Ministra da Cultura e prefeito do Rio assinam cessão de terreno para MHN

O Museu Histórico Nacional (MHN), situado no centro do Rio de Janeiro (RJ) e vinculado ao Ibram/MinC, recebeu na tarde desta quinta-feira (21), a visita da ministra da Cultura, Marta Suplicy, e do prefeito do Rio, Eduardo Paes.

Cerimônia de doação aconteceu na Sala

Cerimônia de cessão de terreno e entrega de medalhas aconteceu na Galeria das Tapeçarias do MHN

Marta Suplicy assinou com o prefeito da capital protocolo para a cessão da parte do terreno que pertence ao município. Durante a cerimônia, Ambos receberam a Medalha Henrique Sérgio Gregori, entregues pelo Presidente da Associação dos Amigos do Museu Histórico Nacional, Jorge La Saigne de Botton.

Também acompanhada pelo presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, e pela diretora do museu, Vera Tostes, a ministra  e o prefeito conheceram o terreno onde será erguido o futuro anexo do museu – resultado de doações tanto do governo do Estado do RJ e, agora, da prefeitura do Rio.

A área total do terreno doado é de 3,3 mil m². Para o anexo do museu a ser construído, serão transferidas as áreas museográfica e administrativa, a biblioteca e o arquivo histórico do museu.

A nova construção possibilitará, ainda, a implantação de um Centro de Referência em Conservação e Restauração; de um auditório de maior capacidade; e a ampliação das áreas de serviços ao público. Com a transferência, novos espaços de exposições de longa e curta duração serão liberados no atual prédio do MHN.

Comemorações em 2022
“É um marco histórico”, resumiu o presidente do Ibram, Angelo Oswaldo. “Com a assinatura deste protocolo, damos início a um projeto que vai permitir a um dos museus mais ricos do Brasil expor quase todo seu acervo, de 350 mil itens, além de preparar-se para seu centenário em 2022, quando também se comemora o bicentenário de nossa independência”.

Ministra da Cultura assina Livro de Ouro do MHN

Ministra da Cultura assina Livro de Ouro do MHN

De acordo com Angelo Oswaldo, já está em estudo a formatação de Parceria Público-Privada para a construção do novo prédio, cujo projeto será escolhido através de concorrência coordenada pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB). “Será um projeto bastante ousado, em diálogo com o século XXI”, adianta.

O presidente do Ibram agradeceu pessoalmente ao prefeito do Rio de Janeiro pela demolição do chamado Elevado da Perimetral, intervenção que integra programa de revitalização da área portuária da cidade e deu maior visibilidade ao MHN e outros museus de seu entorno.

A visita da ministra Marta Suplicy ao Museu Histórico Nacional motivou ainda a realização de uma homenagem a seu avô, Jaime Smith de Vasconcellos – o terceiro Barão de Vasconcellos. O barão foi, nos anos 1920, um dos primeiros doadores do MHN, que até os anos 1960 manteve a Sala de Smith de Vasconcellos, reunindo cerâmicas, cristais e porcelanas.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Gustavo Serrate/MinC

Matéria relacionada
Cessão de terreno ao Ibram vai ampliar Museu Histórico Nacional no RJ

Direito à Memória é tema de audiência pública em Brasília

No dia 26 de agosto, o Tribunal de Contas da União (TCU), em Brasília (DF), promove a audiência pública Direito à Memória. O evento tem início às 8h30 e contará com as presenças da ministra da Cultura, Marta Suplicy, e do presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo.

O objetivo é reunir formuladores e executores de políticas públicas, representantes do meio acadêmico e da sociedade civil para identificar indicadores capazes de retratar e avaliar os resultados de políticas públicas destinadas a assegurar o direito à memória.

Sede do TCU em Brasília

Sede do TCU em Brasília

Participam ainda representantes do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), da Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados e da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado Federal.

As contribuições dos expositores e participantes da audiência devem ter a finalidade de responder a questões-chave, como quais resultados se podem esperar das políticas públicas culturais relacionadas ao direito à memória; quais indicadores podem mensurar esses resultados e quais instrumentos podem ser utilizados para verificar o alcance das metas constantes do Plano Plurianual 2012-2015, do Plano Nacional de Cultura (PNC) e do Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM) que estejam relacionadas ao direito à memória.

Programação
Durante a audiência pública, haverá palestras e debates, além de uma contextualização sobre o controle externo das políticas culturais a cargo do Governo Federal. A primeira mesa redonda versará sobre O Direito à Memória: Museus e Patrimônio – definição, evolução, abrangência e desafios, e o presidente do Ibram participará, ao lado do museólogo Mário Chagas (Ibram/Unirio) e de outros convidados.

Já a segunda mesa terá o tema Direito à memória no Plano Plurianual 2012-2015, Plano Nacional de Cultura e no Plano Nacional Setorial de Museus: ações governamentais adotadas e dificuldades enfrentadas, e dela participará a chefe de gabinete do Ibram, Eneida Braga Rocha, junto com Célia Maria Corsino, do Iphan.

As inscrições para o evento já estão abertas. Todos os inscritos serão considerados, inicialmente, ouvintes. A inscrição como colaborador, com uso da palavra, somente será possível àqueles que solicitarem essa condição. O edifício sede do TCU está localizado no Setor de Administração Federal Sul (SAFS), Quadra 4, Lote 1. Saiba mais.

Texto: Divulgação TCU
Edição: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação/Internet

Cidade de Goiás terá R$ 26,9 milhões para restaurações

Lançamento simbólico PAC Cidades Históricas em Goiás

Lançamento simbólico PAC Cidades Históricas em Goiás

Patrimônio Cultural Mundial, a cidade de Goiás (GO) recebeu nesta terça-feira (3) a ministra da cultura, Marta Suplicy, para o lançamento simbólico das obras do PAC Cidades Históricas no município.

“Aqui temos uma boa parcela da identidade brasileira. Esse patrimônio não é só de Goiás. É do Brasil. São marcas que se não se acolhe a tempo, não dá para recuperar depois. Por isso a importância do PAC das cidades Históricas”, falou a ministra da Cultura.

O presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo, também esteve presente no lançamento. O Instituto é responsável por duas instituições na cidade: o Museu das Bandeiras e o Museu de Arte Sacra da Boa Morte, além do Museu Casa da Princesa, em Pilar de Goiás.

Com investimento total de R$ 26,9 milhões, serão executadas as seguintes obras no município: restauração do Casarão da Escola de Artes Veiga Valle, do Mercado Municipal, do Cine Teatro São Joaquim, do Casarão da Prefeitura Municipal, a recuperação da Ponte da Cambaúba, além da requalificação da Sede da Diocese de Goiás onde será instalado o Arquivo Diocesano. “A vocação da cidade é turística. Compete a nós, do Governo Federal, ajudar na recuperação e restauração dos monumentos. Muitas vezes as cidades que detêm o patrimônio não têm recursos para mantê-los, pois custa caro”, disse Marta Suplicy em entrevista à imprensa local.

O Estado de Goiás receberá, ao todo, R$57 milhões em investimentos até 2015. Além da cidade de Goiás, serão contempladas Goiânia, Urutaí, Corumbá de Goiás, Pilar de Goiás e Trindade.

Goiás
Em suas charmosas ruas de pedra, a cidade de Goiás abriga um dos mais ricos acervos históricos do Patrimônio material do Estado de Goiás, representado por sua arquitetura barroca em edifícios oficiais e religiosos. A cidade onde nasceu a poetisa Cora Coralina foi capital do Estado até 1937. Marta Suplicy citou versos do poema “O Velho Sobrado”, onde a poetisa expressa sua atenção em relação à conservação do patrimônio arquitetônico da cidade: “Bem que podia ser conservado, bem que devia ser retocado, tão alto, tão nobre-senhorial”, diz Cora Coralina.

Ao lado da presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Jurema Machado, e de Angelo Oswaldo, a ministra Marta Suplicy foi recebida pela prefeita da cidade, professora Selma de Oliveira, e pelo secretário de Cultura do Estado, Gilvane Felipe. “Os investimentos do PAC Cidades Históricas colaboram para que Goiás continue sendo vista como uma cidade viva”, afirmou a prefeita ao agradecer pelo empenho do Iphan e da ministra Marta Suplicy na manutenção do patrimônio do município.

Cora Coralina
Próximo a Igreja do Rosário, ao lado do Rio Vermelho, está a casa construída nas décadas finais do século 18 e que abrigou três gerações da família da grande poetisa Cora Coralina. Transformada em um museu após a morte de Cora, o local é mantido como nos tempos em que ela o habitava. Em sua chegada à cidade, Marta Suplicy fez questão de visitar o local. “O Museu Casa de Cora Coralina é um dos mais bem conservados que já vi. Há um cuidado com todos os itens de preservação. Tem muita força e energia neste lugar. É emocionante”, disse a ministra que chegou ao Museu, ao som da canção Rio Vermelho, interpretada pelo músico local Roberto de Brito.

Patrimônio Imaterial
Elementos marcantes da tradição do Município de Goiás – como os doces de frutas cristalizadas, o pastelinho, a Semana Santa com sua Procissão do Fogaréu – estão sendo estudados no Inventário Nacional de Referências Culturais (INRC) desde fevereiro deste ano pelo Iphan Goiás. O objetivo do inventário é identificar, mapear e pesquisar, as diversas manifestações culturais de natureza imaterial que ocorrem na cidade. Um dos desdobramentos já esperados pelo Iphan é instruir o processo de registro da Semana Santa como Patrimônio Cultural brasileiro.

Texto e foto: Ascom/MinC
Edição: Ascom Ibram

Ministra da Cultura pensa em centro de restauração para museus federais

Nesta segunda (5), a Ministra da Cultura, Marta Suplicy, e o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo, visitaram no Museu do Louvre, em Paris, o trabalho da restauradora brasileira Regina Costa Pinto Moreira – baiana que trabalha há mais de 40 anos para o museu mais visitado do mundo.

A ministra e Angelo Oswaldo (dir.) em visita ao Museu do Louvre

A ministra e Angelo Oswaldo (dir.) em visita ao Museu do Louvre

“É um trabalho inspirador e nós devemos focar em um Centro de Restauração para os museus federais nos moldes do Louvre. É uma forma interessante de se trabalhar”, destaca a ministra.

A ideia é montar um Centro Referencial de Restauração Nacional com um laboratório para fazer um exame das obras e definir o trabalho que deve ser realizado em cada peça. A contratação da restauração é feita por obra por meio de licitação.

“A intenção é conjugar recursos públicos e privados para se manter um grande programa de restauração e conservação de obras”, explica Angelo Oswaldo. No Louvre, cerca de 1,6 mil obras são restauradas anualmente.

A visita ao Louvre faz parte da viagem oficial da ministra à França, onde participa da abertura da exposição dos painéis Guerra e Paz, do pintor brasileiro Candido Portinari, no Grand Palais, no dia 6. A exposição será aberta ao público no dia 7 e conta com peças de acervos de museus Ibram. Saiba mais.

Durante a visita, a ministra foi recebida ainda pelo diretor do museu Jean-Luc Martinez. O diretor ressaltou que os brasileiros estão entre os que mais visitam o Louvre – cerca de 370 mil por ano. Continue lendo.

Texto: Priscila Costa e Silva / Ascom MinC
Foto: Fernanda Peruzzo
Edição: Ascom/Ibram

Ministra da Cultura participa das comemorações dos 77 anos do MNBA

Nesta segunda-feira (13), a Ministra da Cultura, Marta Suplicy e o presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, participaram da celebração dos 77 anos de criação do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), no Rio de Janeiro.

O evento contou com a premiação dos agraciados no Prêmio Quirino Campoforito e com a doação de 205 obras de Portinari ao museu pela Finep – agência vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

O Prêmio Quirino Campoforito é voltado àqueles que contribuíram ou contribuem para o desenvolvimento das artes no país. A cerimônia aconteceu no Salão Nobre do Museu Nacional de Belas Artes e foram agraciados, entre outros, a ministra Marta Suplicy, o presidente do Ibram, Angelo Oswaldo Santos, o cardeal Orani Tempesta, o cônsul da Itália, Mário Panaro e o presidente da Finep, Glauco Arbix.

Durante o evento, Marta Suplicy ressaltou a importância do acervo doado ao Museu: “A doação de obras artísticas aos museus é um ato que tem acontecido no Brasil de forma significante, mas precisa ser praticada mais vezes por colecionadores e artistas para que transforme o ato num hábito brasileiro”, disse a ministra.

Com a oficialização da doação de pinturas a óleo em tela, desenhos em grafite, nanquim bico-de-pena, caneta tinteiro, gravura a água-forte e água-tinta em papel, a coleção passa a fazer parte do acervo do MNBA. Com isso, o museu é detentor do maior acervo público de Portinari, com 243 trabalhos. De acordo com a diretora do Museu de Belas Artes, Mônica Xexéo, a coleção será exposta a partir de maio desse ano.

Presente ao evento, o filho de Portinari, João Cândido, destacou que a importância da doação das obras de arte está, principalmente, no fato de torná-la acessível ao público e, em especial, no Museu Nacional de Belas Artes, que era a casa do artista. Ressaltou também o apoio da ministra Marta Suplicy em tornar o acervo de Portinari patrimônio público para fruição do grande público.

No seu discurso, a ministra salientou ainda uma das ações do MinC, que é a de recuperar os museus e incentivar o público a visitá-los.

Texto: Ascom/MinC

Edição: Ascom/Ibram

Família Segall doa 110 obras do artista para o Museu Lasar Segall

Segall_Autorretrato_IV_1930

Autorretrato de Lasar Segall (1930) é uma das 110 obras a serem incorporadas ao ao museu Ibram em São Paulo

O Museu Lasar Segall/Ibram, em São Paulo (SP), recebe, nesta sexta-feira (29), doação de 110 obras pertencentes à coleção particular do neto do artista, Mario Segall. A cerimônia, para convidados, terá a presença da Ministra da Cultura, Marta Suplicy e do presidente do Ibram, Angelo Oswaldo.

A lista de obras doadas consiste em 12 pinturas, sendo quatro pinturas sobre tela e oito sobre papel, 18 gravuras e 80 desenhos de Lasar Segall. Destaque para o Autorretrato IV (1930), pintura em óleo sobre tela, com dimensões de 46,5 × 38 cm, obra pouco divulgada e de inestimável valor para a compreensão da trajetória do artista. Para o diretor do Museu, Jorge Schwartz, “é uma honra receber esta doação. Ela enriquece o acervo do Museu sobremaneira”.

Mario Segall afirma que “de minha parte, não fiz nada a mais do que faria meu pai, com quem aprendi que arte só vale se for compartilhada, dividida com potencial para sensibilizar, bem como mexer com os seres humanos a ponto de fazê-los refletir e atuar ativa e criticamente sobre seu mundo. Nem todos conseguem estar abertos a esse tipo de influência. Fui muito privilegiado”, conclui.
O museu
O Museu, idealizado por Jenny Klabin Segall, viúva de Lasar Segall, foi criado por seus filhos Mauricio Segall e Oscar Klabin Segall, em 1967, e se localiza na antiga residência e atelier do artista. O acervo é constituído de por cerca de três mil obras, arquivos de documentos, fotografias, objetos (pincéis, tintas, instrumentos de gravura, paletas e indumentária), matrizes de gravuras, mobiliário.

O museu tem como principal objetivo, preservar, pesquisar e divulgar a obra de Lasar Segall, mas foi constituído de forma a atuar como centro de atividades culturais, oferecendo cursos e oficinas voltados à disseminação da arte e cultura nas áreas de Gravura, Fotografia, Criação Literária, com atividades paralelas à fruição das obras de arte do acervo e das exposições temporárias.

Oferece a Biblioteca Jenny Klabin Segall que possui um acervo especializado na Arte do Espetáculo (cinema, teatro, dança, ópera, circo, rádio, televisão, fotografia), e extensa documentação sobre a vida e a obra de Lasar Segall, constituindo-se em importante centro de pesquisa. Este acervo é considerado um dos mais completos em suas áreas de atuação.

A Ação Educativa desenvolve programas para formação de professores, estudantes e famílias com o objetivo de capacitar os visitantes a ver, analisar e interpretar obras de arte em múltiplos contextos, contribuindo para ampliar o acesso às manifestações culturais e para a formação da cidadania no contexto brasileiro.

Com uma sala de cinema de 92 lugares, o Cine Segall desempenhou importante papel na vida cultural da cidade de São Paulo nas décadas de 1970 e 1980, com a exibição de filmes proibidos pela ditadura e mostras especiais que davam ênfase ao cinema independente. Hoje, a programação é de filmes do circuito cultural nacional e internacional.

O museu possui ainda dois jardins com esculturas de Lasar Segall. No primeiro jardim encontra-se o Café Segall, e o projeto Intervenções, que se constitui em expor obras de artistas contemporâneos. O outro jardim é um local de convivência e troca de experiência para os frequentadores, e encontra-se à frente do ateliê em que Segall criou boa parte de suas obras.

Texto: Divulgação Museu Lasar Segall
Edição: Ascom Ibram

Começa no Rio a 23ª Conferência Geral do Conselho Internacional de Museus

Mais de dois mil representantes de museus e instituições museais de todo o  mundo estão no Rio de Janeiro para participar da 23ª Conferência Geral do Conselho Internacional de Museus (Icom).

Ministra da Cultura falou na abertura da Conferência Icom Rio2013

A abertura oficial, nesta segunda-feira (12), na Cidade das Artes, contou com a presença da Ministra da Cultura, Marta Suplicy, do presidente do Icom, Hans-Martin Hinz, do presidente do Ibram, Angelo Oswaldo de Araújo Santos, da presidente do Icom Brasil, Maria Ignez Mantovani, e de diversas autoridades do setor museal.

Maria Ignez Mantovani ressaltou a importância da realização do evento no Brasil, que é o maior encontro de museus do mundo, e da relevância do tema Museu (Memória+Criatividade) = Mudança Social, discutido pela primeira vez no âmbito do Icom. Para ela, o encontro é “um sopro de renovação” e uma oportunidade para diversas culturas conhecerem os mais de três mil museus do Brasil.

Para a Ministra Marta Suplicy, “o Brasil vive um momento sem igual: estamos recebendo diversos eventos de relevância internacional e queremos mostrar para o brasileiro e para o turista a diversidade cultural do país”. Suplicy ressaltou o fortalecimento da área museal nos últimos dez anos, a partir da Política Nacional de Museus (PNM), desenvolvida pelo Ibram e  seus resultados dessa política.

A 23ª Conferencia do Icom segue até sábado (17). Durante a semana, os participantes discutirão temas relevantes para o setor museal e conhecerão museus e iniciativas museais do Rio de Janeiro. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Pércio Campos/MinC

Matéria relacionada
Memória afro-brasileira é destaque no primeiro dia da Conferência Icom no Rio

Ministras da Cultura e Meio Ambiente abriram exposições no Rio de Janeiro

No último sábado (20), as ministras da Cultura, Marta Suplicy, e do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, inauguraram as exposições Quando o Brasil Amanhecia – A Primeira Missa no Brasil vista por Victor Meirelles e Candido Portinari e Portinari e os painéis da Capela Mayrink, no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ). As duas exposições permanecem abertas para visitação até o dia 9 de junho.

Marta Suplicy e o painel de Portinari ao fundo: relevância do pintor modernista

Na cerimônia as duas ministras, a presidente interina do Instituto Brasileiro de Museus, Eneida Braga, e a diretora do MNBA, Mônica Xexéo, assinaram um ato simbólico da doação das obras da Capela Mayrink pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio/MMA) ao MNBA, oficializada no Diário Oficial da União (DOU) do dia 15 de abril. Saiba mais.

“Este é um dia esplendoroso para a cultura e para o Museu Nacional de Belas Artes”, afirmou a ministra Marta Suplicy ao ressaltar a relevância da incorporação das obras ao acervo do museu, principalmente pela importância de Candido Portinari para a pintura modernista no país.

A ministra agradeceu ao ministério do Meio Ambiente (MMA) pela doação e declarou ainda que é preciso estimular a exposição ao público de coleções particulares, seja por meio de doações ou de empréstimos a museus.

Levantamento e doação

Ministra do Meio Ambiente prometeu novas doações para museus brasileiros

A ministra Izabella Teixeira se disse emocionada com a formalização da doação dos painéis da Capela Mayrink para o MNBA, afirmando que a cooperação do MMA com o MinC não se limitará a esta doação.

A ministra pediu que o Ibram faça um levantamento de todo o patrimônio artístico do MMA: “aqui começa uma nova travessia e esse patrimônio todo será doado ao Ibram para que os museus possam ampliar seus acervos”, concluiu.

Já a presidente interina do Ibram, Eneida Braga, afirmou que “tais doações simbolizam o esforço do governo brasileiro, inclusive com ações interinstitucionais, em cumprir uma das premissas da Política Nacional de Museus: a preservação e aquisição de acervos a fim de garantir acesso da população à produção artística nacional.

Também estiveram presentes na cerimônia o Deputado Federal Alessandro Molón; o Presidente do Instituto Chico Mendes, Roberto Ricardo Vizentin; o diretor do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural do Rio de Janeiro (Inepac), Paulo Vidal; a Diretora do Projeto Portinari, Maria Duarte, os diretores dos museus Imperial, Maurício Ferreira Jr., e Vera Tostes, do Histórico Nacional, entre outros convidados.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Alexandre Arruda/MinC

Museus: ministra da Cultura assina na França memorando de entendimento

Durante missão em Paris, a ministra da Cultura, Marta Suplicy, assinou na quarta-feira (5), memorando de entendimento que prevê a integração das políticas de museus do Brasil e da França. O documento foi assinado em conjunto com a ministra francesa da Cultura e Comunicação, Aurélie Filippetti.

Na ocasião, o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), José do Nascimento Jr., e o diretor da Escola do Louvre, Philippe Durey, também firmaram convênio para o intercâmbio de profissionais e estudantes da área museológica a partir de 2013. O projeto de cooperação terá duração inicial de três anos, podendo ser renovado por igual período.

Segundo José do Nascimento Jr., o foco para os brasileiros é aprender com as áreas de conservação, exposição e gestão da França. “De outro lado, os franceses têm interesse na ação social dos museus no Brasil. É uma parceria muito produtiva”, disse.

Unesco - Ainda como parte da agenda de trabalho na capital francesa, a ministra da Cultura e o presidente do Ibram participaram de reunião com a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Irina Bokova, durante a qual tratou-se da proposta de iniciativa do Ibram para a criação de um instrumento normativo internacional sobre patrimônio museológico e coleções.

A ministra Marta Suplicy anunciou o repasse de US$ 220 mil para o financiamento do estudo preliminar necessário à aprovação de uma Recomendação da Unesco sobre Proteção e Promoção dos Museus e Coleções.

O instrumento teria por objetivo proteger e promover o patrimônio musealizado, as coleções e as instituições que os abrigam, além de reposicionar os museus como elemento central para a promoção da cultura.

Durante os encontros, José do Nascimento Jr. e a ministra Marta Suplicy convidaram a França a participar da 23ª Conferência do Conselho Internacional de Museus (ICOM), que acontecerá na cidade do Rio de Janeiro, em agosto do próximo ano. A ministra francesa também foi convidada a participar de seminário de política e gestão museológica a ser realizado em 2013.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Ministério da Cultura

Matérias relacionadas
Diretor da Escola do Louvre faz palestra na sede do Ibram
Unesco referenda proposta brasileira para proteção ao patrimônio musealizado

Nova Ministra da Cultura toma posse nesta quinta-feira

A posse da nova Ministra da Cultura, Marta Suplicy acontece nesta quinta-feira, às 11h, no Palácio do Planalto.

Marta Suplicy foi convidada pela Presidenta Dilma Rousseff para assumir o cargo nesta terça-feira (11), após a saída da então Ministra, Ana de Hollanda.  

Leia a nota na íntegra:

“A presidenta da República, Dilma Rousseff, convidou a senadora Marta Suplicy para ocupar o Ministério da Cultura. Ela substituirá a artista e compositora Ana de Hollanda, a quem a presidenta agradeceu hoje o empenho e os relevantes serviços prestados ao país à frente da pasta desde janeiro de 2011.

Dilma Rousseff manifestou confiança de que Marta Suplicy, que vinha dando importante colaboração ao governo no Senado, dará prosseguimento às políticas públicas e aos projetos que estão transformando a área da Cultura nos últimos anos.

A posse será realizada na próxima quinta-feira às 11h.

Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República”