Ibram lança publicação gratuita sobre memória e cultura afro-brasileira

Publicação aborda aspectos históricos, políticos e conceituais do tema, além de trazer propostas de conteúdos e atividades práticas sobre temática afro-brasileira

Publicação aborda aspectos históricos, políticos e conceituais do tema, além de trazer propostas de conteúdos e atividades práticas sobre temática afro-brasileira.

Na semana da Consciência Negra, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) lançou e disponibilizou ao público em formato digital, para download gratuito, a publicação “Museu, memória e cultura afro-brasileira”.

Segundo volume da série “Caminhos da Memória”, que reúne conteúdos didáticos utilizados pelo Saber Museu – programa de formação e capacitação do Ibram – a publicação aborda aspectos históricos, políticos e conceituais, além de trazer propostas de conteúdos e atividades práticas sobre esta temática.

O objetivo é debater questões relacionadas a museu, museologia, memória, cidadania, cultura e patrimônio a partir de questões contemporâneas, focando na função social dos museus e da museologia e sua interface com história e cultura africanas e de sua diáspora nas diversas instituições que tratam o patrimônio afro-brasileiro.

O material traz orientações sobre como produzir oficina destinada a discutir questões que abordem a memória enquanto elemento constitutivo do patrimônio e na construção de representações e de identidades sociais, compreeendendo a importância da preservação do patrimônio afro-brasileiro como estratégia de construção de políticas públicas de promoção da igualdade racial, combate ao racismo e à discriminação.

Baixe aqui a publicação “Museu, memória e cultura afro-brasileira”.

Rui Mourão lança livro sobre Ouro Preto

capa-Mergulho na regiao do EspantoO escritor Rui Mourão lançam nesta sexta-feira (11) o livro Mergulho na região do espanto, da Editora UFMG, às 19h30, no interior do Museu da Inconfidência (Ibram/MinC), onde é diretor desde 1974. A entrada é gratuita. A obra completa uma trilogia sobre Ouro Preto, que veio se desenvolvendo com Boca de Chafariz e Quando os demônios descem o morro. O enfoque é o ouro, elemento formador de Vila Rica e Minas Gerais.

O leitor tomará conhecimento da epopeia que foi a conquista do território e a resultante política da Inconfidência Mineira, a fracassada conspiração que se transformou em tragédia, mas não deixou de constituir o cimento da libertação do país, quando a independência aconteceu. Com esse pano de fundo, o que se passa é o drama interior de um homem que busca desesperadamente encontrar seu destino.

Rui Mourão nasceu em Bambuí-MG. Romancista e ensaísta, lecionou Literatura Brasileira na Universidade de Brasília e nas Universidades de Tulane, Houston e Stanford, nos Estados Unidos. Participou dos movimentos das revistas literárias Vocação e Tendência, tendo sido diretor desta última. É membro da Academia Mineira de Letras. Foi editor do Suplemento Literário do Minas Gerais, chefe do Departamento Cultural da Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais, diretor-executivo da Fundação de Arte de Ouro Preto, coordenador do Grupo de Museus e Casas Históricas da Fundação Pró-Memória em Minas Gerais e coordenador do Programa Nacional de Museus, as duas últimas funções acumuladas com a de diretor do Museu da Inconfidência, cargo que ocupa desde 1974.

Texto: Ascom Museu da Inconfidência

Lançamento de livro sobre o Museu da Inconfidência e o imaginário social

livro museu da inconfidenciaO livro História, Turismo e Patrimônio Cultural – O Poder Simbólico do Museu da Inconfidência no Imaginário Social, do professor doutor Leandro Benedini Brusadin, será lançado às 19h desta sexta-feira, 11 de dezembro, no auditório do Museu da Inconfidência/Ibram, Anexo I. A obra, publicada pela Editora Prismas, traça um paralelo entre a dinâmica do patrimônio cultural e sua interface com o imaginário social, relacionando-os aos processos de memória e identidade. Em uma reconstrução histórica do Museu, que realiza diversas ações participativas com a comunidade local e turistas, o autor apresenta as formas de legitimidade do patrimônio que o próprio público lhe confere sob o âmbito da “História, Turismo e Patrimônio Cultural”.

O autor

Leandro Benedini Brusadin é graduado em Turismo pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2001), Mestre em Hospitalidade pela Universidade Anhembi Morumbi (2005) e Doutor em História pela Universidade Estadual Paulista de Franca – UNESP (2011). Pós-doutor pela Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da Universidade de São Paulo – USP (2015). Professor Adjunto do Departamento de Turismo da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), desde 2008, onde já exerceu o cargo de Coordenador do Comitê de Pesquisa em Ciências Sociais Aplicadas da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Autor de livros e artigos científicos, Brusadin atua com projetos de pesquisa principalmente nos seguintes temas: sociologia, hospitalidade, gestão, turismo cultural, história e educação no Turismo.

Museu do Diamante promove Sarau Afro neste sábado

O Museu do Diamante/Ibram promove uma série de atividades ligadas à temática afro-brasileira neste sábado (5).

Às 16h será lançado o livro “O menino coração de tambor” (foto), de Nilma Lino Gomes, com ilustrações de Mauricio Negro (Mazza Edições). O livro infantil foi baseado na história de vida do diamantinense bailarino, coreógrafo e pesquisador em cultura afro-brasileira Evandro Passos.

Para o lançamento foi organizado um Sarau Afro, quando várias pessoas recitarão poemas, textos e poesias de autores afro-brasileiros e africanos como Adão Ventura, Nilma Lino, Cuti, Madu Costa, Bete Guedes, Conceição Evaristo, Léa Gonzales, Mia Couto e outros.

No mesmo dia, acontece e abertura da exposição de fotos “Ancestralidade: Memória de Negros Diamantinenses – Irmandade, idealizada” e organizada por Evandro Passos. A mostra homenageia a presença do negro na formação da identidade cultural diamantinense, levando o público a refletir sobre a presença e a contribuição dos negros na construção da cidade.

Princesa europeia lança livro no Museu Imperial/Ibram

No dia 13 de maio, sexta-feira, o Museu Imperial/Ibram receberá uma visitante ilustre: a princesa Michael de Kent, pertencente à família real britânica. A princesa estará na instituição para lançar seu último livro, Coroadas em terras distantes – Triunfo, Tragédia, Paixão e Poder na Vida de Oito Princesas Europeias.

A obra, publicada no Brasil pela editora paulista Ambientes & Costumes, apresenta uma biografia de oito princesas reais europeias que, por casamento, tiveram que ir viver longe de suas pátrias. A autora pesquisou em farta bibliografia a vida dessas princesas, com uma autenticidade de quem conhece os códigos e costumes da realeza.

Entre as princesas retratadas no livro, está a imperatriz Leopoldina, primeira esposa de d. Pedro I. As demais são Catarina, a Grande, da Rússia; Maria Antonieta, da França; Maria Carolina, de Nápoles; Eugênia de Montijo, da França; Vitória, da Alemanha (filha da rainha Vitória); Alexandra, da Inglaterra; e Maria Feodorovna, czarina da Rússia.

A visita se dará em uma ocasião especial: na data, comemoram-se os 123 anos da Lei Áurea, que aboliu a escravidão no Brasil e foi assinada pela princesa Isabel, neta da imperatriz Leopoldina. E, como ocorre sempre no 13 de maio, o Museu Imperial concederá entrada gratuita a todos os visitantes.

A princesa chegará às 14h ao Museu Imperial, onde participará de uma visita guiada em companhia do diretor da instituição, Maurício Vicente Ferreira Jr. Uma hora depois, ela apresentará uma palestra sobre o livro no auditório do Museu e, após uma rápida conversa com a imprensa, terá início a tarde de autógrafos, que ocorrerá dentro do palácio. A partir da data, o livro também estará à venda na loja do Museu Imperial.

No último domingo (8/5), a princesa prestou homenagem à princesa Isabel e depositou uma coroa de flores em seu túmulo na Catedral de São Pedro de Alcântara, em Petrópolis (RJ).

Sobre a autora – Marie-Christine, princesa Michael de Kent, nasceu na Boêmia em 15 de janeiro de 1945. Filha de antigas linhagens austríacas, boêmias e húngaras, ela passou sua infância na Austrália e em um fazenda de seu pai em Moçambique. Após estudos de História da Arte em Viena e Florença, prosseguiu sua vida acadêmica em Londres, onde abriu uma empresa de decoração de interiores. Foi lá que conheceu o príncipe Michael de Kent (primo-irmão da rainha Elizabeth II da Inglaterra), com quem se casou, em 1978, em Viena.

O casal vive em um apartamento do Palácio de Kensignton, em Londres, possui dois filhos e, uma vez que não recebem ajuda do Estado inglês como outros membros da família real, possuem autorização para trabalhar. A princesa é, entre outros, autora de romances históricos publicados em várias línguas e países, palestrante de importantes museus, universidades e outras instituições. Foi diretora por muitos anos do Victoria and Albert Museum, em Londres.

Lançamento do livro Coroadas em terras distantes – Triunfo, Tragédia, Paixão e Poder na Vida de Oito Princesas Europeias, da princesa Michael de Kent

Data: 13 de maio de 2011

Palestra: 15h, no Auditório do Museu Imperial

Tarde de autógrafos: 16h, na Sala de Exposição 5

Endereço do Museu Imperial: Rua da Imperatriz, 220 – Centro – Petrópolis, RJ

Telefones: (24) 2245-5550 / (24) 2245-5560

Site: www.museuimperial.gov.br

Fonte: Assessoria de Imprensa do Museu Imperial. Telefone: (24) 2245-7321