Página 1 de 11712345...102030...Última »

Ibram lança chamada para parcerias com foco em aplicativos para eventos

Ibram_logo_baixaEntre os dias de 27 de março e 7 de abril, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) recebe propostas para parcerias, sem repasse de recursos financeiros, com serviços e produtos de empresas privadas atuantes na área de aplicativos (apps) para dispositivos móveis (celulares e tabletes).

O intuito é auxiliar na promoção e divulgação dos eventos coordenados pelo Ibram – como Fórum Nacional de Museus, Semana de Museus e Primavera dos Museus.

A utilização dos apps reforçará a interação entre a organização e os públicos-alvo dos eventos, melhorando a experiência dos usuários com os conteúdos e reduzindo ainda gastos com materiais impressos.

Uma ou mais empresas poderão ser parcerias, atendendo igualmente o escopo das ações de promoção dos eventos e ações do Ibram.

Cada empresa deverá desenvolver aplicativo a partir de conteúdo especialmente elaborado para a ação ou evento. Além de fornecer o aplicativo, com suporte técnico no período de realização do evento, deverá ainda prover orientações de uso ao público.

Como contrapartida será feita a inclusão das logomarcas das empresas parceiras como Apoio no material de divulgação e promoção de cada ação ou evento. Acesse a chamada e confira os requisitos mínimos para os aplicativos.

As empresas interessadas deverão entrar em contato como o Ibram pelo telefone (61) 3521.4142 ou pelo e-mail cpgii@museus.gov.br.

Texto: Ascom/Ibram

Museu Histórico Nacional recebe mostra Quando o mar virou Rio

Quando o mar virou Rio em cartaz no MHN

Quando o mar virou Rio: exposição fica em cartaz no MHN até 28 de maio

Entre os dias 24 de março e 28 de maio, o Museu Histórico Nacional/Ibram, no Rio de Janeiro, vai “estender a canga e abrir o guarda sol” para receber a exposição Quando o mar virou Rio.

Ao todo são 130 obras de 25 artistas, entre gravuras, fotografias, instalações e pinturas, organizadas em nove temas que resgatam a história da relação dos moradores do Rio de Janeiro com a praia – desde a origem, quando os médicos receitavam banhos de mar para curar doenças de pele ou respiratórias, até os dias atuais – incluindo a moda, os esportes e o ideal de ‘carioquice’ que ganhou fama no mundo.

Uma parte significativa dessa coleção veio de acervos: 11 artistas e 24 obras são do próprio Museu Histórico Nacional; 26 obras das coleções dos fotógrafos Augusto Malta (1864-1957) e Alair Gomes (1921-1992) pertencem à Biblioteca Nacional; e há mais 5 imagens do Augusto Malta que compõem o acervo do Museu da Imagem e do Som (MIS).

Trajetória entrelaçada
“A curadoria gosta de pensar que a exposição é uma ode ao movimento da cidade, que começa com a vinda dos primeiros índios que buscavam a terra sem males, passa pelos navegantes portugueses e é porto de partida e chegada de produtos, pessoas e influências de além mar”, explica o curador Diogo Rezende, até quando o Rio se volta literalmente para a praia, desaguando numa paixão do carioca por ocupar a orla de diferentes maneiras”.

Para Letícia Stallone, também curadora, a mostra “apresenta parte da história dessa cidade, conhecida no mundo inteiro como Rio, mas que tem uma trajetória tão entrelaçada ao mar que a sua própria identidade está vinculada à imensidão da água salgada, ao sol, à areia e tudo que pertence a esse ambiente. Tudo isso num mesmo gingado que a gente que se mete nessa geografia acaba adquirindo”.

A mostra foi idealizada e produzida pelo estúdio M´Baraká e pela produtora Logorama, com patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, da Secretaria Municipal de Cultura por meio da Lei Municipal de Incentivo a Cultura – Lei do ISS, e da Multi Terminais, copatrocínio da E.T.T. First RH e a Shift Gestão de Serviços e apoio do Control Lab e do Consulado Francês.

Texto: Divulgação MHN
Edição: Ascom Ibram
Foto: Júlio Bittencourt/Divulgação

Exposição no Museu do Diamante traz imagens do Vale do Jequitinhonha em MG

O Museu do Diamante, que integra a rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) em Diamantina (MG), exibe imagens do fotógrafo e vídeo-documentarista Lori Figueiró entre os dias 22 de março a 4 de abril.

Exposição traz 28  imagens do Vale do Jequitinhonha (MG)

Exposição traz 28 imagens do Vale do Jequitinhonha (MG)

A exposição Memória da Cultura Jequitinhonha é parte do projeto Vale: Vida – memórias da Cultura Jequitinhonha, premiado em 2014 pelo Programa Pontos de Memória do Ibram.

São 28 imagens que, segundo o curador Jorge Dikamba, revelam instantâneos do cotidiano valês, onde o conceito de “mineiridade” se destaca, agregando sentimentos de religiosidade, simplicidade e alegria de viver.

Para Dikamba, o Jequitinhonha seria um “estado de espírito” para os que nele vivem ou dele se originam. Gestos, formas e cores refletem saberes, usos, costumes e crenças que, nas fotografias, compõem um mosaico atemporal das relações societárias da “gente do Vale”.

Lori Figueiró é fotógrafo autodidata, vídeo-documentarista e membro fundador do Centro de Cultura Memorial do Vale. Já realizou outras exposições fotográficas, publicou diversos livros com a temática do Vale do Jequitinhonha e ainda ministra oficinas e promove espetáculos cênicos sobre as manifestações da cultura mineira.

No dia 23 de março, às 18h30, acontece o lançamento de livros de Figueiró, além de uma roda de conversa com a cantora, compositora e escritora Déa Trancoso e a doutora em Literatura Juliana Leal. A entrada é franca.

O Museu do Diamante está localizado na Rua Direita, 14, centro de Diamantina, e funciona de terça a sábado, das 10h às 17h. Domingos e feriados, das 9h às 13h. Mais informações pelo telefone (38) 3531.1382.

Texto: Ascom/Ibram
Foto:  Lori Figueiró/Divulgação

 

Museu de Arqueologia de Itaipu comemora 40 anos com festival

museu_arq_itaipu_8-200x300O Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI/Ibram), em Niterói (RJ), comemora 40 anos no dia 23 de março. E para celebrar a data, o museu preparou, em parceria com o Núcleo Interdisciplinar para o Desenvolvimento Social da UFRJ, o I Festival UFRJMar Itaipu.

O MAI tem buscado o desenvolvimento local através de atividades de educação, cultura e lazer. Também suas ações são voltadas para a preservação da memória dos povos tradicionais da região e do desenvolvimento da Região Oceânica de Niterói e o festival envolverá toda a comunidade da vila de pescadores e da Praia de Itaipu.

O evento acontece entre os dias 23 e 26 de março e nos dias 1 e 2 de abril. A programação vai de oficinas a atividades culturais e esportivas.

São 9 oficinas ministradas por alunos da UFRJ voltadas para crianças – que acontecem nos dias 23 e 24, das 8h30 às 11h30 e das 14h às 17h. Há oficina de amarelinha, carretel, informática educativa, malabares, fontes alternativas de energia, surimi, waterball, futebol de prancha e animação.

Nos dias 25 de março e 1º de abril, o MAI recebe a Feira de Economia Solidária, atividades culturais e cineclube. As atividades são gratuitas e acontecem ao logo do dia.

O Festival também conta com atividades esportivas, nos dias 26 de março e 2 de abril. Haverá competição de natação, futevôlei e futebol, canoagem, dança e relaxamento. A programação acontece na Praia de Itaipu, com início às 8h e termino às 17h. Todas as atividades são gratuitas e abertas ao público. Mais informações pelo telefone (21) 3701.2994 ou pelo endereço eletrônico mai@museus.gov.br.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Mais de 3 mil eventos estão programados para a Semana de Museus 2017

Entre os dias 15 e 21 de maio, 3.079 eventos acontecem em todo o Brasil durante a 15ª Semana de Museus – cujo tema é Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus.

Promovida anualmente pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), a edição 2017 da temporada cultural, que celebra o Dia Internacional de Museus (18 de maio), contará com programações em 1.070 museus e instituições de memória localizadas em 485 cidades de 26 estados.

Cartaz da Semana de Museus 2017 (clique para ampliar)

Cartaz da Semana de Museus 2017 (clique para ampliar)

Entre as regiões do Brasil, a Sudeste é a que mais tem eventos programados (445), seguida pelas regiões Sul (249), Nordeste (247), Centro-Oeste (73) e Norte (56).

Após o término do prazo para inscrição de atividades, o Ibram trabalha agora na produção do Guia de Programação da 15ª Semana de Museus – que estará disponível em formato digital no mês de abril.

Ao completar 15 anos de existência em 2017, a Semana de Museus tem sido um fator de promoção e valorização dos museus brasileiros, assim como de ampliação do acesso da população à cultura.

Em 2016, a Semana de Museus gerou para as instituições participantes um aumento de 79% no número de visitantes no período do evento, segundo dados de pesquisa realizada pelo Ibram. Quanto ao impacto econômico, houve um crescimento de 21% na geração de emprego e renda no campo museal.

Dúvidas e outras questões relacionadas a Semana de Museus podem ser enviadas para o endereço eletrônico semana@museus.gov.br ou esclarecidas pelos telefones (61) 3521.4142/4135.

Texto: Ascom/Ibram

Em nota, Ibram esclarece reportagem publicada na revista Carta Capital

Ibram_logo_baixaTendo em vista a reportagem Agonia dos museus, publicada na edição 943 da revista Carta Capital (15 de março de 2017), o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), autarquia vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), vem a público esclarecer alguns tópicos da referida reportagem:

1. Em 2016, o número atualizado de público nos 30 museus que compõem a rede do Ibram foi de 1.005.893 visitantes;

2. O Ibram investe no restauro e requalificação de sua rede de museus desde sua criação em 2009. Todos esses museus ocupam edificações históricas, o que acarreta complexidade de conservação e intervenção. Atualmente, oito deles encontram-se com obras de restauro em andamento – metade delas de restauro integral. Outros sete museus da rede estão com projetos em desenvolvimento e passarão por intervenções físicas nos próximos meses;

3. Conforme informado ao repórter Jotabê Medeiros, em e-mail de 8 de fevereiro último, a Declaração de Interesse Público, instrumento criado com a publicação do Decreto 8.124/13, ainda está em fase de regulamentação devido a sua complexidade. Esse instrumento propõe o reconhecimento dos acervos das instituições, não havendo qualquer relação direta entre os pedidos de declaração e a obtenção de recursos e/ou patrocínios por parte dos museus;

4. Sobre a execução orçamentária do Ibram, em 2016 foi empenhado 86% do orçamento autorizado pelo MinC;

5. Os editais Ibram são ações da Política Nacional de Museus e fazem parte do Programa de Fomento Ibram. Quatro editais que estavam pendentes foram pagos no ano passado: Prêmio Darcy Ribeiro para educação museal, Prêmio Modernização de Museus-Microprojetos, Prêmio Pontos de Memória e Edital de Implantação e Fortalecimento de Sistemas de Museus. Por questões relacionadas a recursos orçamentários, o edital Modernização de Museus 2015 ainda está em andamento – atualmente na fase de admissibilidade de propostas. Portanto, não há ainda resultado final a ser anunciado aos participantes do edital;

6. A parceria entre o Ibram e a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) para o projeto ‘Conhecendo museus” foi renovada, no final do ano passado, para a produção de 30 novos episódios do programa ainda em 2017;

7. O 7º Fórum Nacional de Museus (FNM) acontecerá entre os dias 30 de maio e 4 de junho de 2017 em Porto Alegre (RS) – capital de um Estado que tem forte presença de museus e instituições de memória. A escolha da cidade foi definida em plenária pelos participantes da 6ª edição do FNM em Belém (PA), em novembro de 2014;

8. Quanto à informação de que “a maior parte dos museus federais não possui licenciamento do Corpo de Bombeiros”, o Ibram esclarece que está empenhado em adequar os 30 museus sob sua administração aos requisitos de segurança. Com este objetivo firmou Acordo de Cooperação Técnica com o Corpo de Bombeiros do Estado Rio de Janeiro, onde possui a maioria de seus museus, além de garantir a inclusão de dotação orçamentária voltada a esta finalidade no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2017. O esforço é parte do Programa de Gestão de Riscos ao Patrimônio Musealizado Brasileiro.

Estamos à disposição para outros esclarecimentos que se fizerem necessários.

Assessoria de Comunicação
Instituto Brasileiro de Museus
Ministério da Cultura

Ibram recebe inscrições de trabalhos para o 7º FNM até 2 de abril

Até o dia 2 de abril, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) está com inscrições abertas para apresentação de trabalhos nas Comunicações Coordenadas do 7º Fórum Nacional de Museus (FNM) – programado para acontecer entre os dias 30 de maio e 4 de junho na cidade de Porto Alegre (RS).

Além das comunicações orais, a modalidade poster

Apresentação oral e pôster são as duas modalidades disponíveis

Sob o tema Recomendações Unesco 2015 para a Proteção e Promoção do Patrimônio Museológico e Coleções, os trabalhos devem refletir sobre perspectivas e caminhos a serem trilhados pelos museus no Brasil tendo em vista as Recomendações da Unesco – aprovadas a partir de iniciativa brasileira e consideradas “um pilar das políticas públicas de museus para as próximas décadas”. Conheça o documento.

Como participar
Resumos de pesquisas, relatos de experiências, em desenvolvimento ou já finalizadas, acadêmicos ou não, podem ser inscritos. No total, serão selecionados 18 trabalhos na modalidade Apresentação Oral e 30 trabalhos na modalidade Pôster.

A comissão de seleção será composta por cinco membros, sendo três da equipe técnica do Ibram e dois externos, considerados de notório saber na área da Museologia.

Cada candidato pode inscrever, no máximo, um trabalho como autor e um como co-autor, independente da modalidade escolhida. Não serão aceitos trabalhos já apresentados em edições anteriores do FNM. Acesse o edital e seus anexos.

Dúvidas e outras questões podem ser enviadas para o endereço eletrônico comunicacoes.coordenadas@museus.gov.br.

Sobre o FNM
Organizado pelo Ibram, o Fórum Nacional de Museus tem por objetivo refletir, avaliar e delinear diretrizes para a Política Nacional de Museus (PNM), além de consolidar as bases para a implantação de um modelo de gestão integrada dos museus brasileiros, representado pelo Sistema Brasileiro de Museus (SBM).

Constitui-se como um espaço fundamental para intercâmbio de experiências entre comunidade museológica, sociedade civil, instituições de ensino superior, museus e órgãos de gestão museológica federais, estaduais e municipais.

Palestras, oficinas, grupos de trabalho, debates, entre outras atividades, compõem a programação. Saiba mais.

Texto e foto: Ascom/Ibram

CNIC de março autoriza captação de R$ 5,4 milhões para projetos de museus

A 255ª Reunião da Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC), que teve lugar em Brasília (DF) entre os dias 6 e 9 de março, autorizou que cinco projetos da área de museus possam captar, via Lei Rouanet, o valor de R$ 5.438.363,46.

CNIC_logoO Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e outras autarquias do Ministério da Cultura (MinC) aprovaram cinco dos seis projetos apresentados nesta terceira edição da CNIC em 2017.

Dentre os projetos está a manutenção e preservação do acervo da cantora mineira Clara Nunes (1942-1983), localizado na cidade de Caetanópolis (MG).

Além de dois projetos para livros de museus, um projeto para exposições e cursos no Museu de Arte Moderna Aluísio Magalhães, em Recife (PE), também foi aprovado. Pesquise na página dos sistema Salic Net todos os projetos aprovados na reunião.

A CNIC analisa projetos culturais candidatos a captar recursos por meio de incentivo fiscal, inclusive sob seus aspectos orçamentários. Sendo um colegiado de assessoramento, a comissão é formada por representantes dos setores artísticos, culturais e empresariais, em paridade da sociedade civil e do poder público. Saiba mais sobre a CNIC e o incentivo fiscal a projetos culturais.

Texto: Ascom/Ibram
Última atualização: 13.3.2017

Nota de esclarecimento sobre seleção para diretor do Museu Villa-Lobos

Ibram_logo_baixaSobre questões levantadas no artigo Falando de música – misérias cariocas, escrito por Leandro Oliveira e publicado no blog Estado da Arte/Cultura Estadão, no dia 2 de março de 2017, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) vem a público esclarecer que:

1. Criado em 2009, o Ibram iniciou, a partir de 2011, a seleção de dirigentes para os museus federais que compõem sua rede por meio de editais públicos. O modelo, democrático e transparente, garante ampla concorrência aos profissionais da área interessados e capacitados para os respectivos cargos;

2. Com uma rede formada por 30 unidades museológicas, sete museus já tiveram novos gestores selecionados via editais públicos – todas as etapas dos processos estão disponíveis na página do Ibram;

3. O mais recente dos processos de seleção finalizados refere-se ao Museu Villa-Lobos/Ibram, localizado na cidade do Rio de Janeiro (RJ), que teve início em meados de 2016 e cujo resultado final foi publicado em fevereiro de 2017;

4. O referido edital de seleção, assim como os anteriores já realizados, não traz a obrigatoriedade da apresentação de currículos de candidatos no modelo Lattes. O currículo apresentado pela candidata citada no artigo guarda estrita coerência com os documentos comprobatórios apresentados;

5. A escolha dos nomes para compor a comissão de seleção avaliadora de candidatos à direção do Museu Villa-Lobos pautou-se pela relevância profissional, conhecimento do setor museal e perfis diferenciados para uma avaliação mais equânime. A comissão de três integrantes foi formada pelos diretores do Museu de Arte Contemporânea da USP e Museus Castro Maya e um representante do corpo diretivo do Ibram;

6. Um dos principais pontos de análise pela comissão de seleção é o Plano de Trabalho elaborado pelos candidatos, exigido no edital, que necessariamente deve prezar pela sua estrutura, coerência e viabilidade de execução – além da aderência à Política Nacional de Museus. No caso do Museu Villa-Lobos, a análise dos Planos de Trabalho foi fator preponderante na classificação final dos candidatos;

7. Cópia da dissertação da candidata Cláudia Nunes Castro, intitulada An analysis and performance practices of Jacques Ibert’s Flute Concerto: Second movement, citada no texto encontra-se depositada no Centro Nacional de Estudos e Documentação da Museologia (Cenedom), na sede do Ibram em Brasília, e disponível para consulta pública;

8. A comprovação de cumprimento de mestrado profissional em Administração das Artes da referida candidata, assim como os demais documentos comprovatórios, encontra-se no processo administrativo relativo à seleção de dirigente para o Museu Villa-Lobos/Ibram, estando à disposição para consulta dos interessados.

Assessoria de Comunicação
Instituto Brasileiro de Museus
Ministério da Cultura

Modernização do MCHA ampliará programação cultural em Alcântara (MA)

A equipe do Museu Casa Histórica de Alcântara (MCHA/Ibram), no Maranhão, reuniu-se hoje (7) com o prefeito de Alcântara, Anderson Wilker, com o objetivo de firmar parceria para fortalecer a programação cultural da cidade – a partir do projeto em andamento de ampliação do museu.

A Praça da Matriz

Cartão postal: o sobrado do MCHA integra o conjunto arquitetônico da Praça da Matriz de Alcântara

O projeto arquitetônico para o novo MCHA, situado em sobrado do final do século XVIII na Praça da Matriz de Alcântara (MA), prevê anexação do sobrado vizinho ao museu, criando áreas para exposições temporárias e permanentes, além de auditório, cafeteria e biblioteca. O projeto deve ser entregue no final deste ano.

A intenção do museu e da prefeitura é ampliar a oferta de atividades culturais para a população da região e visitantes, mantendo assim a vocação turística da histórica cidade maranhense – fundada por portugueses em 1648.

Ampliar a frequência de exposições de artes visuais, exibição de filmes, espetáculos e cursos livres são atividades propostas, além de criar mais espaço para a participação do museu nas temporadas nacionais de eventos organizadas pelo Ibram – Semana de Museus e Primavera dos Museus.

Texto e foto: MCHA/Divulgação
Edição: Ascom/Ibram

Página 1 de 11712345...102030...Última »