Página 8 de 10« Primeira...678910

Ibram e Ibermuseus discutem Gestão de Risco e Patrimônio Cultural no RJ

Gestão de Risco e Patrimônio Cultural é o tema da mesa de debate promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) e pelo Programa Ibermuseus.

A mesa acontece no dia 12 de março, das 9h às 13h, no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ). A entrada é franca e não é necessário fazer inscrição. Lotação sujeita ao número de assentos disponíveis.

Os convidados especialistas para o evento são Cristina Menegazzi, especialista em Gestão de Risco ao Patrimônio Cultural; Fábio Scliar e Márcio Moreira, ambos da Delegacia de Repressão a Crimes contra o Meio Ambiente e ao Patrimônio Histórico – Delemaph/PF; Major Polito, diretor-geral do Serviço Técnico do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro (CBMERJ); e Moacyr Duarte de Souza, especialista em Gerenciamento de Riscos e Planejamento de Emergências do Grupo de Análise de Risco Tecnológico e Ambiental (Garta – COPPE/UFRJ).

Mais informações pelos telefones (21) 2215.5226 | 5163.

Texto: Ascom/Ibram

Lançamento de livro encerra exposição sobre Luiz Gonzaga no MNBA

O lançamento do livro O Rei e o Baião marca o encerramento da exposição O imaginário do rei: visões sobre o universo de Luiz Gonzaga, neste domingo (24), no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram). O lançamento será a partir das 15h e a entrada é franca.

Além de obras originais, exposição traz objetos e imagens antigas de Luiz Gonzaga

Organizado por Bené Fonteles, que também é o curador da exposição, o livro contém ensaios de Antonio Risério, Elba Braga Ramalho, Gilmar de Carvalho, Hermano Vianna e Sulamita Vieira, além de apresentação de Gilberto Gil.

Pelo viés da antropologia cultural, os textos analisam a herança cultural nordestina recriada por Luiz Gonzaga e seus parceiros, suas conquistas e desdobramentos, assim como a relação com o imaginário do povo brasileiro. A edição é ilustrada por xilogravuras de diversos artistas, pintura de Ciça Fittipaldi e ensaio fotográfico de Gustavo Moura.

Ainda na programação, Fonteles vai proferir a palestra Poética gonzagueana: inspirações e parceiros, como também fará visita guiada à exposição em cartaz.

A mostra reúne mais de 160 obras em varias técnicas e linguagens de expressão criadas por 60 artistas de todas as regiões do país, quase todas concebidas especialmente para a ocasião, como também fotografias históricas e raras de Luiz Gonzaga, livros e discos. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação MNBA

Painel de Portinari adquirido pelo Ibram já está no Museu de Belas Artes

Preparativos para a transferênca da tela de Portinari para o MNBA/Ibram

Aconteceu no último sábado, 26 de janeiro, a transferência do painel A Primeira Missa no Brasil, de Cândido Portinari, do Banco Bradesco, antiga sede do Banco Boa Vista -localizado no centro do Rio de Janeiro – para o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), que fica na Cinelândia.

A transferência, que contou com o apoio da Polícia Federal, envolveu cerca de 50 pessoas. O presidente do Ibram, José do Nascimento Jr. e a Diretora de Difusão, Fomento e Economia de Museus, Eneida Braga, acompanharam todo o processo, que durou cerca de quatro horas.

A Primeira Missa no Brasil foi adquirida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) no final de 2012. A obra de Portinari, um painel datado de 1948, com dimensões de 271 cm X 501 cm e realizado em têmpera sobre tela, representa a primeira missa realizada no Brasil.

Painel de Portinari já no MNBA: exposição deve acontecer em março

A previsão é que o público possa ver a tela a partir de março. Será feita uma exposição do quadro de Portinari e de A Primeira Missa no Brasil, de Victor Meirelles, realizada em 1860, junto com os estudos realizados pelos artistas na criação e execução das telas.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Matéria relacionada
Ibram adquire quadro de Candido Portinari A Primeira Missa no Brasil

Museu Nacional de Belas Artes (RJ) reabre galeria de arte brasileira

A galeria de Arte Brasileira Moderna e Contemporânea, uma das principais mostras permanentes do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro, reabriu ao público no dia 10 de janeiro, após reformas estruturais iniciadas em setembro passado.

Situada no 3º Piso do MNBA, a galeria abriga uma da raras mostras no Brasil onde se pode descortinar, num só espaço, um relevante percurso artístico que vai do início do século XX até os dias atuais.

Na nova exposição, que chega atualmente a 205 peças, há obras de Candido Portinari, Willys de Castro, Décio Vieira, Maria Bonomi, Fayga Ostrower, Gilvan Samico, Celso Antonio, entre outros artistas brasileiros.

Com 1.800 metros quadrados, divididos em dois andares, a galeria exibirá no primeiro andar, o movimento da Abstração na gravura, e no segundo, a importância da gravura na produção artística brasileira das décadas de 1980 à contemporaneidade, assim como esculturas de artistas como Farnese de Andrade e Rubens Gerchman.

O MNBA fica aberto de terça a sexta, de 10h às 18h e aos sábados, domingos e feriados de 12h às 17h. Mais informações na página do museu.

Texto e foto: Divulgação MNBA

Jornada Mundial da Juventude: obras do Vaticano serão expostas no MNBA

Delegação brasileira está na Itália acertando detalhes para exposição durante JMJ Rio2013

Está confirmado: ainda este ano, o Brasil recebe pela primeira vez uma mostra oficial do Estado do Vaticano, que vai trazer ao país mais de 100 obras de grandes expoentes das artes italianas.

Os detalhes para a realização da exposição foram acertados durante visita a Itália do presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), José do Nascimento Jr., e da diretora do Museu Nacional de Belas (MNBA/Ibram), Monica Xexéo, iniciada na última terça-feira (15).

O museu do Rio de Janeiro, vinculado ao Ibram, vai abrigar a mostra, que integra a programação da Jornada Mundial da Juventude 2013 (JMJ Rio2013), entre os dias 11 de junho e 15 de setembro.

A missão, que segue até o domingo, inclui uma série de reuniões técnicas entre os integrantes dadelegação brasileira e representantes do setor de Atos Culturais da JMJ Rio2013, Fundação João Paulo II para a Juventude, Pontifício Conselho para Leigos (PCL), Pontifícia Sacristia Secreta, Fábrica de São Pedro e museus envolvidos

O objetivo é definir aspectos da exposição e seu cronograma, além do manuseio, logística e transporte das peças que seguirão da Itália para o Rio de Janeiro. A visita inclui ainda ida a museus do Vaticano para conhecer alguns dos objetos que estarão na mostra.

Arte e fé
A exposição Nas pegadas do Senhor – obras primas dos museus italianos e do Vaticano vai trazer ao Brasil mais de 100 pinturas, esculturas, manuscritos e outras peças que contam parte da história da arte e da Igreja Católica.

Entre as obras estão quadros de Leonardo Da Vinci, Michelangelo, Caravaggio, Pinturicchio, Perugino, Sassoferrato, Bernini, Correggio, Annibale Carracci, Guido Reni e Beato Angelico, dentre outros.

Em março de 2012, uma delegação italiana responsável pela organização da Jornada Mundial da Juventude 2013 já havia visitado o MNBA. Os organizadores estimam que o Rio de Janeiro receba cerca de 2 milhões de pessoas durante o evento, que contará com a presença do Papa Bento XVI.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Matérias relacionadas
Ibram propõe participação de museus durante Jornada Mundial da Juventude
Mostra de artes visuais ocupará MNBA durante Jornada Mundial da Juventude

Ibram adquire quadro de Candido Portinari A Primeira Missa no Brasil

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), vinculado ao Ministério da Cultura (MinC), adquiriu a obra A Primeira Missa no Brasil, de autoria de Candido Portinari (1903-1962). O quadro fará parte do acervo do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), que integra a rede de museus Ibram no Rio de Janeiro (RJ), que já conta com a obra A Primeira Missa no Brasil realizada por Victor Meirelles (1832-1903).

Realizado em 1948 por Portinari, quadro ficará exposto no MNBA

A obra de Portinari, um painel datado de 1948, com dimensões de 271cm X 501cm e realizado em têmpera sobre tela, foi encomendada a Portinari por Thomaz Oscar Pinto da Cunha Saavedra (Portugal, 1890–Brasil, 1956), terceiro Barão de Saavedra, para compor a então sede do Banco Boavista, no Rio de Janeiro – cujo prédio foi projetado por Oscar Niemeyer em 1946.

A tela encontra-se ainda hoje no mesmo prédio, onde atualmente funciona o Banco Bradesco, em bom estado de conservação, tendo sido tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (INEPAC), por meio da Resolução SEC N° 059, de 20/3/1992.

Acesso público
O Ibram utilizou o direito de preferência na aquisição de bens culturais móveis, disposto na lei nº 11.906/2009, Artigo 4º, inciso XVII. O processo de compra começou em setembro de 2012. Desde então foram realizadas vistorias técnicas de funcionários do Museu Nacional de Belas Artes, qualificados para a finalidade de elaboração de Notas Técnicas referente ao estado de conservação e valor artístico e importância da obra A Primeira Missa no Brasil. Também foram solicitados pareceres/avaliações de especialistas com larga experiência no mercado de arte, assim como do próprio INEPAC. O valor da compra foi de R$ 5 milhões.

Dessa forma, seguindo todas as orientações legais e procedimentos técnicos, foi concluído o processo de aquisição do quadro, tendo por objetivo integrá-lo a um acervo público, acessível à visitação.

Além de cumprir uma ação de formação de público para a arte em geral, onde os museus representam espaços de difusão e reflexão da memória nacional, o Ibram/MinC entende que a compra da obra vai ao encontro do Plano Nacional Setorial de Museus, que estabelece a preservação, aquisição e democratização de acervos como um dos seus temas transversais.

A previsão é que o público possa ver a tela a partir de março de 2013. Será feita uma exposição das obras A Primeira Missa no Brasil, de Portinari, e A Primeira Missa no Brasil, de Meirelles, junto com os estudos realizados pelos artistas na criação e execução das telas.

O quadro de Victor Meirelles encontra-se em exposição no MNBA. A obra, datada de 1860, é um óleo sobre tela de 268 X 356 cm.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

MNBA reabre galeria de Arte Brasileira Moderna e Contemporânea no RJ

A galeria de Arte Brasileira Moderna e Contemporânea, uma das principais mostras permanentes do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro, reabre neste dia 10 (quinta-feira), às 19h, após reformas estruturais iniciadas em setembro passado.

Situada no 3º Piso do MNBA, a galeria abriga uma da raras mostras no Brasil onde se pode descortinar, num só espaço, um relevante percurso artístico que vai do início do século XX até os dias atuais.

Na nova exposição, que chega atualmente a 205 peças, há obras de Candido Portinari, Willys de Castro, Décio Vieira, Maria Bonomi, Fayga Ostrower, Gilvan Samico, Celso Antonio, entre outros artistas brasileiros.

Com 1.800 metros quadrados, divididos em dois andares, a galeria exibirá no primeiro andar, o movimento da Abstração na gravura, e no segundo, a importância da gravura na produção artística brasileira das décadas de 1980 à contemporaneidade, assim como esculturas de artistas como Farnese de Andrade e Rubens Gerchman.

O MNBA fica aberto de terça a sexta, de 10h às 18h e aos sábados, domingos e feriados de 12h às 17h. Mais informações na página do museu.

Texto e foto: Divulgação MNBA

Mostra no Museu Nacional de Belas Artes marca centenário de Luiz Gonzaga

No mês em que se comemora os 100 anos de nascimento de Luiz Gonzaga, o Museu Nacional de Belas Artes/Ibram abre no dia 17 de dezembro, às 19h, a exposição O imaginário do rei: visões sobre o universo de Luiz Gonzaga, com curadoria de Bené Fonteles – que recebeu com a mostra o Prêmio Centenário Luiz Gonzaga da Funarte/ MinC.

Além de obras originais, exposição traz objetos e imagens antigas de Luiz Gonzaga

A exposição reúne mais de 160 obras em varias técnicas e linguagens de expressão criadas por 60 artistas de todas as regiões do país, quase todas concebidas especialmente para a ocasião. Traz ainda fotografias históricas e raras de Luiz Gonzaga, livros e discos sobre Luiz Gonzaga, compondo uma rica e diversificada iconografia sobre a vida e obra do “Rei do Baião”.

Também serão exibidos quatro filmes relacionados ao artista: Viva São João!, de Andrucha Waddington; O Milagre de Santa Luzia, de Sergio Roizenblitz; O Homem que Engarrafava Nuvens, de Lírio Ferreira; e Luiz Gonzaga – A Luz dos Sertões, de Rose Maria. Veja a programação completa e horários.

A mostra  já foi vista por mais de 200 mil pessoas em Recife (PE), Salvador (BA), Fortaleza (CE), João Pessoa (PB) e Brasília (DF). A exposição no MNBA pode ser visitada até 24 de fevereiro de 2013 e tem entrada gratuita. Saiba mais sobre o Museu Nacional de Belas Artes.

Texto: Divulgação MNBA
Foto: Divulgação

Última atualização: 17.01.2013

 

Documentário sobre Portinari é apresentado no Museu Nacional de Belas Artes

João Candido Portinari, na exibição de documentário sobre a vida de seu pai

Um documentário sobre a vida do artista plástico Cândido Portinari, que faz parte da série Os Grandes Brasileiros, foi exibido na noite desta quinta-feira (8),  no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ).

O evento, para convidados, contou com a presença de João Cândido Portinari, filho do artista, além de autoridades, como o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), José do Nascimento Junior.

Intitulado Portinari do Brasil, o vídeo de 56 minutos de duração conta a história do artista nascido em 1903, na cidade de Brodowski, interior de São Paulo, juntamente com reproduções de suas obras.

O filme reconta fatos decisivos na vida de Portinari como o primeiro curso de pintura, o primeiro quadro, Retrato do Compositor, em que pintou Carlos Gomes para homenagear seu pai, a viagem para o Rio de Janeiro, a Escola Nacional de Belas Artes, a viagem para a Europa, a união com Maria, o nascimento do único filho João Candido.

Os amigos intelectuais como Carlos Drummond de Andrade, José Lins do Rego e Manuel Bandeira, além da tentativa de entrar para a vida política através do Partido Comunista e também a lenta morte por envenenamento provocado pelas próprias tintas que usava em suas telas.

Sobre suas pinturas destaque para sua maior criação, os painéis Guerra e Paz, que fica na sede da ONU, em Nova Iorque (EUA). O filme descreve todo o método de trabalho e execução da obra. Durante quatro anos Portinari realizou 180 estudos em murais e maquetes, pintando 14 painéis separados que acabaram sendo montados sem sua presença, já que havia sido impedido de entrar nos Estados Unidos por ser comunista.

Os Grandes Brasileiros
O filme sobre Portinari integra a série produzida pela FBL Criação e Produção. A direção-geral do documentário é assinada por Rozane Braga e tem direção de Sonia Garcia e roteiro de Maria Gessy.

A série Os Grandes Brasileiros já retratou nomes como Barbosa Lima Sobrinho, Tancredo Neves, o jornalista Sérgio Cabral, Ziraldo, Darcy Ribeiro, José Sarney e Roberto Marinho.

Texto: Marcos Agostinho, Ascom/MinC
Edição: Ascom/Ibram
Foto: MNBA/Ibram

Museu de Belas Artes fecha galeria para reforma a partir de 21 de agosto

Seguindo planejamento, o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram) fechará, no dia 21 de agosto (terça-feira),  para o início das reformas na galeria de Arte Brasileira Moderna e Contemporânea.

Localizada no 3o piso do Museu, o espaço tem 2 mil metros quadrados de área e exibe obras de artistas como Tarsila do Amaral , Guignard, Candido Portinari,  di Cavalcanti, Pancetti, entre outros. A galeria será reaberta em novembro, com novas instalações e obras de arte em exposição.

Texto: Divulgação MNBA

Página 8 de 10« Primeira...678910