Museu da Inconfidência expõe obras de Ismailovitch a partir de Aleijadinho

No ano do bicentenário da morte de Antônio Francisco Lisboa, O Aleijadinho, o Museu da Inconfidência, em Ouro Preto (MG), inaugura na sexta-feira (17,) a exposição A ceia brasileira de Ismailovitch – Homenagem ao Aleijadinho. Estarão expostos pinturas e desenhos do artista russo-brasileiro Dimitri Ismailovitch (1890-1976), feitos a partir de estudos sobre a obra do mestre do barroco mineiro.

Considerado exímio retratista, Ismailovitch é seguidor do realismo e a partir desta exposição retorna ao cenário artístico brasileiro após quatro décadas de ausência. Em um de seus principais trabalhos, Ceia – homenagem ao Aleijadinho, o artista faz uma reedição dos personagens de Aleijadinho nas figuras de Cristo e seus Apóstolos – alguns destes são os profetas de Congonhas, e outro tem a cabeça do São Jorge, presente na exposição de longa duração do Museu da Inconfidência.

Ceia: homenagem a Aleijadinho de Ismailovitch

Têm destaque, também, os estudos preparatórios reproduzindo os traços caligráficos das esculturas de Aleijadinho, um autorretrato, o Santuário de Bom Jesus de Matosinhos em Congonhas do Campo, a Igreja do Carmo de Ouro Preto, além de paisagens e casarios da cidade.

Com curadoria de Margareth Monteiro, Janine Ojeda, Eduardo Mendes Cavalcanti e Aldo Araújo, os visitantes poderão conferir a mostra na Sala Manoel da Costa Athaide, no Anexo I do Museu da Inconfidência, até 23 de novembro.

Pertencentes a uma coleção particular, as obras já estiveram expostas no Museu Villa-Lobos, situado no Rio de Janeiro, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) ano passado. O tour virtual pela exposição ainda está disponível. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Imagem: Divulgação Museu da Inconfidência

Homenagem ao Aleijadinho no Museu Villa-Lobos (RJ)

O Museu Villa-Lobos/Ibram, no Rio de Janeiro (RJ), está como uma exposição concebida especialmente para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) – que ocorreu no final de julho na cidade. A exposição poderá ser visitada até 30 de setembro. Saiba como chegar ao museu.

A Ceia brasileira de Ismailovitch – homenagem ao Aleijadinho, com curadoria de Eduardo Cavalcanti, reúne três pinturas e 14 estudos preparatórios do pintor Dimitri Ismailovitch (1890-1976) para o quadro Ceia – Homenagem ao Aleijadinho (1945), considerada a obra-prima do artista russo-brasileiro, que tornou-se admirador da obra de Aleijadinho após uma visita a Ouro Preto (MG). A mostra também pode ser vista na internet por meio de um tour virtual.

O Artista
Ismailovitch chegou ao Rio de Janeiro em 1927, onde fez exposição individual na embaixada norte-americana. No Rio ele conheceu Graça Aranha, escritor modernista que o introduziu no meio artístico e intelectual.

Ainda na então capital da república, o artista participou do Salão Revolucionário de 1931, da Escola Nacional de Belas Artes, tendo participado, nos anos seguintes, por diversas vezes, do Salăo Nacional de Belas Artes, no Rio.

Naturalizou-se brasileiro em 1937. A convite de Villa-Lobos participou, com Di Cavalcanti e a pintora Maria Margarida Soutello, da ornamentação do bloco carnavalesco Sôdade do Cordão em 1940.

Segundo críticos, dentre as várias influências de Ismailovitch podem ser citadas a iconografia russa, a arte bizantina e persa, o cubismo, o art deco, as xilogravuras japonesas, a arte mexicana e marajoara. Notabilizou-se como retratista, embora tenha se dedicado à paisagem, à natureza morta, a arte sacra, aos estudos antropológicos, a documentação da flora e a abstração.

Texto: Ascom/Ibram
Imagem: Divulgação

JMJ 2013: Museu Villa-Lobos inagura mostra em homenagem a Aleijadinho

Um dos estudos de Ismailovitch para o quadro Ceia

O Museu Villa-Lobos/Ibram, no Rio de Janeiro (RJ), inaugura na segunda-feira (22), às 19h, uma exposição concebida especialmente para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ).

A Ceia brasileira de Ismailovitch – homenagem ao Aleijadinho, com curadoria de Eduardo Cavalcanti, reúne três pinturas e 14 estudos preparatórios do pintor Dimitri Ismailovitch (1890-1976) para o quadro Ceia – Homenagem ao Aleijadinho (1945), considerada a obra-prima do artista russo-brasileiro, que tornou-se admirador da obra de Aleijadinho após uma visita a Ouro Preto (MG).

A abertura contará com recital de obras de Villa-Lobos executadas pelo pianista Wagner Tiso, também diretor do museu, e pelo violoncelista Marcio Malard, que se apresentará com o violoncelo utilizado pelo próprio Villa-Lobos. A entrada é franca. A exposição poderá ser visitada até 30 de setembro. Saiba como chegar ao museu.

O Artista
Ismailovitch chegou ao Rio de Janeiro em 1927, onde fez exposição individual na embaixada norte-americana. No Rio ele conheceu Graça Aranha, escritor modernista que o introduziu no meio artístico e intelectual.

O pintor em autorretrato realizado em 1939

Ainda na então capital da república, o artista participou do Salão Revolucionário de 1931, da Escola Nacional de Belas Artes, tendo participado, nos anos seguintes, por diversas vezes, do Salăo Nacional de Belas Artes, no Rio.

Naturalizou-se brasileiro em 1937. A convite de Villa-Lobos participou, com Di Cavalcanti e a pintora Maria Margarida Soutello, da ornamentação do bloco carnavalesco Sôdade do Cordão em 1940.

Segundo críticos, dentre as várias influências de Ismailovitch podem ser citadas a iconografia russa, a arte bizantina e persa, o cubismo, o art deco, as xilogravuras japonesas, a arte mexicana e marajoara.

Notabilizou-se como retratista, embora tenha se dedicado à paisagem, à natureza morta, a arte sacra, aos estudos antropológicos, a documentação da flora e a abstração.

Texto: Ascom/Ibram
Imagens: Divulgação