Primeiro diretor do Museu Lasar Segall, Maurício Segall faleceu hoje (31) em SP

Faleceu nesta segunda-feira (31), aos 91 anos, Maurício Segall. Ao lado do irmão Oscar Segall, ele foi criador e primeiro diretor do Museu Lasar Segall (MLS) em 1967, tendo ocupado o cargo até 1997.

Maurício diante do museu Lasar Segall em SP nos anos 70

Maurício diante do museu Lasar Segall em SP nos anos 70

O velório será realizado no Museu Lasar Segall, sendo restrito à família e amigos. O Museu permanecerá fechado para visitação amanhã (1º de agosto), quando ocorrerá a cerimônia de cremação. O presidente do Ibram, Marcelo Araujo, comparecerá às cerimônias.

Museólogo, economista e autor teatral, Mauricio Segall nasceu em Berlim (Alemanha) em 1926. Filho do artista Lasar Segall com a escritora e tradutora Jenny Klabin Segall, coube a ele a definição do museu como polo cultural no bairro da Vila Mariana, em São Paulo (SP).

Sua gestão definiu os rumos que até hoje constituem a estrutura e as atividades do museu, que cresceram a partir da sua incorporação à Fundação Pró-Memória, depois ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), e finalmente, em 2009, ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram).

Em 2013, Mauricio Segall foi nomeado Diretor Emérito do Museu Lasar Segall. A indicação foi aprovada por decisão unânime do Conselho Deliberativo do museu. O falecimento coincide com o cinquentenário do MLS, quando Mauricio Segall será homenageado.

Abaixo, trecho de depoimento do crítico literário Roberto Schwartz quando da gravação de depoimento para os 50 anos do museu:

“Para entender a pessoa de Mauricio Segall é preciso considerá-lo como um pacote explosivo de tensões. Por um lado, Mauricio descende de uma família rica e é filho de Lasar Segall, um dos grandes pintores de nosso tempo. Por outro, ele é comunista convicto e radical, numa acepção nobre, que vai além da filiação partidária e que a evolução histórica do comunismo deixou sem base. Esta bomba de contradições é tornada mais potente por um temperamento vulcânico, à moda russa, e pelo desejo exasperado de integridade e de coerência”. Leia o depoimento completo.

Texto: Museu Lasar Segall/Divulgação
Foto: Divulgação/Internet

Mauricio Segall foi nomeado Diretor Emérito do Museu Lasar Segall em SP

Mauricio Segall foi nomeado Diretor Emérito do Museu Lasar Segall (MLS) pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC). A indicação foi aprovada por decisão unanime do Conselho Deliberativo do Museu.

Mauricio Segall é agora Diretor Emérito do Museu Lasar Segall/Ibram

Sua indicação ao título de Diretor Emérito alinha-se à tradição de reconhecimento a contribuições de excelência a diretores que não mais fazem parte dos quadros institucionais.

Mauricio Segall foi diretor do MLS de 1967 a 1997. Coube a ele a definição do museu como polo cultural no bairro da Vila Mariana, em São Paulo (SP). Em 1970, foi preso pelo regime militar brasileiro e condenado a dois anos de prisão pelo Tribunal Militar de São Paulo.

Sua gestão definiu os rumos que até hoje constituem a estrutura e as atividades do museu, que cresceram a partir da incorporação à Fundação Pró-Memória, depois ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, e finalmente ao Ibram/MinC.

Museólogo, economista e autor teatral, Mauricio Segall, nasceu em Berlim (Alemanha), em 1926, é filho do artista Lasar Segall com a escritora e tradutora Jenny Klabin Segall.

O museu
Sediado na residência e ateliê que pertenceu a Lasar Segall, o museu expõe obras do artista e atua também como centro de atividades culturais, com visitas monitoradas, cursos nas áreas de literatura, gravura e fotografia, exposições e projeção de filmes. Abriga, ainda, uma ampla biblioteca especializada na arte dos espetáculos e fotografia. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação MinC