Página 19 de 33« Primeira...10...1718192021...30...Última »

Museu Histórico Nacional completa 90 anos com programação especial no RJ

Sediado no Rio de Janeiro (RJ) e vinculado ao Ibram/MinC, o Museu Histórico Nacional (MHN) completa 90 anos de existência no dia 2 de agosto.

Para celebrar a data, o MHN preparou uma programação especial que inclui exposição temática e o lançamento de selo e carimbo comemorativos, além de aplicativo multimídia.

Museu Histórico Nacional – 90 Anos de Histórias, será aberta no dia 2, às 18h30, com a participação da ministra da Cultura, Ana de Hollanda, do presidente do Ibram, José do Nascimento Jr., e da diretora do MHN, Vera Tostes.

A exposição revela a trajetória da instituição, criada em 2 de agosto de 1922, pelo Presidente Epitácio Pessoa, no âmbito da Exposição Internacional Comemorativa do Centenário da Independência do Brasil.

Dividida em módulos temáticos, a mostra apresenta 350 peças representativas do acervo do museu, incluindo a primeira peça incorporada à coleção – uma casaca de senador da época do imperador D. Pedro II – e a mais recente, um uniforme de gari doado pela Comlurb.

A partir da exposição, o visitante terá a oportunidade de conhecer melhor a trajetória do MHN: a formação do acervo, que hoje reúne cerca de 350 mil itens, e as iniciativas pioneiras – como a criação da primeira escola de Museologia do país e do primeiro serviço federal de proteção ao patrimônio nacional.

Selo e aplicativo

Fotografia da Capela da Jaqueira em Recife (PE)

No dia 2 de agosto, também parte da programação dos 90 anos do MHN/Ibram,  a exposição Arte Barroca e Rococó no Brasil – fotografias de Alex Salim será aberta ao público. O fotógrafo mineiro selecionou 42 imagens para a exposição que representam uma síntese da produção artística brasileira do ciclo barroco-rococó.

Durante a abertura, serão lançados o selo e o carimbo comemorativos dos 90 anos do MHN produzidos pelos Correios. Foram produzidos, sob encomenda, 12 mil exemplares, que estarão à venda na loja do museu.

O MHN vai lançar ainda aplicativo gratuito e disponível para iPhone, iPad e iPod Touch, com vasto conteúdo multimídia (áudio, fotos e vídeos). O aplicativo estará disponível para download via internet. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Imagens: Divulgação MHN
Última atualização: 1º de agosto de 2012

MNBA abre retrospectiva da artista Anna Letycia com mais de 80 gravuras

Uma artista que moldou sua carreira a partir de expressivos mas sóbrios traços geométricos e cores, Anna Letycia ganha retrospectiva, a partir do dia 17 de julho, no Museu Nacional de Belas Artes/Ibram. A exposição pode ser vista gratuitamente até 9 de setembro no Rio de Janeiro.

A exposição retrospectiva no MNBA vai percorrer meio século de produção de Anna Letycia

Serão exibidas 80 obras em Anna Letycia: gravuras – indo de técnicas como gravura em metal água-tinta e água-forte até relevo e ponta-seca – cuja produção abrange trabalhos do início da década de 1950 até 2008.

Histórico
Gravadora fluminense nascida em Teresópolis, em 1929, o escritor Anibal Machado dizia que de seus trabalhos emanava uma “atmosfera de silêncio”. Já o critico Frederico Moraes apontava “um máximo de despojamento nas obras, uma espécie de minimalismo gráfico, que revela uma sensibilidade muito apurada e uma beleza serena”.

Aluna de mestres da gravura como Oswaldo Goeldi e Iberê Camargo, na década de 1950, a artista dedicou-se ao ensino por mais de 20 anos. Desde 1956, ano de sua primeira exibição, Anna Letycia já realizou dezenas de exposições individuais e participou de outras tantas coletivas ao longo das últimas décadas.

Mais recentemente, realizou a exposição Gravuras de Anna Letycia, no Instituto Tomie Ohtake (SP), e, em 2009, na Caixa Cultural Brasília, seguindo-se mostra no Museu de Arte Aloísio Magalhães no Recife. Saiba mais.

Texto e imagem: Divulgação MNBA/Ibram

Museu da Inconfidência abre exposição sobre imigração italiana em MG

Em comemoração ao Ano da Itália no Brasil (2011-2012) e o 301° aniversário de Vila Rica, O Museu da Inconfidência/Ibram inaugura, no dia 13 de julho, às 20h30, na Sala Manoel da Costa Athaide, a exposição De Gênova a Ouro Preto: A rota dos Fontana.

Procissão de Corpus Christi em Ouro Preto fotografada por Fontana

A mostra retrata a imigração italiana no país e em Minas Gerais a partir da vinda da família do fotógrafo ouropretano Luiz Fontana ao Brasil, no final do século XIX.

Fontana deixou seu legado histórico, entre as décadas de 1920 e 1948, nos registros fotográficos que constituem patrimônio da Prefeitura Municipal, sob guarda do Instituto de Filosofia, Arte e Cultura da Universidade Federal de Ouro Preto.

A mostra tem curadoria geral de Janine Ojeda e Margareth Monteiro e foi idealizada em parceria com a Prefeitura de Ouro Preto, que lançará site com a coleção de imagens digitalizadas da obra de Fontana.

Também estarão expostos objetos, fotografias e imagens relativos à imigração e serão identificadas famílias ouropretanas com descendência italiana. “Fontana foi objeto de mais de uma exposição local, mas ainda não se conseguiu fazer uma mostra realmente renovadora e instigante como a que o Museu pretende realizar”, salienta o diretor do Museu da Inconfidência, Rui Mourão.

A exposição tem entrada gratuita e pode ser vista de terça a domingo, das 12 às 18h, até 26 de agosto de 2012. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação Museu da Inconfidência

Publicação sobre museus e exposições marcam semana na Câmara federal

Lançada no dia 3 de julho, em Brasília, a publicação Legislação sobre Museus é um dos primeiros frutos do acordo de cooperação técnica firmado entre a Câmara dos Deputados e o Instituto Brasileiro de Museus, no final do ano passado.

O livro foi entregue ao presidente do Ibram, José do Nascimento Jr., durante evento de inauguração das duas primeiras exposições da série Retratos da Brasilidade, na Câmara federal, que começa com a exibição inédita em Brasília do quadro Primeira Missa no Brasil, de Victor Meirelles, e da série Cenas Brasileiras, de Cândido Portinari.

Legislação sobre Museus, que já está disponível online, reúne leis, normas, acordos e diretrizes relativas aos museus e à profissão de museólogo. Entre eles estão o Estatuto de Museus, a lei de criação do Ibram, e a que regulamenta a profissão de museólogo, e a Declaração de Santiago - que completa 40 anos em 2012 e foi escolhida como tema do 5º Fórum Nacional de Museus.

Durante a solenidade, o presidente do Ibram lembrou que o Estatuto de Museus, que está em fase final de regulamentação, “é uma grande conquista e também resultado do trabalho dos parlamentares”.

Meirelles e Portinari
Pintado por Victor Meirelles entre 1858 e 1860, Primeira Missa no Brasil faz parte do acervo permanente do Museu Nacional de Belas Artes (Ibram/MinC), no Rio de Janeiro. Além do quadro, a exposição em Brasília traz outros trabalhos do autor e uma imagem rara do artista. Saiba mais.

Também compondo a série Retratos da Brasilidade estão obras de Cândido Portinari que pertencem ao acervo do Banco Central. Os quadros, pintados entre 1954 e 1956, relacionam-se com a história do país.

A visitação às duas exposições é diária, das 9h às 17h, e poderá ser feita até 16 de setembro, no Salão Nobre e Salão Negro da Câmara dos Deputados. Outras informações:  (61) 3216.1768/1772.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Museu Casa Benjamin Constant integra projeto Arte de Portas Abertas

O Museu Casa de Benjamin Constant/Ibram, no Rio de Janeiro (RJ), participa entre os dias 6 e 8 de julho, da 22ª edição do projeto Arte de Portas Abertas.

Exposição está aberta ao público até 8 de agosto

O evento reúne artistas do bairro de Santa Teresa que abrem seus ateliês aos visitantes, promovendo o diálogo, a democratização da arte e a educação do olhar. Além da visita aos ateliês, também acontecem exposições, integrando assim os museus do bairro ao evento.

Até o dia 8 de agosto, o museu casa abriga, em sua área verde, esculturas e instalações de quatro artistas: Alex Brazil, Ascensión Chanqués, Edson Silveira e Pedro Grapiúna. A exposição tem entrada gratuita.

O Museu Casa de Benjamin Constant localiza-se à Rua Monte Alegre, 255  – Santa Teresa – e funciona de quarta a sexta-feira, das 10h às 17h, sábados e domingos, das 13h às 17h. O parque abre das 8h às 17h. Mais informações: (21) 3970.1177/1168.

Texto e foto: Divulgação MCBC

Primeira missa no Brasil, de Victor Meirelles, chega a Brasília para exposição

O quadro foi exposto pela primeira vez no Salão de Paris em 1861

Primeira missa no Brasil, de Victor Meirelles, uma das obras de arte mais representativas do país, chegou a Brasília (DF) para uma exposição que será aberta no dia 3 de julho, às 19h, na Câmara dos Deputados.

A exposição fica em cartaz até 16 de setembro e poderá ser visitada todos os dias da semana, das 9h às 17h.  Também será exibida a coleção Cenas Brasileiras, formada por 12 obras de Candido Portinari, entre elas Descobrimento do Brasil. As duas exposições fazem parte da mostra Retratos da Brasilidade, organizada pela Câmara federal e que reunirá produções de artistas brasileiros. A entrada é franca.

Exposição inédita
Considerado um tesouro icônico brasileiro, o quadro Primeira Missa no Brasil, de Victor Meirelles, será exposto pela primeira vez na capital federal. Óleo sobre tela, que mede 270 x 357 cm, foi realizado pelo catarinense Meirelles em dois anos de trabalho – entre 1858 e 1860. Inspirada na carta de Pero Vaz de Caminha, a obra habita o imaginário dos brasileiros e já ilustrou livros didáticos, notas de dinheiro, selos e capas de cadernos de várias gerações.

Pintado no exterior, o quadro foi exibido pela primeira vez no Salão de Paris, em 1861, mas apenas no ano seguinte pode ser visto em solo pátrio na Exposição Geral da Academia Imperial. A obra, restaurada recentemente, deixou o MNBA pela primeira vez em 2007 para percorrer capitais no sul do país. No ano passado, representou a arte brasileira no festival Europália, na Bélgica.

Além da tela, outros nove trabalhos, entre desenhos e estudos preparatórios para a obra, todos pertencentes ao acervo do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), fazem parte da exposição que irá ocupar o Salão Nobre da Câmara. Também será exibida uma rara foto do artista, de autoria desconhecida. Leia mais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação MNBA
Última atulização: 2.7.2012

Dona Helena e seus saberes no Museu do Diamante (MG)

De 22 a 30 de junho, o Museu do Diamante/Ibram, em Diamantina (MG), exibe Dona Helena e seus saberes – mostra com fotografias de Lori Figueiró.

O olhar do fotógrafo revela o cotidiano de Dona Helena num mundo em transformação, onde escrever cartas, debulhar terços e a medicina popular resistem. Segundo o autor, por vivemos em uma época de grandes mudanças é importante refletir sobre o universo individual neste contexto, principalmente por parte de quem ainda não está totalmente integrado a uma cultura urbana, mas representa um universo rural e isolado, em franco processo de esfacelação.

O Museu do Diamante localiza-se à Rua Direita, 14  e funciona de terça a sábado de 12h às 17h30. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação Museu do Diamante

Museu do Diamante abre exposição sobre saberes tradicionais de uma mulher

Fotos de Lori Figueiró retratam cotidiano de Dona Helena

No dia 22 de junho, às 19h, o Museu do Diamante/Ibram, em Diamantina (MG), abre a exposição Dona Helena e seus saberes com fotografias de Lori Figueiró. A mostra pode ser vista gratuitamente até 30 de junho.

O olhar do fotógrafo revela o cotidiano de Dona Helena num mundo em transformação, onde escrever cartas, debulhar terços e a medicina popular resistem. Segundo o autor, por vivemos em uma época de grandes mudanças é importante refletir sobre o universo individual neste contexto, principalmente por parte de quem ainda não está totalmente integrado a uma cultura urbana, mas representa um universo rural e isolado, em franco processo de esfacelação.

O Museu do Diamante localiza-se à Rua Direita, 14  e funciona de terça a sábado de 12h às 17h30. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação Museu do Diamante

Exposição no MNBA traz influências e legado da Itália para a arte brasileira

O Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram) inaugura no dia 26 de junho, às 19h, a exposição Artistas brasileiros na Itália. A exibição segue até 26 de agosto.

Gravura de Iberê Camargo, realizada em 1959, faz parte da mostra

Elaborada a partir da coleção de arte brasileira do MNBA, a mostra proporciona uma fruição e reflexão a respeito do fazer artístico dos séculos XIX, XX, alcançando até o século XXI, a partir de experiências estéticas vivenciadas por um grupo de artistas que assimilou a cultura italiana na construção de seu legado artístico.

Por detrás deste cenário – são cinco salas expositivas com cerca de 97 obras, entre pinturas, esculturas, desenhos e gravuras – estão obras de 38 artistas brasileiros, cujo recorte de sua produção, selecionada pelos curadores, oferece uma análise sobre o fascinio que a Itália exercia sobre os artistas brasileiros.

A exposição repassa os meandros da convivência entre a então Academia Imperial de Belas Artes (cujo acervo foi herdado pelo MNBA) e instituições italianas como Academia San Lucca, em Roma, ou com os ateliês particulares, aqui pontuando os de Minardi e Cansoni.

Outra questão desenvolvida na exposição Artistas brasileiros na Itália abrange as premiações, enfocando o universo dos prêmios de viagem que os artistas de destaque recebiam para aprimorar estudos em Roma, um forte centro formador de arte no século XIX, eixo que, contudo, migrou para Paris no início do século seguinte.

A mostra reúne nomes como Vitor Meireles, Agostinho da Mota, João Zeferino da Costa, Rodolfo Bernardelli, José Pancetti, Carlos Oswald, Bruno Giorgi, Maria Bonomi, Iberê Camargo e Darel, dentre outros. O evento compõe o Momento Itália-Brasil. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação MNBA

Exposição no Museu Histórico Nacional apresenta trajetória de Ayrton Senna

Em cartaz no Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram) de 19 de junho a 15 de julho, a exposição interativa Senna Emotion apresenta a trajetória pessoal e profissional do piloto de Fórmula 1 Ayrton Senna da Silva – que conquistou 41 vitórias e três campeonatos mundiais.

 Na exposição, o público tem a oportunidade de conhecer melhor quem foi Senna, sua relação com o Brasil, seu estilo de pilotar, os bastidores da F1, suas contribuições ao automobilismo, as principais corridas e vitórias.

Dividida em seis áreas temáticas a partir das etapas que integram um circuito de corrida -Pole Position, Largada, Circuito, Pit Stop, GP Brasil e Podium e Legado – cada uma das salas se liga a conceitos que se relacionam entre si. Veja aqui detalhes e como chegar ao MHN.

Idealizada e desenvolvida pela YDreams Brasil, empresa especializada em tecnologia interativa, e realizada em parceria com o Instituto Ayrton Senna, a exposição Senna Emotion foi realizada com recursos da Lei Rouanet, através do Ministério da Cultura, e conta com o patrocínio oficial do Banco Itaú.

Após a temporada no Rio de Janeiro, a mostra segue para Curitiba (Centro Cultural Sistema FIEP), onde fica em cartaz de 9 de agosto a 9 de setembro de 2012. Saiba mais.

Texto e fotos: Divulgação MHN

Página 19 de 33« Primeira...10...1718192021...30...Última »