Página 32 de 32« Primeira...1020...2829303132

MAB apresenta exposição de Arte Modernista baiana

Está aberta no Museu de Arte da Bahia (MAB) a mostra Revisitando Um Acervo de Arte Baiana, que reúne obras da história modernista contada entre as décadas de 50 e 80. A exposição faz parte do acervo da Agência de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia) e revela, por meio de desenhos, tapeçarias, esculturas e pinturas, os desdobramentos do movimento modernista no estado. Foram selecionadas obras de trinta artistas baianos, dentre eles, Genaro de Carvalho, Mário Cravo Júnior, Carlos Bastos, Caribe, Jenner Augusto, Rubem Valentim e Lygia Sampaio.

A mostra Revisitando Um Acervo de Arte Baiana possui entrada franca e está disponível para visitação de terça à sexta-feira, das 14h às 19h e sábado e domingo, das 14h30 às 18h30.

Conheça mais sobre o acervo do Desenbahia aqui

O Museu de Arte da Bahia (MAB) fica na Av. Sete de Setembro, 2340, Corredor da Vitória, BA. Informações: (71) 3336-5642.

Exposição Panáfrica exibe peças africanas do século 20

O Centro Cultural Solar Ferrão, em Salvador, apresenta um dos maiores e mais importantes acervos de arte africana do Brasil na exposição Panáfrica, que conta com o apoio da Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Dimus/IPAC/Secult – Ba).

A montagem de longa duração trará mais de 860 peças que apontam a riqueza estética e a diversidade da produção cultural africana do século XX, expressa em objetos como máscaras, estatuetas e utensílios de uso cotidiano ou ritualístico. As obras foram doadas ao Governo do Estado da Bahia, em 2004, pelo industrial italiano Claudio Masella.

Com curadoria do diretor de Museus do IPAC, Daniel Rangel, e do arquiteto André Vainer, que também assina o projeto expográfico, Panáfrica representa o resultado de uma longa caminhada de trabalho, que teve como último e importante passo a montagem da exposição Sete Áfricas, em dezembro de 2008, que ficou em cartaz até janeiro deste ano.

Visitas especializadas

Desde o dia 2 de março, sempre as terça-feiras, às 15h, o historiador Ademir Ribeiro Junior está ministrando visitas especializadas, espontâneas ou agendadas. Organizada pelo Núcleo de Arte e Educação da Dimus (NAE/Dimus), a atividade aponta aspectos importantes da cultura africana e afro-brasileira, além de apresentar ao público, de forma mais detalhada, a história da Coleção Claudio Masella.

As visitas podem ser agendadas pelo (71)3116-6740. Mais informações no blog da Dimus. O Centro Cultural Solar Ferrão fica na Rua Gregório de Mattos, 45, Pelourinho, Salvador-BA

Como você vê o seu bairro? MUPE convida estudantes a descrever o Sítio Cercado

Estudantes da Escola Guilherme Lacerda Braga Sobrinho e da Escola Municipal Madre Teresa de Calcutá, ambas no Sítio Cercado, em Curitiba, foram convidados a colocar no papel como eles veem seu bairro. O resultado foram cerca de 150 desenhos e redações, que revelam características locais presentes no imaginário dos alunos, dentre elas o grande adensamento habitacional, o trânsito de automóveis, a violência urbana e os equipamentos de lazer das escolas, como gangorras e escorregadores.

O material, que já foi exposto no primeiro encontro Teia da Memória, em dezembro de 2009, em Salvador, foi reproduzido fotograficamente e transcrito pela equipe do Museu de Periferia – MUPE seguindo critérios museolólgicos de documentação e arquivamento e agora pode ser acessado no portal do museu http://acervomupe.wordpress.com/

Através da exposição do material na internet, o MUPE pretende aprimorar os critérios de catalogação e publicação dos desenhos, em diálogo com Instituto Brasileiro de Museus – ibram, e reunir colaborações de historiadores, psicólogos, pedagogos, museólogos e demais profissionais que possam contribuir na implementação do projeto.

O projeto “ Como você vê o seu bairro” é uma iniciativa do Museu de Periferia – MUPE, que pretende estimular a discussão sobre a “memória viva” nas escolas do Sítio Cercado, incentivando os estudantes a perceber seu território, sua cultura e as características de seu ambiente. Para a composição da memória do bairro, também está prevista a realização de entrevistas com os moradores mais antigos do bairro.

MUPE – O Museu da Periferia vem sendo organizado por moradores do bairro Sítio Cercado, em Curitiba, desde abril de 2009. A ideia foi inspirada na experiência dos Pontos de Memória Museu da Maré (na Favela da Maré) e o MUF – Museu de Favela (no Cantagalo Pavão-Pavãozinho), ambos na cidade do Rio de Janeiro.

Em setembro de 2009, a pedido da comunidade, foi realizada a oficina Museu, Memória e Cidadania, ministrada pelo diretor do Departamento de Processos Museais do Ibram, Mário Chagas, para a instalação do Ponto de Memória. A iniciativa também recebeu apoio de artistas, entidades, associação de moradores, Associação Cultural de Negritude e Ação Popular e de articuladores do Museu da Maré e MuF.

O MUPE integra o projeto Pontos de Memória, uma parceria entre os Programas Mais Cultura, do Ministério da Cultura, através do Ibram, e do Pronasci, do Ministério da Justiça, com apoio da Organização dos Estados Ibero-americanos – OEI.

Sítio Cercado – O bairro era praticamente uma área rural até o final da década de 70 e teve um crescimento gigantesco nos últimos 30 anos. Fica na zona sul da cidade e concentra cerca de 150 mil habitantes.

Exposição revela participação da comunidade no Museu de Itaipu

O Museu de Arqueologia de Itaipu – MAI, vinculado ao Instituto Brasileiro de Museus – IBRAM, após a conclusão das obras de restauração e modernização do prédio histórico onde está instalado, vai oferecer ao público uma nova exposição de longa duração: “Percursos do Tempo – Revelando Itaipu”, a ser inaugurada no dia 27 de janeiro de 2010, às 19h. As questões centrais da mostra referem-se à ocupação humana em Itaipu e às suas manifestações culturais como a pesca, os sítios arqueológicos o antigo Recolhimento de Santa Teresa e a criação do MAI, todas elas em harmonia com os ecossistemas locais.

Percursos do Tempo – Revelando Itaipu pretende evidenciar a relação intrínseca de participação da comunidade pesqueira local e de pesquisadores na idealização de um museu que vem se erguendo e se configurando integralmente em meio às ruínas do Recolhimento de Santa Teresa, aos sítios arqueológicos Duna Grande, Duna Pequena e Sambaqui de Camboinhas, em um ambiente circunscrito por mar, laguna, montanha e floresta.

Foto: Ricardo Bhering

Visitação:
Terça a sexta, das 10h às 17h.
Sábados, domingos e feriados, das 13h às 17h.
Visitas orientadas: segunda a sexta, das 9h às 17h.

Ingresso: R$ 2,00 (meia entrada para estudantes)

Mais Informações:
Museu de Arqueologia de Itaipu – Setor Educativo
Praça de Itaipu, s/n – Itaipu – Niterói-RJ
Telefones: (21) 3701.2994 / 3701.2966

Mostra fotográfica revela transformações de São João del-Rei

A fotografia de André Bello: Referências do Passado
A mostra A fotografia de André Bello: Referências do Passado – Visões de Futuro foi inaugurada no último dia 10, no Museu Regional de São João del-Rei. No mês de comemoração do aniversário do município, a exposição apresenta o legado de produções fotográficas das três primeiras décadas do século XX com imagens da cidade, registrando a sociedade, os habitantes ilustres, o comércio, as propagandas e as cenas característas da época.

Um dos destaques da mostra de André Bello (1879-1941) é o álbum fotográfico São João del-Rei (1918), por registrar o processo de mudança de ocupação do centro urbano e dos costumes da população, dando a tudo o que aconteceu na cidade um lugar no tempo e na história.

A exposição está aberta diariamente, das 9h às 19h, na sala de curta duração do Museu Regional de São João del-Rei, situado à Rua Marechal Deodoro, 12 – Centro – São João del-Rei -MG.

Museu Victor Meirelles 2010: Edital Exposições Temporárias

Até o dia 15 de dezembro estão abertas as inscrições para o Edital Exposições Temporárias 2010 do Museu Victor Meirelles, de Florianópolis – SC, vinculado ao IBRAM/MinC.

O Edital prevê a seleção de quatro propostas de exposição que serão realizadas no Museu Victor Meirelles entre abril de 2010 e fevereiro de 2011. As exposições são apresentadas no andar térreo do Museu, situado na casa onde viveu o artista Victor Meirelles, edifício histórico no centro da cidade de Florianópolis.

A sala de exposições possui pequenas dimensões, de cerca de 40m2, e características arquitetônicas marcantes, o que tem conferido um caráter mais específico para as montagens e permitindo diálogos produtivos entre a arquitetura e as intervenções e propostas expográficas de cada exposição.

Nesta edição do Edital, a Comissão Consultiva, responsável pela seleção das propostas, será formada por 07 profissionais atuantes no panorama artístico catarinense, incluindo artistas, pesquisadores e profissionais das áreas de curadoria, critica, gestão institucional, museologia, conservação e educação: Charles Narloch, Fernando Lindote, Raquel Stolf, Ana Lucia Vilela, Ângela Paiva, Rosivaldo Flausino e Julia Amaral (representante da Associação dos Amigos do MVM).

Além disso, em 2010, o Museu pretende retomar a publicação da revista eletrônica “um ponto e outro”, que foi desenvolvida entre 2006-2007 reunindo uma série de textos críticos, entrevistas, imagens e material de apoio e pesquisa sobre cada mostra do programa. O Programa também conta com mediações especializadas desenvolvidas pelo setor educativo da instituição. Considerando a complexidade da produção de arte contemporânea e a importância de sistematizar e mediar estes conteúdos junto ao público, estas iniciativas são estratégias fundamentais para contribuir para a qualificação do Programa.

Para saber mais sobre o Edital, os artistas interessados poderão acessar o regulamento, plantas baixas e fotografias da sala de exposições temporárias no site do Museu: www.museuvictormeirelles.org.br

Mais informações: Museu Victor Meirelles – Rua Victor Meirelles, 59 – Centro – Florianópolis (48) 3222 0692, museu.victor.meirelles@iphan.gov.br ou http://www.museuvictormeirelles.org.br.

Página 32 de 32« Primeira...1020...2829303132