Museu da República com ampla programação no Rio de Janeiro

O Museu da República/Ibram, no Rio de Janeiro (RJ), traz uma programação diversificada nesta segunda quinzena de março. Todas as atividades são gratuitas.

O dia do Contador de Histórias (20) será celebrado com o evento Um Rio de histórias nos dias 17, 18 e 20. A maratona de contação de histórias sobre a cidade tem a participação de narradores de diversas formações e distintas práticas de oralidade.

A programação infantil acontece no coreto do jardim (dias 17 e 18), a partir das 11h, e a Maratona Itinerante de Contos, a partir das 14h, acontece na varanda do antigo Palácio do Catete. No dia 20, no Espaço Educação do museu, é dia de roda de conversa com convidados – das 17h às 20h. A realização é do Coletivo Contadores de Histórias do Rio de Janeiro.

Museu da República no Rio (RJ)

O Museu da República/Ibram, antigo Palácio do Catete, fica no Rio de Janeiro

Mulheres e política
A edição de março da Jornada Republicana, no dia 27, tem como tema Mulheres em ação: 30 anos da Constituição, aproveitando o mote do Dia da Mulher (8 de março) e dos 30 anos da Constituição Brasileira (1988). A atividade será na Sala Multimídia, das 18h às 21h. Confira a programação completa.

Jango: como, quando e por que se derruba um presidente, de Silvio Tendler, é o filme exibido no dia 29 no cineclube do museu da República. O documentário ganhou prêmios  nos festivais de Gramado e Havana em 1984 e tem indicação livre.

A programação se encerra no dia 31 com uma leitura dramatizada da peça Jesus de Nazaré, do teatrólogo Antero de Sales, feita pela companhia teatral Escolhidos da Ribalta. A atividade acontece na Gruta, no jardim do museu, das 15h às 17h.

Além das atividades, o público pode ainda visitar quatro exposições: Gabinete republicano de histórias controversas, não ditas e mal ditas, Um palácio e suas memórias, a exposição de pinturas do artista João Magalhães e a exposição itinerante Canudos: Memória da Favela.

Saiba como chegar ao Museu da República e outras informações na página web do MR.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: MR/Divulgação

Memória do Mundo: Museu da República exibe acervo fotográfico sobre Canudos

No mês em que completa 52 anos, o Museu da República/Ibram, no Rio de Janeiro (RJ), abre espaço para recordar a Guerra de Canudos, conflito ocorrido entre 1896 e 1897, no sertão baiano, e que opôs militares e civis.

Imagens históricas de Canudos compõem a exposição

A exposição temporária Canudos: Memória do Mundo vai abordar o trágico episódio da história republicana. A abertura acontece no dia 15 de novembro, data do aniversário do museu, ficando em cartaz durante 3 meses.

Realizada em parceria com o SENAI-RJ, a exposição apresenta 69 fotografias de autoria de Flávio de Barros e que compõem o Acervo Canudos, parte do Arquivo Histórico do Museu da República – reconhecido, em 2009, pelo Programa Memória do Mundo da Unesco. Saiba mais.

Pioneirismo
O movimento messiânico em Canudos, liderado pelo beato Antônio Conselheiro, foi derrotado pelas tropas do exército na quarta expedição militar que, contando com um contingente de mais de 5 mil soldados armados e artilharia moderna, destruíram Canudos e fizeram do Arraial de Belo Monte terra arrasada.

Precursor de outros fotógrafos que posteriormente também registraram o conflito, Flávio de Barros chegou a Canudos em 26 de setembro de 1897, acompanhando a Divisão de Artilharia Canet. Das suas fotografias originais, além das presentes no Museu da República/Ibram, são conhecidas mais duas coleções pertencentes ao Instituto Geográfico e Histórico da Bahia e a Casa de Cultura Euclides da Cunha de São José do Rio Pardo (SP).

Saiba horários, como chegar e outras informações sobre o Museu da República.

Texto e foto: Divulgação Museu da República
Edição: Ascom/Ibram