Museu da Inconfidência traz mostra ‘Daniel Hourdé – Lendas e Aparições’

Foto: Coup de Foudre (2004), por Daniel Hourdé / Crédito de imagem: Woytek Mazurek.

Foto: Coup de Foudre (2004), por Daniel Hourdé / Crédito de imagem: Woytek Mazurek.

O Museu da Inconfidência/Ibram inaugura, às 20h do dia 3 de outubro, sábado, a mostra Daniel Hourdé – Lendas e Aparições. O vernissage ocorrerá na Sala Manoel da Costa Athaide, Anexo I (Rua Vereador Antônio Pereira, 33, Centro), com a presença do artista francês Daniel Hourdé. A coleção, que também terá obras expostas na Praça Tiradentes, no jardim em frente ao auditório e no pátio interno do museu, pertence à Galerie Agnès Monplaisir, de Paris (França), e foi trazida ao Brasil pela Hiperativa Empreendimentos Criativos. A itinerância no país começará em Ouro Preto, passando, posteriormente, por Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador.

As esculturas de Hourdé, confeccionadas geralmente em bronze, aço ou alumínio, representam o corpo humano com riqueza de detalhes, celebrando a diversidade e expressando paixões e estados da alma, como o sofrimento, tormentos e o inesperado. O psicanalista e professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Guilherme Massara Rocha, membro da Sociedade Internacional de Filosofia e Psicanálise (SIPP), observa que o artista produz frequentemente corpos sem rostos, com cabeças parecidas com o crânio humano: “Nenhuma expressão facial é suficientemente definida ou explícita para fornecer os índices de um drama pessoal”.

Rocha acrescenta, ainda, que as vicissitudes corporais capturadas pela obra de Hourdé são figuradas a partir de traços da dança, dos maneirismos, das sutilidades do caminhar, das convulsões musculares. “Essas configurações, polifônicas, são orquestradas a partir de um contraste, de um claro – obscuro entre estática e equilíbrio”, destaca. Essa abordagem também está presente nos desenhos (carvão sobre papel), impressões e fotocromias que compõem a mostra. A visitação é gratuita e ocorrerá de terça a domingo, das 10 às 18h, até 15 de novembro.

O artista

Daniel Hourdé nasceu no ano de 1947, em Boulogne-Billancourt, na França. Estudou na Escola de Belas Artes de Grenoble e na Escola Nacional de Belas Artes de Paris (1971-72) e complementou sua formação na Jean-Marie Pirot Workshop e na Yankel Workshop. Vive e trabalha em Paris. Expôs individualmente em Berlim, Bruxelas e França, sucessivas vezes, com destaque para as mostras na Galerie Agnès Monplaisir, Paris (2013), na Galerie Larock Granoff, Paris (2012) e Galeria Nove, Berlim (2011). Participou de diversas exposições coletivas e salões de arte, entre eles The Moscow World Fine Art Fair – Galerie Larock-Granoff, Moscou (2012), Salon du Collectionneur, Galerie Loft, Paris (2009), Pavillon des Arts, Genebra (2003), e Louvre des Antiquaires, Paris (2001).

Museus Ibram em processo de restauração de esculturas

SamburuDance-199x300

A escultura deverá ser exposta no Museu da Abolição a partir de novembro

O Museu da Abolição/Ibram, em Recife (PE), concluiu na última semana o processo de restauração da escultura Samburu Dance I, de autoria da artista holandesa Marianne Houtkamp  – doada pela Receita Federal ao Ibram/MinC no ano passado. A equipe da instituição prepara agora a exposição da peça, prevista para o mês de novembro.

A obra retrata uma mulher da tribo Samburu, do Quênia, e possui certificado de autenticidade emitido pela Galeries Bartoux, que representa a artista. Elaborada em gesso e pátina de bronze, Samburu Dance I pesa cerca de 150Kg e possui 1,35m de altura.

Apesar de estar em bom estado geral de conservação, a escultura apresentava uma rotura no punho esquerdo, que foi completamente restaurado pelo artista plástico e restaurador Euclides Lucena Neto.

A escultura foi doada ao Museu da Abolição após tentativa de importação com uso de documentos falsos na Alfândega do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP). Foi o primeiro caso de obra abandonada ou apreendida pela Receita Federal doada a um museu brasileiro, prática regulamentada por lei sancionada pela presidenta Dilma Rousseff em julho deste ano. Saiba mais.

Música de Bernadelli
A escultura Música, de Rodolfo Bernardelli, deixou na semana passada a base em que ficava, na Cinelândia, centro do Rio de Janeiro, para ser restaurada. A obra, que pertence ao acervo do Museu Nacional de Belas Artes/Ibram será restaurada pela equipe da instituição.

A transferência da escultura para o pátio do museu contou com o apoio da  Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos, que colaborou com a locomoção do monumento. O trabalho foi realizado sob coordenação da Gerência de Monumentos e Chafarizes.  É a primeira vez que a mudança acontece depois de mais de 20 anos. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Exposição na Bahia promove diálogo entre arte e moda

Traçar um elo de ligação entre arte, moda, educação e cultura é o objetivo da exposição Tramas, tramas e tramas – um diálogo entre arte e moda, que será aberta no Instituto Feminino da Bahia nesta quinta-feira (22) às 19h.

Indumentária, esculturas e instalações em técnicas e materiais diversos integram a exposição, que reúne trabalhos de estilistas, artistas visuais, designers e artistas plásticos baianos contemporâneos. As obras dialogam com os acervos seculares dos museus pertencentes à estrutura do instituto: Museu do Traje e do Têxtil e Museu Henriqueta Catharino.

A partir de distintas expressões visuais, as produções de Viga Gordilho, Márcia Ganem, Ana Fraga, Giovana Dantas, Áurea Madeira, Mili Genestreti, Ayrson Heráclito, Maristela Ribeiro, Tinna Pimentel e Ana Magalhães tecem tramas que entrelaçam histórias de vida e a própria história de Salvador.

A mostra foi contemplada pelo edital de preservação, dinamização e difusão de acervos do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia, viabilizado pela Diretoria de Museus em 2009. A entrada é franca.

Serviço

O quê: Tramas, tramas e tramas – Um diálogo entre arte e moda
Quando: De 22 de setembro a 23 de março de 2012
Onde: Instituto Feminino da Bahia
Mais informações: (71) 7812-9416 e 7812-9343 ou ascom.dimus@gmail.com