Página 10 de 33« Primeira...89101112...2030...Última »

Eventos no Museu da República propõem novas perspectivas para o futebol

Até 20 de julho (domingo), o Museu da República, no Rio de Janeiro (RJ), sedia o Espaço Futebol para a Igualdade, evento que tem como objetivo principal mostrar que o futebol é um esporte capaz de transformar vidas e ajudar no desenvolvimento da sociedade, além de propiciar aos participantes e visitantes uma experiência única de vivenciar a prática esportiva.

A história do futebol no Brasil contada sob a ótica das mulheres está na exposição multimídia Mulheres em campo driblando preconceitos. São dezenas de fotos, vídeos e uma linha do tempo mostrando os contextos sociais e políticos, além das principais personagens que escreveram quase um século da história do futebol feminino no país.

Futebol_MuseudaRepublica_foto Adriano Facuri

Exposição e atividades sobre futebol seguem até dia 20 no Museu da República (RJ)

Jovens e crianças podem aprendem um novo jeito de jogar futebol, em grupos mistos e sem árbitro, em três mini-quadras montadas no jardim do museu, no espaço Futebol para um mundo melhor. O local também se destina a contar histórias de projetos sociais que utilizam o esporte como ferramenta para transformação social.

A ‘madrinha’ Marta
Debates, oficinas e exibições de filmes estão sendo realizados no espaço Trocando ideias, onde especialistas participam de discussões e oficinas para troca de experiências. Além da jogadora Marta, outros craques do futebol como Jorginho, Muralha, Petkovic e Raí já marcaram presença no evento.

O Espaço Futebol para a Igualdade, organizado e promovido pelas ONG’s streetfootballworld e Redeh (Rede de Desenvolvimento Humano), tem como madrinha a brasileira Marta, a maior jogadora de futebol de todos os tempos, escolhida cinco vezes consecutivas como a melhor do mundo.

Marta, que também atua como embaixadora da Boa Vontade do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, ressalta a importância dessa iniciativa, no resgate da história das mulheres no futebol, para que todos conheçam a trajetória de lutas e desafios que elas enfrentam no cotidiano do esporte no Brasil.

O Museu da República  localize-se à Rua do Catete, 153, e funciona diariamente, das 10h às 17h, para conhecer as exposições na parte interna do museu); das 9h às 18h para atividades educativas e acesso às quadras externas. As atividades de Futebol 3 são gratuitas, por ordem de chegada, das 9h às 18h, para crianças de seis a 18 anos. Visitas para grupos podem ser solicitadas pelo e-mail zorzanelli@streetfootballworld.org.

Texto: Divulgação Museu da República
Foto: Adriano Facuri/divulgação
Edição: Ascom/Ibram

Museu da Inconfidência abre nova exposição em Ouro Preto

Museu da Inconfidência (MG)

Museu da Inconfidência (MG)

Formado pelos fotógrafos Alexandre Martins, Antônio Laia e Eduardo Tropia e pelo poeta Guilherme Mansur, o Coletivo Olho de Vidro, de Ouro Preto (MG), é o convidado da exposição Dobra sobre dobra, que o Museu da Inconfidência inaugura nesta sexta-feira (11), às 19h30.

A mostra é baseada na expressão Pli selon pli, cunhada pelo filósofo francês Gilles Deleuze, que redefine o sentido do Barroco, apresentando-o como efeito de dobras: “O Barroco é aquilo que faz dobras no objeto estético, seja ele um texto, uma música, uma casa, uma roupa, uma igreja, um quadro, etc. Tudo que é barroco é dobrado”.

Com base no tema proposto, os integrantes deixam a criatividade fluir: cada um conhece o trabalho do outro somente no ato da montagem da exposição. A mostra tem visitação gratuita até 10 de agosto de terça-feira a domingo, das 12h às 18h, na Sala Manoel da Costa Athaíde, Anexo I do museu Ibram em Ouro Preto. Saiba mais.

Texto: Divulgação Museu da Inconfidência
Foto: Ibram/MinC

MNBA abre mostra com obras restauradas de Candido Portinari

65 obras restauradas do pintor Candido Portinari (1903-1962) poderão ser vistas pelo público no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/Ibram), localizado no centro do Rio de Janeiro, a partir do dia 2 de julho, com entrada franca.

Estudo para retrato de Thaís Melo

Estudo para retrato de Thaís Mello Lima de Portinari

A exposição Candido Portinari doação Finep  traz 65 quadros restaurados do pintor que fazem parte das 222 obras doadas ao museu em janeiro deste ano pela Financiadora de Estudos e Projetos (hoje Finep – Inovação e Pesquisa), quando o MNBA comemorou 77 anos.

A exposição, que tem abertura no dia primeiro de julho, às 19h, está montada em quatro núcleos temáticos: Retratos, Social, Religioso e Ilustração, onde há trabalhos, por exemplo, realizados para ilustrar livros de Machado de Assis (O alienista e Memórias póstumas de Braz Cubas, por exemplo).

Até 14 de setembro, também serão exibidos os estudos e desenhos para murais da Igreja de São Francisco de Assis, situada na Pampulha, em Belo Horizonte (MG), e projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer.

Outros destaques da mostra são os trabalhos para os ciclos econômicos dos painéis do Palácio Gustavo Capanema, no Rio de Janeiro, e para jogos infantis, assim como as matrizes de gravuras de personagens históricos, como o inconfidente Tiradentes.

Doação e recorde
As 222 obras do artista agregadas ao acervo do MNBA, que conta com mais de cinco mil obras espalhadas pelo mundo, se deu graças à doação da Finep. Com o aporte, o museu passou a ser a instituição museológica com maior número de obras de Portinari, somando 243 itens do artista nascido em Brodowski (SP).

Nesta conta, incluem-se outros trabalhos que já pertenciam ao acervo do museu, como as obras Café, retrato de Olegário Mariano, além da tela Primeira Missa no Brasil, pintada em 1948, no Uruguai, e adquirida, em janeiro de 2013, pelo Ministério de Cultura (MinC). Saiba mais sobre o MNBA.

Texto e imagem: Divulgação MNBA
Edição: Ascom/Ibram
Última atualização: 7.7.2014

Matérias relacionadas
Finep doa obras de Portinari para o Museu Nacional de Belas Artes no RJ
Instituto Chico Mendes doa quatro obras de Candido Portinari para MNBA
Painel de Portinari adquirido pelo Ibram já está no Museu de Belas Artes

Museu Lasar Segall inaugura mostras em parceria com o Museu da Cidade

Em parceria com outras instituições o Museu Lasar Segall (Ibram/MinC) deu início à sua temporada de exposições. O Museu está temporariamente fechado ao público, para reformas de infraestrutura (telhado, elétrica e climatização), cuja realização está sendo possível em virtude de aportes orçamentários do Ministério da Cultura, por meio do Fundo Nacional de Cultura (FNC), e da Petrobrás.

Neste sábado (24) serão inauguradas duas mostras, ambas em parceria com o Museu da Cidade vinculado a Secretaria Municipal de Cultura, especificamente, na Chácara Lane / Gabinete de Desenho: “60 fotografias do acervo” e “Doação Mario Segall”.

“60 fotografias do acervo” expõe fotografias que retratam o cotidiano de Lasar Segall em família, seu ambiente de trabalho, a convivência com outros artistas e amigos. Essas imagens constituem-se em registros de época, que revelam aspectos tanto de sua personalidade como do meio intelectual que frequentou na Europa e no Brasil.

“Doação Mario Segall” conta com cerca de 65 obras selecionadas – parte representativa da produção do artista e conta com pinturas, desenhos e gravuras, das 110 doadas pelo neto do artista ao museu em 2013.

A Chácara Lane fica na Rua da Consolação nº 1024. Mais informações pelo telefone (11) 3129.3361.

Movimento Clube da Esquina ganha exposição no Museu da Inconfidência

A exposição Os sonhos não envelhecem: Clube da Esquina será aberta hoje (9), às 20h, na Sala Manoel da Costa Athaíde, Anexo I do Museu da Inconfidência (Ibram/MinC), em Ouro Preto (MG).

Capa do álbum Clube da Esquina (1972)

Capa do álbum Clube da Esquina (1972)

Vídeos e fotos históricas, manuscritos, partituras, o prêmio Grammy Latino, entre outros objetos, resgatam os 40 anos de trajetória do grupo formado em Belo Horizonte (MG), e que foi um marco na música popular brasileira – consagrando artistas como Milton Nascimento, Lô Borges, Beto Guedes e Toninho Horta.

A curadoria é de Cláudia Brandão e Márcio Borges, do Museu Clube da Esquina, e de Margareth Monteiro e Janine Ojeda, do Museu da Inconfidência. A entrada para a exposição é gratuita, com visitação de terça a domingo, das 12 às 18h, até 30 de junho.

Durante o evento hoje, será lançado o livro Clube da Esquina 40 Anos, do letrista Márcio Borges, que conta a história do disco Clube da Esquina. O público também será contemplado com um Pocket Show Clube da Esquina, com participação de Márcio e Telo Borges.

The Beatles e sucessos
O Clube da Esquina consistia em um grupo de amigos da capital mineira que, em 1971, passou seis meses em uma casa alugada na praia de Piratininga (RJ), compondo e compartilhando seu amor pelos The Beatles. No estúdio, a música adquiriu texturas com orquestrações de Eumir Deodato e Wagner Tiso.

O primeiro disco, lançado em 1972, produziu uma série de sucessos, entre eles Cravo e Canela e Nada Será como Antes. A influência dos Beatles é particularmente forte nas canções estilo “rock mineiro”, compostas por Lô Borges, como O Trem Azul e Nuvem Cigana. Saiba mais.

Texto e imagem: Divulgação Museu da Inconfidência

Obras de museus Ibram integram exposição de Portinari na França

Embarcou nesta quinta-feira (1º), rumo a Paris (França), um conjunto de obras pertencentes aos acervos do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA) e das duas unidades que formam os Museus Castro Maya – todos vinculados ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram).

As obras irão compor a exposição Guerre et Paix, de Portinari: un chef-d’œuvre brésilien pour l’ONU (Guerra e Paz, de Portinari: uma obra-prima brasileira para a ONU), que será inaugurada na quarta-feira (7), no Grand Palais de Beaux-Arts, na capital francesa.

estudos-guerra-e-paz

37 estudos preparatórios para os painéis “Guerra e Paz”, produzidos por Portinari, serão exibidos

A exposição marca o início da itinerância internacional do projeto, que oferece a oportunidade rara de ver de perto os dois painéis concebidos por Cândido Portinari (1903-1962) nos anos 1950 como doação do governo brasileiro à sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova Iorque (EUA).

Esboços e montagem
Instalados no hall de entrada da Assembleia Geral da ONU – local fechado ao público – em 1957, os dois painéis medem 14m x 10m e foram produzidos em nove meses de trabalho após quatro anos de estudos preparatórios, durante os quais Portinari produziu cerca de 180 esboços. Sob a guarda do MNBA e dos Museus Castro Maya, 37 deles serão exibidos na mostra.

Realizada a partir de entendimento firmado em dezembro de 2012 pela presidenta do Brasil, Dilma Rousseff, e pelo presidente da França, François Hollande, a exposição já está em estágio avançado de montagem. Os dois painéis de Portinari já se integram às estruturas do Grand Palais, um dos espaços expositivos mais visitados da capital francesa.

“Será uma grande honra para o Museu Nacional de Belas Artes participar com parte do seu acervo da mostra, em Paris. Esta ação requalifica os nossos acervos internacionalmente”, celebrou a diretora do museu, Mônica Xexéo. Funcionários do MNBA e dos Museus Castro Maya acompanharam todo o embarque e percurso das obras até o local da exibição.

Itinerância
A exibição dos painéis Guerra e Paz e parte de seus estudos preparatórios na Europa acontece quatro anos após o início da itinerância nacional do projeto, que passou por Rio de Janeiro (RJ) – onde além de exibidos, os painéis passaram por restauro aberto à visitação pública –, São Paulo (SP) e Belo Horizonte (MG), atraindo sempre grande visitação.

Além dos painéis e dos esboços, a exposição exibirá conteúdo audiovisual através do Carroussel Raisonné, sistema de projeções com tecnologia inovadora que oferece uma visão completado trabalho de Candido Portinari. A mostra ainda apresenta uma sala de projeção onde são mostrados vídeos do acervo do Projeto Portinari e uma videoprojeção feita sobre os painéis evidenciando a gênese da obra.

O presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, e a ministra da Cultura, Marta Suplicy, que cumprem missão oficial na França entre os dias 3 e 9 de maio, participarão da inauguração da mostra, que tem entrada gratuita e segue em cartaz até 9 de junho. Ao final da itinerância internacional, os painéis serão devolvidos à sede da ONU em grande evento intitulado The Second Unveiling. Saiba mais sobre a exposição.

Texto: Ascom/Ibram
Imagens: Divulgação

Programa Ibermuseus realiza encontros internacionais em Brasília

Entre os dias 22 e 25 de abril, o Programa Ibermuseus realiza, na sede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), em Brasília (DF), dois eventos que reunirão representantes ibero-americanos para debater linhas de ação e projetos com foco no fortalecimento do Espaço Cultural Ibero-Americano.

Logo_IbermuseusNos dias 22 e 23 de abril acontece a primeira reunião da Mesa Técnica de Formação e Capacitação de Museus com especialistas e representantes de instituições de oito países da comunidade Ibero-Americana, responsáveis por programas de formação e capacitação nacionais, para definir plano de ação para a área.

Durante a reunião, os delegados irão discutir e aprovar um documento-base para o desenvolvimento daquela linha de ação. A reunião é fechada aos participantes e convidados – confira a lista.

Presença do público
Com o objetivo de avaliar e aprovar o documento resultante da reunião da mesa técnica, assim como outros pontos sobre a gestão do Programa Ibermuseus, acontece, nos dias 24 e 25 de abril, uma Reunião Extraordinária do Comitê Intergovernamental, com a participação de 10 dos 11 países membros: Argentina, Brasil, país que atualmente preside o comitê, Colômbia, Equador, Espanha, México, Paraguai, Peru, Portugal e Uruguai. A lista dos representantes está disponível.

Angelo Oswaldo fala durante a IV Reunião do Comitê Intergovernamental em 2012 na Colômbia

Angelo Oswaldo fala durante a IV Encontro Ibero-Americano de Museus em 2013 na Colômbia

Conduzida pelo presidente do Programa Ibermuseus e do Ibram, Angelo Oswaldo, conjuntamente com representantes da Secretaria Geral Ibero-Americana (Segib) e da Organização dos Estados Ibero-Americanos (OEI), a abertura da reunião, no dia 24 às 9h, contará com a participação do público.

Às 9h, está programado o lançamento de três publicações sobre Gestão de Riscos ao Patrimônio Museológico: atas de dois seminários organizados pelo Ibermuseus e a Fundação Getty, em 2011 (Brasil)  e 2012 (Colômbia); e uma cartilha realizada pelo Ibram e Ibermuseus.

As duas primeiras publicações estarão disponíveis em formato digital e a terceira será distribuída aos presentes.

Exposição e palestra
Também terá lugar na abertura do encontro o lançamento do edital V Prêmio Ibero-Americano de Educação em Museus , cujo objetivo é identificar e premiar práticas de ação educativa que promovam o desenvolvimento pessoal e a coesão social.

O público também poderá visitar a exposição A Década do Patrimônio Museológico (2012-2022), organizada pelo Ibermuseus, que celebra os 40 anos da Mesa Redonda de Santiago do Chile – ocorrida em 1972 e considerada um marco para as políticas públicas voltadas para o campo museal nos países Ibero-Americanos. Saiba mais.

Jesús Pietro

Jesús Prieto fará palestra pública

Em seguida, às 10h, o diretor de Belas Artes e Bens Culturais do Ministério da Educação, Cultura e Esportes da Espanha, Jesús Prieto, ministra conferência com o tema O Espaço Cultural Ibero-Americano. O evento é aberto ao público, mas limitado a 100 participantes. Inscreva-se para garantir sua presença.

Doutor em Direito, Catedrático de Direito Administrativo e Titular da Cátedra Andrés Bello de Direitos Culturais, Prieto é especialista em Comunicação Cultural e Cooperação Territorial. Membro de diferentes conselhos acadêmicos em várias universidades ibero-americanas, tem ampla trajetória de colaboração com diversos organismos internacionais e administrações públicas.

Ele é co-criador da Carta Cultural Ibero-Americana, documento que introduz a ideia do Espaço Cultural Ibero-Americano, uma aposta que promove a integração regional da Comunidade Ibero-Americana de Nações, entendida como a primeira região cultural supranacional que aposta por unificar e compartilhar ideias e valores. Saiba mais sobre os eventos e sobre o Programa Ibermuseus.
Texto e fotos: Programa Ibermuseus
Edição: Ascom/Ibram

Exposição sobre Lasar Segall ocupa estação de metrô em SP

Lasar Segall em 1957: Primeira Guerra e modernismo

Última foto de Lasar Segall (1957): Primeira Guerra e modernismo

Fechado desde dezembro de 2013 para obras de requalificação, o Museu Lasar Segall/Ibram, em São Paulo (SP), continua a promover atividades em parceria com instituições culturais e outros órgãos na capital paulista.

Nesta quinta-feira (10), a Companhia do Metropolitano de São Paulo inaugura, em parceria com o museu, a exposição 1914-2014 – Lasar Segall e a 1ª Guerra Mundial na estação de metrô Santa Cruz (Linha Azul).

Com reproduções de obras, imagens de época, mapas e textos explicativos, a mostra lembra o centenário do conflito que resultou em mais de 20 milhões de mortos, sociedades devastadas e impactos profundos na economia global.

Nascido na cidade de Vilna, na Lituânia – à época pertencente à Rússia czarista – Lasar Segall (1891-1957) vivenciou os horrores do conflito, que transformaram radicalmente sua vida e obra e o levariam sua família a vir para o Brasil, onde fixou residência em 1923. Naturalizado brasileiro, seria um dos pioneiros do modernismo no país.

A exposição pode ser visitada até o dia 30 de abril. Confira a programação da Linha da Cultura do Metrô SP. E saiba mais sobre outras atividades do Museu Lasar Segall enquanto está fechado para obras.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Museu Lasar Segall/divulgação

70 anos da CLT: Museu da República desenvolve ação educativa com CIEP

O Museu da República (MR/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), vem desenvolvendo, desde 12 de março, o projeto Educação e trabalho: uma ação de cidadania, com alunos do Programa de Educação de Jovens e Adultos (Peja) do Centro Integrado de Educação Pública (CIEP) Tancredo Neves – vizinho ao museu no bairro do Catete.

Alunos do CIEP visitam Museu da República no Rio

O projeto é realizado a partir da exposição Trabalho, luta e cidadania: 70 anos da CLT, que está nas salas de exposição de curta duração do Museu da República  desde 15 de novembro de 2013 – e fica em cartaz até 18 de maio de 2014.

O objetivo da ação é desenvolver atividades de caráter educativo relacionados ao tema Trabalho, dirigidas a 240  homens e mulheres trabalhadores que chegam para as aulas noturnas após um dia de trabalho, ávidos por informações que possam contribuir para seu desenvolvimento pessoal. A maior parte deles são trabalhadores informais, camelôs, empregados domésticos e taxistas.

Etapas
Antecedendo a visita dos alunos, os professores do Peja/CIEP encontram com os educadores do MR, participam de palestra e fazem visita programada com o curador da exposição Trabalho, Luta e Cidadania: 70 anos da CLT, Marcus Vinicius Rodrigues.

Em um segundo momento, todos os alunos, no horário noturno, vistam todo o museu e suas exposições, e retornam, divididos em turmas, para conhecerem a exposição da CLT. A maioria não conhece o Museu da República nem nenhum outro museu.

Como resultado final de todas as ações, será montada no MR uma exposição sobre a memória do projeto, prevista para ser inaugurada no dia 5 de maio, chamada Trabalho e Cidadania.

O Museu da República define-se como um espaço de cidadania e tem como missão preservar, investigar e comunicar os testemunhos vinculados à História da República Brasileira. Mais informações pelo telefone (21) 2127.0324 ou pelo endereço eletrônico mr@museus.gov.br.

Texto e foto: Divulgação Museu da República
Edição: Ascom/Ibram

 

 

Hiperbólico: Museu Histórico Nacional abre exposição de designer no RJ

O designer carioca Brunno Jahara completa 10 anos de carreira este ano e realiza sua primeira exposição retrospectiva, com curadoria de Marcelo Vasconcellos (Galeria MeMo). A mostra abre ao público amanhã (21), no Museu Histórico Nacional (MHN/Ibram), no Rio de Janeiro (RJ), e pode ser visitada até 4 de maio.

Uso diversificado de materiais marca a produção de Jahara

Materiais diversos marcam a produção do designer carioca

Com 750m², a exposição Hiperbólico ocupa três galerias do museu e apresentará as principais peças e coleções do designer, além de croquis e desenhos técnicos, informações sobre os processos de produção e referências criativas.

Com influências de cada um dos lugares em que viveu ou passou, a obra de Jahara possui forte influência do Brasil, a natureza do país e sua cultura. De acordo com o designer, isso resulta em peças que mesclam diferentes materiais como alumínio, madeira, latão, porcelana, vidro, plástico, e papel.

Experiência internacional
Após seis anos na Europa, onde colaborou com designers e marcas como Heineken, Melissa, Fabrica, St. James e a fábrica de porcelanas portuguesa Vista Alegre, Jahara voltou ao Brasil onde abriu estúdios em São Paulo e Rio de Janeiro.

A primeira exposição internacional do designer aconteceu em Tokyo, em 2003, seguida da participação em mostras e espaços culturais na Itália e França.

O Museu Histórico Nacional localiza-se à Praça Marechal Âncora – próximo à Praça XV, no Centro do Rio. Está aberto ao público de terça a sexta-feira, das 10h às 17h30, e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 18h. A entrada custa R$ 8. Aos domingos, a entrada é franca. Saiba mais.

 

Texto e foto: Divulgação MHN
Edição: Ascom/Ibram

Página 10 de 33« Primeira...89101112...2030...Última »