Página 1 de 212

Modernização do MCHA ampliará programação cultural em Alcântara (MA)

A equipe do Museu Casa Histórica de Alcântara (MCHA/Ibram), no Maranhão, reuniu-se hoje (7) com o prefeito de Alcântara, Anderson Wilker, com o objetivo de firmar parceria para fortalecer a programação cultural da cidade – a partir do projeto em andamento de ampliação do museu.

A Praça da Matriz

Cartão postal: o sobrado do MCHA integra o conjunto arquitetônico da Praça da Matriz de Alcântara

O projeto arquitetônico para o novo MCHA, situado em sobrado do final do século XVIII na Praça da Matriz de Alcântara (MA), prevê anexação do sobrado vizinho ao museu, criando áreas para exposições temporárias e permanentes, além de auditório, cafeteria e biblioteca. O projeto deve ser entregue no final deste ano.

A intenção do museu e da prefeitura é ampliar a oferta de atividades culturais para a população da região e visitantes, mantendo assim a vocação turística da histórica cidade maranhense – fundada por portugueses em 1648.

Ampliar a frequência de exposições de artes visuais, exibição de filmes, espetáculos e cursos livres são atividades propostas, além de criar mais espaço para a participação do museu nas temporadas nacionais de eventos organizadas pelo Ibram – Semana de Museus e Primavera dos Museus.

Texto e foto: MCHA/Divulgação
Edição: Ascom/Ibram

Ibram divulga inscrições admitidas no edital Microprojetos 2014

Com portaria publicada hoje (17), no Diário Oficial da União, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) torna público as propostas habilitadas a concorrer ao Prêmio Modernização de Museus – Microprojetos 2014.

No total, foram recebidas 104 inscrições. Destas, 44 foram admitidas para a segunda fase do prêmio e 60 foram inadimitidas por contrariam itens do edital. Confira as listas.

Os proponentes cujas inscrições não foram aceitas poderão interpor recurso no prazo de cinco dias, contados a partir da publicação no DOU, pelo Formulário de Recurso (Anexo VI do edital) a ser encaminhado exclusivamente para o endereço eletrônico recurso.inscricao@museus.gov.br, identificado no Assunto Recurso de Inscrição Prêmio Modernização Microprojetos – 2014.

Os recursos de inadmissibilidade serão avaliados pelo Ibram e o resultado será disponibilizado na página do instituto na internet. A data da interposição do recurso a ser considerada será a de envio do e-mail. Os recursos para admissibilidade de inscrições fora do prazo não serão apreciados.

Em sua terceira edição, o Prêmio Modernização de Museus – Microprojetos é voltado ao fomento e desenvolvimento de ações destinadas à preservação e difusão do patrimônio museológico.

Com aporte de R$ 1 milhão do Fundo Nacional de Cultura (FNC), serão premiadas, com R$ 50 mil cada, até 20 iniciativas implementadas por instituições museológicas ou mantenedores de museus, constituídos como pessoas jurídicas, de direito público estadual e municipal, e pessoas jurídicas de direito privado sem fins lucrativos, com finalidade cultural – excetuando-se aquelas vinculadas à estrutura do Ministério da Cultura. Saiba mais.

Texto: Geyzon Dantas (Ascom/Ibram)

Aos 50 anos, Museu do Açude prepara novo projeto de modernização

50 anos do Museu do Açude

Presença do público para celebrar os 50 anos do Museu do Açude no dia 28 de setembro

Os 50 anos de criação do Museu do Açude teve seu ponto alto no dia 28 de setembro, quando o museu abriu as portas para um evento comemorativo com o público carioca. A instituição integra os Museus Castro Maya e a rede de museus Ibram no Rio de Janeiro (RJ).

Bolo de aniversário, champagne e uma apresentação exclusiva do consagrado violonista Turíbio Santos compuseram a celebração, que aconteceu na sede do museu, no Alto da Boa Vista, e contou com a participação do presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo.

Em março, data oficial do aniversário do museu, foram lançados selo e publicação pelo meio século de existência do museu que integra arte, cidade e natureza.

Após a segunda fase de modernização, inaugurada em 2003, o museu parte agora para uma terceira etapa, na qual focará na adequação dos espaços arquitetônicos, infraestrutura, acessibilidade e novas aquisições para seu acervo.

“Queremos melhorar o espaço para as exposições temporárias e ainda criar um espaço gastronômico para que os visitantes possam ficar mais tempo apreciando o museu”, explica Vera Alencar, diretora dos Museus Castro Maya desde 1995. O projeto está sendo formatado e a proposta é buscar recursos tanto de fundos públicos quanto da iniciativa privada.

Contudo, a diretora acrescenta que o início das obras para um anexo no Museu da Chácara do Céu, a outra unidade Castro Maya que fica no bairro de Santa Teresa, deve retardar um pouco a finalização do projeto para o Museu do Açude.

“Estamos na expectativa desse anexo há muitos anos, onde ficarão nossos escritórios e reserva técnica. O patrocínio do BNDES nos deu condições de iniciar o trabalho. Com recursos da Petrobras estamos agora em um segundo momento. Mas o custo total da obra ainda não está coberto”, avalia.

Ottoni de Castro Maya no Museu do Açude

Ottoni de Castro Maya no Museu do Açude

De casa a museu
Localizado numa área de 151.132m² no Alto da Boa Vista, na Floresta da Tijuca, o Museu do Açude deve sua criação ao industrial, colecionador de arte e mecenas Raymundo Ottoni de Castro Maya (1894-1968). Em 1962, o empresário doou a chácara encravada na Floresta da Tijuca à Fundação Raymundo Ottoni de Castro Maya.

O Museu do Açude foi inaugurado em 1964, no mesmo dia do aniversário do colecionador. Em 1968, outra propriedade de Castro Maya, a Chácara do Céu, é doada à fundação. Com sua abertura como museu em 1972, ambos tornam-se Museus Castro Maya.

Em 1974, os museus foram tombados pela antiga Secretaria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (atual Iphan), assim como os respectivos acervos e parques paisagísticos. Com a extinção da fundação no início dos anos 1980, ambos são incorporados pela União em 1983. Desde sua abertura, o Museu do Açude já recebeu dezenas de exposições temporárias, atividades culturais diversas e ainda sediou recepções para chefes de estado.

Acervo diverso
No conjunto de edifícios e jardins de inspiração portuguesa que compõem o Museu do Açude encontra-se a coleção de azulejaria – painéis franceses, holandeses, espanhóis e, sobretudo, portugueses dos séculos XVII ao XIX – e louça do Porto, tipo de faiança ornamental, fabricada a partir do século XIX em Portugal.

O presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, fez o circuito de instalações permanentes do Museu do Açude, acompanhado por Vera Alencar, no dia 28

O presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, fez o circuito de instalações permanentes do Museu do Açude, acompanhado por Vera Alencar, no dia 28

Em 1999, o museu constituiu seu Espaço de Instalações Permanentes, um circuito museológico ao ar livre, que hoje conta com obras de diversos artistas contemporâneos brasileiros: Iole de Freitas, Helio Oiticica, Lygia Pape, Anna Maria Maiolino, José Resende, Nuno Ramos e Eduardo Coimbra. Por sua excelência, o projeto recebeu, em 2004, o Prêmio Estácio de Sá do Governo do Estado do RJ.

Além das instalações integradas ao ambiente natural, o museu conta com exposições de longa duração que destacam tanto a arte oriental, oriunda da coleção original de Castro Maya e considera das mais importantes do país, quanto a relação do patrono com a paisagem e o patrimônio natural da capital fluminense. Saiba mais sobre os Museus Castro Maya.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Divulgação Museus Castro Maya
Última atualização: 3.10.2014

Obras de requalificação dos museus Ibram em Paraty (RJ) estão adiantadas

As obras de requalificação dos museus Arte Sacra de Paraty e Forte Defensor Perpétuo, ambos na mesma cidade fluminense, já estão avançadas. Vinculados ao Ibram/MinC, os museus estão entre os nove da rede que tiveram serviços de intervenção em seu espaço físico contratados no final do ano passado.

Museu Forte Defensor Perpétuo encontra-se parcialmente fechado ao público. Na foto, atividade realizada ano passado em Paraty

Situado na antiga Igreja de Santa Rita – construída em 1722 e tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1962 – o Museu de Arte Sacra de Paraty já havia dado início, em abril de 2012, à reforma de seu telhado e rede elétrica, através de parceria privada.

Desde o início deste ano, o edifício passa também por intervenções estruturais contratadas pelo Ibram, que seguem em ritmo acelerado.

Os serviços incluem a recuperação da fachada externa da igreja, da nave e da torre sineira, com reparo de todo o reboco e pintura. Os recursos do Ibram também garantirão ao monumento a conclusão da já iniciada atualização de sua rede elétrica, assim como das redes de lógica (telefonia) e segurança.

Sem cimento
“O reboco das paredes externas e internas está sendo feito com argamassa de cal e areia, sem adição de cimento”, explica Henrique Milen Vizeu, Técnico em Assuntos Culturais.

“Está sendo removida toda a antiga argamassa que continha cimento, material que retém muita umidade, extremamente prejudicial ao acervo. Visando também prevenir danos por infiltrações e vazamentos, a caixa d’água do telhado da capela-mor foi transferida para a parte inferior do edifício, concentrada no atual Consistório”, completa o técnico.

No Museu Forte Defensor Perpétuo, a aguardada reforma na estrutura do telhado já está sendo realizada também com a liberação dos recursos do Ibram/MinC. O contrato prevê também a realização de serviços especializados de arqueologia para realizar pesquisa prospectiva no Morro da Vila Velha, área tombada em nível federal sobre a qual o museu está situado. O museu continua parcialmente aberto ao público, apesar das intervenções, que estão sendo feitas de forma escalonada.

A conclusão das obras nos dois museus está prevista para julho. Conheça os museus Ibram.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Matéria relacionada
Modernização: Ibram abre licitações para reformas de mais cinco museus

Museu do Açude completa 50 anos e prevê projeto de modernização

Museu do Açude (RJ)

50 anos do Museu do Açude (RJ): aquisições e modernização em pauta

Conhecido por aliar cultura e natureza, o Museu do Açude, no Rio de Janeiro (RJ), completou 50 anos de criação no dia 22 de março. Para celebrar a data, o museu, vinculado ao Ibram/MinC, lança selo e publicação comemorativas, e prepara ainda um projeto de modernização.

O projeto prevê o incremento da infraestrutura e acessibilidade, além da adequação dos espaços arquitetônicos. Financiado via Lei de Incentivo à Cultura, inclui a melhoria das instalações elétricas e hidráulicas e um projeto topográfico que viabilizará a pavimentação de caminhos e o acesso de pessoas portadoras de necessidades especiais.

Serão construídos ainda um pavilhão de convenções, sala de exposições temporárias, restaurante e cafeteria. “O projeto de modernização foi elaborado com todo critério, está formatado e orçado para ser encaminhado para aprovação”, explica a diretora dos Museus Castro Maya, Vera de Alencar.

Ainda segundo a diretora, a história e legado do Museu do Açude serão celebrados durante a 12ª Semana de Museus, que acontece de 12 a 18 de maio, com o lançamento de uma publicação com a cronologia dos 50 anos da instituição.

“Expandir as oportunidades de fruição desse acervo que retrata cultural e artisticamente uma parte expressiva da história do Brasil, e do Rio de Janeiro em particular, é uma missão que os Museus Castro Maya vêm empreendendo com entusiasmo e determinação”, esclarece. Estão previstas também, segundo Vera Alencar, encomendas de novas obras a artistas contemporâneos.

Natureza e arte
Localizado numa área de 151.132m² no Alto da Boa Vista, na Floresta da Tijuca, o Museu do Açude deve sua criação ao industrial, colecionador e mecenas Raymundo Ottoni de Castro Maya (1894-1968). O museu foi criado em 1964 no mesmo dia do aniversário de Castro Maya.

Proprietário original do imóvel neocolonial em que está situado e de seu acervo, o empresário doou o conjunto à Fundação Raymundo Ottoni de Castro Maya – que, além do Museu do Açude, agrega o Museu Chácara do Céu. Em 1983, ambos foram incorporados pela União.

São destaques do acervo a Coleção de Arte Oriental, a Coleção de Artes Aplicadas e a Coleção de Azulejaria e Louça do Porto. O museu se destaca também por seu Espaço de Instalações Permanentes, que segue a filosofia do “patrimônio integral”.

Dedicado à arte contemporânea e integrando acervos natural e cultural, o circuito a céu aberto conta com obras de circuito as obras de Iole de Freitas, Anna Maria Maiolino, Helio Oiticica, Lygia Pape, Nuno Ramos, José Rezende, Piotr Uklanski e Eduardo Coimbra.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Acervo/Ibram

Museu Regional Casa dos Ottoni fecha para obras a partir do dia 12

O Museu Regional Casa dos Ottoni (MRCO/Ibram), localizado na cidade de Serro (MG), fecha parcialmente a partir do dia 12 de março para execução de serviços para recuperação da cobertura do edifício. A obra está inserida no projeto de revitalização dos museus Ibram, iniciado no final de 2013.

Museu Casa dos Ottoni (MG)

O museu mineiro ficará parcialmente  fechado para obras de revitalização

Em reunião realizada entre a diretoria do museu, arquitetas do Ibram e o engenheiro representante da empresa licitada para a execução dos serviços, foi definido que para garantir a segurança de funcionários, visitantes, acervos e equipamentos, o segundo pavimento do museu e o jardim serão fechados no período de execuções das obras ou até quando não oferecerem riscos.

Os serviços administrativos internos não serão interrompidos. A previsão para conclusão das obras é de quatro meses.

O MRCO ocupa uma construção do século XVIII, na cidade do Serro. Sua origem está ligada aos Ottoni, descendentes de um ramo da família do bandeirante paulista Fernão Dias Paes Leme. Criado em 1949, o museu abriga acervo formado, principalmente, por imagens de arte católica.

Semana de Museus 2014
Durante a temporada nacional de eventos, entre os dias 12 e 18 de maio, o MRCO desenvolverá atividades fora do espaço do museu, aos moldes de outros museus Ibram que, também em obras de modernização, têm realizado ações com entidades culturais parceiras.

No dia 15 de maio, na Praça João Pinheiro, no Serro, acontece show musical, das 20h às 21h30. No dia 16 será aberta a exposição itinerante Além dos muros, no Centro Cultural do Distrito de Milho Verde, e acontece ainda uma oficina em torno da exposição, voltada para crianças, das 14h às 17h, e apresentação musical no Largo da Igrejinha do distrito, das 18h às 19h30.

Encerrando as atividades durante a 12ª Semana de Museus, no dia 17 de maio é a vez da Associação do Distrito São Gonçalo do Rio das Pedras receber a exposição itinerante, a oficina para crianças e show, das 18h às 19h30, no Largo do Comércio do distrito.

Para outras informações, o Museu Regional Casa dos Ottoni pode ser contatado pelo telefone (38) 3541.1440 ou pelo endereço eletrônico mrco@museus.gov.br.

Texto: Divulgação MRCO
Edição e foto: Ascom/Ibram

Requalificação: presidente do Ibram visita museus Ibram em obras

Museu Lasar Segall deve ser reaberto em outubro deste ano

Museu Lasar Segall deve ser reaberto em outubro deste ano

O presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), Angelo Oswaldo, esteve na segunda-feira (17), em São Paulo (SP), em visita ao Museu Lasar Segall – único museu a integrar a rede Ibram no estado.

Acompanhado pelo diretor da instituição, Jorge Scwhartz, o presidente viu de perto o andamento das obras de requalificação do museu, um dos nove vinculados ao instituto que teve contratados serviços deste tipo no final do ano passado. Outros nove têm previsão de entrar em obras ainda este ano.

Para o Museu Lasar Segall, foi contratada empresa de engenharia especializada com o objetivo de recuperar as coberturas e anexos, além das instalações elétrica, telefônica, lógica e luminotécnica, do Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA) e do sistema de segurança. Os projetos serão concluídos com recursos do Fundo Nacional de Cultura (FNC) e Petrobras, no valor total de R$ 2,5 milhões.

Presidente do Ibram entrega ao prefeito de Caeté, Zezé Oliveira, correspondência da presidência

Presidente do Ibram entrega ao prefeito de Caeté, Zezé Oliveira, correspondência da presidenta

Por conta das obras, que já estão em andamento, o museu está fechado até outubro. Atividades como cursos, oficinas, ação educativa e exposições, continuarão a ser promovidas pelo Museu Lasar Segall externamente, em parceria com outras instituições culturais, como a Fundação Ema Klabin e Centro Cultural São Paulo (CCSP). A programação já foi iniciada.

Em Caeté
No sábado (22), o presidente do Ibram visitou o Museu Regional de Caeté, em Minas Gerais, outra instituição vinculada ao Ibram que passa por obras de requalificação. Na pauta estavam questões ligadas ao patrimônio histórico-cultural.

Angelo Oswaldo também levou ao município mineiro mensagem da presidenta da República, Dilma Rousseff, parabenizando pelos 300 anos da Vila Nova da Rainha (atual Caeté), comemorados neste mês.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação Prefeitura de Caeté

Obras de requalificação avançam no Museu Casa da Hera no RJ

O Museu Casa da Hera, em Vassouras (RJ), um dos nove museus vinculados ao Ibram que passam por obras, está em pleno processo de requalificação.

Museu Casa da Hera (RJ)

Museu Casa da Hera: obras seguem cronograma previsto

Vitimado por um incidente em julho de 2012, quando um curto-circuito levou o museu a suspender a utilização de energia elétrica por motivo de segurança, sem que tenha havido qualquer dano ao acervo, a instituição passa agora por uma obra de grandes proporções destinada a recuperar, além de sua rede elétrica, as instalações hidráulicas, de telefonia e internet e a estrutura predial do museu, com ênfase na recuperação de seu telhado.

Com recursos do orçamento do Ibram, num investimento de R$ 980 mil, as obras estão em curso desde novembro e seguem o cronograma previsto.

Estão previstos, ainda, R$ 2,8 milhões para o museu através do PAC Cidades Históricas. O recurso será destinado à conclusão do restauro da Casa da Hera, além de recuperação e paisagismo do parque da chácara.

“As obras seguem conforme esperado, diariamente realizamos o acompanhamento, e qualquer alteração no projeto aprovado necessita ser encaminhada ao Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), mas nada que impossibilite a tramitação normal”, explica o diretor interino do Museu Casa da Hera, Cirom Duarte.

Mesmo com obras, Casa da Hera segue aberto ao público

De acordo com o diretor, o museu segue funcionando normalmente no decorrer das obra de recuperação, que devem seguir durante todo o primeiro semestre. “Estamos em obras, porém o museu está com visitação normal, diversas atividades realizadas e as obras não atrapalham em nada”, explica.

Programa de Requalificação
A obra integra o Programa de Requalificação dos Museus do Ibram. Além do Museu Casa da Hera, estão sendo requalificados o Museu da Abolição, em Recife (PE), o Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio (MART), o Museu Regional de Caeté, em Minas Gerais, o Museu Casa dos Ottoni, na cidade do Serro (MG), o Museu Lasar Segall, em São Paulo (SP), o Museu Casa de Benjamin Constant, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), o Museu de Arte Sacra de Paraty e o Museu Forte Defensor Perpétuo, ambos na mesma cidade fluminense.

Texto e fotos: Ascom/Ibram

Museu Lasar Segall fecha para obras a partir do dia 20 em SP

O Museu Lasar Segall/Ibram, em São Paulo (SP), encerra amanhã (20) suas atividades de atendimento ao público para cumprir cronograma de obras de requalificação do museu até o próximo ano. O projeto de modernização será executado com recursos do Fundo Nacional de Cultura (FNC) e Petrobras, totalizando R$ 2,5 milhões.

Museu em São Paulo encerra atividades para obras de modernização

Museu em São Paulo encerra atividades para obras de modernização

Do FNC, o museu receberá R$ 1,5 milhão e da Petrobras será R$ 1 milhão. Além da infraestrutura – telhado, instalações elétricas, climatização e sistema de segurança – o projeto pretende ainda dar tratamento à ampla biblioteca especializada na arte dos espetáculos e fotografia.

As atividades do espaço cultural paulistano, como cursos, oficinas, ação educativa e exposições, serão realizadas externamente, em parceria com outras instituições culturais, e serão divulgadas no sítio web do museu.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Matérias relacionadas
Modernização: Ibram abre licitações para reformas de mais cinco museus
Copa 2014: patrocínio da Petrobras para museus será de R$ 20 milhões

Modernização: Ibram abre licitações para reformas de mais cinco museus

Museu Casa de Benjamin Constant é uma das unidades Ibram que receberá melhorias

Museu Casa de Benjamin Constant é uma das unidades Ibram que receberá melhorias

Após anunciar na semana passada a abertura de licitação para a contratação de serviços de recuperação da cobertura e instalações prediais no Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio (Mart), e de ter finalizado os procedimentos licitatórios para a elaboração de projetos e/ou execução de obras no Museu Regional de Caeté (MG) e no Museu Casa da Hera, em Vassouras (RJ), o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) publicou no Diário Oficial da União outros cinco Avisos de Licitação destinados a contratações em museus administrados pelo órgão.

As licitações se destinam a obras e/ou projetos no Museu Casa dos Ottoni, na cidade do Serro (MG), no Museu Lasar Segall, em São Paulo (SP), no Museu Casa de Benjamin Constant, no Rio de Janeiro (RJ), no Museu de Arte Sacra de Paraty e no Museu Forte Defensor Perpétuo – também em Paraty.

Os projetos executivos que serão elaborados para o Museu Regional Casa dos Ottoni incluirão o restauro e revisão de projetos de instalações.  Além disso, será contratada a execução de serviços emergenciais para recuperação da cobertura e substituição de peças de madeira deterioradas.

Para o Museu Lasar Segall, será contratada empresa de engenharia especializada para recuperar as coberturas e anexos e também as instalações elétrica, telefônica, lógica e luminotécnica, além do Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA) e do sistema de segurança.

Museus do Rio
Em relação ao Museu Casa de Benjamin Constant, a contratação tem por objetivo a restauração do telhado, pisos e forros e a restauração dos papéis de parede. Também haverá adequação do pátio interno e do piso externo para acessibilidade e instalação de plataforma elevatória para acesso à casa, além da recuperação e modernização das Instalações elétricas.

No Museu Forte Defensor Perpétuo, será feita a restauração do telhado do imóvel-sede. Serão contratados ainda serviços especializados de arqueologia, para realizar pesquisa prospectiva no Morro da Vila Velha, área tombada em nível federal sobre a qual o museu está situado. Os serviços correspondem à primeira etapa das intervenções previstas para o imóvel.

Ainda em Paraty, a Igreja de Santa Rita, sede do Museu de Arte Sacra de Paraty, receberá a segunda fase das obras de restauração do prédio, que prevê a recuperação das argamassas, elementos das fachadas, esquadrias, pisos e instalações hidrossanitárias, a prospecção arqueológica e a restauração de retábulos e demais bens integrados.

As intervenções tem por objetivo a recuperação do edifício, sua adequação às funções definidas em seu plano museólogico e a modernização de suas instalações prediais, de forma a viabilizar a instalação da nova museografia e a reabertura do Museu, expondo e valorizando seu acervo.

Museu da Abolição
Além das licitações abertas agora, o Museu da Abolição, em Recife (PE), também vinculado ao Ibram, recebe até a segunda-feira (18), propostas para licitação aberta em outubro, por meio do PAC Cidades Históricas, e destinada à contratação de projetos de restauração (arquitetura, engenharia e paisagismo), complementares e museografia da unidade.

Todas as ações para contratações de projetos e obras nos museus integram o Programa de Requalificação dos Museus do Ibram, no intuito de proporcionar infraestrutura e serviços culturais adequados que agreguem segurança, acessibilidade, conforto ambiental, identidade sociocultural e atrativos locais e turísticos aos museus.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Página 1 de 212