Página 1 de 41234

UFBA lança edital para pós-doutorado em Museologia

O Programa de Pós-Graduação em Museologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA) abriu edital de Chamada Pública para Seleção de Pesquisador/Docente com bolsa do Programa Nacional de Pós-Doutorado (PNPD).

A seleção é aberta a pesquisadores e docentes brasileiros ou estrangeiros residentes no Brasil. A bolsa prevê pagamento de mensalidade para manutenção do bolsista, cujo valor será R$ 4,1 mil.

Os benefícios também incluem aporte anual de recursos de custeio destinado a subsidiar atividades de pesquisa do bolsista, tais como a sua participação em eventos como congressos, encontros e simpósios.

Confira o edital na íntegra.

Fórum Acervos Arqueológicos recebe inscrições de trabalhos até 15 de julho

Até 15 de julho, interessados em apresentar experiências e reflexões nas áreas de arqueologia, conservação e museologia podem submeter trabalhos para o Fórum Acervos Arqueológicos: por uma política de preservação do patrimônio arqueológico brasileiro.

A proposta do fórum é definir uma pauta para a elaboração de um plano de ação com vistas à preservação e à gestão dos bens arqueológicos do país. O evento acontece entre os dias 28 e 30 de agosto no Auditório do Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ).

REMAAE se reuniu ano passado durante o 7º Fórum Nacional de Museus em Porto Alegre (RS)

REMAAE reuniu-se ano passado durante o 7º Fórum Nacional de Museus em Porto Alegre (RS)

Além de congregar profissionais, o evento irá retomar os trabalhos iniciados em 2017 no Fórum do GT Acervos, da Sociedade de Arqueologia Braileira (SAB), e da reunião da Rede de Museus e Acervos de Arqueologia e Etnologia (REMAAE) – que teve lugar durante o 7º Fórum Nacional de Museus.

A programação inclui mesas redondas, palestras, comunicações coordenadas e já está disponível para consulta. O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) estará representado, na mesa de abertura, pela diretora de Processos Museais, Renata Bittencourt.

Como participar
As inscrições podem ser feitas gratuitamente em formulário online e estão divididas em duas categorias: Participante e Ouvinte.

O participante pode contribuir com as discussões através da apresentação de experiências e reflexões, como representantes das instituições de guarda e pesquisa de acervos arqueológicos, profissionais autônomos e equipes prestadoras de serviço em arqueologia, conservação e museologia, que atuam diretamente na preservação do patrimônio arqueológico. As inscrições nessa categoria podem ser realizadas até 15 de julho.

Já a categoria Ouvinte é voltada para agentes que atuam no setor patrimonial, estudantes e profissionais das áreas de arqueologia, conservação e museologia, além dos interessados na temática. Nessa categoria, as inscrições acontecem até 28 de agosto.

Os interessados que não puderem comparecer têm até 1º de julho para enviar contribuições para o e-mail forumacervosarqueologicos@gmail.com, com o Assunto “Contribuições para o Fórum”. Saiba mais.

Texto: Ascom/MHN
Foto: Doni Maciel /Acervo Ibram

Revista MUSAS abre chamada para publicação de artigos

MUSAS nº 8 propõe reflexão sobre dois séculos de experiência museal em território brasileiro, lançando um amplo olhar avaliativo sobre as principais questões, experimentações e conquistas acumuladas nesta trajetória.

MUSAS nº 8 vai propor reflexão sobre dois séculos de experiência museal no Brasil, com olhar avaliativo sobre as principais questões, experimentações e conquistas acumuladas nesta trajetória.

Foi aberta nesta segunda-feira (4) Chamada Pública para publicação de artigos na oitava edição da MUSAS – Revista Brasileira de Museus e Museologia, que será publicada em 2018.

Editado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), o periódico de caráter interdisciplinar reúne reflexões e experiências relacionadas à área de museus e Museologia.

A seção Artigos é aberta à publicação de trabalhos que versem sobre Museologia, Antropologia, Arqueologia, Arquitetura, Arte, Ciência, Educação, Expografia, História, Restauração, Sociologia e demais assuntos que envolvem o setor.

Sobre o tema

Neste número, MUSAS vai celebrar os 200 anos do museu mais antigo do Brasil em atividade – o Museu Nacional, no Rio de Janeiro (RJ). Aproveitando a ocasião, a revista propõe uma reflexão sobre dois séculos de experiência museal em território brasileiro, lançando um amplo olhar avaliativo sobre as principais questões, experimentações e conquistas acumuladas nesta trajetória.

São exemplos de temas relacionados: a evolução histórica do campo museal brasileiro desde a fundação de suas primeiras e emblemáticas instituições; os movimentos de criação, ao longo da história, de museus com temáticas e tipologias diversas, assim como de cursos na área da Museologia; a relevância da Museologia Social no Brasil; e as diversas metamorfoses experimentadas pelos museus e processos museais brasileiros em diálogo com a contemporaneidade.

Os artigos propostos, além de sintonizados com o escopo mencionado, devem ser inéditos, escritos em português e atender à formatação definida pela Chamada Pública. Ao submeter o artigo, o autor cede direitos autorais à revista. Os textos devem ser enviados para o e-mail editorialmusas@museus.gov.br até às 23h59 do próximo dia 03/11.

Entrevista: Antonio Carlos Oliveira, meteorologista e museólogo do MNBA

O meteorologista e museólogo Antonio Carlos Oliveira fala aos participantes do seminário-oficina “Gestão de Riscos do Clima para Acervos Musealizados”, no Rio de Janeiro (RJ).

O meteorologista e museólogo Antonio Carlos Oliveira fala aos participantes do seminário-oficina Gestão de Riscos do Clima para Acervos Musealizados no Rio de Janeiro (RJ)

Meteorologista vinculado à Infraero, o também museólogo Antonio Carlos Oliveira atua, desde 2014, junto ao Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), no Rio de Janeiro (RJ), para onde foi cedido com um objetivo específico: desenvolver solução tecnológica que permita reunir e utilizar informações meteorológicas para proteger a estrutura física de museus brasileiros e seus acervos.

Ao lado do químico José Luiz Pedersoli Jr., também atuante na área da conservação do patrimônio cultural, Oliveira está à frente do seminário-oficina Gestão de Riscos do Clima para Acervos Musealizados – realizado no MNBA, entre os dias 21 e 25 de novembro, por iniciativa do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), no âmbito do Programa para a Gestão de Risco ao Patrimônio Musealizado Brasileiro.

Criador de ferramenta inédita no âmbito da prevenção de riscos climáticos aos acervos brasileiros e aos prédios que os abrigam, o meteorologista e museólogo respondeu, durante o evento, a algumas perguntas feitas pela Assessoria de Comunicação do Ibram.

O que é o sistema informatizado e integrado que você desenvolveu e o que ele oferece?

A ferramenta tem como objetivo monitorar o clima interno e externo dos museus da rede Ibram para análise de risco ambiental e preservação de seus acervos. Ela oferece modelos de simulação de cenários que permitem combinar as variáveis do clima externo e clima interno para diagnosticar o grau de risco ambiental de forma contínua e informar aos respectivos responsáveis, em cada caso, qual a melhor conduta a ter com seu acervo.

Como a ferramenta vai gerar dados sobre clima externo e interno de todos os 30 museus da rede Ibram?

Para traçar cenários quanto ao clima externo, a plataforma vai agregar dados, atualizados de forma contínua, oferecidos por bases de dados online públicas e confiáveis disponíveis para a população brasileira, de órgãos como o Ministério da Agricultura, o Ministério da Ciência e Tecnologia e o Ministério das Minas e Energia, que a área da Cultura nunca utilizou com esta finalidade.

Para o monitoramento quanto ao clima interno de cada museu, estamos distribuindo a cada museu da rede Ibram, durante este seminário-oficina, um aparelho termohigrômetro, com capacidade expansível para mais 30 pontos de medição em cada museu, que medirá a temperatura e umidade de cada ambiente e serão todos conectados a uma rede única, que poderá ser acompanhada pela gestão central do Ibram.

Que desdobramentos isso terá para a gestão de risco ambiental aos acervos musealizados?

O monitoramento dos ambientes de todos os museus da rede Ibram, que estão distribuídos pelas diversas regiões brasileiras, permitirá a produção de simulações digitais de cenários e a elaboração de protocolos de alerta. As informações reunidas sobre risco ambiental interno e externo também tornariam o Ibram mais preparado, por exemplo, para se pronunciar quando da elaboração de Estudos de Impacto de Vizinhança para obras realizadas no entorno de seus museus.

O sistema também vai permitir catalogar sinistros e observar a distribuição e frequência dos eventos, tornando possível a prevenção de problemas específicos em cada local. A ferramenta também poderá ser útil para o intercâmbio de acervos entre museus, permitindo compatibilizar a temperatura e umidade adequada a cada bem cultural de cada região. De forma geral, ela vai permitir um mapeamento das condições de guarda de cada acervo e possibilitar que se garanta a sua estabilidade.

Qual a previsão para a entrada desta rede integrada em atividade?

Com a realização deste seminário-oficina e a distribuição doas higrômetros para cada museu, teremos condições de colocar o sistema em funcionamento no começo de 2017. A perspectiva é de que, através de parcerias, esta ferramenta inédita possa depois se expandir para outros museus públicos e privados brasileiros, e mesmo exportada para uso internacional.

Foto: Ascom/Ibram

Estudantes de Museologia realizam encontro no Rio Grande do Sul em agosto

Rumos da Museologia e de seu movimento estudantil no século XXI são os temas do 8º Encontro Nacional de Estudantes de Museologia (Enemu), que em 2015 terá lugar na Universidade Federal de Pelotas (RS), entre os dias 24 e 29 de agosto.

Contando atualmente com 16 cursos de graduação, quatro cursos em nível de pós-graduação (mestrados e doutorado), além de cursos de especialização e técnicos, oferecidos por instituições de todas as regiões do país, a Museologia no Brasil encontra-se hoje em uma patamar diferente daquele de 2004, quando aconteceu o primeiro encontro nacional em Salvador (BA) – em paralelo ao 1º Fórum Nacional de Museus (FNM).

“O campo museal também tem vivenciado uma expansão inédita, com a criação de inúmeros museus e o desenvolvimento de diversas estratégias e processos museais, envolvendo uma grande diversidade de experiências e práticas”, explica texto de apresentação da Executiva Nacional de Estudantes de Museologia.

“A proposta do encontro este ano é revisar nossa trajetória enquanto campo de conhecimento e intervenção, mas também de avaliar, discutir, reformular e encaminhar novas estratégias e ações em prol da articulação nacional dos estudantes”, finaliza o texto.

Inscrições
Estão abertas, até 1º de agosto, as inscrições para apresentação de trabalhos, minicursos e oficinas, além da participação em painéis temáticos, durante o 8º Enemu. O edital dispõe sobre as regras de submissão e contém todas informações sobre o evento, as diversas modalidades de participação, entre outras informações. Para Ouvintes, as inscrições seguem até 23 de agosto. Saiba mais sobre o Enemu 2015.

Texto: Ascom/Ibram

Sexta edição celebra primeira década de existência da revista Musas

Capa_Musas6

Capa da mais recente edição da revista publicada pelo Ibram

A sexta edição da Musas – Revista de Museus e Museologia está disponível na página eletrônica do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e marca os 10 anos de existência da publicação.

Por ter caráter interdisciplinar e reunir reflexões sobre museus e museologia, experiências museais e cenário cultural, a revista tem papel de destaque na divulgação de textos, pesquisas e ações no campo museológico.

Nesta edição, pela primeira vez, foi realizada chamada pública com o intuito de democratizar o envio de material para a publicação. Antes, os textos eram escritos por convidados. Com o novo processo, um total de 52 textos foram recebidos e analisados por pareceristas de todo o país.

O resultado desse trabalho foi a seleção de 12 artigos e ensaios oriundos do Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo para as sessões Artigos e Muselânea da revista.

Entrevista e nova seção
Outra novidade deste número é que a seção Museu Visitado abordou um museu da região Nordeste. A equipe editorial da revista visitou o Museu do Homem do Nordeste, localizado no Recife (PE), e entrevistou o pesquisador Raul Lody, autor do estudo O negro no museu brasileiro: construindo identidades, no Museu da Abolição (Ibram/MinC), situado no bairro da Madalena.

Para completar as inovações desta edição de Musas, foi inserida na revista uma nova seção: Resenhas. O objetivo é divulgar obras que tenham relevância para o campo museal, como as resenhas para os livros O Sol do Brasil, de Lilia Moritz Schwarcz, e Museu e Museologia, de Dominique Poulot, que compõem a atual edição. A partir do próximo número, essa seção também será preenchida por meio de textos oriundos de chamada pública.

Na seção Publicações e Documentos da página do Ibram estão disponíveis os números anteriores da revista Musas.

Texto: Ascom/Ibram

Dia do Museólogo celebra 30 anos de regulamentação da profissão em 2014

Nesta quinta-feira (18), comemora-se no Brasil o Dia do Museólogo.

No ano em que se comemora os 30 anos da lei que regulamentou a profissão, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) saúda os profissionais que cumprem papel essencial para a conservação, pesquisa, interpretação, exposição e difusão dos conjuntos e coleções musealizados brasileiros, assegurando a preservação das memórias e identidades do país.

Nestas três décadas, o campo profissional da Museologia acumula muitas conquistas, também impulsionadas pelo lançamento da Política Nacional de Museus, em 2003, a própria criação do Dia do Museólogo, em 2004, a e a criação do Ibram, em 2009.

Para Angelo Oswaldo

Para Angelo Oswaldo, a contribuição dos museólogos é decisiva para a relevância social e cultural dos museus no Brasil

O advento de novos cursos de Museologia – hoje são 14 cursos de graduação, três de mestrado e um de doutorado, segundo o Conselho Federal de Museologia (Cofem) –, a ampliação do mercado de trabalho para a profissão, o lançamento de editais e publicações específicos, e o aumento considerável de inscrições nos conselhos de classe da área são avanços visíveis no processo de qualificação do setor.

Desafios
“Nesta data devemos refletir sobre o caminho até aqui trilhado por todos os colegas que fizeram com que a profissão se dignificasse e alcançasse um patamar de reconhecimento ímpar”, avalia o museólogo André Angulo, servidor do Museu da República/Ibram, no Rio, e integrante da atual diretoria do Cofem. “E falo não só sobre estes últimos trinta anos, mas nos mais de oitenta anos de formação destes profissionais no Brasil”, completa.

Angulo lembra que ainda há desafios que pedem mobilização dos profissionais da área para o seu enfrentamento, como é o caso das melhorias nas condições de remuneração e trabalho. “Chegamos até aqui com a força de trabalho de uns poucos. Se formos mais pessoas, mais longe chegaremos”, aposta.

Contribuição
Para o presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, os museólogos oferecem uma contribuição decisiva ao movimento que coloca o museu no centro da cena cultural contemporânea.

” O profissional da Museologia faz do museu um espaço imprescindível ao desenvolvimento da cultura, educação, economia e turismo, bem como aos avanços na construção da cidadania, na inclusão social e na qualificação urbana”, elenca.

Angelo Oswaldo lembrou ainda que o Ibram veio se integrar ao esforço dos museólogos brasileiros em favor de oportunidades e condições dignas da profissão, compatíveis com as necessidades da vida cultural do país.

“Numa rede de solidariedade, sustentada pelo diálogo e pela soma de experiências, buscamos acelerar o processo que consagra o museu como uma instituição referencial nas mais diversas perspectivas da realidade brasileira. O que inclui o pleno exercício do papel insubstituível do museólogo em toda a extensão do nosso campo”, conclui.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Matéria relacionada
Centenário da museóloga Lygia Martins Costa é celebrado este ano

Ibram lança edital para a edição 2015 do intercâmbio Brasil-França

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) publicou hoje (17), no Diário Oficial da União, convocatória para a seleção de estudantes brasileiros interessados em participar do Intercâmbio Brasil-França 2015 – realizado em parceria com a Escola do Louvre, na França.

Escola do Louvre: intercâmbio Brasil-França começou em 2012

Escola do Louvre: intercâmbio Brasil-França começou em 2013

O edital vai selecionar até três estudantes de mestrado ou doutorado brasileiros, nas áreas de Museologia, História da Arte, Arqueologia, Antropologia e Etnologia, para participar, na cidade de Paris, de formação no Seminário Internacional de Verão de Museologia (Siem), durante duas semanas, e  de estágio em museus franceses, nas outras dez semanas. Duas vagas são destinadas ao público em geral e uma para servidores do Ibram.

O objetivo do intercâmbio, que está em sua segunda edição, é permitir aos estudantes adquirir conhecimentos práticos e experiências relevantes junto aos profissionais franceses nas suas respectivas áreas de atuação. O período de permanência na França será entre 31 de agosto e 30 de novembro de 2015.

Os selecionados recebem bolsas cujos valores terão como base a Portaria nº 174 da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) – modalidade Capacitação. A vaga destinada a servidor do Ibram seguirá a legislação federal relativa a afastamentos do país.

A seleção, para todos os inscritos, se desenvolverá em três fases: verificação da consistência documental, análise de mérito e seleção dos três finalistas. As duas primeiras fases são de caráter eliminatório, sendo que a segunda se revestirá também de caráter classificatório. Confira o edital na íntegra e seus anexos.

As inscrições, que ficam abertas entre 1º de fevereiro e 16 de março de 2015, são gratuitas e devem ser enviadas, incluindo toda a documentação solicitada no edital, para o endereço eletrônico asint.selecao@museus.gov.br. Dúvidas e outras questões devem ser enviadas para o mesmo endereço.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Internet/divulgação

Matéria relacionada
Intercâmbio: museus franceses recebem brasileiras para estágio

Confira oportunidades de formação na área de museus

Na modalidade Ensino a Distância, o curso Introdução ao Trabalho em Museus, realizado pelo Sistema Estadual de Museus de São Paulo e pela Associação Cultural de Apoio ao Museu Casa de Portinari, é voltado qualificar os profissionais e dirigentes de instituições museológicas nas diversas frentes de trabalho desenvolvidas nos museus.

A carga horária é de 120 horas distribuídas ao longo de 10 semanas. São 100 vagas. As aulas começam dia 29 de setembro e as inscrições podem ser feitas até o dia 16. Informações pelo telefone (11) 3339.8208 ou na página da associação cultural na internet.

Já a Coordenação do Programa de Pós-graduação em Museologia e Patrimônio do Centro de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), em conjunto com o Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast), abriu processo seletivo para o Curso de Mestrado em Museologia e Patrimônio para o ano de 2015.

Mestrado: Mast e Unirio desenvolvem programa comum

Parceria: Mast e Unirio desenvolvem programa de pós-graduação no RJ

São 20 vagas, sendo 10 para a linha de pesquisa Museu e Museologia e dez para a linha de pesquisa Museologia, Patrimônio e Desenvolvimento Sustentável.

Os interessados poderão fazer as inscrições até o dia 30 de setembro no Protocolo do Centro de Ciências Humanas e Sociais da Unirio no bairro da Urca. Informações pelos telefones (21) 2542.1283 ou 2542.1387. Acesse o edital.

Em São Paulo, o Centro Técnico Templo da Arte promoverá o curso de Pós-graduação Lato Sensu em Conservação e Restauro de Arte Sacra, que visa qualificar profissionais para atuar na preservação dos acervos e suprir a carência de pessoal qualificado na área.

O curso terá disciplinas teóricas e práticas sobre Conservação, Restauro, História da Arte Sacra, Iconografia Religiosa e técnicas de expografia, entre outros.

As aulas serão ministradas aos finais de semana, em encontros mensais, totalizando uma carga horária de 448h. As inscrições já estão abertas e o curso terá início no dia 15 de novembro. Confira o conteúdo programático. Informações pelo telefone (11) 3385.7443 ou na página web da instituição.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação/Mast

Página 1 de 41234