MNBA recebe mostra de gravuras da Coleção Itaú Cultural

Auto retrato com boina e roupa bordada, feita em 1642, água-forte, de Rembrandt Van Rijn

Auto retrato com boina e roupa bordada, feita em 1642, água-forte, de Rembrandt Van Rijn

O Museu Nacional de Belas Artes (Ibram/MinC), no Rio de Janeiro, recebe de hoje (26) a 18 de fevereiro de 2018, a exposição Imagens Impressas: um Percurso Histórico pelas Gravuras da Coleção Itaú Cultural.

Com curadoria de Marcos Moraes, a mostra mapeia cinco séculos da produção gráfica europeia, com mais de 140 das 451 imagens impressas que compõem este acervo. São apresentadas, de forma didática, as diferentes técnicas de gravuras dos séculos XV a XIX.

O acervo acompanha a evolução das técnicas, suas inovações e o desenvolvimento de uma linguagem gráfica. Há desde xilogravuras – imagens produzidas a partir de matrizes de madeira – do século XV até obras do século XIX, quando a gravura chegou à sua autonomia. A exposição já passou por Santos, Curitiba e Fortaleza antes de chegar ao Rio.

Mostra ‘Lasar Segall – Navio de Emigrantes’ chega a São Pedro (SP)

Segall_Navio_Sao_Pedro_1O Museu Gustavo Teixeira, em São Pedro (SP), recebe a mostra de gravuras Lasar Segall – Navio de Emigrantes, a partir desta sexta-feira (3)A exposição é parte da série itinerante produzida pelo Museu Lasar Segall/Ibram, que circula  pelo interior paulista, com apoio do Sistema Estadual de Museus de São Paulo (SISEM-SP), coordenado pela Secretaria da Cultura do Estado, da Associação Cultural de Apoio ao Museu Casa de Portinari (ACAM Portinari) e da prefeitura.

A mostra é composta por 20 reimpressões de gravuras de Lasar Segall (Vilna 1891 – São Paulo 1957), especialmente realizadas para esse fim, relacionadas ao tema desenvolvido pelo artista desde sua primeira viagem ao Brasil, em 1912.

Nas posteriores travessias de Segall, no ir e vir da Europa, ele desenvolve o tema por meio de uma infinidade de desenhos de anotação realizados em pequenos cadernos de bolso, e estes dão origem, na década de 1920, às gravuras da série Emigrantes, e ao final da década de 1930, coincidindo com o início da segunda guerra, o artista pinta a grande tela Navio de Emigrantes (1939-1941).

A parceria com o Museu Lasar Segall atende à linha de ação do SISEM-SP em promover a articulação de exposições e a produção de publicações em todo o estado de São Paulo, com o objetivo de qualificar, aperfeiçoar e valorizar as organizações e os acervos museológicos paulistas.

Gratuita, a visitação acontece até 12 de setembro de 2015, de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h30 às 17h; aos sábados, das 9h às 13h. O Museu Gustavo Teixeira está na Rua Joaquim Teixeira de Toledo, nº 524. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (19) 3481-9205 ou no site do Sistema Estadual de Museus de São Paulo.

Museus Ibram guardam obras de Tomie Ohtake em seus acervos

Tomie Ohtake, artista plástica nascida no Japão e naturalizada brasileira, faleceu hoje (12), em São Paulo (SP), aos 101 anos de idade. Uma das principais representantes do Abstracionismo no Brasil, a obra da artista é ampla e abrange pintura, gravura e escultura.

Dois museus da rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), possuem obras de Ohtake em seus acervos: o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA) e o Museu Chácara do Céu.

Chegada da tela doada por Tomie Ohtake ao MNBA em 2013

Chegada ao MNBA da tela doada por Tomie Ohtake em 2013

Em 2013, a artista doou uma tela para a coleção do MNBA. A tela sem título – que tem dimensões de 1,40 de altura por 3,30 metros de largura – foi produzida em 2013 e doada por Ohtake ao museu como forma de agradecimento pelo empréstimo de obras para uma exposição, organizada pelo Instituto Tomie Ohtake, em comemoração ao seu centenário.

Desde então, o acervo do MNBA conta com três pinturas e uma gravura de Tomie Ohtake. Atualmente, uma tela produzida em 1991 pode ser vista na Galeria de Arte Brasileira Moderna e Contemporânea no 3º andar.

Em janeiro deste ano, quando do aniversário dos 78 anos de criação do museu, a artista foi homenageada com o Prêmio Quirino Campofiorito, por sua relevante contribuição para a arte e a cultura brasileiras.

Outra das técnicas desenvolvidas por Tomie Ohtake, a gravura está presente nos acervos do Museu Chácara do Céu: são três gravuras, em água-forte e sucre, e duas matrizes nas mesmas modalidades, produzidas em 1995 e doadas aos museus pela sua associação de amigos.

Nota de pesar
O ministro da Cultura, Juca Ferreira, divulgou nota sobre a morte de Tomie Ohtake, considerada “uma artista essencial para a cultura brasileira contemporânea, mundialmente reconhecida por sua linguagem única, independente e inovadora”.

“Tomie transitou entre a pintura, a gravura e a escultura, realizando um diálogo potente e extraordinário entre a forma e a cor. Ela transformou para sempre nosso olhar sobre as artes plásticas”, acrescenta.

Ferreira lembra ainda a relação intrínseca de sua obra com a cidade de São Paulo, “a partir de onde se tornou uma artista profundamente identificada com os espaços urbanos de grandes cidades brasileiras, onde suas cores e formas criam uma nova e supreendente paisagem”.

Em 2013, o Ministério da Cultura manifestou sua admiração e gratidão à artista oferecendo-lhe a Ordem do Mérito Cultural. Leia a nota na íntegra.

O velório de Tomie Ohtake será realizado amanhã (13), no Instituto Tomie Ohtake, de 8h às 14h, no bairro de Pinheiros (SP).

Texto: Ascom/Ibram (com informações do Museu Chácara do Céu e MNBA) – atualizado em 13/02/2015
Foto: Divulgação MNBA

A Divina Comédia: Museu da Inconfidência expõe aquarelas de Dalí

A cidade de Ouro Preto (MG)  recebe, pela primeira vez, uma exposição de obras do pintor surrealista espanhol Salvador Dalí (1904 – 1984).

Umas das

Umas das aquarelas de Dalí para A Divina Comédia

A mostra Dalí – A Divina Comédia será inaugurada hoje (22), às 20h30, no na Sala Manoel da Costa Athaíde do Museu da Inconfidência. A visitação, gratuita, ocorrerá de terça a domingo, das 12 às 18h, até 5 de outubro.

Estarão expostas cem aquarelas, uma para cada um dos poemas épicos que compõem a obra Divina Comédia, escrita pelo italiano Dante Alighieri no século XIV, e dividida em três partes: Inferno, Purgatório e Paraíso.

Salvador Dalí produziu as ilustrações entre 1950 e 1960 por encomenda do governo italiano, no âmbito das comemorações dos 700 anos do nascimento de Dante (1265-1321). A proposta é conduzir o público a uma viagem a partir desse diálogo enriquecedor entre literatura e artes visuais.

A abertura da mostra dá continuidade às comemorações dos 70 anos do Museu da Inconfidência, comemorado em 11 de agosto. A partir das 21h, haverá apresentação do baixista Gustavo Carvalho e Banda, com influências do MPB, rock progressivo, música pop e modal – esta última herdada da convivência com o grupo Clube da Esquina. Saiba mais.

Texto e imagem: Divulgação Museu da Inconfidência
Edição: Ascom/Ibram

Olhar feminino: Museu da Abolição inaugura exposição de gravuras em PE

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher Afro-latino-americana e Caribenha e ao Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra, o Museu da Abolição (MAB), em Recife (PE), inaugura na sexta-feira (25), a partir das 18h, a exposição Oficina Guaianases de Gravuras: o olhar Feminino.

A gravura Paisagem de Olinda, de Maria Carmem, integra a mostra do Museu da Abolição

Sob a curadoria do artista plástico Rinaldo Silva, a mostra vai trazer obras de um dos movimentos artísticos mais significativos e duradouros do estado de Pernambuco, com repercussão nacional – a Oficina Guaianases de Gravuras – que tem em seu acervo a importante participação de mulheres artistas.

Realizada em parceria com o Departamento de Teoria da Arte e Expressão Artística da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a exposição traz obras de Guita Cherifker, Inalda Xavier, Isa Pontual, Jeanine Uchoa, Maria Carmem, Marisa Lacerda, Marisa Varella, Teresa Pacomio, Tereza Costa Rego, Ana Lisboa, e Liliana Dardot, dentre outras.

“Revela-se um recorte de gênero nas autorias, onde a poética feminina está em cada canto das imagens trabalhadas”, explica Rinaldo Silva. Forjadas em pedras litográficas, as gravuras, segundo o curador, remetem a prazeres culinários, com “composições visuais que nos saciam a fome de ver”.

A exposição ficará aberta ao público a partir do sábado (26) até o dia 30 de setembro, e pode ser vista de segunda à sexta-feira, das 9h às 17h, e aos sábados, das 13h às 17h. O Museu da Abolição localiza-se à Rua Benfica, nº 1150, no bairro de Madalena, em Recife (PE). Outras informações através do endereço eletrônico mab@museus.gov.br ou pelo telefone (81) 3228.3248.

Texto e imagem: Divulgação Museu da Abolição

Exposição de Emmanuel Nassar no Museu da Chácara do Céu (RJ)

O Museu da Chácara do Céu/Ibram, no Rio de Janeiro (RJ), inaugurou no dia 6 de setembro, a segunda exposição da edição de 2013 do projeto Os amigos da gravura com a obra de Emmanuel Nassar. A exposição poderá ser visitada, gratuitamente, até 25 de novembro.

A obra criada por Emmanuel Nassar para o projeto é um múltiplo, formado por 50 peças, mas é ao mesmo tempo uma obra única. Trata-se de um díptico composto de uma tela e uma madeira MDF, pintados um a um, em cores e combinações diferentes. Todos levam as iniciais do nome do artista, EN, a numeração e o ano da tiragem.

A exposição, composta por um grande painel com os 50 dípticos será, aos poucos, desfeita, na medida em que as obras forem sendo compradas e, portanto, retiradas do painel, sofrendo mutações e perdas contínuas. A obra de Nassar trata das mudanças, percursos e transitoriedades, conciliando geografia, luz e os sons da cidade, remetendo à atmosfera urbana de suas fotos e pinturas em chapas metálicas.

O artista
O paraense Emmanuel Nassar (Capanema, 1949) formou-se em arquitetura e foi redator e diretor de arte em agências de publicidade em Belém.

Na década de 1980 passa a ser conhecido por sua pintura sobre tela, madeira e chapas metálicas, com citações e apropriações marcadas pela precariedade e ironia, que vão do universo da cultura popular a diversas correntes da arte contemporânea, notadamente a pop art, numa versão brasileira.

Ao longo de sua carreira realizou diversas exposições individuais. Participou de bienais de São Paulo (1989 e 1998), da coletiva UAB-C Stedelijk Museum de Amsterdã, entre outras. Em 2011 participou da 8a Bienal do Mercosul. Possui obras em acervos de diversos museus brasileiros.

Saiba mais sobre os Museus Castro Maya, o projeto Os amigos da gravura e como chegar.

Texto e imagem: Divulgação Chácara do Céu
Edição: Ascom/Ibram

Museu da Chácara do Céu (RJ) apresenta gravuras de seu acervo

O Museu da Chácara do Céu/Ibram, no Rio de Janeiro (RJ),  inaugurou no dia 27 de junho, a exposição Coleção Castro Maya: Gravura Estrangeira em Destaque. A mostra conta com 64 gravuras do acervo dos museus Castro Maya, entre serigrafias, litografias, xilogravuras e gravuras em metal, e pode ser visitada até 28 de outubro.

Entre as obras estão trabalhos de Rugendas e Debret, representantes dos viajantes oitocentistas, além de gravuras de Picasso (imagem), Chagall e Matisse, mostrando temáticas e técnicas modernas.

A diretora do museu, Vera de Alencar, destaca que a instituição tem promovido exposições que colocam em destaque porções determinadas de seu acervo. Em Gravura estrangeira em destaque, ao mesmo tempo em que se lança luz sobre a arte da gravura, também se reflete sobre o processo de constituição desta coleção, exibindo a riqueza de sua diversidade.

O Museu da Chácara do Céu localiza-se à Rua Murtinho Nobre, 93,  no bairro de Santa Teresa. A visitação é diária, exceto terças, das 12h às 17h. Saiba mais sobre os museus Castro Maya.

Texto e imagem: Divulgação museus Castro Maya

Museu da Inconfidência expõe gravuras de Lasar Segall

O Museu da Inconfidência, em Ouro Preto (MG), preparou uma série de atividades para a 9ª Semana Nacional de Museus e dentre elas está mostra Imagens do Brasil – Gravuras de Lasar Segall. A exposição, com curadoria de Margareth Monteiro e Janine Ojeda, é resultado de parceria com o Museu Lasar Segall, SP, que emprestará 35 gravuras, e o Museu Nacional de Belas Artes, RJ, de onde virão uma escultura e uma tela. As obras abrangem o período de 1924 a 1930, época de grande concentração de imagens do Brasil na obra de Segall, inclusive na sua produção gráfica. Lasar Segall era lituano e se mudou definitivamente para o Brasil em 1923.

A programação completa do Museu da Inconfidência na 9ª Semana Nacional de Museus está disponível no blog http://museudainconfidencia.wordpress.com

Gravuras de Segall, Goeldi e Iberê no Museu Lasar Segall

O Museu Lasar Segall, em conjunto com a Fundação Iberê Camargo, apresenta, de 24 de abril até 10 de julho, a mostra Cálculo da expressão: Goeldi, Segall e Iberê. Com curadoria de Vera Beatriz Siqueira, a exposição é um convite ao diálogo e à confrontação da produção de Lasar Segall, Oswaldo Goeldi e Iberê Camargo.

As gravuras que compõem Cálculo da expressão exemplificam a trajetória artística e pessoal de cada um de seus produtores. A montagem no museu conta com 22 gravuras e duas matrizes de Iberê Camargo, 19 gravuras e duas matrizes de Goeldi, e 15 gravuras e três matrizes de Segall.

O horário de visitação é de terça a sábado, das 14h às 19h, domingos e feriados das 14h às 18h. Na inauguração haverá, ainda, palestra com a curadora a partir das 16h.

O Museu Lasar Segall fica na Rua Berta, 111, Vila Mariana, São Paulo-SP. Informações: (11) 5574-7322 ou www.museusegall.org.br.