MAM-Rio apresenta nova mostra de longa duração

O Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro apresenta a exposição de longa duração Genealogias do Contemporâneo–Coleção Gilberto Chateaubriand/MAM Rio. A mostra consiste em um recorte deste acervo com obras desde o período moderno, como Tarsila do Amaral e Flávio de Carvalho, chegando até os anos 1970 com Artur Barrio e Cildo Meireles.

A nova montagem, que tem curadoria de Luiz Camillo Osorio, ocupará grande parte do terceiro andar do MAM, e ficará pelo menos até março.  A exposição reunirá mais de 100 obras em diferentes técnicas como pintura, escultura, fotografia, desenho e objeto, de artistas como Abraham Palatnik, Alfredo Volpi, Aluisio Carvão, Amilcar de Castro, Antonio Dias, Antonio Manuel, Ascânio MMM, Carlos Vergara, Candido Portinari, Cildo Meireles, Franz Weissmann, Helio Oiticica, José Pancetti, Lygia Clark, Sergio Camargo,Tarsila do Amaral, Tunga, Waltercio Caldas, Wesley Duke Lee, entre outros.

A mostra será dividida em quatro núcleos: Brasil: visões e vertigens; Cidade Partida: conflitos e afetos; Corpos Híbridos: identidades em trânsito e Respirações Geométricas.

“Genealogias do Contemporâneo – Coleção Gilberto Chateaubriand/MAM Rio” mostrará obras pouco vistas, desde as mais antigas como “Índia”, de Anita Malfatti (São Paulo, 1896 – 1964), de 1917, e “Estudo para A Negra”, de Tarsila do Amaral (São Paulo, 1886 – 1973), de 1923, às mais recentes “Sem Titulo”, de Miguel Rio Branco (1946), de 1983/1990, e a escultura “Sem titulo”, de Franz Weissmann (Áustria/ Brasil, 1911 – 2005), de 1986.

Também estarão na exposição duas fotografias de Claudia Andujar, referentes ao seu trabalho documentando a tribo dos Yanomami, um dos “Bichos” (1960), de Lygia Clark, peça chave das artes visuais no Brasil e no mundo, e a obra “O espetacular contra-ataque da arraia voadora” (1966), de Antonio Dias, poucas vezes exposta. Esta obra foi capa do primeiro livro “Panamérica”, do escritor paulista José Agripino de Paula, de 1968. Uma obra transgressora que resume como poucas sua época.

O Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro fica na Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Rio de Janeiro-RJ.  Informações: (21)2240-4944 e www.mamrio.org.br

MAM de Resende recebe desenhos de Roberto Magalhães

O Museu de Arte Moderna de Resende apresenta, na próxima sexta-feira(30), a exposição de desenhos Roberto Magalhães em Resende. A programação de abertura da mostra, que será realizada às 19h, prevê ainda o lançamento do livro Eu Estou Sempre com Você, da escritora Elizabeth Cabral, esposa do artista Roberto Magalhães.

A exposição poderá ser visitada de 30 de julho a 3 de setembro, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h30. Associações, indústrias e escolas poderão agendar visitas ao museu, dentro do projeto Ação Educativa do MAM.

O museu fica na Rua Doutor Cunha Ferreira 104, Resende-RJ. Mais informações: (24)3360-4470/ 6155, ou mam.resende@gmail.com
Início: 30/07
Término: 03/09

Exposições no MAM Rio em julho

O Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM-RJ) inaugura em julho duas mostras: Se a pintura morreu o MAM é um céu e Cristina Canale – Arredores e Rastros. As duas ficarão em exposição até o dia 15 de agosto.

A primeira exibe obras de Daniel Senise, Luiz Zerbini, Adriana Varejão, Jarbas Lopes, Eduardo Berliner e Gustavo Speridião, da Coleção Gilberto Chateaubriand, acervo do MAM.

Já a mostra Cristina Canale – Arredores e Rastros, com curadoria de Luiz Camillo Osório, apresenta um recorte na pintura de Cristina Canale: são 20 obras do período de 1995 a 2010, abrangendo as mudanças a partir da experiência de estudos na Alemanha até o momento atual.

O MAM do Rio de Janeiro fica na Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Rio de Janeiro-RJ. Informações: (21) 2240-4944 ou www.mamrio.org.br.

Início: 1º de julho
Término: 15 de agosto