Página 9 de 10« Primeira...678910

Documentário sobre Portinari é apresentado no Museu Nacional de Belas Artes

João Candido Portinari, na exibição de documentário sobre a vida de seu pai

Um documentário sobre a vida do artista plástico Cândido Portinari, que faz parte da série Os Grandes Brasileiros, foi exibido na noite desta quinta-feira (8),  no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ).

O evento, para convidados, contou com a presença de João Cândido Portinari, filho do artista, além de autoridades, como o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), José do Nascimento Junior.

Intitulado Portinari do Brasil, o vídeo de 56 minutos de duração conta a história do artista nascido em 1903, na cidade de Brodowski, interior de São Paulo, juntamente com reproduções de suas obras.

O filme reconta fatos decisivos na vida de Portinari como o primeiro curso de pintura, o primeiro quadro, Retrato do Compositor, em que pintou Carlos Gomes para homenagear seu pai, a viagem para o Rio de Janeiro, a Escola Nacional de Belas Artes, a viagem para a Europa, a união com Maria, o nascimento do único filho João Candido.

Os amigos intelectuais como Carlos Drummond de Andrade, José Lins do Rego e Manuel Bandeira, além da tentativa de entrar para a vida política através do Partido Comunista e também a lenta morte por envenenamento provocado pelas próprias tintas que usava em suas telas.

Sobre suas pinturas destaque para sua maior criação, os painéis Guerra e Paz, que fica na sede da ONU, em Nova Iorque (EUA). O filme descreve todo o método de trabalho e execução da obra. Durante quatro anos Portinari realizou 180 estudos em murais e maquetes, pintando 14 painéis separados que acabaram sendo montados sem sua presença, já que havia sido impedido de entrar nos Estados Unidos por ser comunista.

Os Grandes Brasileiros
O filme sobre Portinari integra a série produzida pela FBL Criação e Produção. A direção-geral do documentário é assinada por Rozane Braga e tem direção de Sonia Garcia e roteiro de Maria Gessy.

A série Os Grandes Brasileiros já retratou nomes como Barbosa Lima Sobrinho, Tancredo Neves, o jornalista Sérgio Cabral, Ziraldo, Darcy Ribeiro, José Sarney e Roberto Marinho.

Texto: Marcos Agostinho, Ascom/MinC
Edição: Ascom/Ibram
Foto: MNBA/Ibram

Museu de Belas Artes fecha galeria para reforma a partir de 21 de agosto

Seguindo planejamento, o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram) fechará, no dia 21 de agosto (terça-feira),  para o início das reformas na galeria de Arte Brasileira Moderna e Contemporânea.

Localizada no 3o piso do Museu, o espaço tem 2 mil metros quadrados de área e exibe obras de artistas como Tarsila do Amaral , Guignard, Candido Portinari,  di Cavalcanti, Pancetti, entre outros. A galeria será reaberta em novembro, com novas instalações e obras de arte em exposição.

Texto: Divulgação MNBA

MNBA abre retrospectiva da artista Anna Letycia com mais de 80 gravuras

Uma artista que moldou sua carreira a partir de expressivos mas sóbrios traços geométricos e cores, Anna Letycia ganha retrospectiva, a partir do dia 17 de julho, no Museu Nacional de Belas Artes/Ibram. A exposição pode ser vista gratuitamente até 9 de setembro no Rio de Janeiro.

A exposição retrospectiva no MNBA vai percorrer meio século de produção de Anna Letycia

Serão exibidas 80 obras em Anna Letycia: gravuras – indo de técnicas como gravura em metal água-tinta e água-forte até relevo e ponta-seca – cuja produção abrange trabalhos do início da década de 1950 até 2008.

Histórico
Gravadora fluminense nascida em Teresópolis, em 1929, o escritor Anibal Machado dizia que de seus trabalhos emanava uma “atmosfera de silêncio”. Já o critico Frederico Moraes apontava “um máximo de despojamento nas obras, uma espécie de minimalismo gráfico, que revela uma sensibilidade muito apurada e uma beleza serena”.

Aluna de mestres da gravura como Oswaldo Goeldi e Iberê Camargo, na década de 1950, a artista dedicou-se ao ensino por mais de 20 anos. Desde 1956, ano de sua primeira exibição, Anna Letycia já realizou dezenas de exposições individuais e participou de outras tantas coletivas ao longo das últimas décadas.

Mais recentemente, realizou a exposição Gravuras de Anna Letycia, no Instituto Tomie Ohtake (SP), e, em 2009, na Caixa Cultural Brasília, seguindo-se mostra no Museu de Arte Aloísio Magalhães no Recife. Saiba mais.

Texto e imagem: Divulgação MNBA/Ibram

Primeira missa no Brasil, de Victor Meirelles, chega a Brasília para exposição

O quadro foi exposto pela primeira vez no Salão de Paris em 1861

Primeira missa no Brasil, de Victor Meirelles, uma das obras de arte mais representativas do país, chegou a Brasília (DF) para uma exposição que será aberta no dia 3 de julho, às 19h, na Câmara dos Deputados.

A exposição fica em cartaz até 16 de setembro e poderá ser visitada todos os dias da semana, das 9h às 17h.  Também será exibida a coleção Cenas Brasileiras, formada por 12 obras de Candido Portinari, entre elas Descobrimento do Brasil. As duas exposições fazem parte da mostra Retratos da Brasilidade, organizada pela Câmara federal e que reunirá produções de artistas brasileiros. A entrada é franca.

Exposição inédita
Considerado um tesouro icônico brasileiro, o quadro Primeira Missa no Brasil, de Victor Meirelles, será exposto pela primeira vez na capital federal. Óleo sobre tela, que mede 270 x 357 cm, foi realizado pelo catarinense Meirelles em dois anos de trabalho – entre 1858 e 1860. Inspirada na carta de Pero Vaz de Caminha, a obra habita o imaginário dos brasileiros e já ilustrou livros didáticos, notas de dinheiro, selos e capas de cadernos de várias gerações.

Pintado no exterior, o quadro foi exibido pela primeira vez no Salão de Paris, em 1861, mas apenas no ano seguinte pode ser visto em solo pátrio na Exposição Geral da Academia Imperial. A obra, restaurada recentemente, deixou o MNBA pela primeira vez em 2007 para percorrer capitais no sul do país. No ano passado, representou a arte brasileira no festival Europália, na Bélgica.

Além da tela, outros nove trabalhos, entre desenhos e estudos preparatórios para a obra, todos pertencentes ao acervo do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), fazem parte da exposição que irá ocupar o Salão Nobre da Câmara. Também será exibida uma rara foto do artista, de autoria desconhecida. Leia mais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação MNBA
Última atulização: 2.7.2012

Luz na Cidade: aos 75 anos, Museu Nacional de Belas Artes ganha iluminação

Desde o dia 18 de junho, o festival de iluminação urbana Luz na Cidade transformou o centro histórico da capital do Rio de Janeiro. A primeira edição brasileira do festival traz 15 instalações e iluminações que podem ser vistas até o dia 29 de junho, entre a Praça Tiradentes e a Lapa, formando um percurso luminoso na região.

Luz na cidade: projeto de iluminação para o MNBA

Um dos prédios que receberá iluminação especial é o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), administrado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC). No local, a iluminação será integrada às festividades em comemoração aos 75 anos do museu e ficará em definitivo, realçando assim a fachada do prédio construído em 1908. O design de luz é assinado por Milton Giglio.

O projeto conta com o apoio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), também vinculado ao MinC, e patrocínio da Eletrobrás. Ele faz parte do plano da Prefeitura Municipal de revitalizar o centro histórico do Rio, reforçando seu potencial de pólo de convivência e turismo.

Sustentabilidade
Além de embelezar uma área fundamental, o festival mostrará aos cariocas que a cidade pode ser bem iluminada com um custo bem mais baixo, graças ao uso da tecnologia.

O trabalho é realizado com produtos inovadores e eficientes, dentro do espírito de sustentabilidade da Rio+20, que continuará ocorrendo na capital do Rio ao mesmo tempo que a iniciativa Luz na Cidade. Para a execução do trabalho, as lâmpadas terão potência e consumo energético limitados, em respeito às normas em vigor e utilização de produtos reciclados. Leia mais.

Texto: Portal MinC
Edição: Ascom/Ibram

Último fim de semana da exposição Modigliani no Museu Nacional de Belas Artes

Pintando em 1917, Jovem Mulher está em exposição no MNBA até 6 de maio

Mais de 50 mil pessoas já visitaram a mostra Modigliani: Imagens de uma Vida, desde que foi inaugurada, em janeiro deste ano, no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro.

A exposição estará em cartaz até o domingo, 6 de maio, e, para facilitar, os horários de visitação foram ampliados excepcionalmente esta semana (quarta a sexta-feira, das 10h às 20h; e no sábado e domingo, das 11h até às 18h). A entrada é gratuita.

Na tarde de sábado (5), o MNBA promove oficinas gratuitas direcionadas às crianças. Inspirada na vida do artista, o objetivo é estimular a reflexão sobre as influências que cada um recebe no seu cotidiano e como se pode pensar e produzir de forma original a partir daí.

Composta por obras que circulam pela primeira vez na América Latina, a mostra Modigliani: Imagens de uma Vida reúne 230 peças, sendo 54 pinturas, 5 esculturas originais, 55 desenhos, 2 livros e 1 litografia, além de documentos, fotos, diários e manuscritos de Amedeo Modigliani (1884-1920) e de importantes artistas da sua época. Saiba mais.

Fonte: Portal MinC
Edição: Ascom/Ibram
Imagem: Divulgação MNBA/Ibram

250 obras de Visconti no Museu Nacional de Belas Artes (RJ)

O Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram) exibe, até 24 de junho, Eliseu Visconti – a modernidade antecipada, exposição com cerca 250 obras, entre pinturas, desenhos, cerâmicas e objetos realizados pelo artista.

Após 63 anos da última retrospectiva do artista nos seus espaços, o museu exibirá obras que nunca foram vistas pelo público, nem mesmo por especialistas brasileiros em história da arte, que pertencem a 15 instituições e a 80 colecionadores particulares. O maior acervo de obras do artista, contudo, pertence ao MNBA.

A produção de Eliseu Visconti é apresentada em toda sua extensão, desde o início de sua carreira, em 1888, época em que ainda fazia parte da Academia Imperial de Belas-Artes, até o seu falecimento, em 1944.

A retrospectiva é dividida por períodos e temas, em consonância com os trabalhos desenvolvidos pelo pintor e também designer. Entre eles estão paisagens, cenas de família, retratos, nus, temas históricos, painéis decorativos e objetos de design, além de desenhos e aquarelas.

A mostra tem curadoria dos historiadores de arte Rafael Cardoso e Mirian Seraphim, e de Tobias Stourdzé Visconti, neto do artista e responsável pelo Projeto Eliseu Visconti, criado em 2005 para preservar e divulgar a memória do pintor. Saiba mais.

Texto e imagem: Divulgação MNBA/Ibram
Atualizada em 9 de maio 2012

Exposição de Modigliani abre dia 31 no Museu Nacional de Belas Artes

Um dos mais importantes eventos do calendário oficial do Momento Itália – Brasil, a exposição Modigliani: Imagens de uma vida, será inaugurada no dia 31 de janeiro no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), na cidade do Rio de Janeiro. A exposição fica aberta ao público de 1º de fevereiro a 15 de abril de 2012.

Com obras que circulam pela primeira vez na América Latina, a exposição vai exibir 12 pinturas e cinco esculturas originais, além de obras, documentos, fotos, desenhos, diários e manuscritos de Amadeo Modigliani e de importantes artistas da sua época, num total de 230 peças.

Aberta ao público a partir do dia 1º de fevereiro, a mostra vai oferecer aos visitantes um rico panorama da vida artística parisiense e italiana do século XX, distribuídas em cinco salas do MNBA. Saiba mais.

Ciclo de palestras
Organizado pelo Diretor da Casa Modigliani, Olivio Guedes, um ciclo de palestras em torno da exposição do artista acontece gratuitamente entre 15 de fevereiro e 30 de março no MNBA. Os encontros tratam de questões diversas em torno da produção de Modigliani – indo da relação entre escultura e desenho até a influência judia e dos relacionamentos na sua produção artística. Veja a programação completa a seguir.

15 de fevereiro, das 15h às 17h
Diálogo: A tridimensionalidade a partir do desenho em Modigliani
Palestrante: Denise Barros – Escultura e professora, doutoranda pela Unicamp

29 de fevereiro, das 15h às 17h
Diálogo: Modigliani, judeu
Palestrante: Alexandre Leoni – Rabino e pós-doutor USP

15 de março, das 15h às 17h
Diálogo: A pintura reducionista de Modigliani
Palestrante: Marcos Rizolli – Professor Doutor Mackenzie SP

30 de março, das 15 às 17h
Diálogo: Modigliani e seus relacionamentos
Palestrante: Olívio Guedes – Diretor da Casa Modigliani

Fonte: Divulgação MNBA

Site internacional divulga história e exposições do MNBA

Especializado na divulgação de grandes exposições em cartaz pelo mundo, o site Artknowledgenews publicou ampla matéria sobre o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), que integra a estrutura do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC).

Assinada por Juanita Solerno, a matéria cita a história do museu, inaugurado em 1938 por Gustavo Capanema, então ministro da educação do governo Getúlio Vargas. De acordo com o site Artknowledgenews, “o MNBA é uma das mais importantes instituições culturais do País, assim como um dos mais importantes museus de arte brasileira, particularmente rico na sua coleção de pinturas e esculturas do século 19”.

A abrangência do acervo, cujas primeiras peças chegaram ao Brasil com a corte portuguesa em 1808, também aparece como destaque na publicação.  Hoje são mais de 70 mil itens entre pinturas, esculturas, instalações, gravuras, fotos, mobiliário, entre outros.

Exposições
Estão em cartaz atualmente no MNBA as mostras Circo dos Sonhos (até 29 dez);  a retrospectiva de Monica Barki (Arquivo Sensível);  1978 – Desenhos de Claudio Valerio Teixeira; e a mostra coletiva Guilda de São Francisco

Em janeiro, quando o museu completa seus 75 anos, será inaugurada a exposição Modigliani: imagens de uma vida, que terá pinturas a óleo, esculturas, desenhos e fotografias do mestre italiano. A abertura está prevista para 31 de janeiro.

Atualmente, o museu está sendo divulgado na estação da Cinelândia, no metrô do Rio de Janeiro (foto), onde há uma grande  imagem da famosa galeria de Moldagens do MNBA. Segundo a empresa que administra o metrô,  cerca de 90 mil pessoas passam pela estação Cineländia todos os dias.

O Museu Nacional de Belas Artes localiza-se na Av. Rio Branco, 199, na Cinelândia (Rio de Janeiro, RJ), e está aberto à visitação de terça a sexta, das 10h às 18h, e sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h. Excepcionalmente, nos dias 30 e 31 de dezembro e 1ª de janeiro, o MNBA estará fechado. O ingresso custa R$ 8, sendo que aos domingos a entrada é franca.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação MNBA/Ibram

Projeto Música no Museu realiza Festival de Sopros no RJ

O projeto Música no Museu apresentará, no Rio de Janeiro, no período de 4 a 30 de novembro, o IV Festival Internacional de Sopros, que inclui a realização de 28 concertos. As apresentações ocorrerão em espaços como a Biblioteca Nacional, Museu da República, Arquivo Nacional, Museu de Arte Moderna, dentre outros.

Oboé, fagote, clarineta e flauta são instrumentos que estarão em destaque durante todo o evento. O projeto Música no Museu conta com o apoio do Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet (Lei nº 8.313/91).

O concerto de abertura ficará a cargo da Orquestra Jovem Música no Museu, nesta sexta-feira (4), às 12h30, no Centro Cultural Light, com capacidade para 200 lugares. Será a estreia do Concerto para Clarineta e Cordas, do Maestro Anderson Alves.

No programa constam J. Sibelius, Heitor Villa-Lobos, G. Bottesini, F. Mendelsohn e Anderson Alves. A apresentação inaugural será dedicada ao professor e clarinetista José Carlos de Castro. O festival contará com a participação de diversos convidados internacionais. Continue lendo.

Fonte: Portal MinC

Página 9 de 10« Primeira...678910