MAI disponibiliza a publicação ‘Inventário Participativo Pessoas e Memórias’

O Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI/Ibram) disponibilizou essa semana o livro Inventário Participativo Pessoas e Memórias. A publicação foi produzida, organizada e escrita pela equipe do museu em conjunto com vários moradores e pescadores tradicionais da região da Região Oceânica de Niterói (RJ).

Pesca MAI_Ruy LopesO livro reúne as entrevistas realizadas com 40 moradores de Itaipu, indicados pela própria comunidade, e é ilustrado com imagens do fotógrafo Ruy Lopes – que retratam a região nas décadas de 60, 70 e 80 -, e que hoje fazem parte do acervo do MAI. Além disso, a publicação inclui um Mapa dos Pontos de Pesca e um Glossário com as expressões utilizadas nas falas originais dos entrevistados, preservadas na transcrição dos textos.

Situado dentro do território pesqueiro de Itaipu, o MAI desenvolve trabalhos com os pescadores tradicionais desde 2010 e inclui em suas ações educativas e exposições informações sobre a importância sociocultural da pesca e dos pescadores da região. A partir desse contato, foi identificada como ação prioritária a necessidade da valorização e preservação das memórias locais.

Ibram abre licitação para inspeção predial em museus de MG e RJ

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), em parceria com a Organização dos Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), publicou na última sexta-feira (27) Aviso de Licitação destinado à contratação de serviços de engenharia voltados à inspeção predial em três unidades museológicas que integram a sua rede.

Instalado em antigo convento que começou a ser edificado no século XVII, o Museu de Arte Tradicional de Cabo Frio (MART), será uma das unidades a passar por inspeção predial.

Instalado em antigo convento que começou a ser edificado no século XVII, o Museu de Arte Tradicional de Cabo Frio (MART) será uma das unidades a passar por inspeção predial.

A consultoria especializada a ser contratada abarca a realização de inspeções prediais no Museu de Arqueologia/Socioambiental de Itaipu (MAI), em Niterói (RJ); no Museu de Arte Tradicional de Cabo Frio (Mart), também no Rio de Janeiro; e na Casa Borba Gato (vinculada ao Museu do Ouro), em Sabará (MG).

O objetivo da contratação é realizar análise técnica de estruturas e instalações das três unidades, a qual permitirá a identificação de possíveis riscos a usuários, meio ambiente e patrimônio cultural envolvido, definindo prioridades para a posterior execução de reparos e manutenção.

Os três museus estão instalados em imóveis históricos tombados e não projetados originalmente para esta finalidade – o que impõe a adoção de princípios rigorosos de preservação dos elementos e materiais originais, assim como de intervenção física mínima, quando necessária.

A licitação será realizada na modalidade pregão presencial com data de abertura programada para o próximo dia 9 de fevereiro, às 10h, na sede da OEI (Setor Hoteleiro Sul, Quadra 06, Bloco C, Sala 919, Ed. Brasil 21) em Brasília (DF).

O edital e seus anexos encontram-se disponíveis na página da OEI. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (61) 3321.9955 ou pelo endereço eletrônico compras@oei.org.br.

Acesso: primeiro volume da coleção Museus do Ibram está disponível

Museu de Arqueologia de Itaipu (RJ)

MAI é tema do primeiro volume da coleção Museus do Ibram

O Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI), também chamado Museu Socioambiental de Itaipu, é tema do primeiro volume da coleção Museus do Ibram. A instituição integra a rede do Instituto Brasileiro de Museus e localiza-se em Niterói (RJ).

Disponível online para consulta ou download, em versão de menor resolução, o livreto apresenta a história do museu e a sua temática, contextualiza-o em relação à localidade e à comunidade em que está inserido.

A coleção, que prevê a publicação de 19 volumes no total, é destinada a um público diverso. Por isso, seus livros utilizam linguagem simples, trazem fotos, plantas dos museus e áreas que ocupam. Possíveis percursos de visita e lugares relacionados com as instituições também estão incluídos.

A ideia é que o grande público se familiarize com as unidades museológicas do Ibram e que tal conhecimento contribua para ações que promovam o estudo, a preservação, a valorização e a divulgação do patrimônio cultural sob a guarda dessas instituições.

O MAI é um museu que documenta vestígios da ocupação humana pré-histórica da região, e está instalado nas ruínas de um dos primeiros conventos erguidos no litoral fluminense, o antigo Recolhimento de Santa Teresa.

Criado em 1977, o museu tem a missão ainda de comunicar aos seus visitantes o valor do patrimônio cultural e ambiental da região, os costumes e tradições das comunidades pesqueiras que vivem em seu entorno. Conheça outros museus do Ibram.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Banco de Imagens Ibram

Museu de Arqueologia de Itaipu abre mostra sobre novo projeto de educação

Amanhã (5), a partir das 14h, o Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI/Ibram), em Niterói (RJ), em parceria com a Escola Municipal Professor Marcos Waldemar de Freitas Reis, inaugura a exposição As minhas, as suas, as nossas coisas e memórias.

Capa do livro que tem lançamento amanhã (5) no  MAI/Ibram

Capa do livro que tem lançamento amanhã (5) no MAI/Ibram

A exposição, em cartaz até dia 13 de dezembro, é resultado do primeiro esboço de mais um programa de educação museal do MAI, que tem o nome provisório de projeto museu-escola. O objetivo é familiarizar as crianças com os aspectos teóricos e práticos da museologia.

Para tanto, os funcionários do museu e os professores da escola realizam encontros periódicos para tratar com os alunos questões que vão desde memória e patrimônio até a conservação de acervo e montagem de exposições.

Às 16h, está programado o lançamento da publicação Aos Pés da Serra da Tiririca: uma história de todos nós. Trata-se de um livro que surgiu da parceria entre MAI e o Grupo de Estudos Interdisciplinares do Ambiente (GEIA), da Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

No livro são abordados aspectos ambientais, históricos e culturais da Serra da Tiririca, área de preservação ambiental que envolve o MAI e abrange boa parte dos municípios de Niterói e Maricá. Saiba mais sobre o museu.

Texto e imagem: Divulgação MAI

MAI homenageia etnia Guarani Mbya em Niterói (RJ)

O Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI/Ibram), em Niterói (RJ), está com a exposição Tekoa Mboy-Ty: Uma Semente Guarani em cartaz desde 20 de abril. A visitação poderá ser feita até 5 de agosto de 2013.

Uma oca tradicional Guarani, acompanhada de três painéis educativos, abordam diversos aspectos da Cultura Guarani Mbya, que é um subgrupo do povo Guarani. Os Mbya se fixam geralmente em regiões próximas ao mar, pois creem que o paraíso, ao qual chamam de “Terra Sem Mal”, pode ser alcançado após a travessia marítima.

A exposição tem o objetivo de preservar e divulgar a memória das comunidades do entorno da região de Niterói e trazer uma perspectiva contemporânea para conservar os valores culturais de tempos passados.

O MAI/Ibram funciona de terça a sexta, das 10h às 17h. Sábados, domingos e feriados, das 13h às 18h. Outras informações pelo telefone (21) 3701.2966 ou pelo endereço eletrônico mai@museus.gov.br. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação MAI

MAI faz homenagem à etnia Guarani Mbya em nova exposição em Niterói

O Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI/Ibram), em Niterói (RJ),  inaugura hoje (19), Dia do Índio, a exposição Tekoa Mboy-Ty: Uma Semente Guarani. A abertura será às 18h e é aberta ao público.

Reprodução de oca Guarany no MAI/Ibram

Uma oca tradicional Guarani, acompanhada de três painéis educativos, abordam diversos aspectos da Cultura Guarani Mbya, que é um subgrupo do povo Guarani.

Os Mbya se fixam geralmente em regiões próximas ao mar, pois creem que o paraíso, ao qual chamam de “Terra Sem Mal”, pode ser alcançado após a travessia marítima.

A exposição tem o objetivo de preservar e divulgar a memória das comunidades do entorno da região de Niterói e trazer uma perspectiva contemporânea para conservar os valores culturais de tempos passados.

A visitação poderá ser feita de 20 de abril a 5 de agosto de 2013. O MAI/Ibram funciona de terça a sexta, das 10h às 17h. Sábados, domingos e feriados, das 13h às 18h. Outras informações pelo telefone (21) 3701.2966 ou pelo endereço eletrônico mai@museus.gov.br. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação MAI

 

 

 


Museu de Arqueologia de Itaipu vai abrigar oca Guarani a partir de abril

O Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI/Ibram), localizado em Niterói (RJ), vai abrigar, a partir de abril, uma oca Guarani em seu espaço expositivo.

Oca também servirá como espaço para projetos eductativos desenvolvidos pelo MAI/Ibram

O projeto, em parceria com a aldeia Tekoa Mboy-Ty, trata da construção de uma edificação tradicional Guarani Mbyá que simbolizará a relação da instituição museológica com a aldeia, bem como o esforço da equipe para com a divulgação e a preservação da memória das comunidades em seu entorno.

A oca será acompanhada de painéis expositivos que tratam de diversos aspectos do cotidiano dos Guarani Mbyá. Os visitantes poderão acompanhar o processo de construção a partir do dia 25 de fevereiro. A inauguração está marcada para o dia 19 de abril.

Pedro Colares Heringuer, diretor interino do MAI, explica que a proposta do novo espaço é que também seja utilizado como sala para os trabalhos educativos desenvolvidos pelos programas Caniço e Samburá e Educação Ambiental – voltado para estudantes que visitam o museu.

O museu
O MAI está sediado nos remanescentes do Recolhimento de Santa Teresa, instituição fundada no começo do século XVIII. O acervo do museu é composto por artefatos produzidos pelos povos que viveram no litoral fluminense antes de 1500.

São artefatos líticos e ósseos, concreções, matéria corante, ocre, restos ósseos humanos e remanescentes de fauna (aves, peixes e mamíferos), além de blocos testemunhos do Sambaqui de Camboinhas. Outras informações pelo telefone (21) 3701.2994 ou pelo e-mail mai@museus.gov.br.

Texto e foto: Divulgação MAI