Acervos Digitais: resultado da parceria entre Ibram e Google no 7º FNM

Uma foto  da família imperial na varanda da casa da princesa Isabel, em Petrópolis (RJ), feita por Otto Hess. O processo de criação da obra Navio  de Emigrantes (foto) do pintor Lasar Segall. Os estudos para figurino da pesquisadora Sofia Jobim . A partir de hoje (30), coleções de cinco museus da rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) estão disponíveis ao público no Google Arts & Culture.

NavioEmigrantes_Segall-300x248

O resultado da pareceria Google-Ibram será apresentado durante o 7º Fórum Nacional de Museus (FNM) – cuja abertura acontece nesta terça-feira (30), a partir das 19h, no Centro de Eventos da PUC-RS em Porto Alegre.

Ao todo, são mais de 1,3 mil obras e 18 exposições virtuais entre o acervo digitalizado do Museu Lasar Segall (SP), Museu Histórico NacionalMuseus Castro MayaMuseu Nacional de Belas Artes e Museu Imperial (RJ).

Ampliação do acesso
A digitalização tem como objetivo promover os museus brasileiros e seus acervos, democratizando o acesso ao vasto patrimônio que as instituições preservam.

Responsável por uma rede de 30 museus federais, esta é a primeira vez que objetos e coleções de seus museus estão reunidos em uma mesma plataforma digital de grande alcance, já que o Google Arts & Culture reúne hoje acervos de mais de mil museus e instituições de arte e cultura de todo o mundo.

Nesta primeira fase, mais de 450 obras dos museus Ibram foram capturadas com a Art Camera - câmera que digitaliza em alta resolução (gigapixels) e revela detalhes de obras e objetos que passariam despercebidos a olho a nu. Também é possível passear pelos museus do Ibram graças à tecnologia Google Street View.

Durante o 7º FNM, os participantes poderão interagir com os acervos e narrativas preparadas para esta fase do projeto por meio de telas touch screen. Apenas no dia 31 (quarta), a ArtCamera também poderá ser vista de perto pelos participantes.  Mais informações sobre o projeto estarão disponíveis em material impresso distribuídos pelo Google no Brasil.

Texto: Google Brasil
Edição: Ascom/Ibram
Imagem: Museu Lasar Segall/Ibram

Ibram e Google disponibilizarão online acervos de cinco museus

Imagens em alta definição de bens culturais pertencentes aos acervos de cinco museus da rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) estarão disponíveis online nos próximos meses.

Museu Lasar Segall em SP é uma das instituições integradas ao projeto Ibram-Google

Museu Lasar Segall em SP é uma das instituições participantes da parceria entre Ibram e Google

Resultado de parceria entre o Ibram e a Google Inc, por meio do Projeto Google Art, a digitalização tem como objetivo promover os museus brasileiros e seus acervos, democratizando o acesso ao vasto patrimônio que essas instituições preservam.

Nesta primeira fase do projeto participam o Museu Imperial, em Petrópolis (RJ); o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), os Museus Castro Maya e o Museu Histórico Nacional (MHN), localizados no Rio; além do Museu Lasar Segall, em São Paulo (SP).

Inicialmente, estarão disponíveis online imagens do interior e edificação dos museus, por meio da tecnologia Street View, imagens de peças emblemáticas dos acervos de cada instituição, capturadas em alta definição (ArtCamera), além de conteúdos relacionados – como plantas baixas e dados de identificação (metadados) das obras.

Trabalho em processo
Com as imagens das galerias e edificações dos museus já capturadas, está em andamento a fotografia das obras: cerca de 100 imagens devem ser feitas em cada instituição. Com a inclusão dos metadados, a última fase será a construção das exposições virtuais que alinham as obras em torno de narrativas.

GoogleArt_Print

Projeto Google Art já possui cerca de 45 mil obras disponíveis online

O lançamento dos conteúdos digitais dos museus Ibram na plataforma Google deve acontecer durante o 7º Fórum Nacional de Museus, na cidade de Porto Alegre (RS), no mês de junho.

O Google Art é um projeto sem fins lucrativos desenvolvido pelo Instituto Cultural da Google. Com instituições parceiras em mais de 60 países, e cerca de 45 mil obras online, 26 instituições brasileiras já se encontram no projeto – como Pinacoteca de São Paulo, Museu do Amanhã (RJ), Fundação Athos Bulcão (DF) e Inhotim (MG).

A proposta é divulgar os acervos culturais, obras de arte e documentos históricos que estão fisicamente em museus e instituições de todo o mundo por meio da rede mundial de computadores, ampliando sua acessibilidade para pessoas no mundo inteiro. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Ibram/Divulgação

Aplicativos para smartphones aproximam a população da arte

Nesta semana, três empresas lançaram novos aplicativos voltados para a cultura e pensando no turismo, que cresce a cada dia no Brasil.

Três museus brasileiros disponibilizaram seus novos aplicativos gratuitos na Google Play Sotre: o Museu Lasar Segall (Ibram/MinC), o Museu de Arte Moderna de São Paulo e a Pinacoteca do Estado de São Paulo.  Essa tecnologia faz parte das nossas ofertas de ferramentas do Google Open Gallery para o setor cultural.

A coleção do museu Lasar Segall tem mais de três mil obras. A curadoria selecionou a arte mais representativa de toda a produção do artista para exibição neste aplicativo para dispositivos móveis, com vários guias em áudio nas principais obras.

Além da nova tecnologia para dispositivos móveis, as instituições também fazem uso da página do Cultural Institute.  O Museu Lasar Segall, por exemplo, é um dos primeiros do mundo a usar o Google Open Gallery para disponibilizar parte da coleção on-line e montar exposições que todos podem aproveitar.

Já o Itaú Cultural desenvolveu um guia on-line para aqueles que vão circular pelas cidades sedes do Mundial entre junho e julho – e pretendem aproveitar ao máximo as atrações, a arte e a cultura locais.

Acessível para smartphones, o web app Cultura na Rede traz dicas de museus, galerias e outras instituições culturais de cada uma das 12 cidades. Pontos históricos, restaurantes típicos e a programação de eventos – shows, peças, festas – também são indicados na página.

O guia é um dos desdobramentos do Cultura na Rede – Encontro Internacional de Iniciativas Culturais para 2014, evento que o Itaú Cultural e a Fundação Roberto Marinho realizaram, em junho do ano passado, no Museu de Arte do Rio (MAR).

Brasília

Lançado essa semana, o Beekme é resultado de uma parceria entre a Memora e a Secretaria de Turismo do Distrito Federal.  O aplicativo é totalmente voltado para o turismo, e permite aos usuários visualizar informações sobre os pontos turísticos de Brasília na medida em que circulam pela cidade.

O Beekme é um aplicativo interativo. Basta que o visitante se aproxime de um quadro, de uma obra de arte ou de um monumento histórico e ele receberá em seu smartphone ou tablet (iOS ou android) uma notificação com informações, curiosidades e fotos daquela atração em tempo real. Todo o conteúdo já esta disponível em português, inglês e espanhol.

Google apresentou ao Ibram plataforma para acervos online

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) recebeu em Brasília (DF), no dia 20 de novembro, a visita de três representantes da multinacional Google no Brasil. Mariana Macário, Helena Martins e Marcelo Lacerda apresentaram ao presidente e diretores do Ibram, a plataforma Google Cultural Institute, que oferece ferramentas para que museus exibam seus acervos online.

O Google já fechou parcerias com centenas de museus, instituições culturais e acervos históricos de todo o mundo para hospedar online seus patrimônios culturais, e deu início a entendimentos com o Ibram como mesmo objetivo.

Durante missão em Paris (França) este mês, para a  37ª  Conferência Geral da Unesco, o presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, já havia sido apresentado à equipe do Google Cultural Institute e às tecnologias que a empresa tem utilizado com o objetivo de disponibilizar acervos digitalizados na internet.

“É uma ótima ferramenta que facilita o estudo da história da arte, da obra de arte em si, o estudo da conservação e possibilita a democratização do aceso à cultura”, disse o presidente após a reunião em Brasília. “Para o Ibram, é uma possibilidade de difusão muito interessante, mas que precisa ser analisada com muito critério, sob a luz das questões normativas do Instituto”.

Com o objetivo de verificar as questões sensíveis na legislação brasileira relacionadas ao setor, como os direitos autorais e as obras nos museus, por exemplo, o Ibram pretende analisar as experiências já realizadas entre o Google e outras instituições para avaliar a possibilidade de também consolidar uma parceria.

Texto: Ascom/Ibram