Página 1 de 212

Projetos de museus brasileiros são reconhecidos em prêmio ibero-americano

O Brasil teve quatro projetos de destaque no 7º Prêmio Ibero-Americano Educação e Museus, desenvolvido pelo Programa Ibermuseus.

Circuito Acessível de Expositores Interativos, da Associação Mantenedora do Museu das Minas e do Metal (MG), foi um dos cinco premiados na categoria Projetos em Fase de Elaboração e/ou Planejamento, e receberá 10 mil dólares (cerca de 35 mil reais).

Resultado do prêmio foi divulgado durante encontro na Costa Rica

Resultado do prêmio foi divulgado durante encontro na Costa Rica

Já o Museu de Arte Moderna (MAM) de São Paulo, a Associação dos Amigos do Museu Mineiro e Museu da Agricultura Familiar, ambos de Minas Gerais, tiveram projetos reconhecidos com Menção Honrosa, ao lado de 17 outros projetos, e passam a integrar o Banco de Boas Práticas do Programa Ibermuseus.

Foram inscritos 167 projetos educativos procedentes de 18 países da comunidade ibero-americana, dos quais 87 foram aprovados na etapa de habilitação pelo Comitê Técnico – formado por especialistas provenientes de 10 países. Confira todos os premiados.

Encontro na Costa Rica
O resultado do prêmio foi anunciado durante o 9º Encontro Ibero-Americano de Museus, que teve lugar na capital costa-riquenha, San José, entre 24 e 26 de novembro.

Painéis de debate sobre o trabalho museológico na região, além de conferências, marcaram a programação. O presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Marcelo Araujo, falou via videoconferência sobre Sustentabilidade Socioeconômica dos Museus. Ao final do evento, foi firmada a Declaração de San José, documento que reúne metas prioritárias ao estímulo e  fomento às políticas públicas para os museus da região.

A salvaguarda do patrimônio museológico ibero-americano, governabilidade, sustentabilidade e estratégias de financiamento dos museus e o desenvolvimento de uma agenda em face aos 10 anos do Programa Ibermuseus estão entre os pontos abordados na declaração. Saiba mais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Ibermuseus/Divulgação

Ibermuseus lança 7º Prêmio Ibero-Americano de Educação e Museus

Em sua sétima edição, o Prêmio Ibero-Americano de Educação e Museus, promovido anualmente pelo Programa Ibermuseus, premiará oito projetos educativos provenientes das instituições museológicas dos 22 países da região. O objetivo da iniciativa é reafirmar e ampliar a capacidade educativa dos museus e do patrimônio cultural como estratégias de transformação da realidade social.

As inscrições para o Prêmio estão abertas de 18/5, Dia Internacional dos Museus a 18/6.  Para participar, os interessados devem inscrever-se por meio da sessão Convocatórias no portal Ibermuseus.

Pelo sétimo ano consecutivo, o Programa Ibermuseus celebra o importante papel dos museus no desenvolvimento sociocultural, no fortalecimento dos direitos humanos e de uma cultura de paz, no estímulo à coesão social e à diversidade cultural e das distintas identidades que compõem a realidade ibero-americana. Durante esse tempo, o Prêmio vem revelando ações transformadoras, tais como o projeto Jovem Explorador. Primeiro lugar em 2015 na categoria I, o projeto propõe a criação do Ecomuseu de Pacoti (comunidade de 11,7 mil habitantes, localizada no Ceará-Brasil). Segundo o coordenador do projeto, Levi Jucá, a premiação e o reconhecimento pelo Programa Ibermuseus, trouxe visibilidade para o município de Pacoti e elevou o sentimento de pertencimento dos moradores da região.

Como nas edições anteriores, o Prêmio se divide em duas categorias: Categoria I – Projetos realizados ou em andamento; e Categoria II – Fomento a projetos em fase de elaboração e/ou planejamento. Para a primeira delas, serão outorgados três prêmios, e para a segunda, cinco, totalizando US$ 75 mil em prêmios. Além disso, serão concedidas menções honrosas aos primeiros 20 classificados.

Para concorrer, as instituições devem ter caráter cultural, educativo ou afim, além de estarem ligadas à administração pública (municipal, regional ou nacional) ou serem empresas privadas sem fins lucrativos.

O processo de avaliação das propostas é realizado em duas etapas: a primeira pelas Comissões Nacionais e a segunda pelo Comitê Técnico, formado por 12 especialistas em educação e museus no âmbito do Ibermuseus.

Os projetos serão analisados de acordo com os seguintes critérios: coerência; abrangência, capacidade de transformação social; dinamização da memória social; valorização da memória social; atenção à diversidade (étnica, de gênero, social e cultural) e à acessibilidade; envolvimento de agentes internos e externos (museus e comunidades) no projeto; e capacidade institucional para a manutenção das ações empreendidas.

Nas últimas seis edições, o Programa Ibermuseus premiou 45 projetos educativos na Ibero-América, com um total de US$ 320 mil. Além disso, todas as ações contempladas, seja financeiramente ou com menções honrosas, compõem o Banco de Boas Práticas em Ação Educativa, disponível no site do Ibermuseus, que já acumula 125 projetos e é considerado uma ferramenta de referência sobre educação em museus tanto na Ibero-América como em outros países do mundo.

O Edital e o formulário de inscrição ao Prêmio estão disponíveis para download em www.ibermuseus.org/convocatorias.

Prêmio Ibero-Americano de Educação e Museus está com inscrições abertas

Com o objetivo de reafirmar e ampliar a capacidade educacional dos museus e do patrimônio cultural como estratégias de transformação da realidade social, o Programa Ibermuseus abriu inscrições para a VI edição do Prêmio Ibero-Americano de Educação e Museus.

Com a iniciativa, serão reconhecidos oito projetos educativos provenientes das instituições museológicas ibero-americanas. As inscrições estão abertas até 18 de junho no portal Ibermuseus.

IbermuseusmarcaO Prêmio Ibero-Americano de Educação e Museus premiará iniciativas que promovam o desenvolvimento pessoal e a coesão social, por meio de duas categorias: Projetos Realizados ou em Andamento e Fomento a Projetos em Fase de Elaboração e/ou Planejamento.

Para a primeira delas, serão outorgados três prêmios, e para a segunda, cinco, totalizando US$ 75 mil (cerca de R$ 236 mil) em prêmios. Além disso, serão concedidas menções honrosas aos primeiros 20 classificados.

Para concorrer, as instituições devem ter caráter cultural, educativo ou afim, além de estarem ligadas à administração pública (municipal, regional ou nacional) ou serem empresas privadas sem fins lucrativos nos países ibero-americanos.

Nas últimas cinco edições, o Programa Ibermuseus premiou 37 projetos educativos com um total de US$ 215 mil (cerca de R$ 677 mil). Conheça as edições anteriores do Prêmio Ibero-Americano de Educação e Museus.

Texto: Ascom/Ibram

Revista do Professor já pode ser lida na página do Museu da República

A Revista do Professor, editada anualmente pelo setor de Educação do Museu da República (MR), no Rio de Janeiro (RJ), já se encontra disponível para leitura online no sítio do museu na internet. A publicação contabiliza cinco números, sendo os dois últimos apenas no formato virtual. Em breve, contudo, estarão também disponíveis na forma impressa.

As cinco edições da Revista do Professor

As cinco edições estão disponíveis para leitura na página do MR

De acordo com Normanda Freitas, assessora técnica e coordenadora de Educação do Museu da República, a Revista do Professor é fruto de um projeto pedagógico, iniciado em 2008, voltado para educadores de forma geral, incluindo aqueles que trabalham em museus.

A publicação surgiu da necessidade de mostrar aos professores a forma como o MR trabalha no processo educativo multidisciplinar com os alunos e todo o universo da comunidade educacional, abordando a história republicana, o patrimônio e a cidadania.

Dentre os assuntos focados, destacam-se a exposição A Res publica brasileira, que narra a trajetória do período republicano em suas várias conjunturas político-sociais. Os textos trazem ainda o desdobramento do pensamento republicano nas áreas de educação, arquitetura, literatura, astronomia, artes plásticas, patrimônio cultural e ambiental, entre outros.

Participação
Normanda informou que a publicação, com uma linguagem clara e direta, contribui para suprir a carência de publicações que abordem tais assuntos na formação das pessoas que atuam no magistério, em todos os níveis.

Como ferramenta para instrumentalizar a ação em sala de aula e nas visitas ao museu, a revista busca mostrar a abrangência do acervo do MR e sua relação com o trabalho do educador junto aos estudantes. Um detalhe importante é que a publicação está aberta aos professores que desejarem contribuir com suas análises sobre a conjuntura educacional do país e suas experiências na relação museu-educação.

A coordenadora de Educação acrescentou que a revista é alimentada por outro projeto do Museu da República, denominado República dos Professores, onde especialistas de diversas áreas expõem seus artigos a partir de oficinas e palestras proferidas. Saiba mais sobre o MR.

Texto e foto: Divulgação Museu da República
Edição: Ascom/Ibram

Encontro de comitê do Icom contou com relatos de experiências de museus Ibram

O Museu Lasar Segall (SP) e o Museu da República (RJ), vinculados ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), estiveram representados, entre os dias 23 e 28 de junho, no IX Encontro Regional do Comitê de Educação e Ação do Conselho Internacional de Museus (Ceca-Icom), realizado em Lima, (Peru), onde foram apresentadas experiências de diversos museus da América Latina e do Caribe voltadas para o bem comum.

ceca_logoA diretora do Museu da República, Magaly Cabral, que é membro do comitê  há 37 anos, falou no encontro sobre as experiências da instituição com o projeto educativo Trabalho e Cidadania, desenvolvido a partir da exposição Trabalho, Luta e Cidadania – 70 anos da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

No projeto, os educadores do museu trabalharam com alunos jovens e adultos, com idade entre 15 e 70 anos. “Muitos eram trabalhadores domésticos. O museu abriu à noite para recebê-los, foi muito interessante”, explicou. Segundo a diretora, o Museu da República é frequentemente citado em eventos, como o Encontro Regional Ceca-Icom, como exemplo por suas ações educativas.

Magaly Cabral ressalta que a principal mensagem do encontro foi a de que os  museus devem estar cientes de sua responsabilidade frente ao público. “Nós devemos sempre ouvir o público e estar com ele. Sem público não existe museu, a instituição vira apenas um depósito”, afirmou.

O Museu Lasar Segall também compartilhou suas experiências por meio da palestra Educador em foco: autonomia e protagonismo no Museu Lasar Segall. Elaine Carvalho Fontana, educadora do museu, expôs a forma colaborativa de gestão da equipe na instituição. Nessa linha, o educador – que está em contato direto com o público – atua como protagonista, realiza pesquisas e compartilha experiências pessoais com a equipe do Lasar Segall.

O encontro
O tema do IX Encontro Ceca-Icom 2014, Museus e Bem Comum, teve o intuito de analisar a educação dentro dos museus como veículo para alcançar o desenvolvimento sociocultural, em relação aos assuntos de identidade e à mudança política.

Entre os objetivos estavam recuperar o imaginário coletivo e reforçar a identidade cultural através da educação nos museus, multiplicar esforços e experiências, conectar os museus a partir do vínculo educativo, desenvolver a cooperação entre profissionais para criar projetos internacionais.

A Comissão de Educação e Ação Cultural (Ceca) é um dos mais antigos comitês internacionais do Conselho Internacional de Museus. Com mais de mil membros provenientes de cerca de 85 países, uma de suas maiores comissões, é formada por profissionais que atuam em diferentes setores do campo museal ou em instituições ligadas a área. Saiba mais (em espanhol).

Texto: Ascom/Ibram

Educação: Museu Imperial recebeu mais de 70 mil estudantes em 2013

O Setor de Educação do Museu Imperial/Ibram, na cidade de Petrópolis (RJ),  atendeu, através de seus projetos educativos, um total de 70.530 alunos e professores ao longo de 2013. Este número corresponde não só a instituições de ensino, mas também a grupos de organizações não governamentais, de projetos sociais promovidos por secretarias de governos municipais, entre outros.

Atividade de leitura na Biblioteca Rocambole do Museu Imperial

Atividade de leitura na Biblioteca Rocambole do Museu Imperial

O Rio de Janeiro foi o estado que mais participou dos projetos, com 58.849 alunos e professores visitando o museu. Outros estados, porém, surpreenderam. Minas Gerais contou 8.129 estudantes e o Espírito Santo com 1.475.

A grande novidade, no entanto, veio do Pará. Apesar da distância, o estado chegou a somar um total de 169 estudantes atendidos no Museu Imperial.

Diversidade de públicos
Neste panorama, o segmento do ensino fundamental se destacou com a vinda de 47.960 alunos e professores. Na sequência, aparece o ensino médio com 11.849. Já o público de instituições de nível superior e de educação especial teve um significativo aumento em relação aos anos anteriores: 2.105 e 166, respectivamente.

Os projetos educativos do Museu Imperial são aplicados por educadoras que recebem treinamento da equipe técnica do Setor de Educação e envolvem não só as visitas mediadas ao palácio, mas também atividades com teatro de fantoches, a Caixa das Descobertas (exploração da história de objetos culturais), Um Sarau Imperial, o Projeto Petrópolis, dentre outras atividades especiais.

As instituições interessadas em participar de quaisquer projetos devem fazer seu agendamento junto ao Setor de Educação do Museu através do telefone (24) 2233.0345. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação Museu Imperial

Museu de Arqueologia de Itaipu abre mostra sobre novo projeto de educação

Amanhã (5), a partir das 14h, o Museu de Arqueologia de Itaipu (MAI/Ibram), em Niterói (RJ), em parceria com a Escola Municipal Professor Marcos Waldemar de Freitas Reis, inaugura a exposição As minhas, as suas, as nossas coisas e memórias.

Capa do livro que tem lançamento amanhã (5) no  MAI/Ibram

Capa do livro que tem lançamento amanhã (5) no MAI/Ibram

A exposição, em cartaz até dia 13 de dezembro, é resultado do primeiro esboço de mais um programa de educação museal do MAI, que tem o nome provisório de projeto museu-escola. O objetivo é familiarizar as crianças com os aspectos teóricos e práticos da museologia.

Para tanto, os funcionários do museu e os professores da escola realizam encontros periódicos para tratar com os alunos questões que vão desde memória e patrimônio até a conservação de acervo e montagem de exposições.

Às 16h, está programado o lançamento da publicação Aos Pés da Serra da Tiririca: uma história de todos nós. Trata-se de um livro que surgiu da parceria entre MAI e o Grupo de Estudos Interdisciplinares do Ambiente (GEIA), da Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

No livro são abordados aspectos ambientais, históricos e culturais da Serra da Tiririca, área de preservação ambiental que envolve o MAI e abrange boa parte dos municípios de Niterói e Maricá. Saiba mais sobre o museu.

Texto e imagem: Divulgação MAI

Programa Ibermuseus abre inscrições para o prêmio Educação e Museus 2013

Estão abertas as inscrições para a IV edição do Prêmio Ibero-Americano de Educação e Museus, do Programa Ibermuseus. De 16 de setembro e 31 de outubro de 2013, instituições das áreas de educação e museus poderão submeter suas candidaturas em duas categorias: projetos já realizados ou em andamento e projetos em fase de planejamento.

O prêmio tem como objetivo reconhecer, premiar e dar visibilidade às boas práticas em ação educativa promovidas pelos museus e instituições afins. Será dada especial atenção aos projetos que promovam o desenvolvimento e a coesão social com a utilização do patrimônio museológico como recurso educativo, reafirmando a responsabilidade dos museus como agentes essenciais para o desenvolvimento humano e social.

Para a avaliação do prêmio será formado um Comitê Técnico com especialistas dos 10 países que compõem o Comitê Intergovernamental do Ibermuseus, e serão considerados critérios como o impacto sócio-cultural, a valorização da diversidade cultural, o caráter participativo e descentralizador, a sustentabilidade das ações e a existência de indicadores e meios de avaliação dos resultados. O edital e os formulários estão disponíveis na página do Ibermuseus.

Com sede em Brasília, Ibermuseus é o programa intergovernamental de cooperação em políticas públicas para os museus no Espaço Cultural Ibero-Americano. Em suas três edições, o programa já premiou 16 projetos na Ibero-América, além de incorporar 60 experiências exitosas ao Banco Ibero-Americano de Boas Práticas em Educação e Museus. Conheça mais sobre o prêmio e suas edições anteriores.

Texto: Divulgação Ibermuseus

 

Estudantes de Museologia recebem resposta de carta enviada ao Ibram

O novo presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), Angelo Oswaldo, respondeu, na última semana, à carta de estudantes e entidades representantes dos cursos de graduação em Museologia brasileiros.

Na carta, os estudantes fazem um breve histórico do curso no país e indicam demandas: a necessidade de fomento no âmbito estatal e municipal ao setor museal, o maior engajamento do Ibram em relação as pesquisas de extensão dos graduandos, o acesso gratuito aos museus de todo o Brasil e a possibilidade de estágio nos museus do instituto.

Os estudantes também sugerem a continuidade da Política Nacional de Museus (PNM), fomento para projetos na área museal e uma urgente articulação entre o Ministério da Cultura (representado pelo Ibram) e o Ministério da Educação (MEC) para ampliar e integrar as políticas públicas com objetivos comuns.

Angelo Oswaldo, em sua resposta, concordou com as demandas que, segundo ele, vão ao encontro das diretrizes do MinC e do Ibram. “Na verdade, estamos falando a mesma linguagem e queremos mais”, afirmou. Ele disse ainda que espera a intensificação desse diálogo para criar novas parcerias e um trabalho mais participativo e transparente. Leia os documentos na íntegra.

Texto: Ascom/Ibram

Memória coletiva: projeto premiado pelo Ibram chega a Zona da Mata mineira

O projeto Sons e Memórias que contam histórias, selecionado na quinta edição do Prêmio Darcy Ribeiro, realizado em 2012 pelo Ibram, começa sua execução a partir deste mês em Minas Gerais.

Realizado pelos artistas Aline Cântia e Chicó do Céu, em parceria com o Instituto Imersão Latina, o Fundo Estadual de Cultura de MG e com o Centro de Tecnologias Alternativas (CTA), o projeto tem como objetivo pesquisar, registrar e difundir a memória coletiva de municípios da região da Zona da Mata de Minas Gerais, por meio da arte de narrar e cantar histórias.

Projeto vai acontecer na Zona da Mata mineira por oito meses

A primeira atividade será a participação junto à Caravana Agroecológica e Cultural da Zona da Mata. De forma interdisciplinar, entre os dias 22 e 25 de maio, os artistas vão percorrer diversos municípios da região por um período de oito meses.

Cerca de 300 pessoas estarão diretamente envolvidas em sua realização, além da população dos municípios visitados.

Objetivos
O trabalho se propõe a contribuir para a formação de grupos locais de contadores de histórias. A partir de um diálogo entre literatura, música, artes cênicas, narrativa e memória, o projeto articula conceitos desenvolvidos a partir de pesquisas dedicadas à temática da oralidade e do universo da literatura e da memória, assim como da agroecologia, fazeres tradicionais, pesquisa de campo e rodas de conversa.

A produção de um CD de histórias narradas cantadas e a realização do Fórum Memórias e sons que contam histórias são produtos resultantes do trabalho. Conheça mais.

O Prêmio Darcy Ribeiro consiste em reconhecer práticas e ações de educação museal que por meio das diversas relações de mediação com os públicos, convidem à apropriação, em sentido amplo, do patrimônio cultural, valorizando-o e promovendo sua preservação.

Texto e imagem: Divulgação

Página 1 de 212