Página 1 de 1312345...10...Última »

Exposição no Museu da Inconfidência resgata história dos chafarizes da cidade

Ao completar 80 anos de tombamento federal em 2018, a cidade de Ouro Preto (MG) ganha uma exposição que marca o início das comemorações da data, ao mesmo tempo em que valoriza o acesso da população à água ao longo dos séculos.

Água e Ouro Preto: patrimônios de todos nós é a exposição que abre dia 23 de março no Museu da Inconfidência/Ibram, a partir das 19h, dando início às atividades de lançamento do Ano do Patrimônio Cultural de Ouro Preto. A entrada é franca.

Um dos chafarizes de Ouro Preto em frente ao Museu da Inconfidência/Ibram

Um dos chafarizes de Ouro Preto em frente ao Museu da Inconfidência/Ibram

A proposta é gerar uma reflexão sobre o pertencimento e reconhecimento da relevância da memória histórica para a formação da cultura nacional. Margareth Monteiro, Zaqueu Astoni Moreira e Mateus Júnio Pires Guimarães são os curadores da exposição.

Linha do tempo
A mostra registra a entrega das obras de restauração para uso do Chafariz de São José – construído no século XVIII e um dos símbolos da expressividade artística brasileira do período colonial.

São apresentados objetos do acervo do Museu da Inconfidência e do Arquivo Público Municipal, além de documentos sobre as arrematações dos chafarizes da cidade, cuja responsabilidade se remetia às câmaras municipais.

A partir da Carta Régia de 1603, primeira menção que se conhece sobre os recursos hídricos no Brasil Colônia, enfatiza-se a importância da água em todo o ciclo do ouro em um linha do tempo.

O traçado urbano da antiga Vila Rica revela, em monumentais conjuntos arquitetônicos, dezenas de chafarizes que canalizavam a água de grandes mananciais, sendo distribuída à população por bicas ou carrancas que jorravam dia e noite. As obras elegiam locais de maior acesso ou áreas do comércio local, visando atender a um maior número de pessoas.

A exposição é realizada por meio de uma parceria entre o Museu da Inconfidência e da Prefeitura de Ouro Preto, através da Secretaria de Cultura e Patrimônio, com apoio da Câmara Municipal de Ouro Preto e da Converso Comunicação, e conta com patrocínio da Gerdau e da Valenet.

A exposição Água e Ouro Preto: patrimônios de todos nós fica em cartaz até 29 de abril na Sala Manoel da Costa Athaide (anexo I do Museu da Inconfidência) e pode ser visitada de terça a domingo, das 10h às 18h. Saiba mais sobre o Museu da Inconfidência.

Texto e foto: MI/Divulgação
Edição: Ascom/Ibram

Peças sacras de museus Ibram em MG integram exposição do Masp

Obras dos acervos do Museu da Inconfidência, Museu Regional de São João del-Rei e do Museu do Ouro estarão expostas no Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (Masp), a partir do sábado (10). Os três museus fazem parte da rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) em Minas Gerais (MG).

A imagem de São Sebastião é uma das três obras do MRSJDR na exposição do Masp

A imagem de São Sebastião é uma das três obras do MRSJDR na exposição do Masp

As peças integram a exposição temporária Imagens do Aleijadinho, que apresenta a obra de Antônio Francisco Lisboa (1738-1814), uma das principais referências da arte sacra, do barroco e do rococó no Brasil, ativo em Minas de meados do século XVIII ao início do século XIX.

A mostra apresenta cerca de 50 obras, que incluem esculturas devocionais, além de mapas, gravuras, fotografias, pinturas e esculturas de viajantes e outros artistas, que contribuem para a compreensão do contexto e da influência do artífice mineiro na história da arte brasileira.

O Museu Regional de São João del-Rei, por exemplo, emprestou três imagens para a mostra: São Sebastião, São João Evangelista e São Francisco de Assis.

Já o Museu da Inconfidência, em Ouro Preto, emprestou quatro peças: duas esculturas Pastor de Presépio, um Anjo Tocheiro e uma imagem de Nossa Senhora do Carmo.

E o Museu do Ouro, em Sabará, emprestou uma escultura de Sant’ana Mestra. Todas as peças são do século XVIII e feitas em madeira policromada – algumas possuem ainda douramentos.

Em cartaz até 3 de junho, a exposição e o catálogo têm organização de Rodrigo Moura, curador-adjunto de arte brasileira do Masp. Saiba mais.

Texto e foto: Masp e MRSJDR/Divulgação
Edição: Ascom/Ibram

Ibram abre seleção para diretor do Museu do Ouro em Sabará (MG)

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) iniciou hoje (1º) o período de inscrições para a seleção de candidato para ocupar a Função Comissionada do Poder Executivo de diretor do Museu do Ouro/Casa Borba Gato – unidade museológica do Ibram localizada em Sabará (MG).

Podem concorrer servidores ocupantes de cargos efetivos oriundos de órgão ou entidade de quaisquer dos Poderes da União, Estados, Distrito Federal e municípios.

Museu do Ouro/Ibram em Sabará (MG)

Museu do Ouro/Ibram em Sabará (MG)

A seleção acontece em três etapas: análise da documentação para homologação da inscrição, de caráter eliminatório; análise de currículo e plano de trabalho, além de entrevista oral – ambas etapas de caráter classificatório.

Para realizar a inscrição, o candidato deverá encaminhar documentação, conforme consta no edital, para o endereço eletrônico selecao@museus.gov.br, informando no assunto: “Chamada Pública Museu do Ouro / Casa Borba Gato”, até às 23h59min do dia 30 de abril de 2018. Acesse a íntegra do edital e seus anexos.

Instalado na antiga Casa de Intendência e Fundição do Ouro da Vila Real de Nossa Senhora da Conceição do Sabará, o Museu do Ouro foi criado em 1945 e oficialmente inaugurado no ano seguinte.

O acervo e constituído por mobiliário, armaria, porcelanas, imaginária religiosa e objetos ligados a prática da mineração (séculos XVIII e XIX). O Museu do Ouro possui ainda um arquivo histórico e uma biblioteca, localizados na Casa de Borba Gato, edificação do século XVIII.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Museu do Ouro/Divulgação

Museu do Diamante abre edital para uso de espaços com atividades culturais

O Museu do Diamante/Ibram, em Diamantina (MG), publicou hoje (22), no Diário Oficial da União (DOU), Extrato de Edital visando credenciamento para permissão de uso dos espaços do museu para a realização de atividades culturais.

Os projetos, alinhados com a missão da instituição estabelecida no Plano Museológico, poderão ser de diversas áreas de conhecimento: artes cênicas, integradas,visuais, audiovisual, música, patrimônio cultural, cultura popular, gastronomia, multimídia, entre outros.

Museu do Diamante (MG)

Museu do Diamante (MG)

O edital contempla a sala de exposições temporárias (sala Multiuso), deck e pátio interno do Museu do Diamante para a realização de atividades.

Todas as despesas decorrentes da realização dos projetos e ações selecionadas deverão ser custeadas pelos participantes. Poderão se habilitar pessoas físicas e jurídicas residentes e/ou domiciliadas no Brasil.

As inscrições acontecem de 23 de fevereiro a 30 de março de 2018 e podem ser feitas pessoalmente ou por via postal. Não serão aceitas inscrições via e-mail.

As propostas serão julgadas por comissão de seleção formada por servidores do Museu do Diamante. O resultado será divulgado na página web do museu no dia 11 de abril.

Para informações completas sobre a seleção pública, acesse a íntegra do edital e seus anexos.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Museu do Diamante/Divulgação

Museu Regional abre nova exposição dia 22 em São João del-Rei (MG)

Um dos trabalhos da fotógrafa que estará em exibição no MRSJDR/Ibram

Um dos trabalhos da fotógrafa que estará em exposição no MRSJDR/Ibram até 1º de abril

O Museu Regional de São João del-Rei (MRSJDR/Ibram), em Minas Gerais (MG), inaugura, no dia 22 de fevereiro, a exposição Fragmentos do Cotidiano, da fotógrafa Thais Andressa.

A mostra é composta por 40 fotografias realizadas na cidade. Nas imagens há a busca por um olhar diferente do tradicional: por meio de reflexos e distorções, as ruas da cidade são retratadas. O projeto de exposição contempla ainda questões da memória social coletiva e identidade cultural.

Estudante do curso de Comunicação Social da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), Thais Andressa já realizou duas outras exposições fotográficas. No ano passado teve foto publicada na primeira edição da Revista Rasante – a cidade submersa, publicada em São Paulo.

A exposição pode ser visitada, até 1º de abril, das 9h às 17h30, de segunda a sexta-feira, e das 9h às 16h aos fins de semana e feriados. A entrada é gratuita. O MRSJDR localiza-se à Rua Marechal Deodoro, 12 – Centro. Mais informações pelo telefone (32) 3371.7663 ou pelo e-mail mrsjdr@museus.gov.br.

Texto: MRSJDR/divulgação
Edição: Ascom/Ibram
Foto: Thais Andressa/divulgação

Exposição sobre reuso de patrimônio histórico chega a São João del-Rei

O Museu Regional de São João del-Rei (MRSJDR/Ibram), em Minas Gerais (MG), abre, nesta segunda (9), às 19h30, a exposição Reuso na Holanda: reciclagem de patrimônio histórico – do arquiteto holandês Paul Meurs.

Museu Regional de São João del-Rei (MG)

Museu Regional de São João del-Rei/Ibram (MG)

A mostra traz painéis com informações sobre 12 projetos arquitetônicos de edifícios holandeses que, após serem abandonados, foram recuperados e destinados a novos usos.

A exposição aponta para a discussão e reflexão do lugar do passado na paisagem urbana do futuro. A reutilização ou reuso é colocada como uma alternativa à demolição e consequente perda da memória e capital cultural.

Paul Meurs é arquiteto e diretor do escritório SteenhuisMeurs em Roterdã (Holanda). Especialista em arquitetura e urbanismo brasileiros desde 1986, publicou vários artigos e livros sobre conservação, desenvolvimento do patrimônio e reuso.

De 2006 a 2016 foi professor da disciplina Patrimônio e Valores Culturais na Universidade de Tecnologia de Delft (Holanda), onde atualmente é professor convidado. Meurs estará presente na abertura para um bate-papo com o público.

A exposição é gratuita e pode ser visitada até 22 de outubro de segunda a sexta, das 9h às 17h30. Sábados, domingos e feriados, das 9h às 16h.

O Museu Regional de São João del-Rei fica na Rua Marechal Deodoro, 12 – Centro. Mais informações pelo telefone (32) 3371.7663.

Texto e foto: MRSJDR/Divulgação
Edição: Ascom/Ibram

A memória institucional de museus Ibram em MG na voz de seus colaboradores

Sede do MRSJDR/Ibram em Minas Gerais

“Depois que eu entrei no museu, toda vez que estou em outra cidade, eu quero visitar um museu”, confessa Cleberson Cunha, vigilante no Museu Regional de São João del-Rei (MRSJDR/Ibram), em Minas Gerais (MG). “O que antes não era comum – fazer visita a um museu – hoje faço com mais naturalidade e vontade”.

O depoimento acima faz parte da iniciativa em vídeo Gente que faz o museu, que coleta impressões, histórias e vivências de novos e antigos colaboradores do MRSJDR.

A partir de perspectivas pessoais, o museu resgata importante aspecto ligado a sua memória institucional – iniciativa que se relaciona ao tema da Primavera dos Museus deste ano, Museus e suas memórias.

Instalado em casarão do século XIX, o prédio foi tombado pelo Governo Federal em 1946 e aberto à visitação, já como museu, em 1963. “Foi difícil manter o prédio de pé”, conta Rui Mourão, diretor do Museu da Inconfidência/Ibram, em Ouro Preto (MG), no documentário Símbolo de resistência – também realizado pela equipe do MRSJDR.

Casarão em São João del-Rei antes da criação do museu regional

Casarão em São João del-Rei antes da criação do museu regional

Com fotos antigas e depoimentos de pesquisadores, o vídeo conta a saga do casarão na cidade até se tornar sede do museu: das tentativas de demolição ao processo que levou ao seu reconhecimento com patrimônio histórico. Assista o documentário.

Mais informações sobre atividades do MRSJDR podem ser obtidas pelo telefone (32) 3371.7663 ou endereço eletrônico mrsjdr@museus.gov.br

Pesquisa e ações educativas
O Museu Regional Casa dos Ottoni (MRCO/Ibram), na cidade do Serro, também tem muitas histórias relacionadas à área que ocupa hoje: o prédio, do final do século XVIII, já foi casa, liceu, patronato agrícola e até maternidade antes da criação do museu em 1949.

“Trabalhamos hoje para que a instituição seja polo de discussão constante sobre o passado, presente e futuro. Nesse sentido, desenvolvemos ações para preservar a memória institucional e cumprir com a missão do museu”, aponta Carlos Xavier, diretor do MRCO.

Uma das frentes é a pesquisa e aquisição de acervo bibliográfico sobre o museu e a família Ottoni – cujos membros foram personagens da política brasileira no século XIX.

Museu Casa dos Ottoni

Museu Casa dos Ottoni no Serro (MG)

Após visitas a diversas instituições, conta o diretor, “foi possível reunir informações que, se não detalham claramente todo o passado do MRCO e do seu prédio, ajudam a elucidar pontos interessantes sobre sua história”.

Além das ações museológicas em torno da organização e preservação do acervo, o Museu Regional Casa dos Ottoni busca em suas ações educativas relacionar história e memória.

Para a 11ª Primavera dos Museus, por exemplo, o museu programou a exposição Minas em Postais, sobre cidades históricas mineiras, e a oficina Memórias do nosso lugar, que se propõe a valorizar a história da cidade a partir da história oral.

Mais informações sobre as atividades do museu pelo telefone (38) 3541.1440 ou endereço eletrônico mrco@museus.gov.br. Assista episódio sobre o MRCO na série Conhecendo Museus.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Divulgação

Matérias relacionadas
Conheça as iniciativas de memória institucional do Museu Victor Meirelles
História oral resgata memória institucional do Museu das Missões
Livros e filmes abordam a memória institucional dos Museus Castro Maya
Conheça o projeto de memória institucional do Museu da República no RJ

Nova exposição e horários especiais no Museu Regional de São João del-Rei

O Museu Regional de São João del-Rei (MRSJDR/Ibram), em Minas Gerais (MG), abre na segunda (14), às 19h, a exposição Paisagens internas e externas, do artista plástico José Renato Sartori Inchausti.

O trabalho apresenta distorções de paisagens, tanto de ambientes interiores quanto exteriores, tendo cidades históricas e litorâneas como tema. O artista projeta em suas paisagens interiores referências geográficas. Segundo Inchausti, essas paisagens possuem uma “exposição frontal de algum sentimento humano”.

Museu Regional de São João del-Rei (MG)

Museu Regional de São João del-Rei (MG)

Trabalhando com artes plásticas há cerca de 40 anos, José Renato já participou de 18 mostras -  entre salões coletivos e exposições individuais. Atualmente mora em São João del-Rei, onde desenvolve um trabalho interessado na abstração do sentimento por meio da paisagem.

A exposição fica em cartaz até 24 de setembro. A visitação é gratuita. O museu funciona de segunda a sexta-feira, de 9h às 17h30. Sábados, domingos e feriados, de 9h às 16h.

Feriado local
No dia 15 de agosto (terça-feira) é feriado em São João del-Rei (Assunção de Nossa Senhora) e, por isso, o MRSJDR tem horário especial para o feriado prolongado.

No sábado e domingo (dias 12 e 13), funciona das 9h às 13h. Já na segunda e terça (14 e 15) funciona das 9h às 16h. O museu reabre às 19h no dia 14 apenas para receber o público na nova exposição. Já na quarta (16), o museu fecha para manutenção – voltando ao seu horário normal a partir do dia 17 de agosto.

Aberto ao público em 1963,  o Museu Regional de São João del-Rei apresenta, em sua exposição permanente, aspectos dos modos de vida e costumes mineiros dos séculos XVII ao XX, a partir de peças de mobiliário, objetos de arte sacra e imaginária oitocentista.

O MRSJDR está localizado na Rua Marechal Deodoro, 12 – Centro. Mais informações pelo telefone (32) 3371.7663 ou endereço eletrônico mrsjdr@museus.gov.br.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: MRSJDR/Divulgação

Ibram convoca candidatos a diretor do Museu da Inconfidência para entrevista

Foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (24), a convocação para entrevista dos seis candidatos melhor pontuados na Chamada Pública para o cargo de Diretor do Museu da Inconfidência/Ibram, localizado em Ouro Preto (MG).

As entrevistas acontecerão no dia 8 de agosto de 2017, no Escritório de Representação Regional do Ibram em Belo Horizonte. Os nomes dos convocados, horários da entrevista e o endereço da Representação estão disponíveis aqui. A comissão de seleção é formada pela Superintendente do Iphan em Minas Gerais, Célia Maria Corsino, pela Diretora de Difusão, Fomento e Economia dos Museus do Ibram, Eneida Braga Rocha de Lemos e pelo Diretor do Museu Histórico Nacional, no Rio de Janeiro, Paulo Knauss.

De acordo com a Chamada Pública nº 1, de 7 de abril de 2017, a entrevista é a última fase da seleção, que contou com análise de documentação, de currículo e plano de trabalho. Podiam concorrer ao cargo servidores públicos ou não, com formação acadêmica, conhecimento das políticas públicas do setor museológico e da área de atuação do museu, além de experiência comprovada em gestão envolvendo atividades de relacionamento com organizações de governo e entidades da sociedade em geral. O edital completo está disponível aqui.

Casa dos Ottoni comemora número de visitantes no primeiro semestre

Na cidade do Serro (227 km de Belo Horizonte, Minas Gerais), o Museu Regional Casa dos Ottoni/Ibram comemora os números de visitação alcançados durante o primeiro semestre deste ano.

Museu Casa dos Ottoni (MG)

Museu Regional Casa dos Ottoni na cidade de Serro (MG)

“Os resultados foram excelentes e tivemos o 2º melhor primeiro semestre dos últimos anos, ficando atrás apenas do ano de 2013”, explica o diretor do museu Carlos Xavier.

Maio foi o mês em que o museu recebeu o maior número de visitantes. Quintas, sextas e sábados foram os dias mais procurados para visitas. 90% do público é de Minas Gerais – sendo que 61% do próprio Serro. Ou seja, o museu, além de sua característica regional, mostra-se também um espaço de integração com a comunidade local.

E os visitantes estrangeiros também têm aparecido: no primeiro semestre de 2017, 80% deles foram alemães – seguidos de longe por italianos, gregos e norte-americanos.

Mapeamento

O museu finalizou o mapeamento topográfico dos objetos existentes no seu acervo: isto é, todos os objetos tiveram sua localização específica determinada. A ação é considerada essencial tanto para a segurança quanto para o controle do acervo. “Com isso foi possível a elaboração de catálogo ilustrado de todo o acervo museológico”, explica a museóloga Rosalina Assis.

O Museu Regional Casa dos Ottoni ocupa uma construção do século XVIII. Sua origem histórica está ligada aos Ottoni, descendentes de um ramo da família do bandeirante paulista Fernão Dias Paes Leme. Criado em 1949, o museu abriga acervo formado, principalmente, por imagens de arte católica e por objetos que fazem parte da história da família Ottoni e da cidade.

O museu está localizado na Praça Cristiano Ottoni, 72, e funciona de terça a sábado, das 10h às 18h; e domingos e feriados, das 8h às 12h. Outras informações pelo endereço eletrônico mrco@museus.gov.br ou pelo telefone (38) 3541-1440.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Página 1 de 1312345...10...Última »