Página 2 de 3123

Acesso: primeiro volume da coleção Museus do Ibram está disponível

Museu de Arqueologia de Itaipu (RJ)

MAI é tema do primeiro volume da coleção Museus do Ibram

O Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI), também chamado Museu Socioambiental de Itaipu, é tema do primeiro volume da coleção Museus do Ibram. A instituição integra a rede do Instituto Brasileiro de Museus e localiza-se em Niterói (RJ).

Disponível online para consulta ou download, em versão de menor resolução, o livreto apresenta a história do museu e a sua temática, contextualiza-o em relação à localidade e à comunidade em que está inserido.

A coleção, que prevê a publicação de 19 volumes no total, é destinada a um público diverso. Por isso, seus livros utilizam linguagem simples, trazem fotos, plantas dos museus e áreas que ocupam. Possíveis percursos de visita e lugares relacionados com as instituições também estão incluídos.

A ideia é que o grande público se familiarize com as unidades museológicas do Ibram e que tal conhecimento contribua para ações que promovam o estudo, a preservação, a valorização e a divulgação do patrimônio cultural sob a guarda dessas instituições.

O MAI é um museu que documenta vestígios da ocupação humana pré-histórica da região, e está instalado nas ruínas de um dos primeiros conventos erguidos no litoral fluminense, o antigo Recolhimento de Santa Teresa.

Criado em 1977, o museu tem a missão ainda de comunicar aos seus visitantes o valor do patrimônio cultural e ambiental da região, os costumes e tradições das comunidades pesqueiras que vivem em seu entorno. Conheça outros museus do Ibram.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Banco de Imagens Ibram

Museu Nacional de Belas Artes lança livro sobre Coleção Portinari no Rio

Portinari_Estudo

Estudo para retrato de Thaís Mello Lima de Portinari

Detentor do maior acervo público de obras do artista Cândido Portinari (1903-1962), o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), lança nesta quinta-feira (18), o livro Coleção Portinari: Museu Nacional de Belas Artes, que apresenta uma seleção dos 243 itens que integram o conjunto preservado pela instituição.

A publicação traz reproduções de cerca de 140 obras, acompanhada de textos históricos e críticos de João Candido Portinari, Ferreira Gullar, Anna Letycia Quadros, Pedro Martins Caldas Xexéo, Amandio Miguel dos Santos, Daniela Matera Lins Gomes e Israel Pedrosa.

O livro traz ainda diversas fotografias sobre o artista, uma cronologia organizada por Cristal Proença e a relação das obras que compõem o acervo do museu.

A seleção contempla o lote de 222 itens doados ao MNBA, no ano passado, pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), além de obras como Café, A Primeira Missa no Brasil e Retrato de Yedda Ovalle Schmidt, que já integravam o acervo do museu.

Raridades
Entre as obras doadas pela Finep, que pertenciam ao acervo deixado pelo pintor para seu filho João Candido, há diversos retratos a óleo e sobre papel, preciosos estudos e esboços de obras renomadas, como os painéis para o Palácio Gustavo Capanema, no Rio de Janeiro, e pouco mais de 40 matrizes de gravuras, muitas das quais produzidas para serem ilustrações de livros – como os da Coleção Cem Bibliófilos, idealizada por Raymundo Castro Maya.

Com coordenação editorial da Artepadilla e do Museu Nacional de Belas Artes, e projeto gráfico da Contra Capa, o livro contou com patrocínio da Finep e da empresa Piraquê, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, e com o apoio institucional do Consulado da Itália no Rio de Janeiro, da Embaixada da Itália no Brasil e do Instituto Italiano de Cultura.

O lançamento acontece a partir das 18h no MNBA, situado na Av. Rio Branco, 199. Na ocasião, serão postos à venda 200 exemplares do livro, que tem 256 páginas e poderá ser adquirido por R$ 80.

Texto: Ascom/Ibram
Imagem: Divulgação MNBA

Exposições de arte contemporânea no Museu da República ganham livro

Para comemorar os dez anos de atividades da Galeria do Lago, espaço dedicado à arte contemporânea situado em seu jardim, o Museu da República/Ibram, no Rio, lança nesta segunda-feira (8), a partir das 18h, livro que apresenta cronologicamente as exposições individuais e coletivas realizadas no espaço.

Jardins do Museu da República no Catete

Jardins do Museu da República no Catete

Com organização da artista visual Martha Niklaus, que esteve à frente da galeria durante estes dez anos, Galeria do Lago: arte contemporânea no Museu da República traz imagens das obras de todos os 140 artistas envolvidos e textos inéditos.

O livro tem edição bilíngue (português-inglês), 320 páginas e será distribuído gratuitamente no lançamento.

A própria Martha Niklaus, a crítica de arte Glória Ferreira, o museólogo e poeta Mario Chagas e a curadora Isabel Sanson Portella, atual coordenadora da Galeria do Lago, assinam os textos da publicação, que traz também reedição das entrevistas com os artistas publicadas nos fôlderes de suas exposições.

Com exposições que duram em média três meses, a Galeria do Lago apresenta obras que dialogam com o Museu da República, seu acervo histórico, paisagístico e arquitetônico, possibilitando o acesso aos cinco mil frequentadores que desfrutam diariamente do maior jardim público do bairro do Catete. Saiba mais.

Texto: Divulgação Museu da República
Foto: Arquivo Ibram

Museu de Biologia Mello Leitão premia cientistas ao completar 65 anos

Nesta quinta-feira (26), às 15h, o Museu de Biologia Professor Mello Leitão (hoje Instituto Nacional da Mata Atlântica) apresentará os resultados do Projeto Muriqui – ES 2012-2014, um programa de conservação e monitoramento de populações de muriquis (espécie de primata em extinção) da Mata Atlântica do Espírito Santo (ES).

O muriqui é uma espécie encontrada na Mata Atlântica

O muriqui é uma espécie ainda encontrada nas áreas de Mata Atlântica

Na comemoração dos seus 65 anos, o museu também faz o lançamento do livro O Muriqui – Símbolo da Mata Atlântica, escrito por Sérgio Lucena Mendes, Mariana Petri da Silva, Mariana Zanotti Tavares de Oliveira e Karen Barbara Strier. A obra é resultado de um projeto de conservação dos primatas que já dura mais de 10 anos.

Quem estiver presente no evento, que será realizado na sede do museu, em Santa Teresa (ES), poderá participar do sorteio de exemplares da publicação.

“É um livro de divulgação científica, mas voltado para leigos. Pode ser distribuído em escolas, organizações não governamentais, institutos de educação ambiental,” explica Mendes, um dos autores, que também é professor da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

Reconhecimento
Outra atividade programada é a entrega do Troféu Álvaro Aguirre de Biodiversidade, criado em homenagem ao cientista naturalista brasileiro que, nos anos 1960, foi um dos pioneiros no estudo sobre os muriquis.

O prêmio é dividido em três categorias: Cientista, Conservação e Atividades de Campo. Receberão os troféus, respectivamente, Karen Strier, Ibsen Câmara e Rogério Ribeiro dos Santos, reconhecidos pelos trabalhos de conservação da biodiversidade e dos muriquis no Brasil.

Realizado em conjunto com a UFES, Instituto de Pesquisas da Mata Atlântica, a Associação de Amigos do Museu e o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade, o evento é aberto ao público. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (27) 3259.1182.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação/Wikipédia

Cadernos Museológicos: livro Acessibilidade a Museus já está disponível online

Já está disponível para consulta e download na página do Ibram, o volume 2 da série Cadernos Museológicos, publicado pelo instituto no final de abril.

Com o tema Acessibilidade a Museus, a publicação é uma contribuição para a adaptação das práticas, das instituições e dos espaços museais brasileiros de forma a torná-los acessíveis a todos – com destaque para pessoas com deficiência.

Tem ainda o intuito de suprir a carência de informações sobre o tema e contribuir para o processo de democratização do acesso à cultura. Baixe o livro em versão PDF.

As autoras são arquitetas e professoras pesquisadoras do Núcleo de Pesquisa, Ensino e Projeto Sobre Acessibilidade e Desenho Universal – Núcleo Pró-Acesso da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

O primeiro volume da série Cadernos Museológicos teve como tema Segurança em Museus, que também se encontra disponível para baixar.

Texto: Ascom/MinC

Ibram apresenta resultado de pesquisa sobre não público de museus no DF

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) divulgou esta semana o relatório da pesquisa O “não público” dos museus: levantamento estatístico sobre o “não-ir” a museus no Distrito Federal, conduzida pela Coordenação de Pesquisa e Inovação Museal do Departamento de Processos Museais (Cpim/Depmus).

Com a pergunta Quem são as pessoas que não vão a museus?, o estudo tem como objetivo oferecer subsídios para políticas públicas no setor de museus do Distrito Federal.

Do público entrevistado, 23,3% pessoas afirmaram frequentar museus e 76,67% disseram não frequentar, sendo que 36,8% disseram que não frequentam por falta de tempo. Foram 1,2 mil entrevistados, com faixa etária entre 15 e 69 anos, no Plano Piloto, Taguatinga, Ceilândia, Samambaia, Planaltina e Cidade Estrutural. Leia o relatório na íntegra.

Apesar do caráter piloto da pesquisa foi possível concluir, por exemplo, que a escolaridade e a renda são elementos-chave a serem considerados quando se trata de políticas públicas de acesso aos museus. O próximo passo, segundo o Ibram, seria entender melhor a relação entre escolaridade e renda e a relação com o hábito de frequentar museus.

Museus do estado de São Paulo receberão exemplares do livro

Lançamento
O livro Que público é esse? Formação de públicos de museus e centros culturais (Editora Percebe) foi lançado no dia 7 de maio, em São Paulo, e se propõe a descobrir características desses espaços, compreender melhor os visitantes e saber como planejar e executar ações educativas em exposições.

As autoras são profissionais das áreas de Biologia, Física e História, todas com pós-graduação em Educação pela Universidade de São Paulo (USP), com foco em educação e museus.

Financiado pelo Instituto Votorantim por meio do Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura, o livro é considerado pioneiro no Brasil, dada a pouca circulação de informação nessa área em língua portuguesa. A tiragem da publicação é de 1,5 mil exemplares, que serão distribuídos gratuitamente para os museus paulistanos.

Texto: Ascom/Ibram
Imagem: Divulgação

Livro Acessibilidade a Museus tem lançamento no Museu Histórico Nacional

No dia 24 de abril (quarta-feira), às 16h, no auditório do Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), será lançado o livro Acessibilidade a Museus, com a presença das autoras Regina Cohen, Cristiane Duarte e Alice Brasileiro.

O livro, uma publicação do Ibram/MinC, é o segundo volume da Coleção Cadernos Museológicos. O novo volume procura orientar os profissionais dos museus brasileiros sobre a necessidade de adaptação dos espaços para torná-los acessíveis às pessoas com deficiência.

As autoras são arquitetas e professoras pesquisadoras do Núcleo de Pesquisa, Ensino e Projeto Sobre Acessibilidade e Desenho Universal – Núcleo Pró-Acesso da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

A tiragem da obra será de 3,5 mil exemplares que serão distribuídos para os museus do país. No lançamento, as autoras farão uma breve exposição sobre o contéudo livro e distribuirão 100 unidades autografadas.

A primeira publicação da Coleção Cadernos Museológicos, lançada em agosto de 2012, foi sobre segurança em museus e está disponível para baixar. O novo volume deverá estar  disponível online no final do mês de maio.

O lançamento é aberto ao público. O MHN/Ibram localiza-se à Praça Marechal Âncora S/N – Centro.  Saiba mais sobre o museu.

Texto: Ascom/Ibram

Livro sobre poeta inconfidente tem lançamento no Museu da Inconfidência

A historiadora e professora da Universidade de São Paulo (USP), Laura de Mello e Souza, lança o livro Cláudio Manuel da Costa (2011, Companhia das Letras) no Museu da Inconfidência/Ibram, em Ouro Preto (MG), no dia 22 de março, às 19h30. A entrada é franca.

Livro será lançado às 19h30 no Museu da Inconfidência

O evento conta com palestra da autora, mostra de documentos originais do inconfidente e poeta Cláudio Manoel da Costa e participação do ator, professor e historiador Carlos Versiani, um dos fundadores da Academia Ouro-pretana de Letras.

Laura de Mello e Souza é considerada uma das maiores pesquisadoras da Conjuração Mineira, prestando grande contribuição para o estudo da história no Brasil e em Minas Gerais.

Na obra sobre Cláudio Manuel da Costa, ela lança uma nova perspectiva sobre a vida, o legado e o destino do poeta brasileiro consagrado pelos versos de Vila Rica. Discorre sobre os escritos que ele deixou, da poesia à narrativa histórica, passando pelos documentos redigidos para a burocracia do governo de Minas, ao qual serviu como secretário. Saiba mais.

Texto: Divulgação Museu da Inconfidência

 

Lançamento de livro encerra exposição sobre Luiz Gonzaga no MNBA

O lançamento do livro O Rei e o Baião marca o encerramento da exposição O imaginário do rei: visões sobre o universo de Luiz Gonzaga, neste domingo (24), no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram). O lançamento será a partir das 15h e a entrada é franca.

Além de obras originais, exposição traz objetos e imagens antigas de Luiz Gonzaga

Organizado por Bené Fonteles, que também é o curador da exposição, o livro contém ensaios de Antonio Risério, Elba Braga Ramalho, Gilmar de Carvalho, Hermano Vianna e Sulamita Vieira, além de apresentação de Gilberto Gil.

Pelo viés da antropologia cultural, os textos analisam a herança cultural nordestina recriada por Luiz Gonzaga e seus parceiros, suas conquistas e desdobramentos, assim como a relação com o imaginário do povo brasileiro. A edição é ilustrada por xilogravuras de diversos artistas, pintura de Ciça Fittipaldi e ensaio fotográfico de Gustavo Moura.

Ainda na programação, Fonteles vai proferir a palestra Poética gonzagueana: inspirações e parceiros, como também fará visita guiada à exposição em cartaz.

A mostra reúne mais de 160 obras em varias técnicas e linguagens de expressão criadas por 60 artistas de todas as regiões do país, quase todas concebidas especialmente para a ocasião, como também fotografias históricas e raras de Luiz Gonzaga, livros e discos. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação MNBA

Museu Villa-Lobos lança novo volume de série dedicada ao compositor

Villa-Lobos e sua esposa Arminda - tema de novo volume da coleção sobre o compositor

Arminda Villa-Lobos, principal guardiã e difusora da memória do compositor brasileiro, é a grande homenageada do 14º volume da série Presença de Villa-Lobos. O lançamento será no dia 17 de dezembro, às 18h, no Museu Villa-Lobos/Ibram, no Rio de Janeiro (RJ).

Presença de Villa-Lobos – vol. 14: 100 anos de Arminda é dividido em duas partes. A primeira reúne artigos sobre Arminda, escritos por personalidades que a conheceram e por técnicos do museu.

A segunda é dedicada a estudos que abordam o folclore, a cultura popular e a identidade nacional na obra de Villa-Lobos, com ênfase na participação do compositor na Semana de Arte Moderna, que em 2012 completou 90 anos.

O lançamento contará com um recital do Trio D’Ambrosio, formado por Aizik Geller (violino), Maria Helena de Andrade (piano) e Maria Célia Machado (harpa). No repertório, músicas de Villa-Lobos dedicadas à companheira Arminda, com quem viveu durante mais de 20 anos. O Museu Villa-Lobos localiza-se à Rua Sorocaba, 200, Botafogo. Conheça mais o museu.

Texto e foto: Divulgação Museu Villa-Lobos/Ibram

 

Página 2 de 3123