Exposições de arte contemporânea no Museu da República ganham livro

Para comemorar os dez anos de atividades da Galeria do Lago, espaço dedicado à arte contemporânea situado em seu jardim, o Museu da República/Ibram, no Rio, lança nesta segunda-feira (8), a partir das 18h, livro que apresenta cronologicamente as exposições individuais e coletivas realizadas no espaço.

Jardins do Museu da República no Catete

Jardins do Museu da República no Catete

Com organização da artista visual Martha Niklaus, que esteve à frente da galeria durante estes dez anos, Galeria do Lago: arte contemporânea no Museu da República traz imagens das obras de todos os 140 artistas envolvidos e textos inéditos.

O livro tem edição bilíngue (português-inglês), 320 páginas e será distribuído gratuitamente no lançamento.

A própria Martha Niklaus, a crítica de arte Glória Ferreira, o museólogo e poeta Mario Chagas e a curadora Isabel Sanson Portella, atual coordenadora da Galeria do Lago, assinam os textos da publicação, que traz também reedição das entrevistas com os artistas publicadas nos fôlderes de suas exposições.

Com exposições que duram em média três meses, a Galeria do Lago apresenta obras que dialogam com o Museu da República, seu acervo histórico, paisagístico e arquitetônico, possibilitando o acesso aos cinco mil frequentadores que desfrutam diariamente do maior jardim público do bairro do Catete. Saiba mais.

Texto: Divulgação Museu da República
Foto: Arquivo Ibram

Museu Nacional de Belas Artes (RJ) reabre galeria de arte brasileira

A galeria de Arte Brasileira Moderna e Contemporânea, uma das principais mostras permanentes do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro, reabriu ao público no dia 10 de janeiro, após reformas estruturais iniciadas em setembro passado.

Situada no 3º Piso do MNBA, a galeria abriga uma da raras mostras no Brasil onde se pode descortinar, num só espaço, um relevante percurso artístico que vai do início do século XX até os dias atuais.

Na nova exposição, que chega atualmente a 205 peças, há obras de Candido Portinari, Willys de Castro, Décio Vieira, Maria Bonomi, Fayga Ostrower, Gilvan Samico, Celso Antonio, entre outros artistas brasileiros.

Com 1.800 metros quadrados, divididos em dois andares, a galeria exibirá no primeiro andar, o movimento da Abstração na gravura, e no segundo, a importância da gravura na produção artística brasileira das décadas de 1980 à contemporaneidade, assim como esculturas de artistas como Farnese de Andrade e Rubens Gerchman.

O MNBA fica aberto de terça a sexta, de 10h às 18h e aos sábados, domingos e feriados de 12h às 17h. Mais informações na página do museu.

Texto e foto: Divulgação MNBA

MNBA reabre galeria de Arte Brasileira Moderna e Contemporânea no RJ

A galeria de Arte Brasileira Moderna e Contemporânea, uma das principais mostras permanentes do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro, reabre neste dia 10 (quinta-feira), às 19h, após reformas estruturais iniciadas em setembro passado.

Situada no 3º Piso do MNBA, a galeria abriga uma da raras mostras no Brasil onde se pode descortinar, num só espaço, um relevante percurso artístico que vai do início do século XX até os dias atuais.

Na nova exposição, que chega atualmente a 205 peças, há obras de Candido Portinari, Willys de Castro, Décio Vieira, Maria Bonomi, Fayga Ostrower, Gilvan Samico, Celso Antonio, entre outros artistas brasileiros.

Com 1.800 metros quadrados, divididos em dois andares, a galeria exibirá no primeiro andar, o movimento da Abstração na gravura, e no segundo, a importância da gravura na produção artística brasileira das décadas de 1980 à contemporaneidade, assim como esculturas de artistas como Farnese de Andrade e Rubens Gerchman.

O MNBA fica aberto de terça a sexta, de 10h às 18h e aos sábados, domingos e feriados de 12h às 17h. Mais informações na página do museu.

Texto e foto: Divulgação MNBA

Museu de Belas Artes fecha galeria para reforma a partir de 21 de agosto

Seguindo planejamento, o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram) fechará, no dia 21 de agosto (terça-feira),  para o início das reformas na galeria de Arte Brasileira Moderna e Contemporânea.

Localizada no 3o piso do Museu, o espaço tem 2 mil metros quadrados de área e exibe obras de artistas como Tarsila do Amaral , Guignard, Candido Portinari,  di Cavalcanti, Pancetti, entre outros. A galeria será reaberta em novembro, com novas instalações e obras de arte em exposição.

Texto: Divulgação MNBA

Museu de Favela inaugura galeria de arte a céu aberto

O Museu de Favela (MUF), localizado na comunidade do Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, no Rio de Janeiro, inaugurou nesta quinta-feira, dia 16, o Circuito das Casas-Telas, uma galeria de arte a céu aberto feita por artistas locais.

O presidente da ONG Museu de Favela, o grafiteiro ACME, apresentou a mostra permanente, que fica ao longo dos caminhos da favela. As telas, realizadas nas fachadas das casas dos próprios moradores, mostram a memória da comunidade e as transformações políticas, sociais e culturais sofridas ao longo dos anos.

O presidente do Ibram/MinC, José do Nascimento Junior, e o diretor do Departamento de Processos Museais, Mário Chagas, acompanharam a inauguração e reafirmaram o compromisso do Ibram na continuidade do projeto. O projeto Circuito Casas-Telas teve recursos fornecidos pelo Edital Modernização de Museus, do Departamento de Museus e Centros Culturais do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico e Nacional (Demu/Iphan), que em janeiro de 2009 deu origem ao Ibram/MinC.