Museu Imperial e IHGB celebram aniversário de d. Pedro II em Petrópolis

Na sexta-feira (5), o Museu Imperial/Ibram, em Petrópolis (RJ), comemora o 189º aniversário de d. Pedro II.

Com objetivo de reviver uma tradição iniciada em 1839, quando as reuniões do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB) ocorriam na residência oficial do imperador, o Paço de São Cristóvão no Rio, uma comitiva formada por pesquisadores do instituto subirá a serra para a 6ª sessão do Centro de Estudos e Pesquisas Históricas no Palácio Imperial de Petrópolis – que abriga o Museu Imperial desde 1940.O evento, que tem início às 14h30, contará com membros da Comissão de Estudos e Pesquisas Históricas do IHGB, do Instituto Histórico de Petrópolis, da família imperial, autoridades, convidados e público em geral.

Na ocasião, Luiz Felipe de Seixas Corrêa,  sócio do IHGB, escritor e diplomata, profere a palestra O marquês de Paraná: seu papel na política interna e na política externa do Império.

O Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro foi criado em 1838, a partir da intenção da monarquia em criar uma entidade que refletisse a “nação brasileira”, que, não muito antes, conquistara a independência (1822).

O patrono da instituição foi d. Pedro II, a quem foi dado o título de “Protetor”. O imperador incentivou e financiou pesquisas, fez doações valiosas, cedeu uma sala no Paço Imperial para sede do IHGB e presidiu mais de 500 sessões. Conheça o Museu Imperial.

Texto e foto: Divulgação Museu Imperial
Edição: Ascom/Ibram

Representantes de institutos históricos brasileiros foram ao Museu Imperial (RJ)

No dia 22 de outubro, o Museu Imperial/Ibram recebeu representantes de institutos históricos de todo o país, incluindo o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), para uma palestra sobre o Projeto Digitalização do Acervo do Museu Imperial (DAMI) e uma visita ao museu. 

Os acadêmicos estavam no Rio de Janeiro para participar do V Colóquio dos Institutos Históricos Brasileiros, que ocorreu entre os dias 19 e 21. O encontro no Museu Imperial foi considerado um “pós-encontro”, pois permitiu que dessem continuidade aos debates e reflexões.

O diretor do Museu, Maurício Vicente Ferreira Jr., deu as boas-vindas aos representantes dos institutos e apresentou o Museu Imperial e seu acervo. Ele ressaltou ainda a profunda ligação entre o Museu e o IHGB. “Dom Pedro II, que viveu parte de sua vida neste palácio, foi também fundador e patrono do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, ponto de partida para os institutos regionais”.

O professor Arno Wehling, diretor do IHGB, lembrou que essa relação histórica se dá até os dias de hoje, referindo-se, entre outras parcerias, à realização de reuniões anuais da Comissão de Estudos e Pesquisas Históricas (CEPHAS), do IHGB, no Museu Imperial, sempre próximas ao dia 2 de dezembro, em comemoração ao aniversário de D. Pedro II.

Em seguida, o coordenador administrativo do Museu Imperial e Coordenador Geral do DAMI, Sérgio Abrahão, apresentou o projeto. “A difusão e a valorização do acervo cultural são considerados indispensáveis para o cumprimento do papel social pertinente aos museus. Por isso, o Projeto DAMI tem o objetivo de digitalizar os cerca de 300 mil itens do acervo do Museu Imperial, visando à preservação, difusão e gestão desse acervo”, explicou.

O coordenador técnico do Projeto DAMI, Plácido Rios Moreira Júnior, também falou ao público, apresentando o trabalho desenvolvido. “Um dos aspectos importantes do projeto, e também um desafio, foi a integração das bases de dados dos três setores: Museologia, Arquivo Histórico e Biblioteca. Cada tipo de acervo tem suas especificidades e nomenclaturas próprias, então, tivemos que encontrar campos em comum para facilitar ao usuário na hora de realizar uma busca”.

Fonte: Divulgação Museu Imperial