10ª Primavera dos Museus: inscrições encerram dia 22

Card_inscricoes_10PM_5Museus e centros culturais que ainda não inscreveram atividades na 10ª Primavera dos Museus têm até o próximo dia 22 para garantir sua participação na temporada de eventos. A Primavera acontece entre os dias 19 e 25 de setembro com o tema Museus, Memória e Economia da Cultura.

Como de costume, a edição 2016 da Primavera dos Museus acontecerá no início da estação homônima, quando museus brasileiros serão convidados pelo Ibram a desenvolver uma programação especial em torno do tema sugerido, chamando a comunidade a refletir, discutir e trocar experiências sobre ele.

O tema escolhido para este ano destaca o importante papel social desempenhado pelos museus na promoção de trocas simbólicas, culturais, de saberes e de experiências, assim como sua contribuição para a dinamização da cadeia produtiva da cultura de modo sustentável.

As inscrições para a 10ª Primavera dos Museus podem ser feitas aqui.

Museus, Memórias e Economia da Cultura é tema da 10ª Primavera

Museus, Memórias e Economia da Cultura é o tema da 10ª Primavera dos Museus, que acontece entre os dias 19 a 25 de setembro. As instituições interessadas em participar da temporada de eventos já podem se inscrever, no site do Ibram. As inscrições vão até 22 de agosto.

Os museus desempenham um importante papel social. O foco tradicional na coleta,  preservação e educação tem-se alargado, o que possibilita ressaltar suas potencialidades de interação com a comunidade. Sob essa perspectiva, os museus se tornam espaços de trocas e construções socioculturais, tanto com seus públicos quanto com seu entorno.

Em seu relacionamento com os visitantes, as instituições museais realizam trocas simbólicas, culturais, de saberes e de experiências. Por meio desse processo dialógico, que também envolve ouvir e entender as necessidades de seus públicos, é possível proporcionar experiências de ressignificação do olhar sobre as questões humanas, capazes de fortalecer a atuação do indivíduo na sociedade e o senso de pertencimento cultural.

Além das parcerias sociais, as trocas também podem estabelecer relações de dimensão econômica. Ao atuar como centro gravitacional de atração de público e da vida ao redor dos espaços de sua localização, os museus tendem a incorporar a prática de ampliação das ações no seu entorno, contribuindo para a dinamização da cadeia produtiva da cultura de modo sustentável.

Os museus possuem um significativo potencial de contribuição para o desenvolvimento sustentável. Suas múltiplas atividades geram trabalho, emprego, renda, estimulam o turismo e incentivam as atividades econômicas do local onde está instalado. Em muitas situações, eles têm integrado projetos de requalificação e revitalização urbana, bem como de fortalecimento comunitário.

Os museus são instituições ativas na circulação de riquezas, sejam elas saberes, bens ou serviços. Suas relações econômicas não existem isoladamente, mas coexistem com outras formas de trocas, uma vez que faz parte da condição humana interagir e compartilhar com o outro. Assim, o tema da 10ª edição da Primavera dos Museus faz um convite à reflexão do papel dos museus nessa perspectiva, ou seja, como agentes fundamentais da economia da cultura.