Museus e seus públicos é tema de seminário nesta sexta (26) no Rio

Museus e seus públicos é tema de seminário que será realizado nessa sexta-feira (26), pelo British Council, no Museu de Arte do Rio (MAR). A iniciativa reunirá profissionais britânicos e brasileiros para discutir as melhores práticas, tendências e estudos de caso que possam inspirar novos modelos, ações e oportunidades para museus.

Museus e público: seminário é parceria do British Council com o MAR

Museus e públicos: seminário é parceria do British Council com o MAR

Para Lucimara Letelier, Diretora Adjunta de Artes do British Council, “o tema de atração e diversificação de públicos é um dos mais importantes para os museus brasileiros neste momento em que eles passam por um processo de revitalização, requalificação e abertura de novos espaços. É preciso abrir o debate sobre iniciativas que funcionam, práticas que colaboram para atrair e fidelizar públicos diversos”.

O seminário será dividido em dois painéis. O primeiro terá a participação do britânico Iain Watson, diretor do Tyne & Wear Archives & Museums (TWAM); Carlos Gradim, Diretor-presidente do Museu de Arte do Rio e Tatiana Levy, Gerente Executiva e Socioeducativa do Museu Internacional de Arte Naif.  O debate terá moderação de Luis Marcelo Mendes, Consultor da Fundação Roberto Marinho.

A segunda conversa será pautada pela experiência dos museus de ciência e será conduzida por Lucimara Letelier, com participação de Jean Franczyk, Diretora Adjunta do Science Museum de Londres. Compartilhando a experiência brasileira, participam do painel Diego Vaz, Chefe do Museu da Vida; e Luiz Alberto Oliveira, Curador do Museu do Amanhã, que está previsto para ser inaugurado em setembro.

O evento é gratuito e conta com tradução simultânea. As vagas são limitadas e sujeitas a lotação. Mais informações e inscrições na página do Programa Transform.

Texto: Divulgação British Council
Foto: Divulgação/Marcel Blanco (MAR)

Parceria: Museu do Louvre quer realizar exposições no Brasil

A relação entre França e Brasil deve ser ampliada no campo das artes após a visita ao país, na última semana, de uma delegação do Museu do Louvre com o propósito de estabelecer parcerias e detectar espaços capazes de receber exposições. O Louvre foi o museu de arte mais frequentado do mundo em 2013, com mais de 9,3 milhões de visitantes, segundo a publicação The Art Newspaper.

Delegação Louvre

Delegação do Louvre esteve no Brasil na última semana e reuniu-se com o presidente do Ibram (ao fundo)

Formada por Alberto Vial, Conselheiro Diplomático, o curador Pascal Torres, Sophie Kammerer, Chefe de Serviço de Consultoria, e a diretora de Programação Cultural,  Aline François, a equipe fez visitas técnicas a todas as unidades do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), localizadas em Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo.

Na sexta (10), o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo, recebeu a delegação em Brasília. “Vamos organizar em 2015 um seminário para discutir temas importantes da museologia contemporânea, como gestão de riscos, arquitetura e museografia, por exemplo”, citou Oswaldo.

“O museu tem uma expertise reconhecida em todo o mundo e, certamente, este conhecimento será importante para os museus brasileiros”. Além disso, Angelo Oswaldo destaca ainda essa aproximação com o Brasil como uma ponte do museu francês com o espaço ibero-americano por meio do Programa Ibermuseus – cuja presidência é do Brasil até 2015.

Escola do Louvre
Em 2012, o Ibram estabeleceu com a Escola do Louvre um convênio voltado ao aperfeiçoamento de profissionais por meio de intercâmbio. Ano passado, as três primeiras brasileiras selecionadas em chamada pública participaram do Seminário Internacional de Verão de Museologia da Escola do Louvre (Siem) e fizeram ainda estágio em museus franceses.

Museu Nacional de Belas Artes integra a rede Ibram no Rio

O Museu Nacional de Belas Artes integra a rede Ibram no Rio

Agora chegou a vez das francesas no Brasil. Nos últimos três meses, Caroline Giecold, Maxime Porto e Sophie Hermann acompanharam, respectivamente, o dia a dia nos Museu Histórico Nacional (MHN), Museu de Arte do Rio (MAR) e Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), todos no Rio.

As duas primeiras já retornaram à França e Sophie Hermann permanece até domingo (19). Segundo ela, a experiência brasileira foi muito interessante em vários aspectos.

“Na Europa, é tudo linear [no campo das artes]; aqui, há núcleos de pensamento, pontos de vista. O que mais me chamou a atenção foi a grande diversidade na maneira de pensar a história da arte,” conta a estudante que, com esta experiência, conclui o seu curso na Escola do Louvre.

Para a coordenadora-técnica do Ibram no MNBA, Daniela Matera, a estudante se empenhou em entender a arte brasileira contemporânea, “que chama bastante atenção lá fora”, e se encantou com a história da arte brasileira. “Eu daria nota 10 para a sua atuação e acredito ainda que conseguimos contribuir para a formação dela”, finaliza Matera.

Texto e fotos: Ascom/Ibram

Aula inaugural de MBA no RJ trata sobre museus no século XXI

O presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo, ministra, no dia 27 de agosto, às 17h, aula inaugural na Pós-graduação lato sensu MBA em Gestão de Museus. A palestra com o tema Os museus no século XXI tem entrada franca e acontece no Museu de Arte do Rio (MAR), localizado à Praça Mauá, no centro do Rio de Janeiro (RJ).

Resultado da parceria entre a Associação Brasileira de Gestão Cultural (ABGC) e o MAR, o curso é direcionado para gestores públicos e privados, profissionais que atuam em museus, centros de cultura e patrimônio, além de áreas multidisciplinares, e visa capacitá-los para planejar, gerenciar, comunicar e garantir a sustentabilidade dos museus. Saiba mais.

Também estão abertas as inscrições para a Pós-graduação lato sensu em Educação Museal. Fruto da cooperação técnica estabelecida entre os Museus Castro Maya (Chácara do Céu) e Museu da República com a Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec), via Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro (ISERJ), o curso visa especializar e qualificar graduados em qualquer área de conhecimento para desempenhar atribuições profissionais específicas do educador museal. As inscrições podem ser feitas até o dia 11 de setembro. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram

Museu de Arte do Rio abre hoje e expõe peças de acervo dos museus Ibram

Dezessete peças do acervo de museus ligados ao Ibram fazem parte das quatro exposições inaugurais do Museu de Arte do Rio (MAR), que será aberto hoje (1º), na Praça Mauá, região portuária do Rio de Janeiro.

Entre as peças de acervo emprestado pelo Ibram estão gravuras do Museu Lasar Segall e quadros e objetos do Museu Nacional de Belas Artes, dos Museus Castro Maya – Chácara do Céu e Museu do Açude – e do Museu Histórico Nacional.

Participam da inauguração do Museu, na noite de hoje, a presidenta da República, Dilma Rousseff, a ministra da Cultura, Marta Suplicy, e o presidente do Ibram, José do Nascimento Junior.

O MAR vem se somar aos 3.223 museus do Brasil e aos 131 museus na cidade do Rio de Janeiro (dados do Cadastro Nacional de Museus – setembro de 2012). O museu pretende conjugar arte e educação, promover uma leitura transversal da história da cidade e unir dimensões históricas e contemporâneas da arte, além de promover a formação continuada de professores da rede municipal de ensino.

O MAR contará com uma área de 15 mil m², composta pelo prédio histórico tombado Palacete de Dom João IV, onde ficam as exposições, e pelo edifício vizinho, de estilo modernista, que abriga a Escola do Olhar. O Museu também terá coleção própria, que já está em processo de formação por meio de aquisições e doações.

Exposições
A partir de hoje estão abertas ao público as exposições Rio de Imagens: Uma Paisagem em Construção, que aborda as transformações do cenário urbano e da construção do imaginário do Rio de Janeiro; O Colecionador: Arte Brasileira e Internacional na Coleção Boghici, com cerca de 140 peças da coleção particular do marchand Jean Boghici; Vontade Construtiva na Coleção Fadel , com peças produzidas por artistas brasileiros dos movimentos concretista e neoconcretista das décadas de 50 e 60;  e O Abrigo e o Terreno: Arte de Sociedade no Brasil, que trata da ocupação do espaço público e da dinâmica da sociabilidade.

O Museu fica aberto de terça a domingo, das 10h às 17h. A entrada é gratuita às terças-feiras. Mais informações na página www.museumar.com ou pelo telefone (21) 2203.1235.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação