Publicações do Museu Histórico Nacional recebem avaliação máxima da Capes

O Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), teve duas de suas publicações classificadas com nota máxima em recente relatório divulgado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), agência vinculada ao Ministério da Educação (MEC) – responsável pela avaliação de programas de pós-graduação no Brasil.

MHN_anais

Capes avaliou com nota máxima anais de seminário MHN realizado em 2011

Em seu último relatório trienal, que apresenta o resultado do processo de avaliação ocorrido nos anos de 2010, 2011 e 2012, a Capes concedeu nota “L-4” (76 a 100 pontos) aos anais dos Seminários Internacionais Museus e Comunicação – Exposições como objeto de estudo, realizado em outubro de 2009, e Coleções e Colecionadores: a polissemia das práticas, realizado em outubro de 2011.

Editados pelo MHN, os livros, dessa forma, obtiveram a nota máxima da Capes para a área de Ciências Sociais Aplicadas. A Classificação de Livros integra a avaliação da produção científica docente e discente dos programas de pós-graduação.

De acordo com a coordenação, são classificadas no chamado “Estrato L4”, obras consideradas “diferenciadas quanto à inovação temática, metodológica e com impacto na área e nos campos específicos de conhecimento aos quais está relacionada”, entre outros critérios. Saiba mais sobre o MHN.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Exposição no Museu Histórico Nacional apresenta a arte da tapeçaria portuguesa

A exposição A arte da tapeçaria – tradição e modernidade,  que abre amanhã (13) no Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), apresenta ao público o trabalho realizado há mais de 65 anos pela Manufactura de Tapeçarias da cidade portuguesa de Portalegre.

Peça do artista Vik Muniz desenvolvida pela tapeçaria de Portalegre

Integram a exposição 28 tapeçarias de consagrados artistas contemporâneos, entre os quais Le Corbusier, Jorge Martins, Vieira da Silva e Vik Muniz.

A exposição, em cartaz até 18 de agosto, faz parte das comemorações do Ano de Portugal no Brasil. Promovida pelo Espírito Santo Cultura, a mostra  esteve anteriormente no Centro Cultural Fiesp Ruth Cardoso, em São Paulo (SP).

A exposição mostra em vídeo e por meio de peças originais todas as etapas do processo criativo e tecnológico que envolve intensa colaboração: os cartões criados pelos artistas com as obras de arte para tapeçaria, a transposição pelos designers para os desenhos de tecelagem e, finalmente, a execução das obras em teares manuais pelas tecedeiras, que mantêm total fidelidade às concepções originais. Saiba mais.

Texto e imagem: Divulgação MHN

Museu Histórico Nacional (RJ) retoma concertos mensais gratuitos

Dando continuidade à série Música no Museu, promovida pela Carpex Empreendimentos, o Museu Histórico Nacional/Ibram abrigará toda última sexta-feira do mês, sempre às 12h30, um concerto aberto ao público com entrada franca.

Em janeiro, a série privilegia concertos dedicados aos blues e derivados. O estilo está na base de grande parte da música pop moderna, podendo ser muito simples e direto, com o som de voz e violão, ou muito sofisticado e orquestrado. No dia 27 de janeiro, acontece o Concerto do duo In The Mood, com os músicos Jolt (voz guitarra, gaita e flauta) e Damu Shiva (contrabaixo acústico).

Já em fevereiro, os clássicos do carnaval movimentarão a agenda do projeto Música no Museu. No dia 24 de fevereiro será o dia da apresentação de teclado com Newton Nazareth executando peças de Carlos Gomes, Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazareth, Noel Rosa, entre outros. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação MHN/Ibram