Revista do Arquivo Nacional abre chamada para publicação de trabalhos

revista-acervoA revista Acervo, publicação semestral do Arquivo Nacional, tornou pública chamada de trabalhos para seu volume 31, número 1, a ser publicado em 2018. Serão aceitos trabalhos para as seções: dossiê temático, artigos livres, resenhas e documentos.

Para esta edição, a revista traz como tema “Diversidades e(m) Arquivos”, sendo dedicada às diversidades culturais, com organização dos professores Diego Barbosa da Silva e Leonardo Augusto Silva Fontes, do Arquivo Nacional.

A ideia é  debater sobre a importância da preservação, proteção, processamento técnico, acesso e difusão do patrimônio documental dos diferentes grupos, povos e culturas que formam o Brasil.

Os organizadores pretendem, neste número, questionar como as instituições arquivísticas (públicas e privadas) conservam, tratam e divulgam os documentos a respeito dos povos indígenas e afro-brasileiros, imigrantes, ciganos, LGBTQIs, grupos com necessidades especiais, a cultura popular, o hip-hop e o funk, entre outros.

Interessados m publicar trabalhos devem enviar suas submissões até dia 15 de setembro por meio do portal da revista Acervo. Os textos devem estar de acordo com o foco e o escopo da revista e seguir suas normas editoriais.

Teia da Cultura: Pontos de Memória estarão presentes em encontro nacional

Teia2014A quinta edição da Teia da Cultura – batizada Teia da Diversidade 2014 – acontece de 19 a 24 de maio de 2014, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal. O encontro, que reúne Pontos de Cultura de todo o país, terá como foco firmar o Programa Cultura Viva como programa de base comunitária para o Sistema Nacional de Cultura (SNC).

O encontro pretende, entre os objetivos, reunir as ações estruturantes e transversais ao Programa Cultura Viva, entre as quais estão incluídos os Pontos de Memória e suas redes, por entender que essas iniciativas e processos museais, protagonizados por grupos, povos, comunidades e movimentos sociais, refletem a memória e a diversidade cultural do país.

Pontos de Memória e demais segmentos podem garantir sua participação através de seleção nas chamadas públicas para programação artística, feira de economia solidária, exibição de vídeos, filmes e documentários ou para cobertura e comunicação do evento; convite para ministrar atividades relacionadas à formação e capacitação; eleição de delegados nas Teias e Fóruns estaduais de Cultura. As chamadas públicas para a participação serão divulgadas em breve. Saiba mais na página do Ministério da Cultura.

Texto: Divulgação Pontos de Memória

Região Serrana do Rio recebe oficina sobre museu, memória e cidadania

O Centro Cultural Viva, de Duas Barras, e o Ponto de Cultura e Ecomuseu Rural, em Santo Antônio (Bom Jardim), no Rio de Janeiro, reconhecidos como Pontos de Memória nos últimos editais do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), sediarão nos dias 21 e 22, a oficina Museu, Memória e Cidadania na Diversidade Cultural.

Ministrada por Inês Gouveia, consultora do Programa Pontos de Memória, e com participação especial de uma das sociofundadoras do Museu da Maré, Cláudia Rose Ribeiro, a oficina deve reunir agentes e gestores culturais da região serrana do estado para debater temas-base voltados para o fortalecimento e a qualificação de ações de memória social desenvolvidas por grupos locais.

Além da oficina, o objetivo ainda é convidar as iniciativas a participarem da rede de museologia social que está sendo impulsionada por várias organizações no estado do Rio de Janeiro.

A oficina propõe uma reflexão sobre o poder da memória na promoção da cidadania cultural e do fortalecimento das ações desenvolvidas por grupos, povos, comunidades e movimentos sociais. Também aborda as discussões acerca do museu como espaço vivo dinâmico, que deve estar a serviço da sociedade e ser pensado coletivamente como meio de transformação social, valorização e representação das diversas identidades e memórias que se configuram no país.

No dia 21, a oficina acontece no Centro Cultural Viva (R. Everaldo do Vale Moreira 83, Centro – Duas Barras), e no dia 22 acontece na sede do Ponto de Cultura Rural (Estrada entre São Pedro da Serra  e Santo Antonio), sempre das 9h às 18h. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (21) 98058.7203 ou pelo endereço eletrônico pontosdememoria@museus.gov.br.

Texto: Programa Pontos de Memória

Diversidade marca cerimônia de entrega da Ordem do Mérito Cultural 2011

Os ritmos do Maracatu e do Frevo deram o tom da cerimônia de entrega da Ordem do Mérito Cultural 2011, realizada na quarta-feira (9), no Teatro Santa Isabel, em Recife (PE).

Com a presença da ministra da Cultura Ana de Hollanda, do governador de Pernambuco, Eduardo Campos e do prefeito de Recife, João da Costa, e tendo como mestre da cerimônia a atriz Denise Fraga, o evento começou com os batuques do Maracatu Piaba de Ouro, que “invadiu” o teatro com suas cores e movimentos.

Antes da entrega da OMC, a maior honraria do governo federal concedida aos artistas brasileiros e que este ano homenageia a escritora e jornalista Patrícia Galvão – Pagu, a Orquestra Cidadã dos Meninos do Coque subiu ao palco para a execução do Hino Nacional.

A ministra da Cultura, também condecorada com a Ordem do Mérito Cultural, justificou a escolha, pela primeira vez, de uma capital da região Nordeste para a realização da cerimônia de entrega da OMC aos 51 agraciados neste ano.

A presidenta Dilma Rousseff, que não pode comparecer à cerimônia, enviou mensagem, lida por Denise Fraga, na qual destacou a importância da homenagem a Pagu, como um reconhecimento da inteligência e bravura da mulher brasileira. A presidenta ressaltou ainda que os agraciados são “exemplos da vibrante e apaixonante mistura de sotaques e saberes que compõe o mosaico da cultura brasileira”. Continue lendo.

Fonte: Portal MinC