Museu da República recebe obras de Melvin Edwards

Obra “Boa Sorte, primeiro dia” Melvin Edwards  Imagem: Museu da República

Obra “Boa sorte, primeiro dia” Melvin Edwards
Imagem: Museu da República

No sábado (17), o Museu da República/Ibram irá receber as obras do escultor Melvin Edwards. Nascido nos Estados Unidos em 1937, ele se tornou célebre por suas esculturas abstratas de metal em aço.

Em suas obras, ainda que abstratas, as ferramentas agrícolas como memória de sua infância no sul dos Estados Unidos estão presentes, além de correntes que podem remeter, segundo o artista, aos elos de conexão entre as pessoas.

Nesse sentido, a exposição tem como objetivo explorar diferentes vertentes do trabalho do escultor, criando um leque de raciocínios desenvolvido pelo artista ao longo dos anos de pesquisa.

Reconhecido como pioneiro na arte contemporânea afro-americana, Melvin Edwards funde engajamento político com abstração, produzindo objetos densos, fortes e carregados de significados. Sua obra procura conciliar o interesse na abstração com a satisfação por contar a história da cultura negra, buscando o diálogo com as lutas históricas e contemporâneas.

A exposição inclui obras de aço, como “Boa sorte, primeiro dia” (foto), típicas do estilo do artista, mas também aquarelas que dialogam com o peso do metal. A mostra está aberta aos visitantes até 27 de outubro.

O Museu da República  funciona de terça a sexta-feira, das 10h às 17h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h.

Museu da República sedia encontro de pesquisadores em Artes Visuais do RJ

5encontro_republica-300x163De 23 de outubro a 4 de novembro, o Museu da República/Ibram sediará o 5º encontro de pesquisadores dos Programas de Pós-Graduação em Artes Visuais do Rio de Janeiro, que abarca conferências, palestras e comunicações em torno do tema “Corpos e Territórios: Arte em Disputa”.

O Encontro pretende estimular a troca de experiências entre pesquisadores, docentes e discentes da área de artes e tem como finalidade fomentar o debate e o diálogo entre acadêmicos e profissionais, além de mapear a conjuntura atual da pós-graduação em artes no Estado do Rio de Janeiro, sua relação com contextos de outros estados brasileiros e o entendimento do local de disputa entre teoria, prática artística, educação em artes e sociedade em geral.

Sobre o tema

“Nos últimos anos, uma expressão largamente proferida pelas agências de arte tem sido ‘moção de repúdio’. Repúdio – ao fechamento de exposições; à classificação etária em ambientes expositivos; aos projetos de lei que retiram as artes dos currículos de ensino; repúdio à censura. Em tempos como estes, as artes visuais têm sido atacadas por setores diversos da sociedade. Seja pela incompreensão, seja pela má fé; cabe ao meio de arte colocar-se em defesa e em combate”, explicam os realizadores.

O evento 5º Encontro de Pesquisadores dos Programas de Pós-Graduação em Artes Visuais do Estado do Rio de Janeiro busca articular os acontecimentos recentes no contexto das artes visuais a partir das seguintes propostas: Arte em disputa: recepção e processos de visualidade; Arte em disputa: meios e institucionalização; Arte em disputa: estratégias e processos poéticos; Arte em disputa: educação.

Confira a programação completa do evento. Mais informações: 5encontroppgartesrj@gmail.com. O Museu da República fica na Rua do Catete, 153, no Rio de Janeiro (RJ).

Museu da República com ampla programação no Rio de Janeiro

O Museu da República/Ibram, no Rio de Janeiro (RJ), traz uma programação diversificada nesta segunda quinzena de março. Todas as atividades são gratuitas.

O dia do Contador de Histórias (20) será celebrado com o evento Um Rio de histórias nos dias 17, 18 e 20. A maratona de contação de histórias sobre a cidade tem a participação de narradores de diversas formações e distintas práticas de oralidade.

A programação infantil acontece no coreto do jardim (dias 17 e 18), a partir das 11h, e a Maratona Itinerante de Contos, a partir das 14h, acontece na varanda do antigo Palácio do Catete. No dia 20, no Espaço Educação do museu, é dia de roda de conversa com convidados – das 17h às 20h. A realização é do Coletivo Contadores de Histórias do Rio de Janeiro.

Museu da República no Rio (RJ)

O Museu da República/Ibram, antigo Palácio do Catete, fica no Rio de Janeiro

Mulheres e política
A edição de março da Jornada Republicana, no dia 27, tem como tema Mulheres em ação: 30 anos da Constituição, aproveitando o mote do Dia da Mulher (8 de março) e dos 30 anos da Constituição Brasileira (1988). A atividade será na Sala Multimídia, das 18h às 21h. Confira a programação completa.

Jango: como, quando e por que se derruba um presidente, de Silvio Tendler, é o filme exibido no dia 29 no cineclube do museu da República. O documentário ganhou prêmios  nos festivais de Gramado e Havana em 1984 e tem indicação livre.

A programação se encerra no dia 31 com uma leitura dramatizada da peça Jesus de Nazaré, do teatrólogo Antero de Sales, feita pela companhia teatral Escolhidos da Ribalta. A atividade acontece na Gruta, no jardim do museu, das 15h às 17h.

Além das atividades, o público pode ainda visitar quatro exposições: Gabinete republicano de histórias controversas, não ditas e mal ditas, Um palácio e suas memórias, a exposição de pinturas do artista João Magalhães e a exposição itinerante Canudos: Memória da Favela.

Saiba como chegar ao Museu da República e outras informações na página web do MR.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: MR/Divulgação

Memória do Mundo: Museu da República exibe acervo fotográfico sobre Canudos

No mês em que completa 52 anos, o Museu da República/Ibram, no Rio de Janeiro (RJ), abre espaço para recordar a Guerra de Canudos, conflito ocorrido entre 1896 e 1897, no sertão baiano, e que opôs militares e civis.

Imagens históricas de Canudos compõem a exposição

A exposição temporária Canudos: Memória do Mundo vai abordar o trágico episódio da história republicana. A abertura acontece no dia 15 de novembro, data do aniversário do museu, ficando em cartaz durante 3 meses.

Realizada em parceria com o SENAI-RJ, a exposição apresenta 69 fotografias de autoria de Flávio de Barros e que compõem o Acervo Canudos, parte do Arquivo Histórico do Museu da República – reconhecido, em 2009, pelo Programa Memória do Mundo da Unesco. Saiba mais.

Pioneirismo
O movimento messiânico em Canudos, liderado pelo beato Antônio Conselheiro, foi derrotado pelas tropas do exército na quarta expedição militar que, contando com um contingente de mais de 5 mil soldados armados e artilharia moderna, destruíram Canudos e fizeram do Arraial de Belo Monte terra arrasada.

Precursor de outros fotógrafos que posteriormente também registraram o conflito, Flávio de Barros chegou a Canudos em 26 de setembro de 1897, acompanhando a Divisão de Artilharia Canet. Das suas fotografias originais, além das presentes no Museu da República/Ibram, são conhecidas mais duas coleções pertencentes ao Instituto Geográfico e Histórico da Bahia e a Casa de Cultura Euclides da Cunha de São José do Rio Pardo (SP).

Saiba horários, como chegar e outras informações sobre o Museu da República.

Texto e foto: Divulgação Museu da República
Edição: Ascom/Ibram