Página 1 de 11312345...102030...Última »

Nota do Ibram sobre Operação Antiquários, da Polícia Federal

Na manhã desta quarta-feira (18), servidores do Museu Imperial, unidade do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), acompanharam equipes da Polícia Federal no cumprimento de mandados de busca e apreensão nas cidades do Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP) e Salvador (BA).

A busca visou à apreensão de obras de arte que integram a Coleção Geyer, doadas em 1999 ao Museu Imperial/Ibram, cujo paradeiro está sendo investigado pela Policia Federal (RJ) desde 2014 -  ano em que morreu Maria Cecilia de Sampaio Geyer, viúva de Paulo Geyer, doadores da coleção.

A participação de técnicos do Ibram, a convite da Policia Federal, teve por objetivo assegurar a integridade dos bens culturais, a partir do acompanhamento e fiscalização das atividades de embalagem e transporte das peças.

Coube a eles o acompanhamento e fiscalização das atividades de embalagem e do próprio transporte a museus que ficarão com a custódia/guarda dos objetos apreendidos até o final das ações a cargo da Policia Federal e do Ministério Público Federal do Rio de Janeiro.

No total, 124 itens da coleção estão inseridos no Cadastro de Bens Musealizados Desaparecidos.

A Casa Geyer

Doada ao Museu Imperial pelo casal Maria Cecília e Paulo Fontainha Geyer em abril de 1999, a Casa Geyer se tornou uma subunidade do museu petropolitano. O tombamento de sua coleção foi aprovado em 4 de dezembro de 2014, em Brasília- DF, durante a 77ª Reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural.

A coleção reúne livros, álbuns, pinturas, gravuras, litografias, desenhos, mapas e demais objetos de arte reunidos durante 40 anos, totalizando 4.255 obras. Com o falecimento dos doadores, o Museu Imperial assumiu a coleção e a edificação que a abriga, localizada no Cosme Velho, aos pés do Cristo Redentor, tendo como objetivo principal torná-la espaço aberto ao público, cumprindo o desejo do casal.

Os futuros visitantes terão acesso a imagens do Rio de Janeiro real e imperial, seus logradouros, sua gente e natureza ali destacados. São 1.120 itens iconográficos produzidos por artistas de várias nacionalidades, 2.590 livros que enfatizam registros de viajantes e cronistas em terras brasileiras durante o século XIX.

Dentre os itens de arte decorativa, o total de objetos chega a 466, e é formado por quase 200 pinhas de cristal e vidro, móveis de madeira, em miniatura, trabalhados em marfim e a lanterna de prata que adornava a carruagem cerimonial de d. Pedro II, fazendo desse conjunto uma referência em nosso país.

A Coleção Geyer representa um fenômeno singular na história do Colecionismo nacional, pois é o resultado de uma meticulosa atividade de identificação, localização e captura de objetos de arte conduzida pelo gosto privilegiado de apreciadores das Belas Artes.  Assim, a Coleção Geyer é, ao mesmo tempo,um registro visual de um longo período da história nacional e um importante capítulo da história cultural brasileira contemporânea.

Texto: Ascom/Ibram

Presidente do Ibram realiza segunda visita técnica a museus do RJ

O presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Marcelo Araujo, realiza, desde a sexta-feira (13), visitas técnicas a unidades da rede de museus Ibram no estado do Rio de Janeiro (RJ), além de outras instituições museológicas no Rio.

Esta é a segunda série de visitas a museus do Ibram no RJ desde que Marcelo Araujo assumiu o cargo – a primeira foi em outubro do ano passado. No total, o Ibram possui 14 museus no estado.

Agenda
No dia 13, na capital fluminense, Araujo visitou o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), onde participou das celebrações pelos 80 anos de criação do museu. Saiba mais.

80 anos do MNBA: Marcelo Araujo acompanhou a programação no Rio

80 anos do MNBA na sexta (13): Marcelo Araujo acompanhou a programação no Rio

Nesta segunda-feira (16), o presidente conhece a futura sede da Representação Regional do Ibram no centro do Rio. Também visita o Museu Villa-Lobos/Ibram, localizado no bairro de Botafogo, atualmente fechado para obras de modernização.

A agenda, que inclui reuniões com as equipes de cada museu da rede Ibram, prossegue na terça-feira (17), com visita ao Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI), em Niterói (RJ); e encerra-se na quinta-feira (19) com ida ao Museu Casa da Hera, na cidade de Vassouras (RJ).

“Busco uma gestão mais próxima e forte entre equipes. As visitas técnicas são importantes para conhecer e conversar com os servidores de cada museu”, explica o presidente do Ibram. “É fundamental pensar o instituto como uma equipe única e integrada, capaz de desenvolver projetos transversais”.

Ao longo da semana, ele participa ainda de compromissos públicos e visitas técnicas a outros museus cariocas – como Museu do Samba, Sítio Burle Max, Museu da Maré e Instituto Casa Roberto Marinho.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: MNBA/Divulgação

Ibram divulga identidade visual e texto para a Semana de Museus 2017

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) lançou hoje (13), a identidade visual e o texto de referência para as instituições interessadas em participar da 15ª Semana de Museus – que acontece entre os dias 15 e 21 de maio.

Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus foi o tema definido pelo Conselho Internacional de Museus (Icom) para a edição deste ano do Dia Internacional de Museus (18 de maio), sendo adaptado à realidade dos diversos países que celebram a data.

Identidade visual da Semana de Museus 2017 (clique para ampliar)

Identidade visual da Semana de Museus 2017 (clique na imagem para ampliar)

Presenças e ausências
“Como pensar então as histórias contadas pelos museus?”, pergunta o texto de referência brasileiro sobre o tema, resultado da colaboração de pesquisadores do Museu Histórico Nacional (MHN) com a equipe do Ibram sede.

“As narrativas museográficas são produzidas a partir de escolhas, disputas de poder e silêncios. Tal seleção produz ausências e esquecimentos: é o que chamamos de ‘não dito’”, segue a reflexão.

A presença, no formato tradicional de museus, de “objetos representativos das memórias” das classes dominantes criaria “lacunas” e “esquecimentos”, segundo o texto, em relação a referências próprias das classes populares.

Assim, abrir-se ao diálogo seria, para os museus, uma forma de confrontar preconceitos e criar espaço para outras narrativas. “E o grande desafio é articular os silêncios com as peças de acervos, de modo a construir ritmo e harmonia expográficos”. Acesse o texto de referência na íntegra.

Sob esse ponto de vista, a identidade visual traz a imagem de dois objetos do acervo do MHN que representam perspectivas aparentemente divergentes: masculino e feminino; erudito e popular; passado e presente. Ao aproximá-los, seus contrastes ficam mais evidentes e provocativos – produzindo então novas interações.

Inscrições abertas
Até 3 de março, museus e instituições culturais interessadas em participar da 15ª Semana de Museus devem programar atividades em torno do tema (exposições, visitas mediadas, shows, palestras etc.) e inscrevê-las no formulário eletrônico disponível na página do Ibram. Saiba mais.

Matéria relacionada
Cartilha do Ibram traz dicas de parcerias para a Semana de Museus

MNBA celebra 80 anos de criação com uma série de atividades

Divulgação MNBA

Desenho de Grandjean de Montigny que integra a nova exposição do MNBA

O Museu Nacional de Belas Artes/ Ibram, no Rio de Janeiro (RJ), comemora, nesta sexta-feira (13), 80 anos de sua criação e preparou uma série de eventos para celebrar a data.

Abrindo a agenda de exposições de 2017, será inaugurada a mostra Grandjean de Montigny e Rio de Janeiro no século XIX – Planos e projetos de um arquiteto francês para uma metrópole em construção.  A data marca os 80 anos de criação do MNBA, em 1937, por Getúlio Vargas.

Grandjean de Montigny (1776-1850) desembarcou no Brasil em 1816, integrando a Missão Artística Frances, chefiada por Joaquim Lebreton.

Os traços do arquiteto Montigny desempenharam um papel relevante pelas transformações e adaptações produzidas na paisagem da cidade do Rio, visando se adaptar ao novo status adquirido.

Para as curadoras da exposição, Laura Abreu e Claudia Ribeiro, a ideia é fazer com que o visitante percorra um Rio de Janeiro do início do século XIX, numa perspectiva de visão do mar para o verde das montanhas que emolduram a sua paisagem. A mostra exibe originais do acervo do MNBA e reprodução de obras da Biblioteca Nacional,  do Museu D. João VI(da EBA/UFRJ), e do Arquivo Nacional.

Também no dia 13, haverá diplomação dos agraciados com o Prêmio Quirino Campofiorito, posse da diretoria da Associação de Amigos do MNBA, recital de violino e piano com Priscila Ratto e Katia Balloussier, lançamento dos livros Alegoria às Artes – Léon Pallière e trezena de São Sebastião, com a presença do Cardeal Dom Orani Tempesta. As atividades começam ao meio-dia e têm entrada franca. Saiba mais.

Texto e imagem: MNBA/Divulgação

Museus Ibram desenvolvem atividades para o período de férias de verão

É hora de aproveitar as férias de verão e os museus do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) são uma ótima opção. Além de importantes espaços de fruição estética, também oferecem oportunidade de lazer, principalmente para o público infantil.

Confira abaixo o que museus no Rio de Janeiro e Minas Gerais prepararam especialmente para este período do ano.

Museu da República (RJ)

Museu da República (RJ)

O Museu Imperial, que fica em Petrópolis (RJ), está oferecendo uma visita guiada no período das férias (até 25 de fevereiro). As visitas são oferecidas pelo Setor de Educação e ocorrem de terça a sábado.

Além disso, o museu também preparou uma programação destinada a crianças de 3 a 10 anos, feita pela equipe da Biblioteca Rocambole. A programação começa hoje (10). Confira a programação completa.

Já a Colônia de Férias do Museu da República, na cidade do Rio (RJ), é uma atividade dirigida ao público infantil, promovida há mais de 30 anos. O museu desenvolve, gratuitamente, trabalhos com grupos de 40 crianças, de 7 a 11 anos, sempre pautadas no patrimônio material e imaterial, memória e museu.

Os temas são trabalhados por meio de oficinas lúdico-pedagógicas, dinâmicas de grupo e brincadeiras. O programa é desenvolvido anualmente durante o mês de janeiro. Mais informações pelo endereço eletrônico mr@museus.gov.br ou pelo telefone  (21) 2127.0324.

A cidade como tema
Ainda no estado do Rio de Janeiro, no dia 13 de janeiro, às 20h, o Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio promove o Cinema nos Jardins do Museu, com a exibição do documentário A noite dos tempos, com direção de Ricardo do Carmo, sobre a cidade de Cabo Frio, tratando de temas históricos e atuais relacionados à cidade.

Ainda na programação audiovisual, o documentário Uma terra de todos, de Márcio Paixão, faz um recorte da gestão da prefeitura na cidade de Cabo Frio pós-deflagração da crise do petróleo e suas consequências para a população.

Museu Casa dos Ottoni (MG)

Museu Regional Casa dos Ottoni (MG)

O Setor Educativo do Museu da Inconfidência, em Ouro Preto (MG), promove, a partir do dia 16 de janeiro, a oficina (Re)inventando a cidade, como foco nas relações que estabelecemos com a cidade de forma lúdica e despretensiosa.

A oficina destina-se a crianças dos 7 aos 12 anos e será divida em duas turma. As inscrições podem ser feitas pelo telefone (31) 3551.1378 ou pelo endereço eletrônico educativodomuseu@gmail.com.

E o Museu Regional Casa dos Ottoni, na cidade de Serro (MG), oferece, durante todo o mês de janeiro, atividades recreativas para as crianças e jovens, como passeios ecológicos, Espaço de Leitura, atividade Hora de Brincar e apresentação teatral.

Além disso, em parceria com o Serro Tênis Clube, serão oferecidos brincadeiras com petecas e bolas no jardim da instituição. Mais informações e inscrições pelos telefones (38) 3541.1440 ou (31) 9902.4609, e ainda pelo endereço eletrônico mrco@museus.gov.br.

Texto: Ascom/MinC
Edição: Ascom/Ibram
Fotos: Museus Ibram/Divulgação

Ibram realiza o Registro de Museus

Logo-RegMuseus-300x86A partir do dia 3 de janeiro, todos os museus brasileiros já podem solicitar o seu registro junto ao Instituto Brasileiro de Museus.

O Registro de Museus é obrigatório e visa criar mecanismos de coleta, análise e compartilhamento de informações sobre os museus brasileiros, com o propósito de aprimorar a qualidade de suas gestões e fortalecer as políticas públicas setoriais.

Previsto pelo Estatuto de Museus, Lei 11.904/2009 e regulamentado pelo Decreto nº 8.124/2013, o Registro de Museus é um produto da Rede Nacional de Identificação de Museus (Renin) e resultado do trabalho conjunto do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e dos Sistemas Estaduais de Museus, e possibilitará o trabalho em rede em torno de uma plataforma colaborativa que irá reunir e compartilhar informações com todo o país.

A Resolução Normativa Nº 1, publicada no Diário Oficial de 15 de dezembro de 2016, estabelece os procedimentos e critérios relativos ao Registro de Museus junto ao Instituto Brasileiro de Museus e demais órgãos públicos competentes.

Mais informações através da plataforma Museusbr, pelo e-mail registro@museus.gov.br ou pelos telefones 3521-4329 ou 4330.

Saiba mais sobre o Registro de Museus:
O que é o Registro de Museus
10 vantagens para os museus registrados
O que mudou com o Registro de Museus

Ibram divulga investimentos públicos federais no setor museal em 2015

Os investimentos no setor museal, pela segunda vez consecutiva, ultrapassaram o valor de R$300 milhões. Os dados acabam de ser disponibilizados pelo Instituto Brasileiro de Museus – Ibram e correspondem ao ano de 2015.

Desde 2011, o Ibram empreende anualmente o levantamento dos investimentos públicos federais em instituições museais efetuados pelo governo federal por meio da pasta da Cultura. Tal levantamento tem como objetivo identificar os valores captados pela Lei Rouanet ou empenhados pelas unidades orçamentárias do Sistema MinC em cada exercício, caracterizados como investimentos no setor museal.

Em 2014, pela primeira vez os investimentos ultrapassaram R$300 milhões. Em 2015, os investimentos totalizaram R$ 307.412.866. O Ibram empenhou cerca de 17,6% deste valor, sendo os outros 82,3% empenhados pelas demais unidades orçamentárias do Sistema MinC.

A pesquisa completa está disponível na página do Ibram.

Nota pública sobre o retorno de obras de arte do Palácio do Planalto ao MNBA

O retorno ao Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), no Rio de Janeiro (RJ), de 48 obras de arte que estavam cedidas à Presidência da República/Palácio do Planalto acontece em virtude do término do contrato de comodato tratado entre as duas instituições. Tal devolução faz parte de um processo administrativo interinstitucional comum e se dá visando, principalmente, à conservação e preservação deste acervo.

As obras em questão fazem parte do patrimônio da União, uma vez que o Museu Nacional de Belas Artes, detentor da guarda do acervo, é uma instituição sob a alçada do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), autarquia vinculada ao Ministério da Cultura.

Ao retornarem ao Museu Nacional de Belas Artes, as obras passarão por restauro e higienização. Posteriormente, integrarão ações de circulação, por meio de exposições no próprio MNBA, em museus que integram a rede Ibram ou mesmo outras instituições nacionais e internacionais, considerando que o órgão tem como uma de suas finalidades contribuir para a divulgação e difusão dos acervos museológicos brasileiros.

A parceria entre o Ibram e o gabinete da Presidência da República, representado pela Diretoria de Documentação Histórica, é permanente e se traduz no desenvolvimento de ações de conservação e de preservação de obras que integram o acervo da Presidência da República e em outras atividades de colaboração voltadas ao aprimoramento das relevantes ações museológicas desenvolvidas.

Texto: Ascom/Ibram

Tríplice Fronteira é tema de debate no Museu Victor Meirelles em SC

O Museu Victor Meirelles (MVM), unidade do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) em Florianópolis (SC), promove no dia 28 de dezembro (quarta-feira), às 16h, a mesa-redonda Tríplice Fronteira: Brasil, Argentina e Paraguai – Memória e Contemporaneidade.

Atividade acontece na sede provisória do MVM em Florianópolis

Atividade acontece na sede provisória do MVM em Florianópolis

Os convidados são Maurício Ferreira Junior, professor e diretor do Museu Imperial, unidade museológica do Ibram em Petrópolis (RJ); Sérgio Medeiros, professor de literatura da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e a artista Fran Favero.

A mesa-redonda acontece na Sala Multiuso do Museu Victor Meirelles, que está funcionando em sua sede provisória à Rua Rafael Bandeira, 41 – Centro da capital catarinense. A entrada é gratuita.

O evento faz parte das atividades da mostra Y/Rembe’y, em exibição no Museu Victor Meirelles, com trabalhos de Favero. A exposição é composta por vídeos, sons, instalações e publicações de artistas e tem como proposta a reflexão acerca daquela região fronteiriça.

Na tríplice fronteira, os limites entre países são marcados pelos rios que se encontram e se cruzam. Essa relação entre água e fronteira permeia os trabalhos propostos para a exposição, seja através da fluidez encontrada nas trocas fronteiriças e nas águas do rio, ou da barreira que muitas vezes o rio e a fronteira podem representar.

A exposição Y/Rembe’y fica aberta ao público até 11 de fevereiro de 2017, também com entrada gratuita. Saiba mais sobre o Museu Victor Meirelles.

Texto: Ascom/Ibram
foto: MVM/Divulgação

Museus da rede Ibram em três estados iniciam obras de requalificação

Tiveram início nesta semana as obras de recuperação emergencial do Museu das Missões, que integra a rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) em São Miguel das Missões (RS), após tornado que atingiu o Sítio Arqueológico de São Miguel Arcanjo no primeiro semestre deste ano – causando danos à estrutura e acervo do museu.

Operários cercam área do Museu das Missões onde haverá obras emergenciais

Operários cercam área do Museu das Missões para obras emergenciais

Na parte arquitetônica, a empresa responsável pela obra iniciou a montagem de tapumes para isolar o Pavilhão Lucio Costa e a Casa do Zelador durante as obras. A cobertura da Sacristia Velha também será restaurada.

Com recursos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) na ordem de R$ 1,6 milhão, o prazo para a conclusão dos trabalhos das obras emergenciais é de aproximadamente três meses, com possibilidade de prorrogação, caso seja necessário, para a devolução do museu ao seu projeto original.

Projetado em 1940 pelo arquiteto Lucio Costa (1902-1998), o Museu das Missões é parte de sítio arqueológico considerado Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco.

Reunindo representativa coleção pública de imagens sacras e fragmentos missioneiros do Mercosul, exibe ao público uma coleção da arte barroca elaborada pelos índios guarani nas reduções jesuíticas (séculos XVI e XVII).

Obras em MG e RJ
Outro museu da rede do Instituto Brasileiro de Museus que iniciou esta semana um processo de restauração integral foi o Museu Regional de Caeté, em Minas Gerais (MG).

A diretora do museu B.Constant com o presidente do Ibram em recente visita

A diretora do museu B.Constant, Eliane Carrilho, com Marcelo Araujo, presidente do Ibram, em recente visita ao museu antes do início das obras

A intervenção física será realizada com o intuito de preservar as características estruturais, formais e estéticas do museu, situado em antigo sobrado de fins do século XVIII, na cidade de Caeté, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desde 1950.

O prazo previsto para a execução dos serviços será de 12 meses e o custo é de aproximadamente R$ 2,7 milhões. Saiba mais.

Já a primeira fase das obras de restauração no Museu Casa de Benjamin Constant, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), também já iniciadas, envolvem dois prédios históricos: a casa onde morou Benjamin Constant e a sede administrativa, a “casa amarela” – construídos nos séculos XIX e XX, respectivamente. Para esta primeira fase estão sendo investidos recursos de R$ 2,1 milhões por parte do Ibram.

O museu, que fica no bairro carioca de Santa Teresa, estará aberto ao público até o dia 30 de dezembro e sem data prevista para a reabertura.

Além desses museus, há atualmente obras em andamento no Museu Victor Meirelles, em Florianópolis (SC), e processos licitatórios para requalificação do Museu Regional de São João del-Rei (MG), Museu Casa Histórica de Alcântara (MA) e Museu Casa da Hera (RJ).

Atualmente, o Ibram conta com 29 museus federais sob sua gestão. Conheça os museus da rede Ibram.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Museu das Missões e Museu Casa de Benjamin Constant/Divulgação

Página 1 de 11312345...102030...Última »