Museu da República cria mostra virtual sobre dedicatórias a Getúlio Vargas

bannerO Museu da República (Ibram/MinC) apresenta a mostra virtual Dedicatórias a Getúlio Vargas: Fragmentos de uma Biblioteca, que pode ser vista na página do museu na internet.

A exposição foi criada como continuidade da mostra presencial Saio da vida para entrar na memória, em exibição no Palácio do Catete, aberta à visitação até o dia 19 de abril.

A iniciativa consistiu num esforço para propiciar aos leitores e pesquisadores uma nova visão dos livros que compõem parte do acervo de obras raras da Coleção Getúlio Vargas, localizada na biblioteca do museu.

Essa releitura é feita a partir das dedicatórias em livros ofertados ao ex-presidente Vargas, de um modo geral, em diversas fases de sua vida pública, desde a época em que atuava como advogado e político no Rio Grande do Sul, até sua chegada à chefia do governo federal, na condição de ditador no período do Estado Novo e, posteriormente, como senador e presidente eleito pelo voto direto.

Biblioteca particular
De acordo com Valeria Gauz, bibliotecária do Museu da República e curadora da exposição virtual, a mostra disponibiliza as dedicatórias de alguns dos livros que compuseram a biblioteca particular de Vargas, selecionando diversas mensagens em homenagem ao político gaúcho, feitas por personagens que conheceram e/ou conviveram com o ex-presidente.

Gauz destacou a importância do “diálogo” estabelecido entre os livros da biblioteca com os acervos arquivísticos e museológicos do museu. Desta forma, cada dedicatória vem acompanhada de sua transcrição e de informações sobre fatos históricos protagonizados por Getúlio Vargas, dados biográficos do autor, editor ou outra pessoa citada e curiosidades bibliográficas; além de links para a visualização de alguns objetos museológicos e documentos do Arquivo Histórico, reunindo coleções e acervos pertinentes do Museu da República. Saiba mais.

Texto e imagem: Divulgação Museu da República
Edição: Ascom/Ibram

Museu Imperial inaugura exposição virtual sobre o Carnaval

Amantes do Carnaval têm, a partir de agora, uma oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a história dessa festa no século XIX e na primeira metade do XX. O Museu Imperial inaugurou nesta semana a exposição virtual “Carnaval no acervo do Museu Imperial”, disponível no portal www.museuimperial.gov.br.

A mostra é composta por 54 imagens, incluindo fotos, recortes de jornais, matérias de revistas, como a Revista Ilustrada, brinquedos e outras peças dos acervos da Biblioteca, do Arquivo Histórico e do setor de Museologia.

Um dos destaques é a prancha Carnaval de Rua, de Jean Baptiste Debret, extraída do livro Voyage pittoresque et historique au Brésil. A obra, de 1834, está preservada na Biblioteca do Museu.

Entre os documentos, encontra-se a edição n° 11 do jornal Correio Imperial, de 21 de fevereiro de 1888, que trazia uma nota sobre uma “batalha d’água”, atividade carnavalesca da época. O jornal era escrito e editado em Petrópolis pelos filhos da princesa Isabel, os príncipes d. Pedro, d. Luis e d. Antônio.

Os três príncipes também aparecem, ainda crianças, em uma das fotografias da exposição. Trata-se da imagem de um baile infantil à fantasia no Palácio de Cristal, em 1888, na qual também é possível observar o Conde D’Eu.

Já com relação ao século XX, a exposição apresenta fotografias de bailes e desfiles de rua, além de trechos de jornais e revistas. É possível conferir, por exemplo, uma edição de 1917 da revista Selecta sobre o Carnaval de rua em Petrópolis.

Carnaval alternativo no Museu Imperial

O Museu Imperial preparou ainda uma programação especial para o período do Carnaval, funcionando como uma alternativa à folia. O palácio estará aberto à visitação durante os quatro dias da festa – incluindo segunda-feira, quando normalmente está fechado -, das 11h às 16h. Na segunda, haverá entrada gratuita para moradores de Petrópolis, mediante apresentação de comprovante de residência e documento de identidade. A instituição não funcionará na Quarta-feira de Cinzas.

Veja a programação.