MAI disponibiliza a publicação ‘Inventário Participativo Pessoas e Memórias’

O Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI/Ibram) disponibilizou essa semana o livro Inventário Participativo Pessoas e Memórias. A publicação foi produzida, organizada e escrita pela equipe do museu em conjunto com vários moradores e pescadores tradicionais da região da Região Oceânica de Niterói (RJ).

Pesca MAI_Ruy LopesO livro reúne as entrevistas realizadas com 40 moradores de Itaipu, indicados pela própria comunidade, e é ilustrado com imagens do fotógrafo Ruy Lopes – que retratam a região nas décadas de 60, 70 e 80 -, e que hoje fazem parte do acervo do MAI. Além disso, a publicação inclui um Mapa dos Pontos de Pesca e um Glossário com as expressões utilizadas nas falas originais dos entrevistados, preservadas na transcrição dos textos.

Situado dentro do território pesqueiro de Itaipu, o MAI desenvolve trabalhos com os pescadores tradicionais desde 2010 e inclui em suas ações educativas e exposições informações sobre a importância sociocultural da pesca e dos pescadores da região. A partir desse contato, foi identificada como ação prioritária a necessidade da valorização e preservação das memórias locais.

Programa Pontos de Memória faz levantamento de inventários participativos

O Programa Pontos de Memória convida as redes territoriais e temáticas de memória e museologia social a fazerem um levantamento das iniciativas que tenham desenvolvido ou estejam em processos de realização de seus inventários participativos.

Considerados etapa fundamental para o desenvolvimento de Pontos de Memória, os inventários participativos são instrumentos de estímulo para que os próprios grupos e comunidades locais possam, em primeira pessoa, assumir a identificação, a seleção e o registro das referências culturais significativas para suas memórias e histórias sociais em seus processos de musealização.

A sistematização dos dados resultará em uma publicação que incluirá as experiências de destaque, além de servir como referência para a proposição de metas para as diretrizes prioritárias do Plano Nacional Setorial de Museus (PNSM) e como ferramenta de gestão de políticas culturais.

O levantamento subsidiará, ainda, o diálogo e a participação dos diversos atores nos processos de monitoramento e avaliação do Programa Pontos de Memória. Os formulários respondidos devem ser encaminhados até 10 de setembro de 2015 para inventarioparticipativo2015@gmail.com. Acesse o formulário e saiba mais sobre o Programa Pontos de Memória na página do Ibram.

Ponto de Memória realiza ações de inventário participativo em Fortaleza

O Ponto de Memória do Grande Bom Jardim, localizado em Fortaleza (CE), está realizando uma série de ações, durante o mês de março, como parte do processo do inventário participativo na localidade.

Debates, qualificação em metodologias para realização de registro de história oral, rodas de memória, pesquisas, mapeamento das histórias, patrimônios, expressões culturais, documentos, saberes e fazeres locais estão entre as atividades.

No dia 24 de março, das 8 às 16h, acontece, com apoio do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), um seminário sobre Território, História e Memória no Centro Cultural Bom Jardim (CCBJ), voltado para representantes das entidades locais, que compõem o conselho gestor do Ponto de Memória (foto), e para os jovens selecionados que participarão do inventário.

A mediação dos grupos de trabalho contará com os coordenadores do Projeto Historiando, Alexandre Gomes e João Paulo Vieira, e do geógrafo Victor Bento, da Universidade Estadual do Ceará (UECE).

De acordo com o conselho gestor do Ponto de Memória do Grande Bom Jardim, o inventário participativo resultará em uma exposição a ser lançada em junho deste ano, com o objetivo de divulgar o acervo e a história local inventariada. Como meios de difusão das ações e experiências museais, também estão previstos o lançamento de um site e de uma cartilha.

O Centro Cultural Bom Jardim/CCBJ situa-se à Rua Três Corações, 400, Granja Lisboa,. Mais informações pelo telefone (85) 8884.1062 ou pelo e-mail almadriano@gmail.com.

Texto e foto: Divulgação Pontos de Memória

Inventário participativo: Ponto de Memória em Belém tem série de atividades

O Ponto de Memória de Terra Firme, em Belém (PA), vai promover uma série de ações museais no mês de março. Como parte do processo de inventário participativo, serão realizadas as Rodas de Memória temáticas Mingau da Tarde na Terra – Cultura do Bairro, no dia 9, às 17h, e a Frutas da Terra – Cotidiano do Bairro, no dia 30 de março.

Também estão previstas oficina do Jornal comunitário Tucunduba, nos dias 12, 19 e 26 de março, e reunião do conselho gestor com jovens moradores, nos dias 8, 15, 22 e 29 de março, para discutir a identificação dos movimentos socioculturais do bairro.

Desde janeiro de 2012, o Ponto de Memória paraense vem trabalhando na identificação das memórias, histórias e características peculiares de Terra Firme, bem como no levantamento de fotografias, entrevistas, contos, lendas e objetos que poderão contar a história da comunidade.

Para mobilizar os moradores e os movimentos culturais da região, no dia 21 de abril será realizado um cortejo cultural pelo bairro, que reunirá as quadrilhas juninas, os grupos de dança de Rua e Grafite (Hip Hop); grupos de capoeira, de carimbó, poetas, artistas plásticos e cantores populares.

 Mais informações podem ser obtidas pelos endereços eletrônicos pontodememoriaterrafirme@gmail.com e camilafsmoura@gmail.com/.

Fonte: Divulgação Pontos de Memória/Ibram