Exposição no Museu do Diamante traz imagens do Vale do Jequitinhonha em MG

O Museu do Diamante, que integra a rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) em Diamantina (MG), exibe imagens do fotógrafo e vídeo-documentarista Lori Figueiró entre os dias 22 de março a 4 de abril.

Exposição traz 28  imagens do Vale do Jequitinhonha (MG)

Exposição traz 28 imagens do Vale do Jequitinhonha (MG)

A exposição Memória da Cultura Jequitinhonha é parte do projeto Vale: Vida – memórias da Cultura Jequitinhonha, premiado em 2014 pelo Programa Pontos de Memória do Ibram.

São 28 imagens que, segundo o curador Jorge Dikamba, revelam instantâneos do cotidiano valês, onde o conceito de “mineiridade” se destaca, agregando sentimentos de religiosidade, simplicidade e alegria de viver.

Para Dikamba, o Jequitinhonha seria um “estado de espírito” para os que nele vivem ou dele se originam. Gestos, formas e cores refletem saberes, usos, costumes e crenças que, nas fotografias, compõem um mosaico atemporal das relações societárias da “gente do Vale”.

Lori Figueiró é fotógrafo autodidata, vídeo-documentarista e membro fundador do Centro de Cultura Memorial do Vale. Já realizou outras exposições fotográficas, publicou diversos livros com a temática do Vale do Jequitinhonha e ainda ministra oficinas e promove espetáculos cênicos sobre as manifestações da cultura mineira.

No dia 23 de março, às 18h30, acontece o lançamento de livros de Figueiró, além de uma roda de conversa com a cantora, compositora e escritora Déa Trancoso e a doutora em Literatura Juliana Leal. A entrada é franca.

O Museu do Diamante está localizado na Rua Direita, 14, centro de Diamantina, e funciona de terça a sábado, das 10h às 17h. Domingos e feriados, das 9h às 13h. Mais informações pelo telefone (38) 3531.1382.

Texto: Ascom/Ibram
Foto:  Lori Figueiró/Divulgação

 

Museu do Diamante sedia Festival Internacional de Música Histórica

19.02 diamantinaO Museu do Diamante, vinculado ao Ibram/MinC e situado na cidade histórica de Diamantina (MG), será palco, a partir desta sexta-feira (19), da segunda edição do Festival Internacional de Música Histórica.

Realizado pelo Ministério da Cultura através da Lei Rouanet com o apoio do Instituto Brasileiro de Museus e outras instituições, o festival oferecerá a músicos e público em geral, durante dez dias, uma vasta programação gratuita em torno de um conceito ampliado da chamada “Música Antiga”, entrelaçado à história da musicalidade brasileira.

Este ano, o festival traz como tema “De la Mancha ao Sertão: o Ibérico na tradição musical do Brasil”. A ideia é, a partir da inspiração de Dom Quixote, personagem-símbolo da mitologia ibérica, mergulhar nas influências e contribuições da produção cultural Ibérica na construção da musicalidade armorial do sertão brasileiro.

Concertos, aulas-espetáculo, minicursos, debates e saraus compõem o programa geral do festival, que além do Museu do Diamante se espalhará por outros centros culturais, igrejas e lugares históricos de Diamantina.

Como explica o diretor artístico do evento, Marco Brescia, o festival pretende “transpor as agrestes paisagens manchegas ao infinito Sertão do Brasil, onde as tradições tardo-medievais da velha Ibéria se fazem iniludivelmente presentes”.

As inscrições gratuitas para a programação oferecida podem ser feitas através do site do II Festival Internacional de Música Histórica de Diamantina, que segue até o próximo dia 28.

Acesso: Museu do Diamante está com nova página na internet

A exemplo do que já ocorreu com outras instituições vinculadas à rede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), o Museu do Diamante, em Diamantina (MG) – que em 2014 comemora seus 60 anos de criação – pôs no ar esta semana seu novo sítio web institucional.

Museu do Diamante em Minas Gerais

Criada com o objetivo de fornecer informações e notícias sobre o museu ao seu público, a página traz dados sobre a história do museu, seu acervo, exposições e atividades, além de fotos e agenda completa de eventos.

A página também oferece visita virtual ao museu e acesso ao blog e perfis das instituições nas redes sociais. O agendamento de visitas também poderá ser feito pelo site, com formulário próprio para turmas escolares e não escolares.

Os usuários terão também acesso ao Fale Conosco, onde o visitante poderá deixar sua sugestão, crítica, tirar dúvidas, além de outras interações. Outra ferramenta criada é o Destaque do Mês, onde serão publicadas todo mês peças do acervo do museu.

Criado em 1954, o Museu do Diamante reúne acervo formado por objetos de estilos e tipologias diversas, como indumentária e imaginária sacra, armaria, numismática, mineralogia, além de instrumentos utilizados no processo de mineração do ouro e diamante, que compõem o quadro do que foi o processo de formação e ocupação do norte de Minas Gerais.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação

Museu do Diamante traz novidades após revisão da exposição permanente

O Museu do Diamante/Ibram, em Diamantina (MG), realizou no mês de fevereiro uma revisão em sua exposição permanente. A mudança da expografia foi desenvolvida pela equipe do museu e resultou de pesquisas e consultas a documentação do acervo, bibliotecas e arquivos públicos.

Com a reformulação da exposição, o novo circuito traz salas que tratam sobre a extração do diamante, cavalaria e objetos de uso doméstico; instrumentos de repressão (espadas, carabinas, grilhões, gargalheira, dentre outros); arte sacra cristã e uma sala (alcova) na qual tenta-se reproduzir um quarto feminino do século XIX.

Mudança na expografia é resultado de pesquisas da equipe do Museu do Diamante

Além dessas, conta também com uma sala multifuncional onde acontecem ações do setor educativo, eventos, exibição de filmes e exposições temporárias, e uma sala de música

 

Pesquisas e novo diálogo
Segundo os responsáveis pela revisão, alguns elementos e objetos distribuídos anteriormente nas salas do antigo circuito ainda remetiam à exposição de inauguração do Museu do Diamante (década de 50). As legendas encontravam-se desatualizadas, assim como alguns dos suportes expográficos.

Contudo, o que mais chamou a atenção da equipe foi a descontinuidade do discurso expográfico, pois os objetos pouco dialogavam entre si, dificultando o diálogo entre público e objeto. Após análise do acervo exposto e do que se encontrava em reserva técnica, assim como pesquisas na documentação do acervo, em bibliotecas e arquivos públicos, as mudanças devem dar novo fôlego ao discurso do museu.

A equipe do museu continuará pesquisando e experimentando novas mudanças – embrião de um projeto expográfico a ser implantado depois da reforma do museu. O horário para visitação é de terça-feira a Sábado, das 10h às 17h30, e domingos e feriados, das 9h às 13h. Saiba mais sobre o Museu do Diamante.

Texto: Divulgação Museu do Diamante

 

Museu do Diamante tem horários alterados para a Semana JK em Diamantina

Entre os dias 6 a 12 de setembro acontece em Diamantina a Semana JK 2012, evento que homenageia os 110 anos do nascimento do ex-Presidente da República, nascido em Diamantina. No dia 12 de setembro (quarta-feira) haverá a entrega da Medalha JK no centro histórico da cidade, fechando o local para trânsito de carros e pedestres. O evento também altera o horário de visitação do Museu do Diamante neste dia, que passará a ser das 9h às 12h.

Saiba mais sobre o Museu do Diamante aqui.

Dona Helena e seus saberes no Museu do Diamante (MG)

De 22 a 30 de junho, o Museu do Diamante/Ibram, em Diamantina (MG), exibe Dona Helena e seus saberes – mostra com fotografias de Lori Figueiró.

O olhar do fotógrafo revela o cotidiano de Dona Helena num mundo em transformação, onde escrever cartas, debulhar terços e a medicina popular resistem. Segundo o autor, por vivemos em uma época de grandes mudanças é importante refletir sobre o universo individual neste contexto, principalmente por parte de quem ainda não está totalmente integrado a uma cultura urbana, mas representa um universo rural e isolado, em franco processo de esfacelação.

O Museu do Diamante localiza-se à Rua Direita, 14  e funciona de terça a sábado de 12h às 17h30. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação Museu do Diamante

Museu do Diamante abre exposição sobre saberes tradicionais de uma mulher

Fotos de Lori Figueiró retratam cotidiano de Dona Helena

No dia 22 de junho, às 19h, o Museu do Diamante/Ibram, em Diamantina (MG), abre a exposição Dona Helena e seus saberes com fotografias de Lori Figueiró. A mostra pode ser vista gratuitamente até 30 de junho.

O olhar do fotógrafo revela o cotidiano de Dona Helena num mundo em transformação, onde escrever cartas, debulhar terços e a medicina popular resistem. Segundo o autor, por vivemos em uma época de grandes mudanças é importante refletir sobre o universo individual neste contexto, principalmente por parte de quem ainda não está totalmente integrado a uma cultura urbana, mas representa um universo rural e isolado, em franco processo de esfacelação.

O Museu do Diamante localiza-se à Rua Direita, 14  e funciona de terça a sábado de 12h às 17h30. Saiba mais.

Texto e foto: Divulgação Museu do Diamante

Museu do Diamante abre edital de seleção para exposições temporárias

O Museu do Diamante/Ibram, localizado na cidade de Diamantina (MG), lançou edital público de ocupação dos espaços para Exposições Temporárias no ano de 2012.

A intenção é contribuir para a dinamização do museu, consolidando seu papel como centro de debate, formação e referência no campo das artes visuais voltados para a comunidade dimantinense e sociedade em geral.

O museu recebe propostas individuais de artistas ou grupo de artistas, de nacionalidade brasileira ou estrangeiros, no período de 2 de janeiro a 14 de março de 2012. O concurso contemplará cinco projetos de exposição de arte contemporânea ou tradicional, a serem realizados na sala de exposições temporárias do Museu do Diamante. As inscrições são gratuitas e deverão ser encaminhadas por correio ou via e-mail. Leia o edital.

Outras informações sobre o concurso podem ser solicitadas pelo endereço eletrônico md.programaexposicao@museus.gov.br. Saiba mais sobre o Museu do Diamante aqui.

Visita virtual ao Museu do Diamante (MG) já está disponível

Foi lançada, no dia 17 de outubro, a visita virtual ao Museu do Diamante/Ibram por meio do portal Era Virtual. A plataforma interativa de visitação a museus tem como principal objetivo ampliar o alcance sociocultural dos acervos e das exposições.

No processo de transposição do conteúdo real para o virtual, os coordenadores do projeto buscaram um modelo de visitação no qual o internauta pode “entrar” no espaço a ser experienciado, além de brincar e jogar. O Museu do Diamante, localizado na cidade de Diamantina (MG), pode ser visitado aqui.

Dois outros museus integrantes da rede de museus Ibram/MinC também já estão acessíveis para visitas virtuais na plataforma Era Virtual: o Museu da República (RJ) e o Museu Victor Meirelles (SC).