Página 1 de 11812345...102030...Última »

Experiências de museus do RS serão apresentadas no 7º FNM

Os museus gaúchos têm lugar garantido no 7º Fórum Nacional de Museus (FNM). Diferentes experiências regionais (cases) de instituições e profissionais da área de museus no Rio Grande do Sul (RS) serão apresentadas durante o FNM 2017.

Museu de Território em Caxias do Sul (RS)

Museu de Território em Caxias do Sul (RS)

O Museu do Pão, localizado na cidade de Ilópolis (189 km de Porto Alegre), foi inaugurado em 2008 e tem foco na memória da cultura do pão trazida por imigrantes italianos. Além do museu, com projeto arquitetônico contemporâneo, há uma oficina de panificação e um moinho. A apresentação será feita por Ismael Rosset, diretor do museu.

O Museu do Sport Club Internacional, o “Museu do Inter”, será apresentado pela sua gerente geral, Mariana Rutenberg. Com 1,2 mil metros quadrados de exposição, o museu apresenta documentos históricos da trajetória do time porto-alegrense de 1909 até hoje.

De Caxias do Sul (128 km da capital), a museóloga e curadora Tânia Tonet traz a experiência do Museu de Território. Mantido pelo Instituto Hercules Galló, o museu ocupa duas edificações, além de jardim, e traz conceitos de exposição e ambiência com o objetivo de valorizar o patrimônio cultural da região e envolver a comunidade.

O Museu do Doce, ligado à Universidade Federal de Pelotas (261 km de Porto Alegre), tem como missão salvaguardar os suportes de memória da tradição doceira de Pelotas e região. Criado em 2011, o case será apresentado por Carla Gastaud, diretora Pró-tempore do museu.

Atividade no Museu das Ilhas em Porto Alegre (RS)

Atividade no Museu das Ilhas em Porto Alegre (RS)

Meio ambiente e cultura afro-brasileira
O projeto Territórios Negros: afro-brasileiros em Porto Alegre será o tema de Leonardo Rosa, coordenador da iniciativa da Companhia Carris. O projeto busca valorizar a história da população afro-brasileira na capital gaúcha por meio de um circuito urbano.

Em 2012, uma parceria entre a Universidade Federal do RS e uma associação cultural da Ilha da Pintada gerou o projeto Museu das Ilhas em Porto Alegre. Localizado em área de preservação ambiental, o ecomuseu se propõe a registrar o patrimônio cultural da comunidade. A apresentação será feita pela diretora do museu, Terezinha Carvalho.

Outra experiência de museu comunitário, desta vez em Santa Maria (290 km da capital), é o mote da apresentação de João Heitor da Silva Macedo, coordenador do Núcleo de Acervos e Exposições do Museu Comunitário Treze de Maio. A iniciativa busca integrar ações em prol da memória e da cultura negras na cidade.

O Roteiro Caminhos de Pedra, desenvolvido pela Associação Caminhos de Pedra em Bento Gonçalves (109 km de Porto Alegre), tem como foco resgatar, preservar e dinamizar a cultura trazida pelos imigrantes italianos à serra gaúcha a partir de 1875. Maristela Pastorello Lerin, que integra a diretoria da associação, apresenta o case.

Arquitetura europeia no Caminho das Pedras

Arquitetura europeia no Caminho das Pedras em Bento Gonçalves (RS)

Já o Coletivo Afetivo de Mulheres do Campo da Museologia (C.A.MU.CA.MU.) será apresentado por Marcelle Pereira, integrante do grupo.

A proposta, surgida no ano passado, reúne mulheres do campo da museologia no Brasil e tem, entre seus objetivos, “estimular o protagonismo feminino e a visibilidade das mulheres na sociedade e no campo da museologia” – como indica o manifesto do coletivo.

Os cases serão apresentados na sessão Painéis do 7º FNM entre os dias 31 de maio e 2 de junho, a partir das 10h. Confira a programação completa.

O 7º Fórum Nacional de Museus, organizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), acontece no Centro de Eventos da PUC-RS, em Porto Alegre, entre os dias 30 de maio e 4 de junho de 2017. As inscrições online estão abertas até o dia 26 de maio.

Texto: Ascom/Ibram
fotos: Divulgação

Ibram discute práticas de pesquisa durante a 15ª Semana de Museus

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) realiza, como atividade da 15ª Semana de Museus, a Jornada Técnica “Objetos controversos: a prática da pesquisa nos museus”.

A Jornada surgiu a partir da intenção dos diretores dos museus da rede Ibram em discutir uma série de temas. A atividade, gratuita e aberta ao público, acontece no dia 17 de maio,  de 9h às 18h, no Museu da República/Ibram no Rio de Janeiro (RJ).

As vagas são limitadas e as inscrições devem ser feitas pelo telefone (21) 2127.0342 ou pelo e-mail mr.marketing@museus.gov.br.

Serão quatro painéis mediados por diretores de museus Ibram. O painel de abertura “A atribuição dos museus no contexto nacional e internacional” terá a participação de Maria Inês Mantovani Franco, Presidente Icom Brasil, e Marcelo Mattos Araujo, Presidente do Ibram.

Em seguida, Christina Penna, historiadora de arte, Rafael Zamorano, do Museu Histórico Nacional, e Alejandra Saladino, do Museu da República, discutem as teorias e práticas de pesquisa.

À tarde serão dois painéis: “Informação e público”,  com Marcelo Bortolloti, jornalista da Revista Época; Mário Chagas, do Museu da República, e Simone Bibian, do Museu Nacional de Belas Artes. “Usos da tecnologia” traz Larissa Long, do Museu Nacional de Belas Artes,  Eliane Zanatta, do Museu Imperial, e Ivan Coelho, da UniRio.

Do pó ao pó e Fa Pianger e Sospirare

O Museu da República também recebe duas mostras temporárias em comemoração à Semana de Museus 2017. As exposições, que serão abertas neste sábado (13), guardam em comum o fato de ambas remeterem, de alguma forma, à história do lugar.

Em Do pó ao pó, o artista Zé Carlos Garcia lança, na Galeria do Lago, um questionamento sobre a importância dos bustos que “povoam” os corredores do museu, com suas montagens de pedras sedimentares que se assemelham a figuras humanas sem rosto.

Já o artista visual Alessandro Sartore propõe com sua instalação Fa Pianger e Sospirare, montada no Coreto, uma volta a sua função regressa. A curadoria é assinada por Isabel Sanson Portella. Saiba mais

Palácio Rio Negro reabre ao público em Petrópolis com nova exposição

Palacio Rio Negro_fachada

Fachada do Palácio Rio Negro em Petrópolis (RJ)

O Palácio Rio Negro/Ibram, em Petrópolis (RJ), recebeu obras de requalificação e reabre ao público nesta sexta-feira (12), com a exposição Histórias do Palácio Rio Negro.

A mostra reúne painéis com fotos e textos sobre as diversas fases do palácio, acontecimentos e personagens que transitaram pelas suas salas e corredores. Histórias vivenciadas antes da construção pertencer ao Governo Federal e se tornar a residência de verão oficial dos presidentes do Brasil até os dias de hoje.

Outro destaque é a abertura, pela primeira vez, do quarto que foi ocupado por Getúlio Vargas (1882-1954). Os móveis originais, que estavam na reserva técnica do Museu da República, unidade do Ibram que administra o palácio, estão agora à vista do público.

A obra de requalificação da infraestrutura elétrica foi realizada no interior e no exterior do palácio e incluiu, entre outras melhorias, instalação de eletrocalhas, equipamentos para a antiga casa de geradores, para-raios e iluminação da fachada – destacando os detalhes da arquitetura.

O projeto foi realizado pelo Instituto Cultural Cidade Viva (ICCV) em parceria com o Palácio Rio Negro e Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) – com o patrocínio da Petrobras.

O Palácio Rio Negro
O palácio foi construído em estilo eclético em 1889 por encomenda do produtor de café Manoel Gomes de Carvalho, o Barão de Rio Negro,  que ocupou a propriedade até 1894. Em 1896, por causa da Revolta da Armada, o governo fluminense é transferido para Petrópolis e ocupa o palácio até 1903, ano em que passa a pertencer ao Governo Federal, transformando-se em residência oficial de veraneio dos presidentes da República.

O palácio, localizado na Av. Koeller, 255 – Centro, pode ser visitado de terça-feira a domingo, incluindo feriados, das 10h às 17h. Mais informações pelo telefone (24) 2246.2423.

Texto e foto: Divulgação Palácio Rio Negro
Edição: Ascom/Ibram

Painéis durante o 7º FNM abordam temas contemporâneos

Mila_Chiovatto_7FNM

Mila Chiovatto  da Pinacoteca (SP)

Educação, criatividade, propriedade intelectual, comunicação e financiamento sob a perspectiva da área de museus são alguns dos temas abordados nos nove painéis programados para o 7º Fórum Nacional de Museus (FNM).

O relevante papel dos programas educacionais em museus é tema do primeiro painel, que reúne Helena Quadros (Museu Emilio Goeldi/Ponto de Memória Terra Firme – PA), Janaína Melo (Museu de Arte do Rio/Escola do Olhar – RJ) e Mila Chiovatto (Pinacoteca de São Paulo – SP).

A comunicação digital, e sua contribuição para os museus, será abordada em dois painéis: no primeiro participam Muna Durans (Museu Imperial – RJ), Rafael Veras (Museu do Amanhã – RJ) e Daniela Alfonsi (Museu do Futebol – SP).

No segundo, cujo foco está na preservação digital e acesso, participam José Murilo (Ibram – DF), Wellington Pedro da Silva (Ponto de Memória Taquaril – MG) e Daniel Flores (Universidade Federal de Santa Maria – RS).

O museu como lugar de produção de conhecimento, por meio da divulgação das pesquisas realizadas nas instituições de memória, também é tema de painel. Simone Flores (Museu de Ciência e Tecnologia da PUC – RS), Henrique Ribeiro (Museu do Homem do Nordeste – PE) e Fernando Oliva (Museu de Arte de São Paulo – SP) abordam o tema.

Mario Chagas (RJ)

Mario Chagas do Museu da República (RJ)

Um dos assuntos mais discutidos atualmente em todo o mundo, a gestão de propriedade intelectual será tratada sob a perspectiva dos acervos em instituições.

Os painelistas serão Rafael Vasquez (Organização Mundial da Propriedade Intelectual – Brasil), Cláudia Porto (Comitê Internacional Icom para o Desenvolvimento de Coleções – Brasil) e Gabriela Augustini (Universidade Candido Mendes – RJ).

Função social e financiamento
A função social dos museus, especialmente diante de um cenário de rápidas transformações, reúne mais três painelistas: Desirée Reis (Museu do Samba – RJ), Cida Vieira (Museu do Sexo das Putas – MG) e Suzenalson Santos (Museu Indígena Kanindé – CE).

O sétimo painel do FNM 2017 aponta reflexões e desafios sobre a primeira década de existência do Programa Ibermuseus. São convidados Mario Chagas (Museu da República – RJ), Miguel Suela (Ministério da Educação, Cultura e Esporte – Espanha) e Javier Royer (Sistema Nacional de Museus – Uruguai).

Simone Flores (RS)

Simone Flores (RS) do MCT/PUC (RS)

O penúltimo painel traz à baila as relações entre museus, economia e a qualidade de vida das comunidades locais. Participam Sérgio Rodrigo Reis (Museu de Congonhas – MG), Maria da Abadia Teixeira (Ponto de Memória da Estrutural – DF) e Alemberg Quindins (Memorial Homem Kariri – CE).

O financiamento para museus públicos e privados, por meio de cooperações e parcerias, será o último dos painéis do 7º FNM. Ricardo Levisky (Levisky Negócios e Cultura – SP), Marlene Velasco (Museu Cora Coralina – GO) e Sergio Freitas (Museu Catavento – SP) são os convidados para tratar do tema.

Os painéis acontecem entre os dias 31 de maio e 2 de junho no turno da manhã. Conferências, minicursos e mostra de trabalhos também fazem parte da programação: acesse todas as atividades programadas para o 7º FNM.

O Fórum Nacional de Museus acontece entre os dias 30 de maio e 4 de junho no Centro de Eventos da PUC-RS em Porto Alegre (RS) e é organizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) – autarquia vinculada ao Ministério da Cultura (MinC).

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Acervos pessoais/divulgação

MNBA recebe doação do acervo de Glauco Rodrigues

O Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), recebeu o arquivo pessoal do artista Glauco Rodrigues (1929-2004). A viúva do artista, Norma Rodrigues, doou ao museu documentos pessoais, fotografias, convites e a correspondência que o artista travou com amigos, como o poeta Ferreira Gullar, o escritor Erico Veríssimo, o artista Carlos Scliar e a atriz Camila Amado.

A doação cobre um período entre os anos 1940 e os anos 2000 -  60 anos de produção intelectual do artista gaúcho, possibilitando um panorama do seu processo de criação.

Conhecido por criar inúmeras obras inspiradas na figura de São Sebastião, padroeiro da cidade do Rio de Janeiro, Rodrigues teve uma presença marcante no tropicalismo e na pop art nacional.

Texto: Divulgação MNBA

A Paisagem na Academia em mostra no Museu Nacional de Belas Artes

Estudo de paisagem, sem data. Rodolfo Amoedo

Estudo de paisagem: Rodolfo Amoêdo (sem data)

O Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram) recebe, a partir da terça-feira (9), a exposição Paisagem na Academia.

A mostra é uma parceria com a Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (EBA) e enfoca a história do ensino da pintura de paisagem na Academia de Belas Artes, que funcionou no Rio de Janeiro.

Com curadoria dos professores Carlos Terra e Ana Cavalcanti, da EBA, a exibição apresenta 21 obras, entre gravura, pintura e aquarela.

São destaques da exposição o processo artístico cotidiano e trabalhos que habitualmente não são expostos ao público, como desenhos realizados como provas para o concurso de professor de “Paisagem, flores e animais” de 1881, estudos de nuvens de Victor Meirelles e pequenas paisagens de Rodolpho Amoêdo.

Fazem parte da mostra obras de sete artistas que foram professores na Academia entre 1816 e 1890: Nicolas Antoine Taunay, Manuel de Araujo Porto-Alegre, Agostinho da Motta, Victor Meirelles, Leôncio Vieira, Rodolpho Amoêdo e Antonio Parreiras.

A exposição fica em cartaz até 9 de junho. O MNBA funciona de terça a sexta, das 10h às 18h e aos sábados, domingos e feriados, das 13h às 18h. Saiba mais.

 

Texto e imagem: MNBA/divulgação
Edição: Ascom/Ibram

PUC-RS sediará 7º Fórum Nacional de Museus em Porto Alegre

O Centro de Eventos da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), em Porto Alegre, receberá a 7ª edição do Fórum Nacional de Museus (FNM) entre os dias 30 de maio e 4 de junho de 2017.

Centro de Eventos da PUC-RS sediará o FNM 2017

Centro de Eventos da PUC-RS sediará o FNM 2017

Com 5,6 mil metros quadrados, o espaço multifuncional será adequado para receber conferências, painéis, minicursos, grupos de trabalho e programação paralela – como feira de artesanato e estandes com produtos que fazem parte da cadeia produtiva dos museus. Confira a grade de programação.

Além disso, no complexo da PUC-RS também está localizado o Museu de Ciências e Tecnologia da universidade – incluído entre os 10 melhores museus brasileiros em 2016, de acordo com premiação da plataforma TripAdvisor.

FNM 2017
Promovido pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), o Fórum Nacional de Museus 2017 reunirá estudantes, gestores e os diversos profissionais que atuam na área de museus sob o tema Recomendação Unesco: caminhos para museus e coleções. Saiba mais.

A participação nas atividades do FNM é gratuita – mediante entrega de 1 kg de alimento não perecível no ato de credenciamento. As inscrições online estão abertas até 26 de maio. A partir desta data poderão ser feitas durante o evento.

Mais informações podem ser obtidas pelo endereço eletrônico forumnacionaldemuseus@museus.gov.br ou pelo telefone (61) 3521.4112.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Natalia Mansur/CEPUC-RS

Documento da Unesco guia discussões no 7º Fórum Nacional de Museus

A Recomendação da Unesco sobre a Proteção e Promoção de Museus e Coleções, aprovada em 2015 a partir de iniciativa brasileira, será o tema da edição deste ano do 7º Fórum Nacional de Museus (FNM).

Já considerado como referência para as políticas públicas nas próximas décadas, o documento destaca o papel dos museus e suas coleções em um processo de desenvolvimento que se quer cada vez mais sustentável.

Marcelo Araujo: “a estrutura jurídico-administrativa brasileira já incorpora importantes diretrizes incluídas na Recomendação da Unesco”

A preservação e proteção do patrimônio, a proteção e promoção da diversidade cultural, a transmissão do conhecimento científico, o desenvolvimento de políticas educacionais, de indústrias criativas e da economia do turismo são campos multidisciplinares abarcados pela Unesco no documento sobre museus e coleções. Conheça o documento.

“Ao trazer o documento para a nossa realidade, vemos que a estrutura jurídico-administrativa brasileira já incorpora importantes diretrizes incluídas na Recomendação”, explica Marcelo Araujo, presidente do Ibram, em artigo publicado no jornal Folha de São Paulo em novembro do ano passado.

“A Política Nacional de Museus, o Sistema Brasileiro de Museus e o Estatuto de Museus, elementos definidores do campo museal brasileiro atual, são evidências do grande avanço da área nos últimos dez anos”.

Segundo Araujo, “as políticas públicas – em todos os níveis federativos – têm muito a contribuir para a implementação de ações que fortaleçam os aspectos pautados pela Recomendação da Unesco”. Leia o artigo na íntegra.

Sobre o FNM 2017
Promovido pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), autarquia vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), a cidade de Porto Alegre (RS) recebe, entre os dias 30 de maio e 4 de junho, museólogos, gestores, pesquisadores, estudantes e demais interessados na área de museus no Brasil para a sétima edição do Fórum Nacional de Museus.

Conferências, painéis, minicursos, grupos de trabalho, apresentação de trabalhos, além de atividades culturais, serão espaços para o diálogo e troca durante o FNM 2017 – um passo importante para o aprimoramento das instituições frente aos papéis e desafios que os museus devem assumir na atualidade.

As inscrições online para todas as atividades do evento estão abertas até 26 de maio e podem ser feitas gratuitamente no blogue do Fórum Nacional de Museus, mediante a entrega de 1 kg de alimento no ato de credenciamento em Porto Alegre. Confira a grade de programação já divulgada.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Brasília recebe seminário sobre Comunidades e Patrimônios

Acontece entre os dias 22 e 26 de maio, na Universidade de Brasília (UnB), o Seminário Comunidades e Patrimônios: dos ecomuseus ao patrimônio cultural imaterial. A programação está disponível aqui.

Ministrado pela professora francesa Claudie Voisenat, o evento faz parte do acordo de cooperação entre o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e a Escola do Louvre (França), e é aberto ao público. As atividades acontecem no período da tarde, no Auditório do Centro de Informática (CPD – Campus Darcy Ribeiro).

Antropóloga francesa

Antropóloga da Escola do Louvre ministra seminário na UnB

Claudie Voisenat é professora de antropologia do patrimônio na Escola do Louvre e dá formação aos estudantes do bacharelato de Etnologia do Patrimônio Imaterial da Universidade de Toulouse.

Após sua participação, na década de 1980, no desenvolvimento de dois ecomuseus em Fresnes (arredores de Paris) e em Fougerolles (Haute-Saône no leste da França), ela foi responsável, nos anos 90, pela Missão do Patrimônio Etnológico (Ministério da Cultura francês).

O seminário é uma oportunidade de conhecer a experiência de Claudie Voisenat ao longo de mais de 30 anos de prática patrimonial. A série de palestras pretende examinar aspectos da exibição e comunicação – como os objetos podem ser ‘feitos para falar’ – fazendo referência a exemplos do passado e presente.

O seminário toca o aspecto da inversão do processo de fabricação do patrimônio, quando a atribuição de valor cultural, e não mais estritamente histórico ou artístico, deixou de depender somente do Estado, assentando cada vez mais nos saberes das próprias comunidades.

Cooperação
A parceria entre Ibram e Escola do Louvre existe desde 2013 e já levou nove estudantes brasileiros para participar do Seminário Internacional de Verão de Museologia e estagiar em museus franceses, e três profissionais para realizar seminários, além de promover a vinda ao Brasil de estudantes para estágios e profissionais franceses para ministrar cursos no Brasil. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: JD-L’Independant/Internet

Guia da Programação da 15ª Semana de Museus já está disponível

Cartaz_SemanaMuseus2017O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) disponibilizou hoje (20) a programação da 15ª Semana de Museus - que acontece em todo o Brasil entre os dias 15 e 21 de maio.

O formato Busca Rápida permite ao usuário encontrar atividades por Estado, Cidade, Museu ou Palavra-chave. Para esta edição estão cadastradas mais de 3 mil atividades culturais em 485 cidades de 26 estados.

Como resultado da busca, além da programação definida, há ainda o endereço da instituição assim como os contatos de telefone e e-mail. Todas as atividades são de responsabilidade dos participantes. Acesse o Guia da Programação.

Em 2016, pesquisa do Ibram mostrou que no período da Semana de Museus a frequência de público nas instituições participantes chega a aumentar 79% em comparação a semana anterior.

Com o intuito de reforçar a divulgação da semana junto aos diversos públicos interessados, o Ibram lançou um kit com diversos conteúdos digitais para museus e demais interessados.

Dúvidas e outras questões sobre a 15ª Semana de Museus podem ser enviadas para o e-mail semana@museus.gov.br.

Texto: Ascom/Ibram

 

Página 1 de 11812345...102030...Última »