Página 8 de 32« Primeira...678910...2030...Última »

Solar Monjardim tem aumento expressivo de visitação no primeiro trimestre

O Museu Solar Monjardim (Ibram/MinC) obteve no primeiro trimestre deste ano um desempenho superior ao de anos anteriores, conseguindo manter um bom nível de atividade no museu durante época considera de baixa temporada.

O museu realizou, neste período, uma série de ações voltadas para a comunidade do entorno e para os turistas que visitavam Vitória, capital do Espírito Santo.

grafico

Visitação no Solar Monjardim tem crescido em 2015

Dentre os fatores que possibilitaram o aumento de quase 86% no número de visitantes, em relação ao primeiro trimestre de 2014, destacam-se a ampliação do horário de visitação ao museu e atividades como as aulas abertas de capoeira (que acontecem todos os domingos na chácara onde se encontra o Solar).

A reabertura da exposição temporária Modernidade e Preservação: Vitória por André Carloni, além da realização de eventos como o Encontro do Dia Internacional da Mulher também são considerados fatores positivos para o crescimento de público.

Apesar de avaliar que ainda existe um longo caminho pela frente, o Diretor interino do Museu Solar Monjardim, Rogério Coutinho, acredita que a instituição esteja no caminho certo.

“Para contornar as limitações habituais dos museus de pequeno e médio porte e conseguir expandir sua penetração na sociedade, precisamos acima de tudo de duas coisas: criatividade e proatividade”. Segundo Rogério, novas ações já estão sendo planejadas para os próximos meses no Solar.

Texto e gráfico: Divulgação Museu Solar Monjardim
Edição: Ascom/Ibram

Exposição exibe gravuras de Debret pertencentes à Coleção Castro Maya

debretNo ano em que o Rio de Janeiro celebra seus 450 anos, uma mostra inédita oferece a cariocas e visitantes a oportunidade de apreciar de perto a visão de um dos maiores pintores viajantes franceses sobre a “cidade maravilhosa”.

Em cartaz no Centro Cultural Correios, a mostra “O Rio de Janeiro de Debret” apresenta 120 obras originais de Jean-Baptiste Debret (1768-1848). As obras pertencem à Coleção Castro Maya, que reúne a maior coleção de Debret existente no Brasil: são mais de 500 originais do artista sob a guarda do Museu Chácara do Céu, vinculado ao Ibram.

O pintor residiu no Rio de Janeiro entre 1816 e 1831 e durante sua estada pôde acompanhar as grandes transformações pelas quais passava a sociedade brasileira como consequência da vinda da Corte Portuguesa parao Rio de Janeiro em 1808. No Rio, Debret foi testemunha de momentos decisivos e de atos governamentais que iam mudando a feição política, social e cultural do país e também integrante da vida cotidiana da cidade.

Cronista do Rio - A iconografia do Brasil no período de transição de um modo de vida colonial para o de Nação independente ficou monopolizada pelo retrato criado pelo artista através dos desenhos e aquarelas produzidos durante sua estada na Corte, razão pela qual Debret não poderia ficar de fora das comemorações dos 450 anos do Rio de Janeiro.

“Debret é o cronista maior da vida do Brasil na primeira metade do século XIX. Ele acompanhou e documentou visualmente o início do Brasil como Nação independente, especialmente no Rio de Janeiro”, explica a curadora da mostra, Anna Paola Baptista.

A exposição, que tem o apoio institucional do Consulado da França no Rio de Janeiro e é evento oficial da Programação dos 450 anos da cidade, ficará em cartaz até o dia 3 de maio no Centro Cultural Correios, situado na Rua Visconde de Itaboraí, 20, no centro da capital fluminense.

Texto: Bruno de Aragão (Ascom/Ibram)

A Fotografia em Ouro Preto no séc. XIX é destaque no Museu da Inconfidência

Caminho da Estação, 1882. Acervo: Arquivo Municipal de Ouro Preto.

Caminho da Estação, 1882. Acervo: Arquivo Municipal de Ouro Preto.

O Museu da Inconfidência (Ibram/MinC) inaugura as atividades de 2015 na Sala Manoel da Costa Athaide nesta sexta-feira (20), com a abertura da mostra A fotografia em Ouro Preto no século XIX.

Serão expostas imagens e apresentadas informações que evidenciam a relevância da cidade para a história da fotografia. De 1845 a 1900, Ouro Preto recebeu o maior número de fotógrafos em Minas Gerais. Eles trabalharam tanto de forma itinerante, como em ateliês permanentes.

A iniciativa da exposição é do projeto Itinerâncias – a expansão da fotografia em Minas Gerais no século XIX, que objetiva estimular reflexões sobre a história da fotografia no estado. A proposta é trazer à tona diferentes representações da cidade e retratos diversos, que permitam enfatizar a trajetória dos fotógrafos. Estes vieram de vários países e divulgaram seu trabalho, principalmente, por meio de anúncios em jornais e revistas.

A visitação é gratuita e ocorre de terça a domingo, das 10 às 18h, até 3 de maio. A abertura acontece às 20h30.

Texto: Ascom/Museu da Inconfidência
Foto: Divulgação Museu da Inconfidência

MNBA abre exposição de pinturas de artista chilena no Rio

Delicadeza, violência e denúncia convivem numa tensão lúdica nas telas da artista plástica e professora chilena Macarena Acharán na exposição Menina dos Óleos – que abriu hoje (10), e fica em cartaz até 12 de abril, no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ).

Os trabalhos da artista chilena dialogam com o universo feminino

Os trabalhos da artista chilena dialogam com o universo feminino

Sob curadoria do poeta ítalo-brasileiro Carlos Dimuro, a inquietação da artista está nas tintas e no movimento das pinceladas presentes nos quadros, que denunciam a condição da mulher no mundo.

Composta por 23 telas a óleo, como já indica o nome da exposição, as obras apresentam, segundo o curador,  “mulheres de todas as etnias, credos e estéticas, além dos mistérios que caracterizam o universo feminino”.

Segundo o crítico e poeta brasileiro Ferreira Gullar, uma das virtudes no trabalho de Acharán é que nele a linha que representa a figura humana – quase sempre o corpo feminino – é parte de uma expressão mais rica, que transcende a representação figurativa, imprimindo-lhe dramaticidade e denúncia.

Chile e Brasil
Macarena tem na sua formação estudos na Pontifícia Universidade Católica do Chile em Licenciatura em Arte com menção em Pintura (1978 – 1982). A artista também estudou no Brasil em três oportunidades, em São Paulo e Brasília, nos anos 90.

Alguns de seus trabalhos fazem parte de acervos de museus latino-americanos e europeus. No Brasil, Macarena Acharán já realizou exposições em São Paulo e Rio de Janeiro entre os anos de 1993 e 1994.

A entrada para a exposição é gratuita durante todo o mês de março. O MNBA localiza-se na Avenida Rio Branco, 199 (Cinelândia), e funciona de terça a sexta, das 10h às 18h; e sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h. Outras informações pelo telefone (21) 3299.0600.

Texto e foto: Divulgação MNBA
Edição: Ascom/Ibram

Faces do Serro: Casa dos Otttoni abre exposição na quinta (29)

Na quinta (29), o Museu Regional Casa dos Ottoni (MRCO/Ibram), localizado na cidade de Serro (MG), abre, às 19h, a exposição Faces do Serro.

Museu Casa dos Ottoni (MG)

Nova exposição abre no MRCO no dia 29 de janeiro

Nessa noite, acontece bate papo sobre as oficinas realizadas entre o fotógrafo Lorí Figueiró e participantes fotografados para a exposição. A seguir, serão apresentados dois vídeos making of, relatando as oficinas.

Logo depois está programada a apresentação de quatro grupos folclóricos de Serro: Marujos, Caboclos, Catopês e Caixa de Assovios. As atividades acontecem no jardim do museu e será encerrada com um coquetel às 20h30.

Após a abertura, os visitantes poderão conhecer o resultado das oficinas com 25 imagens, que ficam em cartaz até 1º de março.

O Museu Regional Casa dos Ottoni localiza-se na Praça Cristiano Ottoni, 72 – Praia. E funciona de terça a sábado, das 10h às 18h; e domingos e feriados, das 8h às 12h. Outras informações pelo telefone (38) 3541.1440.

Texto: Divulgação MRCO
Foto: Banco de Imagens Ibram

Museu Nacional de Belas Artes celebra 78 anos com exposição inédita

Um dos principais depositários de bens culturais apreendidos pela Receita Federal, o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), recebe oficialmente nesta terça-feira (13), um lote de vinte obras de arte doados pelo órgão na data em que celebra 78 anos de criação.

Museu Nacional de Belas Artes integra a rede Ibram no Rio

Museu Nacional de Belas Artes integra a rede Ibram no Rio

As obras serão exibidas na exposição Apreensões e Objetos do desejo: obras doadas pela Receita Federal ao MNBA, que será aberta às 12h30 e tem entrada gratuita.

A exposição, que fica em cartaz até 29 de março, representa ainda um “presente” a ser compartilhado com o público no ano em que também se celebram os 450 anos de fundação da cidade do Rio de Janeiro.

A incorporação das novas peças vai reforçar significativamente o acervo do museu, com obras de autores de renome internacional e nacional. Algumas das obras doadas foram adquiridas, segundo apuração, em leilões das prestigiadas casas Sotheby’s e Christie’s.

A exposição inclui trabalhos do italiano Michelangelo Pistoleto, do indiano Anish Kapoor, do inglês Antony Gormley, da francesa Niki de Saint-Phalle, do argentino Miguel Ángel Ríos, entre outros artistas.

Pelo lado brasileiro, o público vai poder contemplar, por exemplo, obras de artistas como Sérgio Camargo, Jorge Guinle Filho, Daniel Senise, Cildo Meireles, Beatriz Milhazes e OSGEMEOS.

De acordo com a diretora do MNBA, Monica Xexéo, as obras completam lacunas relativas ao período moderno e contemporâneo do acervo do museu. “A repatriação deste importante conjunto demonstra, por outro lado, a força da arte brasileira no mercado internacional”, explica.

Conservação e pesquisa
As obras, que entram em exposição temporária praticamente no estado em que foram recebidas, posteriormente passarão por conservação e pesquisa para figurarem no circuito permanente do MNBA. A doação do conjunto é resultado do acordo de cooperação firmado entre o Ministério da Cultura, o Ibram e a Receita Federal. Saiba mais.

O MNBA também inaugura na data a exposição Ver e Sentir Através do Toque, que permitirá a pessoas com deficiência visual entrarem em contato com obras de artistas como José Borges da Costa, Tarsila do Amaral, Manabu Mabe e Francisco Rebolo.

Durante a cerimônia no Rio, também será entregue o Prêmio Quirino Campofiorito, que homenageia o artista plástico brasileiro (1902-1993) e é concedido a personalidade que apoiam o Museu Nacional de Belas Artes.

Texto e foto: Ascom/Ibram

Receita notificará Ibram sobre bens abandonados com valor cultural

Escultura apreendida pela Receita integra o acervo do Museu da Abolição/Ibram desde 2012

A Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) deverá notificar o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) sobre a disponibilidade de mercadoria abandonada, entregue à Fazenda Nacional ou objeto de pena de perdimento, quando houver indícios de que se trate de bem de valor cultural, artístico ou histórico.

Os procedimentos a serem adotados nestes casos foram dispostos em Portaria Interministerial, dos ministérios da Fazenda e da Cultura, publicada no Diário Oficial da União (DOU) no dia 19 dezembro.

Segundo a portaria, a RFB notificará o instituto sobre a existência do bem, permitindo o acesso de técnicos para fins de vistoria.

O Ibram deverá se manifestar quanto ao interesse na incorporação do bem no prazo de 45 dias, contados da data da notificação, prorrogável uma única vez por igual período.

A ausência de manifestação do Ibram no prazo de 45 dias ou, caso solicitada a prorrogação, configura-se desinteresse na destinação do bem, liberando a mercadoria para outra destinação.

As informações relativas às mercadorias objeto de notificação ficarão restritas aos envolvidos nos procedimentos de que trata a portaria, até a sua retirada do depósito. Confira o documento na íntegra.

Lei anterior
Em 2013, a presidenta Dilma Rousseff sancionou a Lei nº 12.840, que dispõe sobre a destinação de bens de valor cultural, artístico ou histórico apreendidos pela Receita Federal, cedidos à União como pagamento de dívidas ou que tenham sido abandonados, aos museus brasileiros.

A guarda e a administração de bens deste tipo poderão ser concedidas a museus federais, estaduais ou municipais – tendo as instituições museológicas federais preferência. O Conselho Consultivo do Patrimônio Museológico do Ibram será ouvido previamente sobre a conveniência de se destinar determinado bem a museus. Saiba mais.

Trabalho do artista brasileiro Sérgio Camargo também será exposta no MNBA

Obras no MNBA
Em 2012, o Museu da Abolição, que integra a rede de museus Ibram em Recife (PE), recebeu pela primeira vez uma obra de arte apreendida pela Receita Federal em aeroporto de São Paulo: a escultura Samburu Dance I, da artista holandesa Marianne Houtkamp.

Outro resultado da parceria entre a Receita Federal e o Ibram poderá ser conferido gratuitamente pelo público a partir do dia 13, no Museu Nacional de Belas Artes/Ibram, no Rio, quando o museu vai receber oficialmente 20 obras apreendidas e que serão exibidas temporariamente na exposição Apreensões e Objetos do desejo: obras doadas pela Receita Federal ao MNBA.

O museu estava como fiel depositário das obras desde sua apreensão, em abril do ano passado, com o objetivo de mantê-las preservadas até o encerramento legal do processo de perdimento. O lote traz obras de artistas nacionais, como Beatriz Milhazes e Cildo Meireles, e estrangeiros, como Anish Kapoor e Antony Gormley.

Texto: Ascom/Ibram
Fotos: Divulgação

Museu da República comemora 54 anos de criação amanhã (15) no RJ

Criado no dia 15 de novembro de 1960, o Museu da República, no Rio de Janeiro (RJ), comemora 54 anos neste sábado (15). Para celebrar a data, o museu vinculado ao Ibram preparou uma programação especial que, seguindo um conceito que tem orientado a instituição há mais de cinco décadas, combina atrações culturais dentro do palácio e ao ar livre com reflexão sobre a história republicana do Brasil.

Jardins do Museu da República no Catete

Jardins do Museu da República no Catete

A programação tem início com a inauguração da exposição Presidentes do Catete: traços e troças, que ocupará a aleia do jardim do museu. A mostra exibirá uma sátira de sentidos e contradições da experiência republicana brasileira.

Às 11h, o pátio interno do museu será palco para concerto da Orquestra Villa-Lobos e as crianças, com obras de Bach, Tchaikovsky, Villa-Lobos, Geraldo Vandré, Guerra-Peixe e outros.

No mesmo local, às 15h, o jornalista e historiador Alberto Moby Ribeiro da Silva profere palestra Sinal fechado – a MPB sob censura, um passeio pela vida cultural do Estado Novo e do regime ditatorial pós-1964, sob a vigência do Ato Institucional nº5, do ponto de vista das canções vigiadas pela censura. Na sequência, no coreto do jardim do museu, haverá declamação de poemas com apresentação musical.

O duo AssuntoGrave, formado pelo contrabaixista Ricardo Vasconcelos e pela pianista Francisca Aquino, encerra a programação do dia com a apresentação Um passeio musical pelos 125 anos do Brasil República, a partir das 17h.

O Museu da República está localizado na Rua do Catete, 153, no bairro do Catete, no Rio de Janeiro (RJ). Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Museu Casa de Benjamin Constant completa 32 anos amanhã (18)

Neste sábado (18), o Museu Casa de Benjamin Constant, no Rio de Janeiro (RJ), comemora 32 anos de fundação com uma série de atividades abertas ao público a partir das 10h.

Museu Casa de Benjamin Constant

Museu Casa de Benjamin Constant localiza-se no bairro carioca de Santa Teresa

Até as 17h serão realizadas visitas mediadas ao museu casa. Na sala de jantar, será inaugurada a mostra Um jantar com Benjamin, intervenção artística que utilizará peças do artista plástico vidreiro Paulo Vergueiro.

Ali será também simulado um jantar de Benjamin Constant (1833-1891) com outras figuras históricas com quem ele teve contato em sua vida de engenheiro, militar, professor e estadista do século XIX.

Os convidados
À mesa, os 11 lugares restantes estarão reservados para sua esposa, Maria Joaquina, Dom Pedro II (Benjamin Constant foi professor dos filhos do imperador), Auguste Comte, filósofo francês, entre outros.

Um dos lugares, contudo, estará vazio: “é o lugar do ‘convidado desconhecido’”, explica Elaine Carrilho, diretora do museu. “O público vai sugerir que figura merece compor essa mesa republicana”.

Os votos serão colocados em uma urna e serão compilados ao término da exposição em 23 de novembro. Com a divulgação do resultado, também será sorteado um participante da votação para ganhar uma das peças do artista Paulo Vergueiro.

Outras atividades
Ainda como parte das comemorações deste sábado, às 12h haverá a entrega do livro 1889, autografado pelo autor Laurentino Gomes, à vencedora do concurso Um selfie com Benjamin, Kamylle Amorim.

Museu Casa de Benjamin Constant é uma das unidades Ibram que receberão melhorias

Criado em 1982, o museu casa reconstitui ambiente familiar de Benjamin Constant

Haverá também espaço para a Feira Sustentável do Troca – em que é permitido levar roupas, livros, CDs, relógios, utensílios etc – e um lanche orgânico colaborativo entre os visitantes que levarem alimentos e quiserem compartilhar com os demais.

A casa estará ainda recebendo 1 kg de alimento não perecível por pessoa para doação ao Ballet de Santa Teresa, entidade parceira em diversas ações culturais.

Museu casa
Erguida em torno de 1860 e comprada pela União após a morte de Benjamin Constant, a propriedade está situada no bairro de Santa Teresa, na capital fluminense, e foi a última residência daquele que é considerado o “fundador da República brasileira”. Ali, viveu seu último ano de sua vida, ao lado da esposa e de oito filhos.

Em 18 de outubro de 1982, o museu foi criado com a missão de reconstituir o ambiente familiar e o contexto sociocultural em que viveu Benjamin Constant, por meio da reconstituição de ambientes, hábitos e costumes da época. Conheça mais sobre o museu e saiba como chegar.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Museu Casa Benjamin Constant/divulgação
Última atualização: 6/10/2016

Chapéus ganham exposição no Museu Imperial em Petrópolis (RJ)

A sala de exposição temporária do Museu Imperial, em Petrópolis (RJ), inaugurou neste mês a exposição O Chapéu – Nas coleções do Museu Imperial, que fica em cartaz até o mês de dezembro. As visitas podem ser feitas de terça a domingo, das 11h às 18h.

Público pode visitar a nova exposição até dezembro de 2014

Público pode visitar a nova exposição até dezembro de 2014

Os 20 chapéus em exposição, que fazem parte dos acervos da Museologia, Arquivo Histórico e Biblioteca do museu, estão agrupados em dois núcleos: os de uso militar e de uso civil.

Quatro chapeleiras (mobiliário para chapéus) também estão na mostra, junto com fotografias, quadros a óleo originais e reproduções, anúncios de lojas do século XIX e trechos da literatura que mostram a importância social do chapéu.

“É uma ‘viagem’ visual que aproxima acervo histórico e artístico à vida de cada ‘passageiro’, transformando o visitante em agente ativo da História: afinal, quem nunca usou um chapéu?”, questiona o diretor do Museu Imperial, Maurício Vicente Ferreira Jr.

Segundo o setor de Museologia do Museu Imperial, duas peças do século XIX possuem destaque nesta exposição: o quepe de Marechal, que pertenceu a Gastão de Orleans, o Conde D’Eu (1842-1922); e o chapéu armado bicorne, peça mais antiga da exposição, usado em eventos de pequena gala e que pertenceu a Dom João VI (1767-1826). Saiba mais.

Cláudio de Souza
No dia 20 de outubro (segunda-feira) comemora-se o aniversário de 138 anos de Cláudio de Souza (1876-1954), escritor e teatrólogo que deu nome à unidade do Museu Imperial localizada na Praça da Liberdade em Petrópolis.

Espetáculo é voltado para estudantes de Petrópolis

Espetáculo é voltado para estudantes de Petrópolis

Nos dias 20 e 22 de outubro, às 14h30, a casa recebe o projeto educativo Era uma vez… Cláudio de Souza, promovido pelo Segmento de Museus do Conselho Municipal de Cultura e Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis. O evento, que integra o Projeto Museu Vivo, é gratuito e aberto para escolas municipais que estiverem agendadas.

O espetáculo, com direção de Laell Rocha, conta de forma lúdica a vida e obra de um dos escritores brasileiros mais importantes da primeira metade do século XX. “A premissa é fazer com que crianças e adultos conheçam as aventuras da fascinante vida deste grande escritor e médico”, afirma Rocha.

Escolas interessadas podem fazer o agendamento prévio através do endereço eletrônico mimp.casaclaudiodesouza@museus.gov.br. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (24) 2231-5156/4722 ou pelo endereço eletrônico mimp.casaclaudiodesouza@museus.gov.br. Conheça mais sobre a Casa de Cláudio de Souza.

Texto e fotos: Divulgação Museu Imperial
Edição: Ascom/Ibram

Página 8 de 32« Primeira...678910...2030...Última »