chiquinhoNesta quinta-feira (19), o Museu de Arte Religiosa e Tradicional/Ibram, em Cabo Frio, inaugura exposição do artista Chiquinho da Sucata – Reciclando.

Francisco de Assis Marques, o Chiquinho da Sucata, é um artista espontâneo e contemporâneo.  Trabalhando com ferro (matéria prima) e sucata (restos inúteis), prova que do próprio excesso industrial pode-se abrir uma janela para a sublimação e a transformação da realidade em arte.

Pelas mãos deste artista popular, engrenagens, correntes, tanques de combustível ou simples alicates, transformam-se em objetos com novos significados, alçando voos nas pás de um helicóptero, ou nas asas de um pássaro.

Prática e técnica aliam-se ao talento deste mestre serralheiro, que há mais de 35 anos transforma peças em desuso em obras de arte.   Em sua sabedoria o mestre Chiquinho nos ensina que a sua arte surge de forma espontânea, quando a peça encontrada em meio a tantas outras, se apresenta a ele transformando-se em um novo objeto.

A exposição estará aberta de 19 de novembro de 2015 a 17 de fevereiro de 2016, de segunda a sexta-feira das 10 às 17 horas, no MART, antigo Convento Nossa Senhora dos Anjos, em Cabo Frio.

Nova diretora do Museu de Arte Religiosa e Tradicional no RJ entra em exercício

A nova diretora do Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio (Ibram) entrou em exercício nesta segunda-feira (4). Maria Fernanda Pinheiro de Oliveira foi nomeada no dia 1º de abril. Resultado de processo de seleção pública, a nomeação foi publicada através de portaria no Diário Oficial da União.

Graduada em museologia e mestre em Memória Social pela Unirio, Maria Fernanda foi a escolhida pela Comissão de Seleção para assumir a direção do museu em caráter de cargo comissionado, conforme definido pela Chamada Pública Nº 2, de 7 de março de 2014.

Atualmente, exercia a função de coordenadora de museologia do Museu do Homem do Nordeste, da Fundação Joaquim Nabuco, em Recife. Dentre as suas atribuições estava a realização de estudos e pesquisas museológicas, históricas e antropológicas sobre temas relativos às regiões Norte e Nordeste; além do planejamento, coordenação e execução das atividades técnicocientíficas, atividades e projetos museológicos do MUHNE e de seus setores relacionados; exposições de longa duração, temporárias e itinerantes entre outras.

 Sua trajetória profissional inclui participação em comissões, coordenação de cursos e oficinas, curadoria e pesquisa.

Critérios
Para a seleção foram considerados os critérios de formação acadêmica em nível superior; experiência comprovada em gestão envolvendo atividades de relacionamento com organizações do Governo ou entidades da sociedade em geral; e conhecimento das políticas públicas do setor museológico e da área de atuação do museu.

Os critérios foram aferidos através de apresentação de currículo, declaração de interesse e plano de trabalho. Além da apresentação da documentação, a comissão de seleção designada também realizou entrevista oral com o candidato.

Texto: Ascom/Ibram

Última atualização: 04/05/2015

Mart em Cabo Frio (RJ) recebe Diploma Cristo Redentor da Alerj

No dia 18 de dezembro, o Museu de Arte Religiosa e Tradicional (Mart), unidade museológica do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) em Cabo Frio (RJ), foi premiado com o Diploma Cristo Redentor, conferido pela Assembleia Legislativa do estado do Rio de Janeiro (Alerj), através de iniciativa do Deputado Estadual Jânio Mendes. No evento, o museu foi representado pelos servidores João Baptista Castro, Francisco José Marins e Manoella Évora Gago.

Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio (RJ)

Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio (RJ)

A concessão do prêmio acontece em um período de grande expectativa para a comunidade de Cabo Frio, tendo em vista o início de obras de modernização no Mart. As obras de restauração da cobertura e recuperação das instalações prediais do antigo Convento de Nossa Senhora dos Anjos devem começar no início do próximo ano. Saiba mais.

O diploma é concedido anualmente pela Alerj a personalidades e instituições que, reconhecidamente, tenham prestado destacada e meritória contribuição para o desenvolvimento turístico do estado do Rio de Janeiro.

A justificativa para o reconhecimento se dá  pela contribuição do museu “de forma exemplar para o desenvolvimento cultural e turístico da cidade de Cabo Frio”. Conheça o museu.

Texto: Divulgação Mart
Edição e foto: Ascom/Ibram

Ibram abre licitação para recuperação do Mart em Cabo Frio (RJ)

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) abriu na quinta-feira (7), Tomada de Preços destinada à contratação de serviços técnicos especializados para a restauração da cobertura e recuperação das instalações prediais do Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio (Mart/Ibram). O Aviso de Licitação foi publicado no Diário Oficial da União (DOU).

Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio (RJ)

Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio (RJ)

As obras vão restabelecer a infraestrutura do Mart, que em 2012 teve seu telhado avariado e sofreu danos em sua rede elétrica, causando um princípio de incêndio. O museu, que ficou fechado por cerca de 8 meses, foi reaberto ao público há cerca de um ano de forma apenas parcial.

A intervenção vai incluir recuperação da rede elétrica do prédio, cabeamento estruturado, infraestrutura para sistema de segurança e Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA), além da pintura do museu.

Situado no antigo Convento de Nossa Senhora dos Anjos e fundado em 1982, o Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio oferece uma exposição permanente de arte sacra dos séculos XVII e XVIII e peças de mobiliário.

Valioso exemplar da arquitetura franciscana, o prédio, cuja construção data de 1686, é tombado desde 1957 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan/MinC).

Texto: Ascom/Ibram

Intervenção artística no Museu de Arte Religiosa e Tradicional (RJ)

Desde o dia 24 de maio, quem passar pelo Largo de Santo Antônio em Cabo Frio (RJ), endereço do antigo Convento de Nossa Senhora dos Anjos, hoje sede do Museu de Arte Religiosa e Tradicional (Mart/Ibram), verá “formigas gigantes” subindo pelas paredes do monumento. São peças desenvolvidas pelo artista plástico Paulo Luis de Oliveira para a intervenção artística Formigas.

As peças ficam expostas até o dia 24 de junho e podem ser vistas a qualquer hora, tendo em vista estarem na faixada do prédio. A exposição é o resultado de parcerias que envolvem, além do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a Secretaria de Cultura da Prefeitura Municipal de Cabo Frio, o Instituto Cultural Carlos Scliar e comerciantes da cidade.

As 70 formigas afixadas foram confeccionadas pelo artista e sua equipe com matérias-primas típicas da região: coco e palmeira areca bambu. Artista plástico há 30 anos, Paulo Luís começou a desenvolver a ideia há um ano e escolheu o tema pelas características de organização e trabalho das formigas.

Mas como se trata de uma intervenção, o objetivo final é provocar a curiosidade do público e a análise do tema sob os diversos enfoques, principalmente, relacionando-o à preservação do meio ambiente, cuja data mundial é comemorada no dia 5 de junho.

Por se tratar de um monumento reconhecido como patrimônio nacional, o trabalho de afixação das formigas nas paredes seguiu regras indicadas pelo Iphan e executadas pelo restaurador Alexandre Shichticas – reconhecido por trabalhados realizados em cidades históricas do Brasil e Europa.

Homenagem
As indagações geradas por Formigas entre o público podem ser variadas, mas para o curador José Antônio J. Mendes, a data de abertura da exposição foi escolhida em homenagem à Dolores Brandão Tavares, que foi funcionara do Mart por quase 30 anos e falecida em 25 de maio do ano passado. Outras informações pelo telefone (22) 2646.7340. Saiba mais sobre o museu.

Texto e foto: Divulgação Mart/Ibram.

Fachada do Mart em Cabo Frio recebe intervenção artística Formigas

A partir de hoje (24), quem passar pelo Largo de Santo Antônio em Cabo Frio (RJ), endereço do antigo Convento de Nossa Senhora dos Anjos, hoje sede do Museu de Arte Religiosa e Tradicional (Mart/Ibram), verá “formigas gigantes” subindo pelas paredes do monumento. São peças desenvolvidas pelo artista plástico Paulo Luis de Oliveira para a intervenção artística Formigas.

A abertura da exposição será às 16 horas. As peças ficam expostas até dia 24 de junho e podem ser vistas a qualquer hora, tendo em vista estarem na faixada do prédio. A exposição é o resultado de parcerias que envolvem, além do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a Secretaria de Cultura da Prefeitura Municipal de Cabo Frio, o Instituto Cultural Carlos Scliar e comerciantes da cidade.

As "formigas gigantes" podem ser vistas até 24 de junho em Cabo Frio (RJ)

As 70 formigas afixadas foram confeccionadas pelo artista e sua equipe com matérias-primas típicas da região: coco e palmeira areca bambu. Artista plástico há 30 anos, Paulo Luís começou a desenvolver a ideia há um ano e escolheu o tema pelas características de organização e trabalho das formigas.

Mas como se trata de uma intervenção, o objetivo final é provocar a curiosidade do público e a análise do tema sob os diversos enfoques, principalmente, relacionando-o à preservação do meio ambiente, cuja data mundial é comemorada no dia 5 de junho.

Por se tratar de um monumento reconhecido como patrimônio nacional, o trabalho de afixação das formigas nas paredes seguiu regras indicadas pelo Iphan e executadas pelo restaurador Alexandre Shichticas – reconhecido por trabalhados realizados em cidades históricas do Brasil e Europa.

Homenagem
As indagações geradas por Formigas entre o público podem ser variadas, mas para o curador José Antônio J. Mendes, a data de abertura da exposição foi escolhida em homenagem à Dolores Brandão Tavares, que foi funcionara do Mart por quase 30 anos e falecida em 25 de maio do ano passado.

A ex-diretora será homenageada em missa realizada na Igreja conventual de Nossa Senhora dos Anjos, no museu, durante a abertura da exposição. Outras informações pelo telefone (22) 2646.7340. Saiba mais sobre o museu.

Texto e foto: Divulgação Mart/Ibram.

MART ganha instalação em defesa da preservação do patrimônio de Cabo Frio

O Movimento Abrace o Convento organizou, no dia 19 de abril, uma instalação que iluminou com velas o Convento Nossa Senhora dos Anjos. A iniciativa contou com o apoio do Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio (MART/Ibram).

A proposta foi sensibilizar a cidade em defesa do patrimônio cultural e natural de Cabo Frio e região dos Lagos fluminense. A data escolhida para a ação, Dia do Índio, pretendeu recuperar a memória dos povos pré-colombianos que viviam na região e foram exterminados durante o processo de colonização.

O grupo reuniu-se na praça central da cidade, Porto Rocha. Com o entardecer, houve procissão – com paradas em locais representativos do patrimônio material local – até o Convento, sede do MART. Cerca de 300 velas foram utilizadas para iluminar o monumento na instalação coordenada pela artista plástica Liana Turrini.

Texto e foto: Divulgação MART/Ibram

Página 1 de 212