Museu da República inaugura duas mostras nesta terça (8)

republica_tufoA Galeria do Lago, localizada no Jardim Histórico do Museu da República/Ibram, no Rio de Janeiro, exibirá a partir do dia 8 de setembro a exposição O Grande Tufo de Ervas. Com curadoria de Isabel Sanson Portella, a mostra traz para o interior da Galeria o universo das flores, as folhas, o verde, as cores, as ervas e os matos, revelando infinitas possibilidades para se admirar os jardins.

Para tanto, foram convidados dois artistas – Pedro Varela e Mauro Piva – que pesquisaram e dialogaram com a paisagem e a flora local. Mauro, que teve como partida a obra do alemão Albrecht Durer, O Grande Tufo de Ervas, utiliza desenhos e pinturas indo muito além de um simples exercício de observação da natureza. Mauro não faz uma ilustração botânica, mas uma aproximação cuidadosa, um tratamento quase humanizado das plantas.

Já Pedro Varela, segue um novo caminho misturando pinturas e recortes de papel pintado, além das flores de papel, construindo um universo idealizado que se identifica com o imaginário pré-existente dos trópicos. As pinturas parecem brotar de uma noite escura onde flores e plantas se misturam com outras formas e referências artísticas. Nas palavras do próprio artista “um emaranhado psicodélico-barroco-abstrato”.

A exposição pode ser vista até 17 de outubro, de terça a sexta-feira, das 10h às 12 h e das 13h às 17 h. Aos sábados, domingos e feriados, a visitação pode ser feita das 11h às 18 h. A entrada é franca.

Intervenções Bradesco ArtRio

Intervenção no Jardim do Museu da República

Intervenção no Jardim do Museu da República

O projeto Intervenções Bradesco ArtRio propõe aos visitantes do Museu da República um novo olhar, mais atento, mais criativo sobre esse espaço que é comum a todos. Obras de diversos artistas vão dialogar com a natureza local, interagindo com os visitantes, levando à reflexão sobre o papel das manifestações artísticas no cotidiano de uma cidade frenética. A intenção é fugir da rotina, surpreender, inverter o tempo real em favor do tempo da arte.

18 artistas participam do projeto: Chiara Banfi, Estela Sokol, Carolina Ponte, Suzana Queiroga, Flávio Cerqueira, Dayse Xavier, Andrey Zignatto, Claudia Hersz, Ângelo Venosa, Marcos Cardoso, Marcos Duarte, Felipe Barbosa, Rosana Ricalde, Marcone Moreira, João Loureiro, Jozias Benedicto, Úrsula Taustz e Daniel Tucci.

Nesta terça-feira (8), dia da inauguração, haverá a performance inédita Thespis ou Panikos, do artista Alessandro Sartore, às 16h30. A intervenção fica até o dia 14 de setembro nos Jardins do Museu.

A Assessoria econômico-política de Vargas é tema de evento no Museu da República

O Museu da República (MR/Ibram), no Rio de Janeiro, irá promover no dia 24 de abril, às 18h, uma mesa-redonda para o lançamento do livro Os boêmios cívicos – A Assessoria econômico-política de Vargas (1951-54). O livro conta a história do grupo que Getúlio montou para estudar os problemas e pensar a modernização do país, quando do seu retorno à Presidência da República, em 1951.

Apelidados por Vargas de “boêmios cívicos” por passarem as madrugadas trabalhando no Palácio do Catete, esse grupo de jovens, quase todos do Nordeste, entre eles Rômulo Almeida e Celso Furtado, foi o idealizador das instituições e empresas públicas que consolidaram o Estado brasileiro moderno, tais como Petrobrás, Eletrobrás, CNPQ, BNDES, Banco do Nordeste, Capes, Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia, entre outros avanços para a modernidade do Brasil.

Participarão da mesa-redonda o professor de sociologia da USP, Gabriel Cohn; o presidente do Centro Internacional Celso Furtado, Roberto Saturnino Braga; o professor de Ciências Políticas da UFPE, Marcos Costa Lima; a jornalista e tradutora Rosa Freire d’Aguiar e o professor de Economia e Relações Internacionais da UFRGS, Pedro Cezar Dutra Fonseca.

Os interessados em participar do evento deverão fazer inscrição através do e-mail centro@centrocelsofurtado.org.br.

Nilo Peçanha e mulheres das artes do século XIX ocupam Museu da República

O Museu da República/Ibram, no Rio de Janeiro (RJ), inicia o mês de março com exposição em cartaz e evento comemorativo ao Dia Internacional da Mulher.

No dia 1º de março, o museu abre uma exposição voltada a apresentar a história das campanhas políticas brasileiras: Nilo Peçanha e a Reação Republicana.

Nilo peçanha, junto com seu candidato a vice-presidente, J.J. Seabra, foi o responsável pela primeira grande campanha política brasileira, que percorreu e envolveu grande parte do país em 1922 – há exatos 90 anos. 

O candidato à presidente do país conseguiu reunir estados importantes como Rio de janeiro, Pernambuco, Bahia, Rio Grande do Sul, que queriam uma maior participação na política nacional. Nilo Peçanha não foi eleito, mas entrou pra história mesmo assim. A exposição pode ser vista até 31 de maio de 2012.

Mulheres luminosas
Idealizada por Mana Pontez, a mostra Mulheres Luminosas pretende revelar curiosidades sobre a vida e obra de mulheres que marcaram as artes no fim do século XIX e influenciaram o papel feminino na sociedade contemporânea: Chiquinha Gonzaga (musicista), Georgina Albuquerque (pintora), Gilka Machado (poetisa) e Nicolina Vaz Assis (escultora).

Nos dias 7 e 8 de março, Mulheres Luminosas promove duas palestras com a participação de estudiosos, historiadores e professores apresentando um pouco mais sobre a trajetória das artistas, além de promover uma exposição de imagens pelos jardins do Museu da República. Veja a programação a seguir. Para outras informações, clique aqui.

Programação
7 de março
17h – Pré-estréia do documentário Mulheres Luminosas (2012, 20 min.), de Pedro Pontes.
Exibição: terças e quartas, às 16h, do mês de março (grátis).
Local: auditório, 2º andar (capacidade: 80 pessoas)
17h30-19h – Palestra Vida feminina no Rio de Janeiro do fim do século XIX
Mediador: Hélio Eichbauer
Palestrantes: Antonio Edmilson M. Rodrigues (Historiador PUC-RJ e UERJ); Edinha Diniz (escritora e pesquisadora); Ana Paula Cavalcanti Simioni (Doutora em Sociologia e Docente do IEB-RJ); Maria de Lourdes Eleutério (Doutora em Sociologia e docente da FAAP-SP); Piedade Grimberg (Diretora Museu Grandjean de Montigny e Docente de História da Arte PUC-RJ).
Local: auditório, 2º andar (capacidade: 80 pessoas)

8 de março
16h – Exibição do documentário Mulheres Luminosas (2012, 20 min.), de Pedro Pontes
Local: sala multimídia
17h -19h – Palestra Expressão Feminina
Mediador: Hélio Eichbauer
Palestrantes: Iole de Freitas (artista plástica), Stela Miranda (atriz, diretora e jornalista), Rosiska Darcy de Oliveira (advogada, professora universitária, jornalista e escritora).
Local: auditório, 2º andar (capacidade: 80 pessoas)

Fonte: Divulgação Museu da República