MAB recebe prêmio por Repatriação Digital do Acervo Afro-Pernambucano

Projeto premiado consistiu na repatriação digital de objetos confiscados dos terreiros pernambucanos que se encontram no acervo da Missão de Pesquisa Folclórica Mário de Andrade, sob a guarda do Centro Cultural de São Paulo.

Projeto premiado consistiu na repatriação digital de objetos confiscados dos terreiros pernambucanos que se encontram no acervo da Missão de Pesquisa Folclórica Mário de Andrade, sob a guarda do Centro Cultural de São Paulo.

O projeto Repatriação Digital do Acervo Afro-Pernambucano, iniciativa do Museu da Abolição (MAB), vinculado ao Ibram, em parceria com o Centro Cultural de São Paulo e o Museu AfroDigital, foi contemplando com o prêmio Ayrton de Almeida Carvalho de Preservação do Patrimônio Cultural de Pernambuco. A premiação foi entregue na última sexta-feira (17), em Recife (PE).

O projeto consistiu na repatriação digital de objetos confiscados de terreiros pernambucanos que foram cedidos pelas autoridades policiais à Missão de Pesquisas Folclóricas Mário de Andrade durante sua passagem pelo Recife, em 1938, e hoje se encontram sob a guarda do Centro Cultural de São Paulo.

O trabalho foi desenvolvido pela equipe técnica do Museu da Abolição e pelo produtor cultural e antropólogo Charles Douglas Martins com recursos do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura PE).

A iniciativa foi agraciada com o primeiro lugar na categoria de Promoção e Difusão por garantir a acessibilidade dos objetos a pesquisadores, descendentes de terreiros e públicos em geral, se destacando por sua inovadora expografia, concebida e executada por Charles Martins, que utiliza fotografias em 360º/3D.

Além de ampliar a acessibilidade a este acervo, o projeto contribui como subsídio didático no auxílio ao ensino sobre a história da cultura afro-brasileira. As fotografias passam a fazer parte do acervo digital do Museu da Abolição e estão disponíveis na exposição virtual do Museu Afro Digital.

Nota de falecimento Sylvia Athayde

O Ibram lamenta o falecimento da museóloga Sylvia Athayde, nesta segunda-feira (21). Athayde foi professora do curso de Museologia da Universidade Federal da Bahia e diretora do Museu de Arte da Bahia (MAB), ligado ao Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC) da Diretoria de Museus (DIMUS) da Secretaria de Cultura do estado da Bahia por 24 anos. Especialista em mobiliário luso-brasileiro, realizou curadoria de diversas exposições em cidades do Brasil e no exterior, além de cursos e conferências.

Museu da Abolição recebe exposição internacional na 11ª Semana de Museus

O Museu da Abolição (MAB/Ibram), em Recife (PE), apresenta a exposição internacional As Águas da Memória, a Rota do Ex-Cravizado, da artista plástica Inêz Oludé. O projeto comemora o Dia Internacional da Memória do Tráfico Negreiro e sua Abolição e se integra a 11ª Semana de Museus.

O tema da exposição será desenvolvido por meio de oficinas, exposição de artes visuais e performances. Baseado em documentos da época realizados pelos povos escravagistas, o trabalho mistura colagens e pinturas e concebe uma viagem iniciática ao centro da memória dos povos oprimidos. A abertura acontece no dia 11 de maio, às 17h. A exposição fica em cartaz de 13 de maio a 31 de julho, das 9h às 17h, e tem entrada franca.

Projeto comemora Dia Internacional da Memória do Tráfico Negreiro e sua Abolição

Artista e curadora pernambucana, Inêz Oludé da Silva é membro do Conselho Nacional de Artes Plásticas da Unesco e do Internacional Iuoma Group. Artista multimídia, vive em Bruxelas desde 1976, onde chegou como exilada política.

Participou de exposições coletivas e individuais em museus, bienais e galerias da Europa, África e Américas. Atualmente, realiza curadorias de mostras de artistas de diversos continentes e desde 2004 dirige o Projeto 23 de agosto – Dia Internacional da Memória do Trafico Negreiro e sua Abolição.

O Museu da Abolição localiza-se à Rua Benfica, 1150 – Madalena. Outras informações estão disponíves na página do MAB.

Texto e foto: Divulgação MAB

MAB apresenta exposição de Arte Modernista baiana

Está aberta no Museu de Arte da Bahia (MAB) a mostra Revisitando Um Acervo de Arte Baiana, que reúne obras da história modernista contada entre as décadas de 50 e 80. A exposição faz parte do acervo da Agência de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia) e revela, por meio de desenhos, tapeçarias, esculturas e pinturas, os desdobramentos do movimento modernista no estado. Foram selecionadas obras de trinta artistas baianos, dentre eles, Genaro de Carvalho, Mário Cravo Júnior, Carlos Bastos, Caribe, Jenner Augusto, Rubem Valentim e Lygia Sampaio.

A mostra Revisitando Um Acervo de Arte Baiana possui entrada franca e está disponível para visitação de terça à sexta-feira, das 14h às 19h e sábado e domingo, das 14h30 às 18h30.

Conheça mais sobre o acervo do Desenbahia aqui

O Museu de Arte da Bahia (MAB) fica na Av. Sete de Setembro, 2340, Corredor da Vitória, BA. Informações: (71) 3336-5642.