Página 1 de 212

Obras de Portinari no MNBA integram exposição inédita em Roma

Café, 1935

Obra de Candido Portinari (Café, 1935) está em Roma para a exposição “A mão infinita”

Um recorte da coleção do artista Candido Portinari no acervo do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram) vai integrar a exposição que a Embaixada do Brasil em Roma inaugura no dia 7 de fevereiro.

A mostra é uma parceria entre o Ministério da Cultura (MinC) e o Ministério das Relações Exteriores do Brasil. Com curadoria do MNBA, A Mão Infinita é a primeira mostra de Portinari realizada na capital italiana.

Serão expostos desenhos, pinturas, matrizes e fotografias, num total de 26 obras. O destaque é a tela Café, pintada em 1935.

Nascido em Brodowski, interior de São Paulo, Portinari (1903-1962) era filho de imigrantes italianos e estudou posteriormente na Itália. Suas obras retratam a gente da sua terra.

Para a diretora do MNBA, Monica Xexéo, “a mostra reforça os laços culturais entre dois povos irmãos”. A Embaixada do Brasil em Roma está localizada na Piazza Navona, uma das principais zonas turísticas da cidade. A mostra será realizada na galeria Cândido Portinari, no próprio prédio da embaixada.

A exposição faz parte das comemorações dos 80 anos de criação do MNBA e fica em cartaz na Embaixada Brasileira  da Itália, em Roma, até 22 de abril. Leia mais.

Texto: Ascom/Ibram
Imagem: MNBA/divulgação

Ibram apresenta na Itália experiência com museus de pequeno porte

Encontro de Pequenos Museus (Itália)

Encontro na Itália reuniu experiências de pequenos museus

Dois servidores do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) retornaram esta semana de uma missão à Itália.

Cinthia Oliveira, coordenadora de Museologia Social e Educação do Ibram, e Ricardo de Carvalho Rosa, diretor do Museu do Ouro, localizado em Sabará (MG), tiveram oportunidade de participar da 5ª Conferência Nacional dos Pequenos Museus, que teve lugar na cidade de Viterbo.

Foram convidados pela Associazione Nazionale Piccoli Musei (APM), associação sem fins lucrativos que visa promover os pequenos museus e uma cultura de gestão específica para eles.

A conferência, realizada pela APM no Museu Nacional Etrusco Rocca Albornoz, contou com a participação de diretores de pequenos museus italianos.

Cinthia Oliveira fez o discurso de abertura sobre a realidade dos pequenos museus no Brasil e do Programa Pontos de Memória. Já Ricardo Rosa falou sobre a experiência com museologia social do Museu do Ouro, que registra entre 10 mil e 12 mil visitantes por ano, especialmente no tocante ao Ponto Memórias do Pompéu.

Semelhanças e diferenças
“Queremos aumentar a atuação dos museus de pequeno porte com a comunidade, por meio dos Pontos de Memória, respeitando as particularidades de cada um, e criando uma relação duradoura e proveitosa. Aos poucos, a comunidade vai se vinculando e despertando o sentimento de pertencimento,” afirmou Rosa.

Pequenos Museus: Itália

Cinthia Oliveira (em pé) apresentou a experiência dos Pontos de Memória no Brasil

Para ele, o encontro com os diretores de museus de pequeno porte italianos foi muito importante para reconhecer semelhanças e diferenças na suas formas de atuação, como também verificar o que pode ser melhorado.

“Encontramos muitos pontos de concordância, mas com especificidades diversas. Eles têm muito boa estrutura física, expografia, museografia. Mas também ficaram muito impressionados com nossa estrutura de pessoal e nossa visitação,” explicou o diretor do Museu do Ouro.

Durante a viagem, os representantes do Ibram também visitaram instituições como o Museu de Bolsena, Museu do Colle del Duomo, Museu da Cerâmica de Tuscia (Palazzo Brugiotti), entre outros locais, junto com autoridades de Viterbo e representantes da área de cultura.

No último dia de viagem, puderam ainda participar de eventos das Jornadas Europeias do Patrimônio realizados em Rocca Albornoz. Conheça o Museu do Ouro e o Programa Pontos de Memória.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Caterina Pisu

Museu comunitário de Belo Horizonte leva exposição para a Itália

O presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo, visitou na segunda-feira (16) duas iniciativas de museologia social em Belo Horizonte (MG): Museu dos Quilombos e Favelas Urbanos (Muquifu) e o Ponto de Memória Museu do Taquaril. Oswaldo foi acompanhado do vereador Arnaldo Godoy (PT), ex-secretário de Cultura de Belo Horizonte, que propôs a visita.

Muquifu impressionou o presidente do Ibram, Angelo Oswaldo (dir.)

O trabalho realizado pelo Museu de Favelas e Quilombos Urbanos será conhecido também fora do Brasil: sua Primeira Mostra Itinerante chegará até a cidade de Pádua (Itália), entre 15 de janeiro a 28 de fevereiro de 2014.

A mostra reunirá imagens de moradores das comunidades do Aglomerado Santa Lúcia (Vila Esperança e Vila São Bento) e tem como curador um dos fundadores do Muquifu, o Padre Mauro, que além de pároco da favela é museólogo formado pela Universidade de Pádua.

Localizado na comunidade da Barragem Santa Lúcia, o Muquifu impressionou o presidente do Ibram por seu trabalho de museografia, coleta de objetos e resgate da memória local. “É um museu admirável”, reconheceu.

Memória social
Angelo Oswaldo conheceu também as exposições concebidas pelo museu por ocasião da 7ª Primavera dos Museus (2013), cujo tema foi Museus, Memória e Cultura Afro-Brasileira.

A montagem das exposições envolveu a comunidade, através da doação de objetos, fotografias e histórias que fizeram parte do acervo ali exposto, além dos alunos do 5º período do curso de Museologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que tiveram a oportunidade de realizar um trabalho de campo na área da museologia social.

Já no Ponto de Memória Museu do Taquaril, o presidente do Ibram, acompanhado de lideranças da comunidade, teve contato com o trabalho de memória social realizado no maior bairro da periferia de Belo Horizonte. O Museu do Taquaril é uma das doze iniciativas pioneiras do Programa Pontos de Memória, desenvolvido pelo Ibram. “O trabalho deles tem um grande impacto na autoestima da comunidade”, avaliou Angelo Oswaldo.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Museu Nacional de Belas Artes recebe exposição sobre sustentabilidade e design

O Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), abriga, até 13 de outubro, a exposição Arte e criatividade para a proteção da criação, produzida pelo Ministério do Meio Ambiente da Itália. A mostra integra a agenda cultural da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2013 e é composta por 33 objetos que enfocam a sustentabilidade e levam a assinatura de renomados designers italianos.

Exposição fica em cartaz no MNBA até o dia 13 de outubro

A exposição proporciona ao visitante a chance de  conhecer um significativo conjunto de peças recicladas a partir da transformação de materiais como plástico, alumínio, papelão e outros, que deram origem à suportes de mesa,  bolsas,  cadeiras, luminárias, entre outros objetos.

Na instalação,  encontram-se também imagens de satélite, fornecidas pela empresa Telespazio, que mostram o estado de degradação ambiental em que se encontra o planeta.

Os produtores da exposição acreditam que o evento contribui para fortalecer, proteger e preservar os bens e recursos da natureza. A mostra apresenta em síntese a necessidade de proteção e as oportunidades de desenvolvimento que devem caminhar juntas para alcançar o crescimento sustentável da humanidade.

O Museu Nacional de Belas Artes tem entrada gratuita até o dia 13 de outubro e funciona no período em horário diferenciado: de terça a domingo, de 9h às 21h. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação MNBA

Ibram inicia diálogo com Associação de Pequenos Museus da Itália

A Associação Nacional de Pequenos Museus da Itália convidou o presidente do Ibram/MinC, José do Nascimento Jr., para participar da IV Conferência Nacional de Museus Pequenos, que acontecerá naquele país ainda este ano.

Nascimento Jr.(direita) durante visita a museu ligado à associação italiana

Durante viagem à Itália, em janeiro, Nascimento Jr. reuniu-se com Caterina Pisu, responsável pela associação italiana, quando falou sobre o trabalho do Ibram voltado para os pequenos museus, que são maioria no Brasil, como o Prêmio Pontos de Memória.

O presidente visitou o Museu Laboratório de Arte Contemporânea da Sapienza Universidade de Roma, que faz parte da associação italiana.

Após este primeiro encontro, Caterina Pisu entrou em contato com o Ibram e demonstrou interesse em trabalhar de forma conjunta com o instituto. Pisu também foi convidada a vir ao Brasil para a 23ª Conferência Geral do Conselho Internacional de Museus (ICOM), que será realizada em agosto no Rio de Janeiro – oportunidade em que poderá conhecer o trabalho dos Pontos de Memória e ver de perto experiências como o Museu de Favela, que muito a interessou, entre outrss.

Texto e foto: Ascom/Ibram

 

Jornada Mundial da Juventude: obras do Vaticano serão expostas no MNBA

Delegação brasileira está na Itália acertando detalhes para exposição durante JMJ Rio2013

Está confirmado: ainda este ano, o Brasil recebe pela primeira vez uma mostra oficial do Estado do Vaticano, que vai trazer ao país mais de 100 obras de grandes expoentes das artes italianas.

Os detalhes para a realização da exposição foram acertados durante visita a Itália do presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), José do Nascimento Jr., e da diretora do Museu Nacional de Belas (MNBA/Ibram), Monica Xexéo, iniciada na última terça-feira (15).

O museu do Rio de Janeiro, vinculado ao Ibram, vai abrigar a mostra, que integra a programação da Jornada Mundial da Juventude 2013 (JMJ Rio2013), entre os dias 11 de junho e 15 de setembro.

A missão, que segue até o domingo, inclui uma série de reuniões técnicas entre os integrantes dadelegação brasileira e representantes do setor de Atos Culturais da JMJ Rio2013, Fundação João Paulo II para a Juventude, Pontifício Conselho para Leigos (PCL), Pontifícia Sacristia Secreta, Fábrica de São Pedro e museus envolvidos

O objetivo é definir aspectos da exposição e seu cronograma, além do manuseio, logística e transporte das peças que seguirão da Itália para o Rio de Janeiro. A visita inclui ainda ida a museus do Vaticano para conhecer alguns dos objetos que estarão na mostra.

Arte e fé
A exposição Nas pegadas do Senhor – obras primas dos museus italianos e do Vaticano vai trazer ao Brasil mais de 100 pinturas, esculturas, manuscritos e outras peças que contam parte da história da arte e da Igreja Católica.

Entre as obras estão quadros de Leonardo Da Vinci, Michelangelo, Caravaggio, Pinturicchio, Perugino, Sassoferrato, Bernini, Correggio, Annibale Carracci, Guido Reni e Beato Angelico, dentre outros.

Em março de 2012, uma delegação italiana responsável pela organização da Jornada Mundial da Juventude 2013 já havia visitado o MNBA. Os organizadores estimam que o Rio de Janeiro receba cerca de 2 milhões de pessoas durante o evento, que contará com a presença do Papa Bento XVI.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Matérias relacionadas
Ibram propõe participação de museus durante Jornada Mundial da Juventude
Mostra de artes visuais ocupará MNBA durante Jornada Mundial da Juventude

Museus Ibram prorrogam exposições sobre relação artística Brasil-Itália

Aspecto da exposição "Artistas Italianos no Brasil Imperial"

Devido ao grande sucesso de público, o Museu  Imperial, vinculado ao Ibram, decidiu prorrogar a exposição Artistas  Italianos no Brasil Imperial, que seria encerrada no dia 5 de agosto,  para até o dia 30 de setembro.

Inaugurada em 16 de março, a exposição já recebeu mais de 117 mil  visitantes e integra as comemorações oficiais do Momento Itália-Brasil 2011-2012. A mostra tem curadoria de Maurício Vicente Ferreira Jr., diretor do Museu Imperial, e traz obras de artistas da península itálica que vieram ao Brasil e/ou retrataram aspectos brasileiros durante o século XIX. Saiba mais.

A exposição Artistas Italianos no Brasil Imperial está aberta de terça-feira a domingo, das 11h às 18h, na Sala de Exposições Temporárias do Museu. A entrada está incluída no ingresso de visitação ao Museu, que custa R$ 8,00 (inteira) e R$ 4,00 (meia, para estudantes, professores e maiores de 60 anos).

Quem ainda não conferiu a mostra Artistas brasileiros na Itália, do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram) também terá mais algumas semanas para fazer uma visita. A exposição, que seguiria em cartaz até 26 de agosto, teve sua exibição prorrogada até 4 de novembro.

Elaborada a partir da coleção de arte brasileira do MNBA, a mostra proporciona uma fruição e reflexão a respeito do fazer artístico dos séculos XIX, XX, alcançando até o século XXI, a partir de experiências estéticas vivenciadas por um grupo de artistas que assimilou a cultura italiana na construção de seu legado artístico.

A mostra reúne nomes como Victor Meirelles, Agostinho da Mota, João Zeferino da Costa, Rodolfo Bernardelli, José Pancetti, Carlos Oswald, Bruno Giorgi, Maria Bonomi, Iberê Camargo e Darel Valença Lins, dentre outros, e também compõe o Momento Itália-Brasil. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Última atualização: 13.8.2012

Museu da Inconfidência abre exposição sobre imigração italiana em MG

Em comemoração ao Ano da Itália no Brasil (2011-2012) e o 301° aniversário de Vila Rica, O Museu da Inconfidência/Ibram inaugura, no dia 13 de julho, às 20h30, na Sala Manoel da Costa Athaide, a exposição De Gênova a Ouro Preto: A rota dos Fontana.

Procissão de Corpus Christi em Ouro Preto fotografada por Fontana

A mostra retrata a imigração italiana no país e em Minas Gerais a partir da vinda da família do fotógrafo ouropretano Luiz Fontana ao Brasil, no final do século XIX.

Fontana deixou seu legado histórico, entre as décadas de 1920 e 1948, nos registros fotográficos que constituem patrimônio da Prefeitura Municipal, sob guarda do Instituto de Filosofia, Arte e Cultura da Universidade Federal de Ouro Preto.

A mostra tem curadoria geral de Janine Ojeda e Margareth Monteiro e foi idealizada em parceria com a Prefeitura de Ouro Preto, que lançará site com a coleção de imagens digitalizadas da obra de Fontana.

Também estarão expostos objetos, fotografias e imagens relativos à imigração e serão identificadas famílias ouropretanas com descendência italiana. “Fontana foi objeto de mais de uma exposição local, mas ainda não se conseguiu fazer uma mostra realmente renovadora e instigante como a que o Museu pretende realizar”, salienta o diretor do Museu da Inconfidência, Rui Mourão.

A exposição tem entrada gratuita e pode ser vista de terça a domingo, das 12 às 18h, até 26 de agosto de 2012. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação Museu da Inconfidência

Exposição no MNBA traz influências e legado da Itália para a arte brasileira

O Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram) inaugura no dia 26 de junho, às 19h, a exposição Artistas brasileiros na Itália. A exibição segue até 26 de agosto.

Gravura de Iberê Camargo, realizada em 1959, faz parte da mostra

Elaborada a partir da coleção de arte brasileira do MNBA, a mostra proporciona uma fruição e reflexão a respeito do fazer artístico dos séculos XIX, XX, alcançando até o século XXI, a partir de experiências estéticas vivenciadas por um grupo de artistas que assimilou a cultura italiana na construção de seu legado artístico.

Por detrás deste cenário – são cinco salas expositivas com cerca de 97 obras, entre pinturas, esculturas, desenhos e gravuras – estão obras de 38 artistas brasileiros, cujo recorte de sua produção, selecionada pelos curadores, oferece uma análise sobre o fascinio que a Itália exercia sobre os artistas brasileiros.

A exposição repassa os meandros da convivência entre a então Academia Imperial de Belas Artes (cujo acervo foi herdado pelo MNBA) e instituições italianas como Academia San Lucca, em Roma, ou com os ateliês particulares, aqui pontuando os de Minardi e Cansoni.

Outra questão desenvolvida na exposição Artistas brasileiros na Itália abrange as premiações, enfocando o universo dos prêmios de viagem que os artistas de destaque recebiam para aprimorar estudos em Roma, um forte centro formador de arte no século XIX, eixo que, contudo, migrou para Paris no início do século seguinte.

A mostra reúne nomes como Vitor Meireles, Agostinho da Mota, João Zeferino da Costa, Rodolfo Bernardelli, José Pancetti, Carlos Oswald, Bruno Giorgi, Maria Bonomi, Iberê Camargo e Darel, dentre outros. O evento compõe o Momento Itália-Brasil. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação MNBA

Museu Imperial abre mostra de artistas italianos no Brasil do século XIX

Como parte das comemorações do Momento Itália-Brasil 2011-2012, o Museu Imperial/Ibram apresenta a exposição Artistas Italianos no Brasil Imperial. Com pinturas, gravuras, joias, esculturas, livros e objetos, entre outras peças, a mostra expõe obras de artistas da península itálica que vieram ao Brasil e/ou retrataram aspectos brasileiros durante o século XIX.

A exposição será inaugurada às 15h30 do dia 16 de março, data em que são comemorados os 69 anos da inauguração do Museu Imperial e o aniversário da cidade de Petrópolis. A exposição permance aberta até 5 de agosto – de terça-feira a domingo, das 11h às 18h, na Sala de Exposições Temporárias do Museu Imperial.

Com curadoria de Maurício Vicente Ferreira Jr., diretor do Museu Imperial, a exposição apresenta 31 obras de autores consagrados, como Nicolao Fachinetti, Edoardo de Martino e Alessandro Cicarelli, e desconhecidos do grande público, dentre eles Natale Schiavoni, Umberto Cavina, Giovanni Pagani e Carlo Ferrario.

Na mostra, destacam-se ainda obras do príncipe-artista Luigi di Borbonne, o conde d´Áquila, príncipe das Duas Sicílias e cunhado do imperador d. Pedro II. Também é possível conferir as charges políticas de Angelo Agostini, editor de célebres jornais ilustrados da segunda metade do século XIX.

“É uma oportunidade para conhecer a contribuição de artistas da península itálica ao panorama cultural da corte do Rio de Janeiro durante a segunda metade do século XIX, influência intensificada após o casamento do imperador d. Pedro II com d. Teresa Cristina, princesa do Reino de Nápoles e Duas Sicílias, em 1843”, afirma Maurício Ferreira. Saiba mais.

Fonte: Divulgação Museu Imperial

Página 1 de 212