Servidoras do Ibram participam de eventos nas áreas de registro e memória

Neste mês de setembro, duas servidoras vinculadas ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) representarão o instituto fora do país. Ainda esta semana, Maria Helena Versiani, pesquisadora do Museu da República (RJ), viaja à cidade de Dresden (Alemanha) para participar da Conferência Anual do Comitê Internacional para Documentação, organizada pelo Conselho Internacional de Museus (ICOM), que acontece entre os dias 5 e 12. Ela irá apresentar o trabalho Memórias de uma coleção histórica.

Museu da República (RJ)

O Museu da República (RJ) guarda acervo que preserva a memória da constituinte de 1988

“O trabalho, resumidamente, discute o processo de formação de um conjunto documental preservado no Museu da República com o nome de Coleção Memória da Constituinte”, explica Maria Helena.

Esse acervo, segundo ela, possui a especificidade de ser uma documentação formada por instâncias da administração pública vinculadas ao Ministério da Cultura (MinC), criadas especificamente para atuar no processo constituinte, que resultou na promulgação da atual Constituição Federal em 1988.

A pesquisadora ressalta que alguns aspectos da formação desse acervo indicam, em grande medida, escolhas políticas dos agentes responsáveis por sua acumulação e organização como patrimônio histórico documental.

“Trata-se de uma coleção museológica que valoriza a redemocratização do Brasil, em contraposição ao regime autoritário imposto no país a partir do golpe de 1964,” conclui Maria Helena Versiani.

Espanha
Já a Coordenadora-Geral de Sistemas de Informação Museus do Ibram, Rose Miranda, que em 2013 apresentou a situação do registro de museus no Brasil no I Encontro do Comitê Assessor do Observatório Ibero-Americano de Museus (OIM) em Toledo (Espanha), se prepara para mais uma atividade no país. Entre 13 e 22 de setembro, ela volta à mesma cidade para participar do segundo encontro do OIM – projeto enquadrado dentro do Programa Ibermuseus.

Matéria relacionada
Observatório Ibero-Americano de Museus se reúne na Espanha

Ibram participou de reunião da Cooperação Ibero-Americana na Espanha

A Secretaria Geral Ibero-Americana (Segib) convocou uma reunião da Cooperação Ibero-Americana, no dia 23 de julho, em Madrid (Espanha), na qual participaram os Responsáveis de Cooperação, Programas, Iniciativas e Projetos atribuídos à Cooperação Ibero-Americana e à equipe da Segib.

Reunião aconteceu em na capital espanhola no dia 23 de julho

Uma das diretoras do Instituto Brasileiro de Museus, Eneida Braga, representou a presidência do Brasil no Comitê Intergovernamental do Programa Ibermuseus. Antía Vilela, coordenadora da Unidade Técnica do Programa no país, também esteve presente.

O encontro foi articulado em torno de quatro temas centrais, que fazem parte do trabalho de renovação da cooperação que está sendo feito este ano: Financiamento e Marco jurídico-administrativo dos Programas; Dimensão institucional e Sistema de medida de realizações e resultados. Dentre os tópicos do encontro também estava a preparação da XXIII Cúpula de Chefes de Estado e de Governo, que será realizada no Panamá, no mês de outubro.

Ao final, o encontro chegou a uma avaliação política positiva, especialmente devido à perspectiva transversal e de integração com a que operam hoje os programas. Também destacou-se a necessidade de redefinir as metas e aperfeiçoar os sistemas de gestão dos programas, com ênfase em indicadores de desempenho e em uma metodologia comum para sistematizar os resultados da cooperação. Leia mais sobre a reunião e conheça o Programa Ibermuseus.

Texto e foto: Divulgação Ibermuseus

Espanha disponibiliza patrimônio cultural na internet

O Ministério da Cultura da Espanha acaba de inaugurar um espaço online dedicado aos Dicionários do Patrimônio Cultural Espanhol. A ferramenta, que integra o portal Coleções em Rede, torna acessível um acervo com mais de 5.800 definições utilizadas para a descrição de bens culturais. 

O objetivo do site é tornar pública a riqueza deste patrimônio divulgando o vocabulário utilizado para a sua identificação e classificação. A definição dos vocabulários garante um intercâmbio ágil e extenso da informação, contribuindo para o incremento de conteúdos digitais de qualidade para o setor. 

Nesta primeira versão, estão disponíveis para consulta todos os vocabulários utilizados para a descrição de mobiliário, numismática e materiais cerâmicos.  A previsão é de que, nos próximos meses, seja agregado o vocabulário utilizado para descrever objetos associados a ritos, cultos e crenças, além de informações geográficas.

III Jornada Brasil – Espanha discute plano museológico para os diferentes tipologias de museus

Instrumento fundamental para a sistematização do trabalho interno e para a atuação dos museus na sociedade, o plano museológico foi tema de debate da III Jornada Brasil- Espanha, que aconteceu de 30 de novembro a 2 de dezembro, no Rio de Janeiro. Além das autoridades da Espanha e da diretoria do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), o evento reuniu cerca de 150 participantes, dentre diretores de instituições museológicas vinculadas ao Ibram, de museus territoriais, virtuais e institucionais.

Na abertura , o presidente do Ibram/MinC, José do Nascimento Junior,pontuou o encontro como um marco do intercâmbio museológico. “Na III Jornada pretendemos, junto as autoridades espanholas, discutir e elaborar procedimentos norteadores de administração e gestão que sirvam como base não só para as instituições vinculadas ao Ibram, mas também para todos os museus brasileiros.” Na ocasião, a subdiretora dos museus dos estados do Ministério da Cultura da Espanha, Izabel Izquierdo, apresentou o plano museológico para implantação do Museu Nacional de Etnografia de Teruel, na Espanha. Para ela, o instrumento de planejamento é que garante o compromisso das instituições nas práticas futuras, independentemente das eventualidades. “Planejar implica eleger metas e políticas.” Já o diretor do Departamento de Processos Museais do Ibram, Mário Chagas, lembrou que um dos grandes desafios em pensar o plano museológico na atualidade é levar em conta as novas tipologias de museus, já que as categorias se ampliaram e estão mais complexas assim como a sociedade contemporânea. “Não podemos pensar somente no museu-templo, clássico – local de contemplação e troca de idéias, naqueles ligados apenas à coleção, temos de pensar também nos museus nômades, territoriais, digitais, nos que praticam o saber cooperativo. Entender o museu como território de relação entre os seres humanos.”

Mário Chagas também afirmou que é preciso quebrar a estigma de que no Brasil nada se planeja. “As escolas de samba são um grande exemplo de planejamento estratégico. É possível planejar e ainda exercitar a criatividade. Um plano museológico pode ser político, poético e pedagógico”. Movida a debates, a programação seguiu com apresentação de diversas autoridades do setor, dentre elas, da diretora do Museu Histórico Nacional – MHN, Vera Tostes, do diretor do Museu das Peregrinações e de Santiago, Bieito Pérez – que palestrou sobre o tema Musealizar um fenômeno universal e sobre o plano museológico da respectiva instituição. Também contou com palestra da coordenadora geral de Sistemas de Informação do Ibram, Rose Miranda, sobre as experiências das oficinas de Plano Museológico no Brasil , do diretor do Museu da Abolição, de Recife – PE, Adolfo Samyn, sobre estudo de caso da unidade museológica, e do presidente do Conselho Internacional de Museus – ICOM-Espanha e diretor do Museu Nacional de Arqueologia Sub-Aquática – ARQUA, Rafael Azuar, sobre “Planejamento e refundação do museu: O plano museológico do ARQUA”.

III Jornada Brasil Espanha – Teve o intuito de refletir e trocar experiências sobre a metodologia de planejamento e atuações em museus por meio do Plano Museológico, cuja elaboração está prevista na Portaria Normativa/Iphan n° 1, de 5 de julho de 2006 – que dispõe sobre a finalidade de apresentar os procedimentos para a organização da gestão das instituições vinculadas do Ibram e detalha as diretrizes e procedimentos para elaboração plano, indicando inclusive quais programas ele deve conter.

O evento é uma realização do Instituto Brasileiro de Museus – Ibram/Ministério da Cultura do Brasil e da Subdireção Geral de Museus Estatais -SGME/Ministério da Cultura da Espanha.

Confira as apresentações:

30 de novembro de 2009

Manhã
Mario Chagas