Página 1 de 11912345...102030...Última »

Revista Ventilando Acervos abre chamada para trabalhos

ventilando-acervos-300x158O Museu Victor Meirelles/Ibram convida pesquisadores e profissionais de museus brasileiros e do exterior a compartilhar com a comunidade de leitores interessados suas reflexões e atividades realizadas na área da gestão de acervos em museus. Os trabalhos serão publicados na revista Ventilando Acervos, organizada pelo Grupo de Estudos Política de Acervos, publicada pelo Museu Victor Meirelles e com apoio da Associação de Amigos do Museu Victor Meirelles (AAMVM), dedicada a reunir e socializar práticas e conhecimentos acerca da gestão de acervos em museus.

Serão selecionados trabalhos nas modalidades Artigos, Relatos de experiências, Entrevistas e Resenhas de livros, filmes ou exposições, e devem estar de acordo com os três temas de interesse da Revista: Gestão de Acervos em museus, Colecionismo e Experiências de elaboração e uso de Política de Acervos.

Os trabalhos devem ser enviados para o endereço eletrônico reva@museus.gov.br e o assunto da mensagem deve indicar “Inscrição de trabalho”, até o dia 30 de setembro de 2017. O resultado dos trabalhos selecionados será divulgado até dia 31 de outubro de 2017. Saiba mais sobre a Revista Ventilando Acervos.

Equipes do Ibram avaliam os resultados do 7º Fórum Nacional de Museus

7FNM_Avaliacao2

Servidores do Ibram reunidos na última quarta (14) para avaliar o 7º FNM

Na quarta-feira (14), o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) realizou, em sua sede em Brasília (DF), uma avaliação sobre o 7º Fórum Nacional de Museus (FNM) – que teve lugar entre os dias 31 de maio e 4 de junho em Porto Alegre (RS).

Com a presença de servidores de todas as áreas do Ibram sede envolvidas com a realização do FNM, Marcelo Araujo, presidente do Instituto, avaliou de forma positiva a sétima edição do evento e pediu esforços diante dos desdobramentos para que “o êxito do 7º FNM se consolide”.

Ele destacou a comunicação, em especial o blogue do FNM, como essencial para manter e ampliar as articulações com grupos e redes do campo museal que se reuniram na capital gaúcha.

Eneida Braga, diretora de Difusão, Fomento e Economia dos Museus do Ibram, apresentou números do 7º FNM que reforçaram a relevância desta edição.

De um total de 1,3 mil inscrições realizadas online, 918 credenciamentos foram feitos no Centro de Eventos da PUC-RS. Os participantes – público espontâneo, convidados e servidores do Ibram – vieram de 124 cidades em 23 estados brasileiros.

O Rio Grande do Sul representou 47% do total de participantes – seguido pelo Distrito Federal, Rio de Janeiro e São Paulo. Destaque ainda para a presença do Pará, onde aconteceu o 6º FNM em 2014.

Os dados ainda revelam que os minicursos são de grande interesse: 63% dos participantes se inscreveram para os oito oferecidos nesta edição. Conheça as impressões de alguns deles.

A diretora de Processos Museus do Ibram, Renata Bittencourt, mostrou-se animada com os resultados do segundo encontro do Programa Nacional de Educação Museal (PNEM) e da reunião de Pontos de Memória – cuja principal bandeira, a institucionalização do programa junto ao Ibram, já tem avanços.

Contribuições

7FNM_Avaliacao1

Marcelo Araujo, presidente do Ibram, avaliou de forma positiva o Fórum Nacional de Museus 2017

Os servidores do Ibram puderam expor críticas e elogios sobre o a sétima edição do FNM, como também propor mudanças na estrutura e organização do Fórum Nacional de Museus.

Dentre as contribuições, com o intuito de ampliar o interesse e engajamento do setor, estão a ampliação das Comunicações Coordenadas, com possível criação de Anais com os trabalhos apresentados, e a forma como se dá o processo de seleção das cidades que sediam o evento.

Atualmente, após a apresentação de candidaturas das cidades, os presentes na Plenária Final de cada edição votam na proposta que consideram mais relevante.

Por fim, Marcelo Araujo demonstrou interesse em iniciar desde já as articulações para o 8º FNM – que deverá acontecer em 2019 na cidade de Fortaleza (CE) e marcará os 10 anos de criação do Instituto Brasileiro de Museus.

Texto e fotos: Ascom/Ibram

Cultura afro, videoinstalação e minicurso ocupam o MUBAN durante o FICA 2017

A cidade histórica de Goiás (GO) recebe de hoje a 25 de junho, a 19º edição de um dos eventos mais importantes do calendário local: o Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA). Parceiro do festival, o Museu das Bandeiras (MUBAN), vinculado ao Ibram, volta a receber parte de sua programação, que se espalhará pela cidade.

Nesta terça-feira (20), dia da abertura do evento, o museu participa de sua programação com a videoinstalação Enxovia Forte. O projeto foi desenvolvido a partir de pesquisa realizada por alunos dos cursos técnico e superior em Audiovisual do Instituto Federal de Goiás (IFG) no arquivo do MUBAN.

Através de imagens e sons especificamente desenvolvidos para ser apresentados na sala da enxovia – espécie de antiga masmorra localizada na parte inferior do museu – a videoinstalação leva o visitante aos tempos de funcionamento da antiga Casa de Câmara e Cadeia que o prédio abrigou originalmente. A videoinstalação permanece em cartaz durante todo o período do FICA.

Na quarta-feira (22), a partir das 9h, a programação do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental inclui roda de conversa e um café da manhã para abertura da exposição fotográfica Diálogo entre Tempos, que remete à história da cidade de Goiás a partir da memória do cidadão vilaboense.

Religiosidade africana e Direito à Memória - A religiosidade de matriz africana também ocupará o museu como parte do “FICA na Comunidade”: também no dia 22, às 14h, o MUBAN recebe o Fórum de Comunidades Religiosas de Matrizes Africanas da Cidade de Goiás.

Com o tema “Sustentabilidade das Comunidades Religiosas de Matrizes Africanas da Cidade de Goiás”, o fórum terá apresentação de políticas públicas, leis e projetos focados na valorização e respeito das comunidades e suas religiões. Serão convidadas representações das 22 comunidades religiosas existentes na região da Cidade de Goiás.

Nos dias 22 e 23, a diretora do Museu das Bandeiras, Stélia Castro, será ainda uma das ministrantes do minicurso “O Direito à memória e as lutas sociais do campo”, que também contará com a participação de Janaína Sevá (UFG), José Roberto Novaes (UFRJ) e Ricarda Canozo (UNICAMP). Confira a programação completa do FICA 2017.

Últimos dias de processos seletivos para diretores de museus Ibram

Museu da Inconfidência (MG)

Museu da Inconfidência (MG)

Candidatos interessados em concorrer ao cargo de diretor do Museu da Inconfidência/Ibram, situado em Ouro Preto (MG), têm até o dia 24 de junho para fazer sua inscrição. Já aqueles que desejam concorrer ao cargo de diretor do Museu Solar Monjardim, em Vitória (ES), poderão fazê-lo até do dia 30 de junho.

Para realizar a inscrição o candidato deverá encaminhar a documentação exigida nos respectivos editais para o endereço eletrônico selecao@museus.gov.br, indicando no assunto a qual processo seletivo deseja concorrer.

Podem concorrer aos cargos servidores públicos ou não, com formação acadêmica, conhecimento das políticas públicas do setor museológico e da área de atuação do museu, além de experiência comprovada em gestão envolvendo atividades de relacionamento com organizações de governo e entidades da sociedade em geral.

A seleção será realizada mediante critérios técnicos e objetivos de qualificação, avaliados por Comissão de Seleção através de análise de currículo, declaração de interesse e plano de trabalho. Realizado em três etapas, o processo seletivo inclui ainda entrevista oral, de caráter classificatório. Mais informações no site do Ibram.

Museu Imperial integra projeto de moda Google Arts & Culture

A partir de hoje (8), três mil anos de moda mundial estão reunidos na maior exposição virtual de estilo já realizada. O projeto We Wear Culture (“Nós Vestimos Cultura”, em inglês), desenvolvido pelo Google Arts & Culture, é fruto de colaboração com mais de 180 instituições culturais em 42 países.

O traje do imperador d.Pedro II compõe projeto de moda do Google

Acervo do Museu Imperial/Ibram: traje do imperador d.Pedro II compõe projeto de moda do Google

O Museu Imperial, que integra a rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), é uma das 11 instituições brasileiras que contribuem com o projeto ao disponibilizar o traje e as insígnias usados por d. Pedro II (1825-1891) em sua coroação como imperador – peças que despertam curiosidade e fascínio entre os visitantes do museu.

“Falar sobre o traje usado por d. Pedro II em sua coroação, antes de mais nada, é falar sobre como a indumentária é o atributo de quem o veste: ele não foge a nenhuma regra simbólica presente no século XIX”, explica Muna Durans, coordenadora do projeto de digitalização do Museu Imperial.

Além do design de moda, as peças que compõem o traje majestático “são símbolos de poder e de afirmação do país recém-independente, que buscava lugar e respeito entre os grandes e tradicionais reinos existentes na Europa do século XIX”, reforça. Saiba mais sobre o Museu Imperial.

Realidade virtual

Em meio a mais de 400 exposições e histórias do projeto We Wear Culture, que envolvem 30 mil fotos, vídeos e outros documentos, foram também desenvolvidos filmes de realidade virtual que podem ser vistos tanto no YouTube quanto com um visor de realidade virtual.

Para Alessandro Germano, diretor de parcerias estratégicas do Google para a América Latina, as exposições retratam histórias por trás do que nós usamos. “O que você veste é cultura de verdade e, no mais das vezes, é mais do que uma obra de arte”, acredita.

A exposição completa We Wear Culture está disponível online pelo aplicativo do Google Arts & Culture para dispositivos móveis iOS e Android.

Acervos online
Desde o dia 30 de maio, também estão disponíveis na plataforma Google Arts & Culture 1,3 mil peças dos acervos de cinco museus que compõem a rede Ibram: Museu Lasar Segall (SP), Museu Histórico Nacional, Museus Castro Maya, Museu Nacional de Belas Artes e Museu Imperial (RJ).

Nesta primeira fase, mais de 450 obras desses objetos foram capturadas com a Art Camera – câmera que digitaliza em alta resolução (gigapixels) e revela detalhes de obras e objetos que passariam despercebidos a olho a nu. Também é possível passear pelos museus do Ibram graças à tecnologia Google Street View.

A digitalização, resultado da parceria entre Ibram e Google, tem como objetivo promover os museus brasileiros e seus acervos, democratizando o acesso ao vasto patrimônio que as instituições preservam.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Museu Imperial/Divulgação

Matérias relacionadas
Acervos digitais: resultado da parceria entre Ibram e Google no 7º FNM
Ibram e Google disponibilizarão online acervos de cinco museus

 

Fortaleza (CE) sediará o 8º Fórum Nacional de Museus em 2019

7FNM_Encerramento1-300x200

Apresentação de resultados do encontro do PNEM e dos GTs durante a Plenária Final do 7º FNM

Em Plenária Final, na tarde de sábado (3), a cidade de Fortaleza (CE) foi escolhida, com 72 votos, para sediar a próxima edição do Fórum Nacional de Museus (FNM) em 2019. As cidades de Cuiabá (MT) e Belo Horizonte (MG) também apresentaram candidaturas.

O encerramento contou com a leitura de proposições alcançadas durante os dois dias de reuniões de oito grupos de trabalho. Houve ainda a apresentação, discussão, votação e aprovação de 10 moções apresentadas pelos participantes do 7º FNM.

Por fim, houve uma breve apresentação dos resultados do primeiro encontro do Programa Nacional de Educação Museal (PNEM) e das reuniões paralelas de entidades e grupos ligados ao campo museal.

Coordenada pelo presidente do Ibram, Marcelo Araujo, a mesa de encerramento foi composta por Luciene Figueiredo, coordenadora dos Sistemas Estaduais de Museus; Eneida Braga, diretora do Departamento de Difusão, Fomento e Economia de Museus do Ibram; e Simone Flores, representante da Comissão Organizadora local do 7º FNM.

Marcelo Araujo comemorou os resultados alcançados nesta edição do FNM e os avanços na discussão das políticas públicas para o setor de museus no Brasil.

O representante do setor de museus no Conselho Nacional de Políticas Culturais (CNPC), eleito para o biênio 2018-2020 pelos participantes, foi o Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus( Icom), com 97 votos. A suplência fica com o Conselho Federal de Museologia (Cofem), que obteve 94 votos.

Texto e fotos: Ascom/Ibram
Última atualização: 6.6.2017

FNM: saiba o que aconteceu na quinta-feira (1)

IMG_5023No segundo dia de painéis do 7º Fórum Nacional de Museus, diversos temas ligados aos desafios e possíveis caminhos contemporâneos para a preservação e promoção de museus e coleções voltaram a estar em pauta e atrair o interesse do público que participa do evento em Porto Alegre (RS).

Os três painéis realizados na quinta-feira (1º) abordaram a gestão da propriedade intelectual sob a guarda dos museus, novas abordagens para o cumprimento de sua função social na atualidade e a digitalização de acervos.

Com o tema Preservação e acesso à informação museal em meio digital, o Painel 6 da programação iniciou com a apresentação de case sobre o Museu do Doce, quando foram expostos os projetos de acessibilidade e tecnologia do museu, com destaque para projeto de realidade aumentada desenvolvido em conjunto com a Universidade Federal de Pelotas.

Em seguida, o painelista José Murilo Carvalho Junior, coordenador de Arquitetura da Informação da Coordenação-Geral de Sistemas de Informação Museal do Ibram, apresentou o Projeto Tainacan+Museu. Os painelistas Wellington Pedro da Silva, representante do Ponto de Memória Taquaril (MG), e Daniel Flores, doutor em Metodologias e Linhas de Investigação em Biblioteconomia e Documentação, também trouxeram ao público reflexão sobre a função do acervo a partir do uso de tecnologias por museus comunitários e sobre as estratégias de preservação digital, uso de banco de dados, plataformas de acesso e segurança de repositórios digitais.

Função social dos museus: novas abordagens frente às transformações sociais trouxe como painelistas a diretora do Núcleo de Pesquisa do Museu do Samba (RJ), Desirree Reis; a diretora do Museu do Sexo da Putas (MG), Cida Vieira; e Suzenalson da Silva Santos, representante do Museu Indígena Kanindé (CE). Mediado pela diretora do Departamento de Processos Museais do Ibram, Renata Bittencourt, a mesa abordou, através da apresentação das três experiências e debate com o público, o museu como ferramenta privilegiada para a promoção dos direitos humanos e respeito à diversidade, combate a violências e empoderamento de grupos sociais vulneráveis.

O terceiro painel do dia, A utilização criativa de acervos de museus e a gestão da propriedade intelectual, teve como mote a criação de laços afetivos com o público, a partir da oferta de experiências completas que façam os visitantes permanecerem por mais tempo nas instituições, continuando esse relacionamento após o término da visitação – a exemplo do desenvolvimento de produtos das lojas e cafés ligados à temática dos museus. O assunto foi abordado por Rafael Ferraz Vazquez, advogado associado e consultor sobre Direito Autoral da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI); Cláudia Porto, museóloga e consultora de museus, membro da diretoria do Icom para o Desenvolvimento de Coleções, e Gabriela Agustini, professora de Cultura e Tecnologia na Universidade Cândido Mendes e Fundação Getúlio Vargas, sócia e diretora de inovação no Olabi. A mediação foi da diretora do Departamento de Difusão, Fomento e Economia de Museus do Ibram, Eneida Braga. Continue lendo.

 II Conferência

7FNM_AlanTrampeNa segunda Conferência do 7º FNM, Alan Trampe Torrejón falou sobre a Valorização dos museus por meio da cooperação internacional e os 10 anos da Declaração de Salvador.

Torrejón, que é subdiretor Nacional de Museus da Direção de Bibliotecas, Arquivos e Museus do Governo do Chile e membro fundador do Programa Ibermuseus, destacou a mudança na concepção de cooperação, que antes era vista apenas como um caminho para se conseguir recursos.

Ele afirmou que, após a Declaração de Salvador, os museus ibero-americanos passaram a trabalhar com uma concepção de cooperação mais horizontal e destacou o protagonismo do Brasil no desenvolvimento do setor na região, que levou à criação do Programa Ibermuseus.

“Houve um avanço significativo na compreensão de que cooperação, com mais diálogo, com a compreensão de problemas comuns e uma reflexão para encontrar solução para assuntos comuns, tendo ciência das especificidades de cada um”, comentou.

Torrejón levantou ainda questões sobre o papel dos museus, suas problemáticas, suas relações com a sociedade e ressaltou que ainda há muito o que avançar em termos de cooperação regional, pois ainda há vários países que não têm políticas específicas para o setor de museus.

Assista a Conferência na integra aqui.

FNM: programação do 2º dia é marcada por diversidade de temas

A quarta-feira (31), segundo dia de atividades do 7º Fórum Nacional de Museus, foi marcada por uma programação bastante diversificada. Os desafios e possibilidades em torno da promoção de museus e coleções esteve expressa na primeira manhã de painéis e o tema do Fórum, “Recomendação Unesco 2015 para Proteção e Promoção dos Museus e Coleções” foi o norte da conferência ministrada por François Mairesse.

Painéis

Painel 2: Novas formas de comunicação e de experiência no mundo digital

Painel 2: Novas formas de comunicação e de
experiência no mundo digital

Os painéis reuniram representantes de museus e experiências brasileiras para apresentar e debater temas como programas educacionais, novas formas de comunicação e democratização de pesquisas realizadas em museus.

O painel “Programas educacionais em museus: como envolver os diferentes grupos sociais”, que teve como case o Museu do Pão, enfatizou os esforços no sentido de trabalhar de maneira plural com os múltiplos públicos museais para além de suas exposições, promovendo ações educativas que permitam à comunidade a apropriação desses espaços. Participaram deste painel, Helena Quadros, Pedagoga, Especialista em Ação Educativa e Cultural do Museu Emilio Goeldi e representante do Ponto de Memória de Terra Firme (PA);  Janaína Melo – Gerente de Educação do Museu de Arte do Rio/Escola do Olhar (RJ) e Mila Chiovatto – Chefe do Educativo da Pinacoteca de São Paulo (SP).

“Tecnologia não pode ser um atributo do museu, mas um serviço para a divulgação do seu acervo”, pontuou a diretora de conteúdo do Museu do Futebol, em São Paulo (SP), Daniela Alfonsi – uma das convidadas para o painel Novas formas de comunicação e de experiência no mundo digital. Este painel, que contou também com a participação da coordenadora do Projeto DAMI (voltado à digitalização do Museu Imperial), Muna Durans, e do diretor de comunicação do Museu do Amanhã, Rafael Veras, discutiu os novos aspectos da comunicação nos museus a partir do uso de novas tecnologias.

O terceiro painel da primeira manhã de 7º FNM contou com a participação de Simone Flores, coordenadora de projetos museológicos do Museu de Ciência e Tecnologia da PUC-RS, instituição que sedia o evento; Henrique de Vasconcelos Cruz Ribeiro, chefe da Divisão de Estudos Museais e Ações Comunitárias do Museu do Homem do Nordeste, em Recife (PE); e Fernando Oliva, curador do Museu de Arte de São Paulo (MASP).

Com o tema “Museu como lócus de produção de conhecimento: democratizando as pesquisas realizadas em museus” e mediado pelo diretor do Museu Histórico Nacional (MHN), Paulo Knauss, o painel abordou o desafio de conectar os variados púbicos com o conhecimento produzido pelos museus em suas áreas de atuação, em especial quanto a temas pouco explorados e não-convencionais. Saiba mais.

Conferência de Abertura

Carlos Roberto Brandão (sentado), diretor do MAC/USP, foi mediador na conferência de abertura

Carlos Roberto Brandão (sentado), diretor do MAC/USP, foi mediador na conferência de abertura

Na tarde da quarta-feira (31), o belga François Mairesse ministrou a primeira conferência do 7º Fórum Nacional de Museus (FNM). Sob o tema Recomendação Unesco 2015 para Proteção e Promoção dos Museus e Coleçõeso conferencista falou sobre os principais avanços propostos por esse documento e a adesão dos países ao projeto de apoio ao desenvolvimento dos museus.

Inicialmente, Mairesse fez uma breve retrospectiva sobre o processo de aprovação da Recomendação Unesco para Proteção e Promoção e Coleções, aprovada em novembro de 2015, e destacou a atuação do Brasil que, desde 2011, e por iniciativa do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e do Programa Ibermuseus, protagonizou a construção e a proposição do documento.

O conferencista comentou sobre a ligação do documento com outros instrumentos internacionais que tratam sobre a luta contra o tráfico ilícito de bens culturais, a diversidade do patrimônio e normas éticas e profissionais. Ele explicou ainda que a Recomendação dá um panorama geral sobre o que é um museu, suas funções de preservação, recomendação, comunicação e educação. Continue lendo.

A palestra, transmitida ao vivo pela internet e com tradução simultânea, está disponível online. As atividades do 7º Fórum Nacional de Museus vão até sábado (3) em Porto Alegre. A programação completa está disponível aqui.

 

7º Fórum Nacional de Museus é aberto em Porto Alegre

IMG_4943A abertura do 7º Fórum Nacional de Museus aconteceu na noite desta terça-feira (30) e reuniu cerca de 500 pessoas no auditório do Centro de Eventos da PUC, em Porto Alegre, entre profissionais, gestores, estudantes e acadêmicos do setor de museus.

Na abertura, Marcelo Mattos Araujo, presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), falou sobre as especulações sobre o eventual cancelamento do evento, diante da situação política em que o país se encontra. Ele ressaltou que as políticas públicas da área museológica foram construídas ao longo de décadas e configuram como uma conquista para o setor, que devem ser energicamente defendidas e que o Fórum é uma oportunidade de promover o debate para aprimorá-las. “Nosso compromisso é com as nossas instituições e é nesse sentido que este 7º Fórum acontece. Para debatermos os melhores caminhos para os museus brasileiros, que são um elemento importante da cultura brasileira”, declarou.

Entre os anúncios feitos durante a cerimônia, o público conheceu o resultado da parceira do Ibram com a Google Brasil que disponibiliza, no Google Arts Institute, imagens em alta resolução do acervo do Museu Histórico Nacional, Museu Nacional de Belas Artes, Museus Castro Maia, Museu Castro Maia e Museus Lasar Segall. Além disso, também foi anunciada a 4ª temporada do Conhecendo Museus, que apresentará os museus brasileiros divididos entre os temas Gastronomia, Ciência e Tecnologia, Moda e Imagem e Som. Continue lendo.

Acervos Digitais: resultado da parceria entre Ibram e Google no 7º FNM

Uma foto  da família imperial na varanda da casa da princesa Isabel, em Petrópolis (RJ), feita por Otto Hess. O processo de criação da obra Navio  de Emigrantes (foto) do pintor Lasar Segall. Os estudos para figurino da pesquisadora Sofia Jobim . A partir de hoje (30), coleções de cinco museus da rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) estão disponíveis ao público no Google Arts & Culture.

NavioEmigrantes_Segall-300x248

O resultado da pareceria Google-Ibram será apresentado durante o 7º Fórum Nacional de Museus (FNM) – cuja abertura acontece nesta terça-feira (30), a partir das 19h, no Centro de Eventos da PUC-RS em Porto Alegre.

Ao todo, são mais de 1,3 mil obras e 18 exposições virtuais entre o acervo digitalizado do Museu Lasar Segall (SP), Museu Histórico NacionalMuseus Castro MayaMuseu Nacional de Belas Artes e Museu Imperial (RJ).

Ampliação do acesso
A digitalização tem como objetivo promover os museus brasileiros e seus acervos, democratizando o acesso ao vasto patrimônio que as instituições preservam.

Responsável por uma rede de 30 museus federais, esta é a primeira vez que objetos e coleções de seus museus estão reunidos em uma mesma plataforma digital de grande alcance, já que o Google Arts & Culture reúne hoje acervos de mais de mil museus e instituições de arte e cultura de todo o mundo.

Nesta primeira fase, mais de 450 obras dos museus Ibram foram capturadas com a Art Camera - câmera que digitaliza em alta resolução (gigapixels) e revela detalhes de obras e objetos que passariam despercebidos a olho a nu. Também é possível passear pelos museus do Ibram graças à tecnologia Google Street View.

Durante o 7º FNM, os participantes poderão interagir com os acervos e narrativas preparadas para esta fase do projeto por meio de telas touch screen. Apenas no dia 31 (quarta), a ArtCamera também poderá ser vista de perto pelos participantes.  Mais informações sobre o projeto estarão disponíveis em material impresso distribuídos pelo Google no Brasil.

Texto: Google Brasil
Edição: Ascom/Ibram
Imagem: Museu Lasar Segall/Ibram

Página 1 de 11912345...102030...Última »