Acesso: primeiro volume da coleção Museus do Ibram está disponível

Museu de Arqueologia de Itaipu (RJ)

MAI é tema do primeiro volume da coleção Museus do Ibram

O Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI), também chamado Museu Socioambiental de Itaipu, é tema do primeiro volume da coleção Museus do Ibram. A instituição integra a rede do Instituto Brasileiro de Museus e localiza-se em Niterói (RJ).

Disponível online para consulta ou download, em versão de menor resolução, o livreto apresenta a história do museu e a sua temática, contextualiza-o em relação à localidade e à comunidade em que está inserido.

A coleção, que prevê a publicação de 19 volumes no total, é destinada a um público diverso. Por isso, seus livros utilizam linguagem simples, trazem fotos, plantas dos museus e áreas que ocupam. Possíveis percursos de visita e lugares relacionados com as instituições também estão incluídos.

A ideia é que o grande público se familiarize com as unidades museológicas do Ibram e que tal conhecimento contribua para ações que promovam o estudo, a preservação, a valorização e a divulgação do patrimônio cultural sob a guarda dessas instituições.

O MAI é um museu que documenta vestígios da ocupação humana pré-histórica da região, e está instalado nas ruínas de um dos primeiros conventos erguidos no litoral fluminense, o antigo Recolhimento de Santa Teresa.

Criado em 1977, o museu tem a missão ainda de comunicar aos seus visitantes o valor do patrimônio cultural e ambiental da região, os costumes e tradições das comunidades pesqueiras que vivem em seu entorno. Conheça outros museus do Ibram.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Banco de Imagens Ibram

Museu de Arqueologia de Itaipu abre mostra sobre novo projeto de educação

Amanhã (5), a partir das 14h, o Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI/Ibram), em Niterói (RJ), em parceria com a Escola Municipal Professor Marcos Waldemar de Freitas Reis, inaugura a exposição As minhas, as suas, as nossas coisas e memórias.

Capa do livro que tem lançamento amanhã (5) no  MAI/Ibram

Capa do livro que tem lançamento amanhã (5) no MAI/Ibram

A exposição, em cartaz até dia 13 de dezembro, é resultado do primeiro esboço de mais um programa de educação museal do MAI, que tem o nome provisório de projeto museu-escola. O objetivo é familiarizar as crianças com os aspectos teóricos e práticos da museologia.

Para tanto, os funcionários do museu e os professores da escola realizam encontros periódicos para tratar com os alunos questões que vão desde memória e patrimônio até a conservação de acervo e montagem de exposições.

Às 16h, está programado o lançamento da publicação Aos Pés da Serra da Tiririca: uma história de todos nós. Trata-se de um livro que surgiu da parceria entre MAI e o Grupo de Estudos Interdisciplinares do Ambiente (GEIA), da Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

No livro são abordados aspectos ambientais, históricos e culturais da Serra da Tiririca, área de preservação ambiental que envolve o MAI e abrange boa parte dos municípios de Niterói e Maricá. Saiba mais sobre o museu.

Texto e imagem: Divulgação MAI

Museu de Arqueologia de Itaipu lança Caderno SocioAmbiental

O Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI/Ibram), em Niterói (RJ), lança, nesta segunda-feira (23), em comemoração à 7ª Primavera dos Museus, o livro Representações do Feminino: olhares revisitados e contemporâneos. A publicação inaugura a série de publicações anuais do MAI intitulada Caderno SocioAmbiental.

O periódico tem como objetivo de abordar temas concernentes ao universo de reflexão e de ação da proposta museológica da instituição. O primeiro número faz referência ao tema da 5ª Primavera dos Museus Mulheres, Museus e Memórias. Naquele ano, o MAI realizou as mesas redondas Religiosidade e Representações do Feminino em Perspectiva Histórica e Entre História, Antropologia e Filosofia: Estudos de Gênero no Brasil.

Cada mesa, com sua especificidade, deu contribuições, seja para a desconstrução de um olhar estável sobre o momento histórico que permeava a vida da mulher na América portuguesa, em particular a vida em clausura, seja ainda para uma visada sobre a mulher e a construção de sua inserção multifacetada na esfera social no contexto contemporâneo. O resultado deste trabalho é a publicação, disponível aqui.

 

Exposição no Museu de Arqueologia de Itaipu atrai índios Guarani

Em comemoração ao Dia do Índio, o Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI/Ibram), em Niterói (RJ), inaugurou na última sexta-feira (19), a exposição Tekoa Mboy-Ty: uma semente Guarani no Museu de Arqueologia de Itaipu.

A Dança dos Guerreiros foi apresentada na abertura da exposição

O evento marcou a abertura de uma oca tradicional Guarani, construída ao longo dos últimos dois meses por membros da aldeia Tekoa Mboy-ty, para a visitação do público, além da inauguração de três painéis educativos que abordam diferentes aspectos da Cultura Guarani Mbya.

Estiveram presentes na inauguração do evento diversos representantes das comunidades tradicionais localizadas no entorno do museu, dentre elas, os membros da aldeia, liderados pelo cacique Darcy Tupã, fizeram uma apresentação da Dança dos Guerreiros (dança de caráter lúdico que serve de treinamento físico para os homens da aldeia).

Os presentes puderam conferir, ainda, um documentário de 26 minutos produzido através de parceria com o Laboratório de antropologia e Imagem da Universidade Federal Fluminense, que trata do passo-a-passo do processo de construção deste tipo de habitação tradicional.

Texto e foto: Divulgação MAI/Ibram

Exposição revela participação da comunidade no Museu de Itaipu

O Museu de Arqueologia de Itaipu – MAI, vinculado ao Instituto Brasileiro de Museus – IBRAM, após a conclusão das obras de restauração e modernização do prédio histórico onde está instalado, vai oferecer ao público uma nova exposição de longa duração: “Percursos do Tempo – Revelando Itaipu”, a ser inaugurada no dia 27 de janeiro de 2010, às 19h. As questões centrais da mostra referem-se à ocupação humana em Itaipu e às suas manifestações culturais como a pesca, os sítios arqueológicos o antigo Recolhimento de Santa Teresa e a criação do MAI, todas elas em harmonia com os ecossistemas locais.

Percursos do Tempo – Revelando Itaipu pretende evidenciar a relação intrínseca de participação da comunidade pesqueira local e de pesquisadores na idealização de um museu que vem se erguendo e se configurando integralmente em meio às ruínas do Recolhimento de Santa Teresa, aos sítios arqueológicos Duna Grande, Duna Pequena e Sambaqui de Camboinhas, em um ambiente circunscrito por mar, laguna, montanha e floresta.

Foto: Ricardo Bhering

Visitação:
Terça a sexta, das 10h às 17h.
Sábados, domingos e feriados, das 13h às 17h.
Visitas orientadas: segunda a sexta, das 9h às 17h.

Ingresso: R$ 2,00 (meia entrada para estudantes)

Mais Informações:
Museu de Arqueologia de Itaipu – Setor Educativo
Praça de Itaipu, s/n – Itaipu – Niterói-RJ
Telefones: (21) 3701.2994 / 3701.2966