Temporadas de eventos e parcerias focam na visibilidade dos museus

A realização de de eventos que ampliem a visibilidade dos museus e a realização de parcerias com foco na difusão de conhecimento estiveram em pauta em 2017.

A 15ª Semana de Museus e a 11ª Primavera dos Museus, eventos que fazem parte do calendário anual do instituto, uma vez mais movimentaram o campo museal neste ano.

Foto: Doni Maciel /Acervo Ibram

Ibram promoveu o 7º FNM em Porto Alegre (RS) em 2017

A Semana de Museus contou com mais de 1 mil participantes de todo o país, enquanto a Primavera dos Museus conseguiu aumentar em 24% o número de museus nesta edição, com mais de 900 participantes. Para 2018, as inscrições para a 16ª Semana de Museus já se encontram abertas.

Outro evento de grande relevância para o setor foi a realização do 7º Fórum Nacional de Museus (FNM), que reuniu em Porto Alegre (RS) mais de 900 participantes sob o tema Recomendações Unesco: caminho para museus e coleções.

Para o próximo ano, uma nova versão do blogue do FNM  estará disponível. Além de disponibilizar conteúdos relacionados a todas as sete edições, ele também passa a ser espaço de diálogo permanente com o campo museal para assuntos relacionados à Política Nacional de Museus e seus desdobramentos.

Com a celebração dos 200 anos dos museus no Brasil em 2018 e os 10 anos do Ibram em 2019, o instituto trabalha em um projeto guarda-chuva que contemple um conjunto de ações e atividades em torno das datas.

Parcerias para a difusão
Em 2017, o Ibram deu um passo relevante para a ampliação da presença dos seus museus na internet. A disponibilização de acervos de cinco museus da rede Ibram na plataforma Google Art&Culture amplia a disseminação do conhecimento sobre museus, além de gerar impacto para pesquisadores e interessados em arte e cultura.

Ainda falando em parcerias, em 2018 começa a ser produzida uma nova temporada do programa Conhecendo Museus – realizado com a Empresa Brasil de Comunicação. Serão 30 episódios abordando temas como gastronomia, ciência e tecnologia, moda e comunicação a partir da história e acervos de museus brasileiros. Conheça as temporadas anteriores.

Foto: Doni Maciel /Acervo Ibram

Museu Imperial integra projeto de moda Google Arts & Culture

A partir de hoje (8), três mil anos de moda mundial estão reunidos na maior exposição virtual de estilo já realizada. O projeto We Wear Culture (“Nós Vestimos Cultura”, em inglês), desenvolvido pelo Google Arts & Culture, é fruto de colaboração com mais de 180 instituições culturais em 42 países.

O traje do imperador d.Pedro II compõe projeto de moda do Google

Acervo do Museu Imperial/Ibram: traje do imperador d.Pedro II compõe projeto de moda do Google

O Museu Imperial, que integra a rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), é uma das 11 instituições brasileiras que contribuem com o projeto ao disponibilizar o traje e as insígnias usados por d. Pedro II (1825-1891) em sua coroação como imperador – peças que despertam curiosidade e fascínio entre os visitantes do museu.

“Falar sobre o traje usado por d. Pedro II em sua coroação, antes de mais nada, é falar sobre como a indumentária é o atributo de quem o veste: ele não foge a nenhuma regra simbólica presente no século XIX”, explica Muna Durans, coordenadora do projeto de digitalização do Museu Imperial.

Além do design de moda, as peças que compõem o traje majestático “são símbolos de poder e de afirmação do país recém-independente, que buscava lugar e respeito entre os grandes e tradicionais reinos existentes na Europa do século XIX”, reforça. Saiba mais sobre o Museu Imperial.

Realidade virtual

Em meio a mais de 400 exposições e histórias do projeto We Wear Culture, que envolvem 30 mil fotos, vídeos e outros documentos, foram também desenvolvidos filmes de realidade virtual que podem ser vistos tanto no YouTube quanto com um visor de realidade virtual.

Para Alessandro Germano, diretor de parcerias estratégicas do Google para a América Latina, as exposições retratam histórias por trás do que nós usamos. “O que você veste é cultura de verdade e, no mais das vezes, é mais do que uma obra de arte”, acredita.

A exposição completa We Wear Culture está disponível online pelo aplicativo do Google Arts & Culture para dispositivos móveis iOS e Android.

Acervos online
Desde o dia 30 de maio, também estão disponíveis na plataforma Google Arts & Culture 1,3 mil peças dos acervos de cinco museus que compõem a rede Ibram: Museu Lasar Segall (SP), Museu Histórico Nacional, Museus Castro Maya, Museu Nacional de Belas Artes e Museu Imperial (RJ).

Nesta primeira fase, mais de 450 obras desses objetos foram capturadas com a Art Camera – câmera que digitaliza em alta resolução (gigapixels) e revela detalhes de obras e objetos que passariam despercebidos a olho a nu. Também é possível passear pelos museus do Ibram graças à tecnologia Google Street View.

A digitalização, resultado da parceria entre Ibram e Google, tem como objetivo promover os museus brasileiros e seus acervos, democratizando o acesso ao vasto patrimônio que as instituições preservam.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Museu Imperial/Divulgação

Matérias relacionadas
Acervos digitais: resultado da parceria entre Ibram e Google no 7º FNM
Ibram e Google disponibilizarão online acervos de cinco museus

 

Acervos Digitais: resultado da parceria entre Ibram e Google no 7º FNM

Uma foto  da família imperial na varanda da casa da princesa Isabel, em Petrópolis (RJ), feita por Otto Hess. O processo de criação da obra Navio  de Emigrantes (foto) do pintor Lasar Segall. Os estudos para figurino da pesquisadora Sofia Jobim . A partir de hoje (30), coleções de cinco museus da rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) estão disponíveis ao público no Google Arts & Culture.

NavioEmigrantes_Segall-300x248

O resultado da pareceria Google-Ibram será apresentado durante o 7º Fórum Nacional de Museus (FNM) – cuja abertura acontece nesta terça-feira (30), a partir das 19h, no Centro de Eventos da PUC-RS em Porto Alegre.

Ao todo, são mais de 1,3 mil obras e 18 exposições virtuais entre o acervo digitalizado do Museu Lasar Segall (SP), Museu Histórico NacionalMuseus Castro MayaMuseu Nacional de Belas Artes e Museu Imperial (RJ).

Ampliação do acesso
A digitalização tem como objetivo promover os museus brasileiros e seus acervos, democratizando o acesso ao vasto patrimônio que as instituições preservam.

Responsável por uma rede de 30 museus federais, esta é a primeira vez que objetos e coleções de seus museus estão reunidos em uma mesma plataforma digital de grande alcance, já que o Google Arts & Culture reúne hoje acervos de mais de mil museus e instituições de arte e cultura de todo o mundo.

Nesta primeira fase, mais de 450 obras dos museus Ibram foram capturadas com a Art Camera - câmera que digitaliza em alta resolução (gigapixels) e revela detalhes de obras e objetos que passariam despercebidos a olho a nu. Também é possível passear pelos museus do Ibram graças à tecnologia Google Street View.

Durante o 7º FNM, os participantes poderão interagir com os acervos e narrativas preparadas para esta fase do projeto por meio de telas touch screen. Apenas no dia 31 (quarta), a ArtCamera também poderá ser vista de perto pelos participantes.  Mais informações sobre o projeto estarão disponíveis em material impresso distribuídos pelo Google no Brasil.

Texto: Google Brasil
Edição: Ascom/Ibram
Imagem: Museu Lasar Segall/Ibram