Nova Pesquisa Anual de Museus está disponível a partir de hoje (3)

O Cadastro Nacional de Museus (CNM) inicia hoje (3), a nova Pesquisa Anual de Museus. Aberta à participação de todos os museus brasileiros, a nova pesquisa se propõe a realizar um diagnóstico detalhado do setor sobre temas diversos como acessibilidade, acervo museológico, gestão de pessoas, orçamento entre outros aspectos.

A Pesquisa Anual de Museus, que pode ser respondida até 12 de dezembro, é a primeira que o CNM realiza utilizando sua nova plataforma de dados, parte de uma estratégia cujo objetivo é aumentar o espectro e consistência das informações levantadas.

Capa do primeiro volume da  publicação lançada em 2011 com dados do CNM

Capa do primeiro volume da publicação lançada em 2011 com dados do CNM

Criado em 2006, o Cadastro Nacional de Museus é um dos instrumentos da Política Nacional de Museus, gerenciado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram).

Formado por uma série de pesquisas periódicas, possui entre seus objetivos o aprofundamento do conhecimento sobre o campo museal, através da coleta, registro e disseminação de informações sobre as instituições museológicas brasileiras.

Séries históricas
“O cadastro agora é composto por uma série de pesquisas distintas com periodicidades diferenciadas”, explica a Coordenadora-Geral de Sistemas de Informação Museal do Ibram, Rose Miranda.

“Essa estratégia visa aprofundar o conhecimento sobre os museus e ao mesmo tempo diminui o número de questões por pesquisa. Além disso, permitirá a construção de séries históricas”, afirma.

A reformulação da plataforma de pesquisa do Cadastro Nacional de Museus também vem ao encontro do Registro dos Museus Ibero-Americanos (RMI). Coordenado pelo Programa Ibermuseus e em fase de implantação, o projeto prevê o mapeamento dos museus da América Latina e da Península Ibérica. A plataforma, que irá possibilitar o cruzamento de dados dos mais de oito mil museus da região, terá no CNM sua porta de entrada para o Brasil.

Acesse a nova pesquisa do Cadastro Nacional de Museus. Confira antes o Manual de Preenchimento  e o Termo de Compromisso do CNM. O questionário da pesquisa em formato texto também está disponível para facilitar o levantamento de informações por parte do museu antes do preenchimento na plataforma online.

Dados do CNM alimentam o ranking anual do periódico The Art Newspaper sobre exposições mais vistas no mundo

Dados do CNM alimentam o ranking anual do periódico The Art Newspaper sobre exposições mais vistas no mundo

Publicações e projeção internacional
Em oito anos de operação, o Cadastro Nacional de Museus já mapeou mais de 3,4 mil instituições museológicas em todo o Brasil.

Seus dados têm sido utilizados para o aprimoramento de políticas públicas voltadas para o setor museal, sobretudo após a estruturação de duas publicações: Guia dos Museus Brasileiros e Museus em Números – este último, o primeiro estudo estatístico nacional dos museus brasileiros.

As informações públicas do CNM também já alcançaram projeção internacional. A base de dados já serve como fonte para publicações, como o periódico inglês The Art Newspaper, que divulga anualmente um ranking das exposições mais visitadas em todo o mundo.

A disponibilidade de dados sobre o tema ajudou a colocar o Brasil pela primeira vez, no ano de 2011, entre os países com maior volume de visitação a exposições – fato que vem se repetindo a cada nova edição do ranking, como em 2013. Saiba mais.

Dúvidas ou outra questões relativas a nova Pesquisa Anual de Museus do CNM podem ser esclarecidas pelo endereço eletrônico cnm@museus.gov.br.

Texto: Ascom/Ibram
Imagens: Divulgação

Agilidade: CNM terá nova plataforma até o final do ano

A Coordenação de Produção e Análise da Informação do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) promete novidades para o Cadastro Nacional de Museus (CNM) em 2014.

De acordo com a coordenadora, Karla Uzêda, uma nova plataforma tecnológica está sendo criada com o objetivo de possibilitar, entre outros recursos, a comparabilidade com a base de municípios do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e a atualização de informações pelos próprios museus.

Além disso, ela constituirá uma base única de informações no Ibram, evitando a repetição da solicitação das mesmas informações aos museus por diferentes áreas do instituto.

Um novo instrumento de pesquisa também está sendo desenvolvido pela equipe do CNM, para a realização de nova coleta de dados. O novo questionário irá conter 11 blocos de informações sobre gestão, caracterização física, acervo, exposições, atividades educativas e culturais, produção científica, arquivo histórico e biblioteca, gestão de riscos, gestão de pessoas, orçamento e informação ao visitante e acessibilidade.

“A nova versão do CNM vai possibilitar uma busca ágil por informações, além de permitir exportação de dados e geração de gráficos, ampliando o acesso de pesquisadores e interessados na área”, explica Karla Uzêda. De acordo com a coordenadora, a previsão é de que a nova versão da ferramenta esteja disponível para uso do público até o final de 2014. Saiba mais sobre o Cadastro Nacional de Museus.

Texto: Ascom/Ibram

Casa de Rui Barbosa discute renovação museográfica

Apresentar as ações que terão como intuito recuperar as imagens do universo doméstico do final do século XIX e início do século XX no Brasil. Esse é um dos temas do painel do Projeto de Renovação Museográfica que abre, em 2011, a série do Programa Memória e Informação da Fundação Casa de Rui Barbosa. O evento acontece no dia 16 de março, quarta-feira, às 14h30, na sala de cursos da FCRB.
O objetivo do projeto é proporcionar ao público a possibilidade de vivenciar ambientes e costumes, os mais próximos possíveis da época em que aqui vivia Rui Barbosa e sua família, explica a chefe do Museu Casa de Rui Barbosa, Jurema Seckler.

Com a utilização de recursos próprios, serão realizadas ações específicas como: novos circuitos, restauração de peças, instalação de novos papéis e cortinas baseados em fontes iconográficas da casa e pesquisas dos interiores das casas do final do século XIX no Rio de Janeiro.

Memória e Informação – Iniciado em 2003, o programa realizado pela FCRB apresenta uma série de palestras, promovida pelo Centro de Memória e Informação da Fundação Casa de Rui Barbosa voltadas à divulgação de estudos e pesquisas nas áreas.

A série possibilita uma agenda interdisciplinar, estabelecida a partir das áreas do conhecimento diretamente relacionadas às atividades do Centro de Memória e Informação: Arquivologia, Biblioteconomia, Conservação Preventiva, Ciência da Informação, Museologia, Políticas de Preservação, Restauração. Mais informações no site da FCRB.