Página 7 de 30« Primeira...56789...2030...Última »

CNIC 2014: projetos na área de museus poderão captar mais de R$ 18 milhões

Realizada em Brasília (DF) entre os dias 11 e 13 deste mês, a 217ª reunião da Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC) – a primeira realizada em 2014 – autorizou a captação de mais de R$ 18,2 milhões para projetos na área de museus.

Foram analisados 20 projetos com foco no setor, dos quais 16 foram aprovados. Sete deles foram analisados pelo Ibram, que aprovou cinco ações: Museu do Torcedor, Exposição do Objeto para o Mundo – Coleção Inhotim, Alfredo Volpi – catalogação completa das obras, Memorial da Segurança do Transporte no Brasil e Museu de Arte do Rio – Plano Anual 2014.

Os demais projetos foram aprovados por outras autarquias vinculadas ao MinC e incluem ações para obras de restauro e acessibilidade, manutenção, digitalização de acervos, além da realização de exposições e outros eventos. O valor total autorizado para captação foi de R$ R$ 18.209.117,71.

Formada por representantes da sociedade civil e do Estado, a CNIC é o órgão colegiado que tem a missão de subsidiar as decisões do Ministério da Cultura (MinC) na aprovação dos projetos culturais, com vistas a captação via renúncia fiscal.

A próxima reunião será realizada em São Luis (MA) entre os dias 18 e 20 de Março, dando continuidade à itinerância dos encontros, com o objetivo de incorporar a diversidade brasileira na pauta.

Texto: Ascom/Ibram

Memória do Mundo: oito coleções são inscritas no Registro Nacional

Oito coleções documentais brasileiras foram inscritas, na semana passada, no Registro Nacional do Programa Memória do Mundo da Unesco. O programa reconhece como patrimônio da humanidade documentos, arquivos e bibliotecas de grande valor internacional, regional e nacional, inscrevendo-os nos registros e conferindo-lhes certificados que os identificam.

O resultado, divulgado no Diário Oficial da União do dia 23 de janeiro, tem com base decisão proferida pelo Comitê Nacional do Brasil do programa após reunião realizada nos dias 27 e 28 de novembro de 2013, na cidade do Rio de Janeiro (RJ). A Coleção Sanson – Fotografias estereoscópicas de vidro pelo fotógrafo amador Octávio Mendes de Oliveira Castro, do Museu Imperial/Ibram, em Petrópolis, foi uma das selecionadas. Saiba mais.

Além da citada, foram reconhecidas as inscrições dos seguintes acervos documentais: Campanha de Canudos, do Arquivo Histórico do Exército; Cartas Régias (1648-1821), do Arquivo Público da Bahia; Coleção Memória da Psiquiatria Brasileira (1894-1980), da Universidade Federal do Rio de Janeiro/Instituto de Psiquiatria (IPUB/UFRJ); Comissão Organizadora do Segundo Congresso Operário Brasileiro, do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro; Fundo Assembleia Geral Constituinte e Legislativa do Império do Brasil – 1823, da Câmara dos Deputados; Manuscritos Musicais de Ernesto Nazareth,da Fundação Biblioteca Nacional/MinC; e Processos Trabalhistas do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (1935-2000), do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região/RS.

Instalado há seis anos, o Comitê Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo nominou, entre os anos de 2007 e 2012, cinquenta e cinco acervos brasileiros, constituídos de enorme diversidade cronológica e tipologias documentais e custodiados pelas mais diferentes instituições.

Texto: Ascom/Ibram

Governo do DF autoriza cessão do Museu Honestino Guimarães à União

Publicada no Diário Oficial do Distrito Federal de segunda-feira (27), a Lei 5.293, de 24 de janeiro de 2014, que autoriza a cessão para a União do Museu da República Honestino Guimarães, que integra complexo cultural localizado na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Museu está cedido à União por um prazo de 10 anos

Museu está cedido à União por um prazo de 10 anos

De acordo com a lei, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), autarquia vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), será responsável pela administração do museu por  um prazo de 10 anos, podendo ser prorrogado por autorização legislativa.

O processo de transição da gestão será feito com a participação do Governo do Distrito Federal (GDF), de modo a manter o espaço de exposições temporárias e preservar o atual acervo da instituição.

A transferência definitiva se dará após celebração de termo de cessão entre a União e o GDF, seguindo o que determina a lei.

Acervos federais
Está prevista a criação de um grupo de trabalho conjunto para garantir o funcionamento e continuidade das ações programadas pelo museu durante o processo de transição, que será acordado entre as partes. Durante o período da gestão compartilhada, os servidores atuais do espaço cultural deverão ser mantidos pelo GDF.

O objetivo da cessão do museu à União é dar maior acesso ao público a obras de arte, presentes em acervos passíveis de musealização, que são de propriedade de órgãos da Administração Direta e Indireta da União. Nestes termos, o MinC, por intermédio do Ibram, deverá fazer um levantamento dos acervos pertencentes aos órgãos federais  para que venham a integrar a programação expositiva do museu.

Em paralelo, o Ibram prepara Projeto de Lei, a ser enviado à Câmara dos Deputados, criando o Museu Nacional de Brasília. O projeto visa dar estrutura ao museu, bem como criar cargos efetivos para o seu corpo técnico.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação/Wikipédia

Matérias relacionadas
Câmara Legislativa do DF discute cessão do Museu Honestino Guimarães
Museu Nacional da República em Brasília será gerido pelo Ministério da Cultura

Na TV: Série Conhecendo Museus chega a 25 estados brasileiros via EBC

De acordo com informações da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), os programas da série Conhecendo Museus, produzidos em parceria com o Ibram/MinC e a TV Escola/MEC, chegam a 25 estados e alcançam 1785 municípios brasileiros.

Museu Regional de Caeté (MG)

Museu Regional de Caeté/Ibram (MG) foi tema do episódio nº 31 do programa no ano passado

Transmitida semanalmente por 783 canais de TV, entre geradoras da EBC, empresas retransmissoras e geradoras parceiras, a série de programas que leva ao conhecimento do público a diversidade dos museus brasileiros, alcança 131 mil domicílios em cinco capitais (São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Recife e Salvador) e no Distrito Federal. A capital de maior audiência, proporcional ao número de domicílios, é Recife (PE).

A estimativa é que, nestes locais, em média, 393 mil pessoas assistem a cada um dos episódios do Conhecendo Museus, tendo em vista a média de três telespectadores por domicílio.

As demais capitais e municípios não possuem dispositivos para aferição de audiência e a EBC não acessa dados de audiência dos canais fechados de TV – transmitidos por cabo, satélite, microondas e parabólicas.

Os 52 episódios do Conhecendo Museus produzidos em 2013, cada um com 26 minutos de duração, são exibidos nos canais EBC às terças-feiras, às 17h30, e têm reprise aos sábados, às 15h. Os programas também podem ser assistidos online.

Para 2014, estão sendo preparados 60 episódios que apresentarão 71 museus das cinco regiões do país: 19 na Nordeste, 27 na região Sudeste, 8 na Centro-Oeste, 7 na Sul e 8 na região Norte. Saiba mais sobre o Conhecendo Museus.

Fonte: Dados EBC
Texto e foto: Ascom/Ibram

Ministra da Cultura participa das comemorações dos 77 anos do MNBA

Nesta segunda-feira (13), a Ministra da Cultura, Marta Suplicy e o presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, participaram da celebração dos 77 anos de criação do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), no Rio de Janeiro.

O evento contou com a premiação dos agraciados no Prêmio Quirino Campoforito e com a doação de 205 obras de Portinari ao museu pela Finep – agência vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

O Prêmio Quirino Campoforito é voltado àqueles que contribuíram ou contribuem para o desenvolvimento das artes no país. A cerimônia aconteceu no Salão Nobre do Museu Nacional de Belas Artes e foram agraciados, entre outros, a ministra Marta Suplicy, o presidente do Ibram, Angelo Oswaldo Santos, o cardeal Orani Tempesta, o cônsul da Itália, Mário Panaro e o presidente da Finep, Glauco Arbix.

Durante o evento, Marta Suplicy ressaltou a importância do acervo doado ao Museu: “A doação de obras artísticas aos museus é um ato que tem acontecido no Brasil de forma significante, mas precisa ser praticada mais vezes por colecionadores e artistas para que transforme o ato num hábito brasileiro”, disse a ministra.

Com a oficialização da doação de pinturas a óleo em tela, desenhos em grafite, nanquim bico-de-pena, caneta tinteiro, gravura a água-forte e água-tinta em papel, a coleção passa a fazer parte do acervo do MNBA. Com isso, o museu é detentor do maior acervo público de Portinari, com 243 trabalhos. De acordo com a diretora do Museu de Belas Artes, Mônica Xexéo, a coleção será exposta a partir de maio desse ano.

Presente ao evento, o filho de Portinari, João Cândido, destacou que a importância da doação das obras de arte está, principalmente, no fato de torná-la acessível ao público e, em especial, no Museu Nacional de Belas Artes, que era a casa do artista. Ressaltou também o apoio da ministra Marta Suplicy em tornar o acervo de Portinari patrimônio público para fruição do grande público.

No seu discurso, a ministra salientou ainda uma das ações do MinC, que é a de recuperar os museus e incentivar o público a visitá-los.

Texto: Ascom/MinC

Edição: Ascom/Ibram

Ministra e dirigentes do sistema MinC assinam Pacto de Desempenho

A ministra da Cultura, Marta Suplicy, se reuniu com os dirigentes e os secretários do sistema MinC para assinar, na manhã desta terça-feira (7), a Pactuação de Desempenho de gestão para o exercício de 2014. O enfoque do programa é uma nova cultura na gestão de recursos com melhor performance e transparência no uso das verbas do ministério.

Após desejar um Feliz Ano Novo aos gestores do MinC, a ministra agradeceu a presença de todos e parabenizou a equipe pelos resultados alcançados na pactuação firmada em 2013, a primeira a ser realizada na estrutura da pasta. Os resultados apresentados apontam que, a partir da implementação do Pacto, o Ministerio da Cultura evolui de 92,39% de execução das despesas discricionárias em 2012 para 99,05% de execução dos mesmos recursos no ano passado.

Com a pactuação do programa os gestores de todas as áreas do MinC trabalharão com metas e cronogramas para a realização de seus projetos, com a visualização das ações para o ano todo. Com alinhamento estratégico, os objetivos são o contínuo aprimoramento da gestão, da execução orçamentária e financeira, e da eficiência e efetividade das ações e políticas do ministério.

Os compromissos de desempenho e gestão foram assinados pelos presidentes da Fundação Biblioteca Nacional, Renato Lessa; Fundação Casa de Rui Barbosa, Manolo Florentino; Fundação Cultural Palmares, Hilton Cobra; Fundação Nacional de Artes, Guti Fraga; do Instituto Brasileiro de Museus, Angelo Oswaldo; do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Jurema Machado; e pela diretora da Agência Nacional do Cinema Ângela Alcântara.

Também pactuaram suas metas os secretários do Audiovisual, Mário Borgneth; da Economia Criativa, Marcos André Carvalho; os secretários substitutos de Economia e Fomento à Cultura, Odecir Costa; e da Articulação Institucional, Bernardo Machado. Os documentos foram assinados pelos diretores Pedro Vasconcelos da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural; Juana Nunes da Secretaria de Políticas Culturais; Bruno Melo da Diretoria de Relações Internacionais; Germano Ladeira da Diretoria de Infraestrutura Cultural; e pelo diretor substituto da Diretoria de Direitos Intelectuais Luis Paulo Bogliolo.

Para garantir a transparência na gestão dos recursos financeiros e orçamentários, tanto os acordos de desempenho quanto os resultados do processo de monitoramento deverão ser disponibilizados na página na internet do Ministério da Cultura.

Texto: Lara Aliano (Ascom/MinC)

III Conferência Nacional de Cultura termina com 64 propostas aprovadas

participação recorde de delegados marcou a 3ª edição da CNC

participação recorde de delegados marcou a 3ª edição da CNC

A III Conferência Nacional de Cultura (CNC) foi encerrada neste domingo (1º), em Brasília. Participaram da programação, entre os dias 27 de novembro e 1º de dezembro, 1.745 pessoas, sendo 953 delas delegados dos 26 estados e do Distrito Federal.

Com direito a voto, os delegados (70% representantes da sociedade civil) elegeram 64 diretrizes para os próximos anos. Destas, por votação eletrônica, 20 foram destacadas como prioridade.

Na Plenária Nacional que definiu 20 diretrizes como prioridade, dos 953 delegados, 804 foram votantes. Entre os destaques dessa votação, estão o pedido de aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 150; a proposta que pede o fortalecimento das cadeias dos setores criativos, com intercâmbios – uma das cinco mais votadas, no eixo 4 das discussões; a proposição que pede a inclusão nos planos orçamentários da União, estados, DF e municípios de programas para desapropriação de imóveis ociosos – para que sejam aproveitados como equipamentos culturais. Confira as propostas aprovadas e as priorizadas.

“Os microfones estiveram abertos para os mais diversos apelos, para a manifestação de todos. Garantimos a maior e mais representativa mobilização democrática que o setor de políticas culturais já viu no Brasil”, declarou o secretário de Políticas Culturais do Ministério da Cultura (SPC/MinC), Américo Córdula. Continue lendo.

Setor de museus
Representado pelo Comitê Gestor do Sistema Brasileiro de Museus (SBM), o setor de museus contou com a presença de 14 delegados (com direito a voz e voto), quatro convidados (com direito a voz) e 11 observadores, tendo a participação do grupo gerado resultados positivos para o campo museal.

Das 64 propostas aprovadas, 23 delas (36%) abrangem, beneficiam e fortalecem o setor, sendo que 12 propostas (18,7%) mencionam diretamente os museus ou pontos de memória em sua proposição. Das propostas priorizadas pelos delegados do Colegiado Setorial de Museus, oito propostas (40%) se encontram entre as 20 priorizadas pela plenária final.

Entre os destaques encontram-se propostas abrangentes que procuram atender a demandas dos vários setores da cultura, incluindo os museus, como a criação de fundos setoriais; ampliação de incentivos financeiros; garantia de implantação, manutenção e revitalização de equipamentos culturais; ampliação da participação dos museus na política de incentivos fiscais à cultura, entre outras.

Diversidade: o Brasil se fez representar na III CNC

Diversidade: o Brasil se fez representar na III CNC

Saiba como foi a III CNC na cobertura oficial do Ministério da Cultura e na Cobertura Colaborativa da CNC virtual. Confira também o álbum de fotos e os vídeos produzidos.

Texto e fotos: Ascom/MinC
Edição: Ascom/Ibram
Última atualização: 4.12.2013

Família Segall doa 110 obras do artista para o Museu Lasar Segall

Segall_Autorretrato_IV_1930

Autorretrato de Lasar Segall (1930) é uma das 110 obras a serem incorporadas ao ao museu Ibram em São Paulo

O Museu Lasar Segall/Ibram, em São Paulo (SP), recebe, nesta sexta-feira (29), doação de 110 obras pertencentes à coleção particular do neto do artista, Mario Segall. A cerimônia, para convidados, terá a presença da Ministra da Cultura, Marta Suplicy e do presidente do Ibram, Angelo Oswaldo.

A lista de obras doadas consiste em 12 pinturas, sendo quatro pinturas sobre tela e oito sobre papel, 18 gravuras e 80 desenhos de Lasar Segall. Destaque para o Autorretrato IV (1930), pintura em óleo sobre tela, com dimensões de 46,5 × 38 cm, obra pouco divulgada e de inestimável valor para a compreensão da trajetória do artista. Para o diretor do Museu, Jorge Schwartz, “é uma honra receber esta doação. Ela enriquece o acervo do Museu sobremaneira”.

Mario Segall afirma que “de minha parte, não fiz nada a mais do que faria meu pai, com quem aprendi que arte só vale se for compartilhada, dividida com potencial para sensibilizar, bem como mexer com os seres humanos a ponto de fazê-los refletir e atuar ativa e criticamente sobre seu mundo. Nem todos conseguem estar abertos a esse tipo de influência. Fui muito privilegiado”, conclui.
O museu
O Museu, idealizado por Jenny Klabin Segall, viúva de Lasar Segall, foi criado por seus filhos Mauricio Segall e Oscar Klabin Segall, em 1967, e se localiza na antiga residência e atelier do artista. O acervo é constituído de por cerca de três mil obras, arquivos de documentos, fotografias, objetos (pincéis, tintas, instrumentos de gravura, paletas e indumentária), matrizes de gravuras, mobiliário.

O museu tem como principal objetivo, preservar, pesquisar e divulgar a obra de Lasar Segall, mas foi constituído de forma a atuar como centro de atividades culturais, oferecendo cursos e oficinas voltados à disseminação da arte e cultura nas áreas de Gravura, Fotografia, Criação Literária, com atividades paralelas à fruição das obras de arte do acervo e das exposições temporárias.

Oferece a Biblioteca Jenny Klabin Segall que possui um acervo especializado na Arte do Espetáculo (cinema, teatro, dança, ópera, circo, rádio, televisão, fotografia), e extensa documentação sobre a vida e a obra de Lasar Segall, constituindo-se em importante centro de pesquisa. Este acervo é considerado um dos mais completos em suas áreas de atuação.

A Ação Educativa desenvolve programas para formação de professores, estudantes e famílias com o objetivo de capacitar os visitantes a ver, analisar e interpretar obras de arte em múltiplos contextos, contribuindo para ampliar o acesso às manifestações culturais e para a formação da cidadania no contexto brasileiro.

Com uma sala de cinema de 92 lugares, o Cine Segall desempenhou importante papel na vida cultural da cidade de São Paulo nas décadas de 1970 e 1980, com a exibição de filmes proibidos pela ditadura e mostras especiais que davam ênfase ao cinema independente. Hoje, a programação é de filmes do circuito cultural nacional e internacional.

O museu possui ainda dois jardins com esculturas de Lasar Segall. No primeiro jardim encontra-se o Café Segall, e o projeto Intervenções, que se constitui em expor obras de artistas contemporâneos. O outro jardim é um local de convivência e troca de experiência para os frequentadores, e encontra-se à frente do ateliê em que Segall criou boa parte de suas obras.

Texto: Divulgação Museu Lasar Segall
Edição: Ascom Ibram

Lançada Frente Parlamentar para criação de museu afro em Brasília

Na tarde de ontem (26), foi lançada, na Câmara dos Deputados, a Frente Parlamentar em Apoio à Criação do Museu Nacional da Memória Afro em Brasília (DF). O ato foi coordenado pelo deputado Edson Santos, que classificou a construção do museu como “um sonho”. A Frente já conta com 210 deputados que apoiam sua ação.

Ministra da Cultura (centro) destacou a importância do novo museu para o Brasil

Ministra da Cultura (centro) destacou a importância do novo museu para o Brasil

A ministra Marta Suplicy compareceu à cerimônia de lançamento e expressou seu empenho na construção do do novo museu e ressaltou a sua importância simbólica ao ser construído na capital do país: “o Brasil tem uma identidade negra. O nosso país é um país negro. Essa história precisa ser contada”, refletiu.

Compuseram a mesa, ao lado da ministra da Cultura, os presidentes da Fundação Cultural Palmares, Hilton Cobra; Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo; e Fundação Casa de Rui Barbosa, Manolo Florentino – instituições vinculadas ao Ministério da Cultura.

A deputada Jandira Feghali, presidenta da Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados, também integrou a mesa. O evento contou, ainda, com a presença de vários deputados na plateia.

Marta Suplicy destacou também que o museu será um espaço moderno e um Centro de Referência da Cultura Negra onde o visitante poderá, através do uso de interatividade e tecnologia, conhecer a trajetória dos povos afrodescendentes no Brasil e reconhecer a importância deles na construção da identidade cultural do País. O projeto já existe e está sendo reformulado pela Fundação Cultural Palmares em conjunto com o Ibram. Continue lendo no portal do Ministério da Cultura.

Texto: Ascom/MinC
Foto: Elisabete Alves/MinC
Edição: Ascom/Ibram

Conferência Nacional de Cultura começa nesta quarta (27) em Brasília

Entre os dias 27 de novembro e 1º de dezembro, acontece em Brasília (DF), a III Conferência Nacional de Cultura (CNC), que mobilizará cerca de dois mil agentes culturais de todo o país em torno de propostas elencadas em 27 conferências estaduais e 35 conferências livres, realizadas este ano. A terceira edição tem como tema Uma política de estado para a cultura: desafios do Sistema Nacional de Cultura.

A abertura oficial está marcada para às 19h30 do dia 27 (quarta-feira), no Teatro Nacional Cláudio Santoro, e contará com a presença da presidenta da República, Dilma Rousseff, e da ministra da Cultura, Marta Suplicy. Além da plenárias e grupos de trabalhos, uma série de eventos culturais celebrarão a diversidade da cultura brasileira. Confira a programação completa da III CNC.

Participação
Até o dia 26, véspera da abertura do evento, os interessados podem participar da Conferência Virtual, plataforma criada pelo Ministério da Cultura (MinC) onde estão disponíveis as 614 propostas sistematizadas que serão discutidas durante a III CNC.

As diretrizes estão organizadas em quatro eixos temáticos, que reúnem aspectos abrangentes das políticas públicas para o setor cultural, cobrindo a diversidade cultural brasileira. A ideia é que a Conferência Virtual sirva de termômetro das discussões que irão se dar nos Grupos de Trabalho e nas plenárias, com espaço para a participação também de cidadãos que não integram as delegações com direito a voto. Conheça e participe.

Presença dos museus
O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), por meio de seus servidores, está mobilizado para participar da III CNC. Os dez anos da Política Nacional de Museus, além da nova legislação que regulamenta o setor museal, serão objetos de discussão e reflexão junto aos participantes.

O presidente do instituto, Angelo Oswaldo, entende que a Conferência Nacional de Cultura será um espaço decisivo para avaliação da legislação existente, além de proporcionar discussões quanto às ações de consolidação dessas políticas públicas. “Teremos uma representação preparada para marcar presença dos museus na Plenária Nacional. Vamos falar sobre como vamos trabalhar nesta nova legislação e sobre o Plano Nacional Setorial de Museus. A conferência será um momento de reavaliação e acompanhamento das ações já implantadas”, enumera Angelo Oswaldo.

Saiba mais sobre a metodologia de trabalho da III CNC, assim como os destaques das conferências anteriores (2005 e 2010), e outras informações na página da Conferência Virtual. Durante o evento, haverá cobertura das atividades por meio de blogue e das redes sociais Twitter e Facebook do Plano Nacional de Cultura.

Texto: Ascom/Ibram
Fonte: Ascom III CNC

Página 7 de 30« Primeira...56789...2030...Última »