Museu da República comemora Dia Mundial do Meio Ambiente

O Museu da República/Ibram, no Rio de Janeiro, vai comemorar a Semana Mundial do Meio Ambiente com várias atividades para crianças e adultos. No dia o6 de junho, segunda-feira, o Museu recebe mais de 100 alunos da escola Vital Brasil que irão participar, junto com os visitantes do Museu, de atividades ligadas à preservação do meio ambiente.

Na programação os alunos e os visitantes do Museu vão conhecer o processo de compostagem, o controle de vetores (dengue, ratos e pombos), participar de uma oficina de reciclagem com garrafas pet e assistir a apresentação do grupo de teatro Chegando de Surpresa, da COMLURB.

Além disso, serão distribuídas mudas aos presentes, que farão também uma visita mediada pelo Jardim Histórico do Museu da República. As atividades começam às 9:30 da manhã no pátio interno do Palácio do Catete.

Museu São João del-Rei realiza Caminhada Cultural pela cidade

Museu e Praca Severiano ResendeO Museu Regional de São João del-Rei (MRSJDR), em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de junho), realiza na próxima quarta-feira, 8 de junho, a Caminhada Cultural por São João del-Rei.

O Circuito, conduzido por um técnico de turismo, vai percorrer quatro pontos turísticos da cidade: Museu Regional; Praça do Cristo, no bairro de Senhor dos Montes; Bêta Tancredo Neves e a Igreja do Carmo. A saída será às 8h, do Museu Regional, com um valor de RS10 por pessoa.

Os interessados em participar podem se inscrever na portaria do Museu Regional até a terça-feira, 7 de junho, entre 12 e 17hs. É recomendado que, para o dia da caminhada, usem roupas confortáveis e tênis e também levem garrafas de água.

A Caminhada vai passar por pontos importantes da cidade, com destaque para o patrimônio cultural e o meio ambiente. O Museu Regional será o ponto inicial de encontro e de lá o grupo caminhará para o Senhor dos Montes, na Praça do Cristo, para observar a localização da Mina e a entrada das bandeiras, por onde passavam as expedições por São João del-Rei.

Ao chegar a Bêta Tancredo Neves, uma mina de ouro do século XVIII, os caminhantes observarão máquinas e utensílios utilizados na extração do mineral, que até hoje se mantém conservados, o caminho, o local e a forma onde eram extraídos. O percurso acaba na Igreja do Carmo, local em que a atividade mineradora teve grande influência na cidade.