Museus em Brasília e RJ marcam Dia do Índio com programação especial

Dois museus de temática indígena trazem programações especiais relacionadas ao Dia do Índio – comemorado em 19 de abril.

No Museu do Índio, do Rio de Janeiro (RJ), a semana de 16 a 22 de abril terá diversas atrações. A programação abre na segunda-feira (16), às 9h30, com apresentação de cantos e danças da etnia Kamayurá, que fará diversas apresentações durante a semana.

Na terça-feira (17), às 19h, acontece o lançamento dos livros Sociedade e Improviso, de Jorge Pozzobon, e O que habitava a boca de nossos ancestrais, de Lucy Seki. 

Na quarta-feira (18), o destaque fica por conta do grupo de rap Brô MC’s, formado por quatro integrantes da etnia Guarani Kaiowá (MS). Nas apresentações os jovens da Aldeia Bororó, na reserva de Dourados, usam o estilo de dança como forma de manifestar seus anseios e a realidade social que os envolvem. Saiba mais aqui.

Memorial – O Memorial dos Povos Indígenas, em Brasília (DF), deu início a sua programação na terça-feira (10) com a abertura da mostra Mundo em Movimento: Saberes Tradicionais e Novas Tecnologias, que apresenta exposições sobre 55 etnias, incluindo as que integram o Programa de Documentação de Línguas e Culturas Indígenas do Museu do Índio (PROGDOC).

As mostras, que podem ser vistas em diversos espaços do Memorial, exibem o universo indígena do Brasil e sua produção artística e cultural, além de uma ampla coletânea de registros audiovisuais.

Os saberes e rituais das 55 etnias são apresentados de forma lúdica por meio de objetos, textos, fotos, vídeos, músicas e falas. Entre as curiosidades, o público poderá conferir um corredor sonoro com 14 monitores portáteis e interatividade para escuta de 18 sonoridades – falas e cantos – indígenas.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Exposição indígena Ymaguaré no Forte Defensor Perpétuo (RJ)

O 14º Ymaguaré – Mitos e Lendas Indígenas, evento que reúne a etnia Guarani e outros povos da Mata Atlântica, aconteceu de 9 a 11 de dezembro no Forte Defensor Perpétuo/Ibram, em Paraty (RJ). Uma exposição com alguns dos melhores trabalhos dos artesãoes dessas comunidades fica em exibição no Salão da Tropa do Museu Forte Defensor Perpétuo até 17 de fevereiro.

O encontro foi marcado pelo lançamento do documentário Tupã Rembiapó, registro dos costumes da aldeia de Paraty-Mirim, realizado pela Associação Nhandeva, pela apresentação do coral de Paraty-Mirim e Araponga, além de oficinas de cestaria, dança e arco-e-flecha, e concursos de esculturas, cestaria indígena e tradicional.

O concurso de cestaria tradicional (Viejo Award), que teve o apoio do Poeh Center do Pueblo de Pojouaque (Novo México, EUA), premiou os artesãos Ronaldo Rodrigues, de Paraty-Mirim, e Marciana Oliveira, da aldeia de Araponga, na categoria de Cestaria Indígena, e Isaque Oliveira e Sebastião da Silva, no concurso de Esculturas de Madeira.

O Ymaguaré integra o calendário cultural de Paraty desde 2003. Em 2004, foi considerado um dos dez melhores projetos culturais do Estado de Rio de Janeiro no concurso Cultura Nota 10, promovido pela Secretaria de Cultura do Estado do Rio em parceria com a Unesco.

O 14º Ymaguaré é realizado pela Associação Artística Cultural Nhandeva, este ano em parceria com o Museu Forte Defensor Perpétuo/Ibram. O evento conta com apoio da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, da Prefeitura Municipal de Paraty, do Museu do Índio/Funai e do Iphan/MinC.

Texto e fotos: Divulgação Forte Defensor Perpétuo