100 obras de artistas de cinco países estão expostas até dia 31 no MHN

A partir desta sexta-feira (14), o Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), recebe a mostra Aomei Fine Arts 2016, que reúne cerca de 100 obras de artistas da China, Japão, Irlanda, Coréia do Sul e Brasil.

Imagem que compõe a exposição mostra uma partida de hóquei na China antiga

Com o tema A Arte faz as Olimpíadas ainda mais bela, a exposição traz pinturas que retratam esportes seculares da China e sua civilização, que já apresentava esportes como o futebol e o hóquei, há dois mil anos.

A mostra fica em cartaz somente até o dia 31 de outubro e depois segue para outros países. No dia 25, haverá um seminário que contará com a presença de artistas chineses e dos curadores da mostra, no auditório do MHN, às 19h30.

Fruto da celebração do Ano de Intercâmbio China – América Latina – Caribe, iniciativa nascida após reunião do presidente chinês Xi Jinping e dos líderes da América Latina e do Caribe, realizada em julho de 2014, a exposição busca interpretar o espírito olímpico nas artes, refletindo a mistura multicultural chinesa, da América Latina e do mundo.

A Aomei Fine Arts é uma produção da China Society for the Promotion of Cultural and Art Development, da Beijing Association for the Promotion of Olympics-related Culture e do Beijing Olympic Club.

O Museu Histórico Nacional fica na Praça Marechal Âncora, s/nº – Centro, e está aberto ao público de terça a sexta-feira, das 10h às 17h30 e aos sábados, domingos e feriados das 14h às 18h.

Texto e foto: Divulgação MHN

Cultura japonesa em destaque na Casa Cláudio de Souza em Petrópolis

Como parte da programação do Bunka Sai – Festival de Cultura Japonesa de Petrópolis, a Casa Cláudio de Souza, ligada ao Museu Imperial, recebe até o dia 16 de agosto, palestras, oficinas e workshops gratuitos que integram o evento. Os encontros, que têm entrada franca, abordarão desde a culinária e arte japonesas, até a história dos Mangás, os tradicionais quadrinhos do Japão.

Casa Cláudio de Souza recebe o evento pela terceira vez

A programação começou ontem (12), com demonstração e cursinho sobre comida japonesa, além da inauguração da exposição Alimentação é Cultura - que poderá ser visitada até o dia 16. Palestra e concurso de haikai (tradicional poema curto japonês) e apresentação de Violinos Imperiais do Centro de Suzuki marcaram ainda o primeiro dia de atividades.

Hoje (13), às 15h30, será realizado o primeiro workshop da Semana, sobre Como desenhar Mangás. O professor Douglas Nascimento ensinará o processo de criação, composição e estudo da anatomia dos personagens.

O segundo workshop acontece na quinta-feira (14), às 15h e será ministrado pelo professor José Carlos Seabra da Silva, que trabalhará com a arte dos Kirigamis (arte japonesa de cortar formas em papel). Às 17h, o historiador Nilson da Silva realizará palestra sobre Como Construir Roteiros para Quadrinhos. Encerrando a programação do dia, será realizada às 19h a palestra Alimentação e Esportes.

Mangá e Origami
Na sexta-feira (15) a Casa Claudio de Souza recebe a palestra A História do Mangá e Sua Influência no Mundo Ocidental, com o professor e historiador Alessandro de Carvalho, às 16h30. Encerrando a Semana, no dia 16 as professoras Kathia Yamamoto e Sheila Justen realizarão um Workshop de Origami, às 15h e, às 16h30, o Coral Cant’ Vox se apresenta, com a regência do Maestro Rafael Macedo.

Este é o terceiro ano consecutivo que a instituição recebe a Semana da Cultura do Japão. O titular da casa, o escritor e teatrólogo Cláudio de Souza, era um grande admirador do Japão e, em sua viagem ao país ficou tão encantado que narrou suas belezas no livro Impressões do Japão. Cláudio de Souza foi, ainda, fundador do Instituto Brasileiro de Cultura Japonesa.

A Casa de Cláudio de Souza fica na Praça da Liberdade, 247, no centro de Petrópolis. Além dos eventos que recebe e organiza, o espaço, que é unidade do Museu Imperial, está aberto para visitação gratuita de terça a sexta-feira, das 11h às 18h.

Texto e foto: Divulgação Museu Imperial

Artesanto japonês em metal é tema de exposição no Museu Histórico Nacional

Em comemoração ao Mês da Cultura Japonesa, promovido pelo Consulado Geral do Japão, o Museu Histórico Nacional, no Rio de janeiro (RJ), inaugura na quinta-feira (7), uma exposição que vai oferecer aos visitantes uma amostra da arte da produção de peças japonesas com metal.

Chaleira de ferro Nambu é um dos objetos utilitários em exposição

Artesanato do Japão – Tradições e Técnicas vai trazer ao público produtos de metal Nanbu, da província japonesa de Iwate. Produzidas a partir de tecnologia que acredita-se ter sido trazida de Kyoto, as peças foram fabricadas de ferro fundido em molde de areia.

A chaleira de ferro Nanbu é considerada a peça mais famosa e representativa desta técnica. Sua fabricação teve início no século XVIII para uso na cerimônia do chá.

O acabamento da superfície nodosa chamada ‘arare’, além de conferir beleza visual às peças, protege da oxidação pela permanência por 30 minutos na brasa de carvão a 9 mil graus celsius, é muito resistente e garante longos anos de uso.

A exposição vai trazer também utensílios de bronze Tsubame, da província de Niigata, fabricados a partir de técnica de alquimia, na qual um objeto tridimensional é produzido a partir de uma folha de bronze batida a martelo. Serão expostos ainda utensílios de bronze Takaoka, da província de Toyama.

A exposição fica em cartaz até 24 de agosto e pode ser visitada de terça a sexta-feira das 10h às 17h30 e aos sábados, domingos e feriados das 14h às 18h. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação Museu Histórico Nacional
Edição: Ascom/Ibram

Ampla programação marca o mês de dezembro no Museu Histórico Nacional

O Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), programou uma série de atividades para o mês de dezembro.

mesa_MHN

A exposição Isto é uma Mesa fica em cartaz até 31 de janeiro de 2014

No dia 12 (quinta), acontece a abertura da mostra Isto é uma mesa. Primeira exposição de uma série programada para ocupar o museu no ano que vem com design contemporâneo, a exposição reúne mesas de seis expoentes das novas gerações de designers e segue em cartaz até 31 de janeiro de 2014.

Com curadoria de Marcelo Vasconcellos e Zanini de Zanine, e realização de MeMo e  Olhares,  a exposição apresenta obras de  Leo Capote, Carol Gay, Alê Jordão, Katharina Welper e Oficina Ethos (Guilherme Saas e Rodrigo Calixto), designers que, apesar do uso de materiais e técnicas diversos, têm em comum a marca autoral.

Circulando cultura
O MHN também faz parte do Programa Circulando Cultura, que promove um passeio diferente no sábado (14). Quatro ônibus com ar condicionados irão transportar, gratuitamente, o público entre as seis instituições participantes do programa: Monumento aos Pracinhas, Forte de Copacabana, Forte do Leme, Museu de Arte do Rio, Centro Cultural Banco do Brasil e Museu Histórico Nacional. Todas as entradas neste dia serão gratuitas e com programação especifica.

Para participar, os passageiros poderão embarcar e desembarcar em qualquer ponto do roteiro, que será sinalizado com placa do evento, visitando os pontos que desejarem por quanto tempo quiser.

A partir de 18 de dezembro, o MHN abre a exposição Japão: reino dos personagens. Promovida pelo Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro e a Fundação Japão, a mostra itinerante examina as circunstâncias culturais e históricas por trás da afeição do povo japonês por personagens, e tece caminhos acerca do futuro dos personagens no Japão contemporâneo. O público pode conferir a exposição até o dia 12 de janeiro de 2014.

E para fechar o ano, o museu recebe a última edição do projeto Música no Museu 2013. O evento será no dia 27, às 12h30, com o Quarteto Sol de Violão. No repertório, Clássicos Brasileiros. Saiba mais sobre o Museu Histórico Nacional.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação MHN

Casa de Cláudio de Souza participa de festival de cultura japonesa Bunka-sai

A Casa de Cláudio de Souza, que integra a estrutura do Museu Imperial/Ibram, irá participar do festival de cultura japonesa Bunka-sai, que acontece em Petrópolis de 3 a 26 de agosto. Na casa, haverá atividades nos dias 7 e 8, com entrada franca.

No dia 7, às 19h, acontece a palestra Haicai e análise da obra Impressões do Japão, com o professor Ataualpa Antonio Pereira Filho, presidente da Academia Petropolitana de Educação. O livro foi escrito por Cláudio de Souza a partir de uma viagem ao Japão e apresentado como palestra na Academia Brasileira de Letras em 1940.

Já no dia 8, também às 19h, acontece a atividade Palestras, leituras de lendas japonesas e apresentação musical. Na ocasião, alunos do Kumon e do Colégio Japonês de Petrópolis farão uma apresentação de leitura de textos, tradução e conversação com o intuito de despertar o interesse pela língua e cultura japonesas.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (24) 2245.3418 ou pelo e-mail mimp.casaclaudiodesouza@museus.gov.br. A Casa de Cláudio de Souza fica na Praça da Liberdade, 247, Centro, Petrópolis (RJ).

Texto: Divulgação Museu Imperial

Imagens do Japão após terremoto no Museu Histórico Nacional (RJ)

Para marcar um ano da tragédia ocorrida no Japão em 2011, quando o Grande Terremoto do Leste devastou algumas áreas da região de Tohoku, o Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro e o Museu Histórico Nacional/Ibram realizam uma exposição com cerca de 100 imagens em painéis fotográficos, apresentando detalhes inéditos do episódio. A exposição ficará patente ao público entre 9 de março e 13 de maio.

As fotos mostram como as cidades ficaram devastadas pelo terremoto e tsunami e as respectivas reconstruções de cada região. A exposição mostra também imagens dos encantos da região de Tohoku, sua culinária regional, sua paisagem, artesanato e arquitetura, proporcionando um interessante panorama de vários aspectos da cultura japonesa.

Complementando o evento, será oferecida ao público, com entrada gratuita, uma mostra de filmes japoneses em apoio à região afetada pelo terremoto, que acontecerá no auditório do Museu Histórico Nacional entre os dias 8 e 16 de março. Veja a programação completa das exibições. Mais informações sobre o MHN aqui.

Fonte: Divulgação Museu Histórico Nacional

Museu Histórico Nacional recebe exposição e filmes do Japão após terremoto

Para marcar um ano da tragédia ocorrida no Japão em 2011, quando o Grande Terremoto do Leste devastou algumas áreas da região de Tohoku, o Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro e o Museu Histórico Nacional/Ibram realizam uma exposição com cerca de 100 imagens em painéis fotográficos, apresentando detalhes inéditos do episódio. A exposição ficará patente ao público entre 9 de março e 13 de maio.

Reconstrução: uma estrada japonesa após o terremoto e meses depois

As fotos mostram como as cidades ficaram devastadas pelo terremoto e tsunami e as respectivas reconstruções de cada região. A exposição mostra também imagens dos encantos da região de Tohoku, sua culinária regional, sua paisagem, artesanato e arquitetura, proporcionando um interessante panorama de vários aspectos da cultura japonesa.

Complementando o evento, será oferecida ao público, com entrada gratuita, uma mostra de filmes japoneses em apoio à região afetada pelo terremoto, que acontecerá no auditório do Museu Histórico Nacional entre os dias 8 e 16 de março. Veja a programação completa. Saiba mais.

Texto e fotos: Divulgação MHN/Ibram