Leilão: Museu Imperial adquire retrato desconhecido de d.Pedro II

Retrato à lápis de d.Pedro II

Desenho do jovem imperador d.Pedro II passa a integrar acervo do Museu Imperial

A Sociedade de Amigos do Museu Imperial arrematou um retrato inédito do imperador d. Pedro II durante leilão realizado na Casa Collin Du Boccage, em Paris (França), na sexta-feira (19).

O desenho, crayon sobre papel, medindo 21,5 x 16,8cm, retrata o segundo imperador do Brasil de perfil, em traje civil, portando insígnia e placa da Imperial Ordem do Cruzeiro do Sul. A obra, sem assinatura, traz a inscrição: “1841” e “D´après nature”.

A obra pertenceu à coleção da família real francesa e, muito provavelmente, foi oferecida no leilão por herdeiros da princesa d. Isabel de Orleans e Bragança, bisneta de d. Pedro II, e condessa de Paris por casamento com Henrique de Orleans, chefe da casa real francesa.

Maurício Vicente Ferreira Junior, diretor do Museu Imperial/Ibram,  que fica em Petrópolis (RJ), e que arrematou o retrato por telefone, afirma que “as características da obra sugerem que o retrato tenha sido produzido como um estudo para a elaboração de uma medalha ou moeda, não executadas, no contexto celebrativo da coroação e sagração do jovem imperador, em 1841″.

A oferta da peça em leilão foi informada ao Museu Imperial pelo Setor Cultural da Embaixada do Brasil na França, que ainda acompanhou toda a operação desde Paris. O valor pago pela peça foi de 1,5 mil euros (cerca de 5,2 mil reais).

Saiba mais sobre o Museu Imperial e faça uma visita virtual ao antigo palácio imperial.

Texto e imagem: divulgação Museu Imperial

História dos quadrinhos é tema de palestra na Casa de Cláudio de Souza

Dando continuidade do projeto Arte Brasil – um giro pela nossa trajetória artística, a Casa de Cláudio de Souza, em Petrópolis (RJ), que integra a estrutura do Museu Imperial/Ibram, promove a palestra Requadros históricos: a história dos quadrinhos no Brasilde Angelo Agostini à ditadura militar. O evento acontece no dia 20 de junho, às 19h, e tem entrada franca.

Evento também presta homenagem ao desenhista José Menezes

A palestra será ministrada pelo artista plástico, desenhista e ilustrador Francisco Marques, proprietário e professor da escola de artes Graph-it, em Petrópolis. Graduando em Publicidade, já possui 19 anos de experiência como ilustrador e atuação reconhecida no mercado editorial local.

O evento presta homenagem ao desenhista brasileiro José Menezes, por sua contribuição não somente à área dos quadrinhos, mas à cultura brasileira. Menezes, que estará presente, ficou popular com seus trabalhos para a editora RGE.

Arte no Brasil
Esta é a quarta palestra do projeto Arte Brasil – um giro pela nossa trajetória artística, que tem coordenação da artista plástica Graça Pimentel. O ciclo é formado por palestras mensais gratuitas que, através de temáticas específicas, contam um pouco da História da Arte no Brasil. O objetivo é ampliar o interesse do público, especialmente jovem, nas artes.

A Casa de Cláudio de Souza está localizada na Praça da Liberdade, 247, Centro. Outras informações podem ser obtidas pelos telefones (24) 2245.3418/2136 e pelo endereço eletrônico mimp.casaclaudiodesouza@museus.gov.br. Saiba mais sobre a Casa de Cláudio de Souza.

Texto e imagem: Divulgação Museu Imperial
Edição: Ascom/Ibram

Museu da Imprensa prorroga inscrições para concurso voltado a estudantes

As inscrições da 5ª edição do Concurso do Museu da Imprensa de Desenho, Redação, Poesia e Monografia foram prorrogadas e podem ser feitas até 30 de março de 2013.

O concurso é uma iniciativa da Imprensa Nacional, órgão vinculado à Casa Civil da Presidência da República. Tem como objetivo, além de despertar nos estudantes o interesse pela visitação a museus e instituições históricas, estimular os trabalhos de pesquisa, nas instituições de ensino, acerca dos 150 anos do Diário Oficial da União e da importância dos jornais alternativos, bem como dos jornais virtuais ou impressos, numa abordagem histórica e atual.

São 30 mil reais em prêmios a estudantes de todos os níveis de ensino, regularmente matriculados em escolas públicas e particulares de todo o Brasil. Serão premiados os três primeiros colocados em cada categoria. Mais informações estão disponíveis na página do Diário Oficial da União.

Texto: Divulgação

 

Exposição em Brasília mostra obras de Debret presentes no acervo Castro Maya

Responsáveis pelo maior acervo de obras de Jean-Baptiste Debret (1768-1848) sobre o Brasil, os museus Castro Maya (Ibram/MinC), do Rio de Janeiro (RJ), têm exposta, desde o dia 6 de outubro, parte de sua coleção na Caixa Cultural de Brasília (DF).

A mostra Debret – Viagem ao Sul do Brasil, que ocupa duas galerias do centro cultural, traz 40 obras, entre desenhos e aquarelas: 30 trabalhos representam as paisagens e costumes das províncias meridionais da década de 1820; outros 10 retratam aspectos da vida na capital da corte. As obras são parte do conjunto de 564 trabalhos do artista francês adquiridos por Raymundo Castro Maya para sua coleção de arte.

Cidade do Bananal (1827) é uma das aquarelas de Debret em exposição

Jean-Baptiste Debret chegou ao Brasil em 1816 como integrante da Missão Artística Francesa destinada à constituição de uma Academia Imperial de Belas Artes. Permaneceu no país até 1831.

“Estas imagens, hoje reconhecidas como uma das principais fontes da memória da sociedade brasileira na primeira metade do século XIX, puderam atingir um alcance antes inimaginável principalmente devido ao esforço de Castro Maya em repatriá-las e divulgá-las a partir dos anos 1940”, explica Vera de Alencar, diretora dos Museus Castro Maya, no catálogo da exposição.

Originalmente residências do colecionador Raymundo Ottoni de Castro Maya, o Museu do Açude e Museu da Chácara do Céu, os chamados Museus Castro Maya, foram criados em 1983, quando os imóveis foram incorporados pela União. Ambos são hoje vinculados ao Instituto Brasileiro de Museus.

A mostra Debret – Viagem ao Sul do Brasil, que marca a reabertura da Caixa Cultural em Brasília após reformas, permanece em cartaz até 18 de novembro, de terça-feira a domingo, das 9h às 21h, com entrada franca. Saiba mais sobre a exposição.

Texto: Ascom/Ibram

Norfini e Rian em exposição no Museu Forte Defensor Perpétuo (RJ)

O Museu Forte Defensor Perpétuo/Ibram, localizado em Paraty (RJ), exibe, a partir de 20 de março, duas novas exposições: Imagens do Brasil: História de Todos Nós, com desenhos e aquarelas do artista italiano Alfredo Norfini; e A República no Traço de Rian, com caricaturas de Nair de Teffé, que assinava seus trabalhos como Rian.

A primeira é uma exposição itinerante produzida pelo Museu Histórico Nacional/Ibram em parceria com o Serviço Social do Comércio (SESC), reunindo reproduções da coleção de aquarelas, desenhos a lápis e bico-de-pena de Alfredo Norfini (1867-1944), que percorreu cidades históricas brasileiras registrando a paisagem rural e urbana.

A exposição conta também com retábulos de madeira e instrumentos utilizados na talha e douramento dessas peças durante o Brasil Colônia, bem como mobiliário do período.

As obras de Norfini, que integram o acervo do MHN desde 1930, retratam o Brasil dos séculos XVII ao XIX. A maior parte delas focaliza Minas Gerais, revelando padrões de vida conhecidos e vividos em quase todo o país durante o ciclo colonial. A exposição pode ser vista até 10 de maio.

Nair de Teffé, conhecida artisticamente como Rian (Nair ao contrário), é considerada a primeira caricaturista mulher no Brasil e no mundo, segundo o historiador e crítico de arte mexicano Bernardo G. Barros, em publicação de 1916.

A exposição está dividida em dois segmentos: o traço político – retrato caricatural de personalidades ligadas à política (na imagem, Juscelino Kubitschek) – e o traço social, caricatura de costumes, que retrata personalidades, cenas e fatos da vida social. A exposição fica em cartaz até 4 de abril.

O Museu Forte Defensor Perpétuo funciona de terça a domingo, de 9h às 12h e de 13h às 17h no Centro Histórico de Paraty.

Divulgação: Museu Forte Defensor Perpétuo