Publicação reúne as memórias dos 10 anos do Programa Ibermuseus

O Programa Ibermuseus completou dez anos em julho deste ano e para marcar o trabalho dessa década, lançou a publicação Memória de 10 anos em edição trilíngue: português, espanhol e inglês. A publicação está disponível aqui.

O documento de mais de 50 páginas mostra o histórico de ações que Ibermuseus desenvolveu, além de apresentar reflexões de importantes atores da cooperação ibero-americana sobre as realizações e desafios do Programa.

Em 10 anos, o Programa Ibermuseus promoveu nove Encontros Ibero-americanos de Museus (EIM), 15 encontros técnicos e 12 reuniões intergovernamentais, que se converteram nos principais espaços de discussão e proposição de políticas para o desenvolvimento do setor museal na Ibero-América.

As convocatórias do Ibermuseus capacitaram diretamente a 188 profissionais, fomentaram 53 projetos educativos, apoiaram a recuperação do patrimônio afetado de sete instituições e promoveram noves projetos de circulação de bens entre 22 países.

Com o apoio do Ibermuseus, foram publicadas 14 pesquisas ou ensaios, incluindo importantes documentos como o Panorama de Museus Ibero-americanos, o Estudos de Públicos de Museus na Ibero-América e a reedição bilíngue do Programa para a Gestão de Riscos ao Patrimônio Musealizado Brasileiro.

O Programa também promoveu o desenvolvimento de duas ferramentas fundamentais para o conhecimento da situação dos museus – e seu público – na região: o Registro de Museus Ibero-americanos e o Sistema de Coleta de Dados de Público de Museus.

A Memória de 10 anos do Ibermuseus traz em detalhes essas e outras realizações da década de atuação do Programa. O documento finaliza com o artigo coletivo “Que museus queremos para o futuro?”, no qual 18 gestores públicos e profissionais ibero-americanos contribuem para indicar o caminho para outros 10 anos de cooperação e desenvolvimento de políticas públicas para os museus da Ibero-América.

Inscrições de atividades para a 11ª Primavera de Museus começam hoje (14)

Começa hoje (14), e segue até o dia 14 de agosto, o período de inscrição de atividades para a 11ª Primavera dos Museus.

A temporada nacional de eventos, coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), acontece este ano entre os dias 18 e 24 de setembro e é aberta à participação de museus, instituições de memória, espaços e centros culturais brasileiros.

Oficina de tecelagem no Bosque da Ciência em Manaus (AM) na 9ª Primavera dos Museus (2015)

Oficina de tecelagem no Bosque da Ciência em Manaus (AM) durante a a 9ª Primavera dos Museus (2015)

Para 2017 o tema escolhido foi Museus e suas memórias. Um dos objetivos é que as instituições possam ‘olhar para dentro’ e refletir, junto com os seus públicos, sobre suas contribuições para a memória local e o desenvolvimento das comunidades onde se inserem.

As instituições interessadas devem acessar a página de Eventos Ibram e cadastrar online suas atividades programadas -  como exposições, palestras, seminários, shows, exibição de filmes etc. A programação é de inteira responsabilidade dos museus.

Semanas antes do início do evento, o Ibram lança o guia digital da programação com todas as atividades cadastradas.

Questões atuais
Desde sua primeira edição (2007), a Primavera dos Museus aborda temas que têm relações estreitas com tópicos contemporâneos e a memória social brasileira – como meio ambiente, direitos humanos, cultura afro-brasileira e questões ligadas a mulheres.

Assim como acontece no primeiro semestre, durante a Semana de Museus, o objetivo do Ibram é promover, divulgar e valorizar os museus brasileiros, buscando intensificar a relação dos museus com a sociedade e o aumento do público nos museus.

Na edição 2016, a Primavera dos Museus contou com a participação de 753 instituições, que realizaram 2. 080 eventos em torno do tema Museus, Memórias e Economia da Cultura. Na série histórica, entre 2007 e 2016, houve um crescimento de 15% no número de participantes. Confira o quadro evolutivo.

Dúvidas e outras informações devem ser enviadas para o endereço eletrônico primavera@museus.gov.br.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Fernanda Farias/Museus do Bosque da Ciência

Museu Regional celebra a infância com exposição em São João del-Rei

No dia 11 de outubro (terça-feira), o Museu Regional de São João del-Rei/Ibram, em Minas Gerais (MG), abre a exposição Memórias da Infância. A partir das 19h15, acontece recital de órgão de tubos com Elisa Freixo. A entrada é franca.

Exposição Memórias da Infância fica em cartaz até 20 de novembro

A exposição Memórias da Infância fica em cartaz até 20 de novembro em São João del-Rei

Serão expostos brinquedos feitos de materiais simples, como barro e papel, sendo alguns produzidos por alunos das escolas municipais, uma coleção de pipas da Brinquedoteca da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), além de fotografias de professoras da cidade.

A proposta maior da exposição é pensar sobre o lugar da criança e da infância em nossa sociedade, buscando um diálogo com as gerações anteriores.

Os brinquedos feitos à moda antiga, produzidos pelas próprias crianças, assim como o modo como brincavam, simbolizam uma cultura em extinção, diante dos brinquedos produzidos em escala industrial e as mudanças nas formas de brincar daí decorrentes.

Algumas das peças da exposição são de coleções privadas, enquanto outras são resultado de oficinas realizadas por um grupo que participa do Programa de Educação Patrimonial – parceria do museu com a Secretaria Municipal de Educação e Laboratório de História e Memória da Educação da UFSJ.

A exposição Memórias da Infância poderá ser visitada até o dia 20 de novembro. O Museu Regional de são João del-Rei (Rua Marechal Deodoro, 12 – Centro) funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h30. Sábados, domingos e feriados, das 9h às 16h.

Mais informações pelos telefones (32)3371.7663/7242 ou pelo endereço eletrônico mrsjdr@museus.gov.br.

Texto: Divulgação MRSJDR
Edição: Ascom/Ibram
Foto: MRSJDR/Divulgação

Memória coletiva: projeto premiado pelo Ibram chega a Zona da Mata mineira

O projeto Sons e Memórias que contam histórias, selecionado na quinta edição do Prêmio Darcy Ribeiro, realizado em 2012 pelo Ibram, começa sua execução a partir deste mês em Minas Gerais.

Realizado pelos artistas Aline Cântia e Chicó do Céu, em parceria com o Instituto Imersão Latina, o Fundo Estadual de Cultura de MG e com o Centro de Tecnologias Alternativas (CTA), o projeto tem como objetivo pesquisar, registrar e difundir a memória coletiva de municípios da região da Zona da Mata de Minas Gerais, por meio da arte de narrar e cantar histórias.

Projeto vai acontecer na Zona da Mata mineira por oito meses

A primeira atividade será a participação junto à Caravana Agroecológica e Cultural da Zona da Mata. De forma interdisciplinar, entre os dias 22 e 25 de maio, os artistas vão percorrer diversos municípios da região por um período de oito meses.

Cerca de 300 pessoas estarão diretamente envolvidas em sua realização, além da população dos municípios visitados.

Objetivos
O trabalho se propõe a contribuir para a formação de grupos locais de contadores de histórias. A partir de um diálogo entre literatura, música, artes cênicas, narrativa e memória, o projeto articula conceitos desenvolvidos a partir de pesquisas dedicadas à temática da oralidade e do universo da literatura e da memória, assim como da agroecologia, fazeres tradicionais, pesquisa de campo e rodas de conversa.

A produção de um CD de histórias narradas cantadas e a realização do Fórum Memórias e sons que contam histórias são produtos resultantes do trabalho. Conheça mais.

O Prêmio Darcy Ribeiro consiste em reconhecer práticas e ações de educação museal que por meio das diversas relações de mediação com os públicos, convidem à apropriação, em sentido amplo, do patrimônio cultural, valorizando-o e promovendo sua preservação.

Texto e imagem: Divulgação

Memorial Teotônio Vilela celebra centenário de Maria Bonita

O Memorial Teotônio Vilela, de Maceió (AL), se junta nesta sexta à programação da 5ª Primavera dos Museus, que este ano traz como tema “Mulheres, museus e memórias” e prossegue até o próximo domingo (25).

A programação, que faz uma homenagem às mulheres com palestras, apresentações artísticas e ação educativa, será aberta às 19h, quando o museu promove palestra sobre a Lei Maria da Penha com a convidada Eulina Ferreira Neta, da Secretaria da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos de Alagoas.

O museu fará também uma homenagem ao centenário de Maria Bonita, comemorado este ano, com apresentação do Grupo de Xaxado das Barreiras, do município alagoano de Coruripe. Na ocasião, também serão distribuídos exemplares de um boletim especial produzido pela Cepal este ano em homenagem as mulheres alagoanas.

Ponto de Cultura – Neste sábado (24), o Ponto de Cultura Enseada das Canoas, também em Maceió, promoverá atrações artísticas femininas de capoeira, maracatu e dança afro. Logo após as performances, haverá um debate sobre a atuação da entidade no contexto social com a mediação da presidente do Ponto de Cultura, Maria Eunara.

Numa ação educativa, o evento também vai abordar, com a utilização da figura de Santa Maria, a questão do aleitamento materno, com apoio da Secretaria de Estado da Saúde e Pastoral da Crianças. A ação será direcionada às moradoras do bairro de Jaraguá, também em Maceió.