Representantes de institutos históricos brasileiros foram ao Museu Imperial (RJ)

No dia 22 de outubro, o Museu Imperial/Ibram recebeu representantes de institutos históricos de todo o país, incluindo o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), para uma palestra sobre o Projeto Digitalização do Acervo do Museu Imperial (DAMI) e uma visita ao museu. 

Os acadêmicos estavam no Rio de Janeiro para participar do V Colóquio dos Institutos Históricos Brasileiros, que ocorreu entre os dias 19 e 21. O encontro no Museu Imperial foi considerado um “pós-encontro”, pois permitiu que dessem continuidade aos debates e reflexões.

O diretor do Museu, Maurício Vicente Ferreira Jr., deu as boas-vindas aos representantes dos institutos e apresentou o Museu Imperial e seu acervo. Ele ressaltou ainda a profunda ligação entre o Museu e o IHGB. “Dom Pedro II, que viveu parte de sua vida neste palácio, foi também fundador e patrono do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, ponto de partida para os institutos regionais”.

O professor Arno Wehling, diretor do IHGB, lembrou que essa relação histórica se dá até os dias de hoje, referindo-se, entre outras parcerias, à realização de reuniões anuais da Comissão de Estudos e Pesquisas Históricas (CEPHAS), do IHGB, no Museu Imperial, sempre próximas ao dia 2 de dezembro, em comemoração ao aniversário de D. Pedro II.

Em seguida, o coordenador administrativo do Museu Imperial e Coordenador Geral do DAMI, Sérgio Abrahão, apresentou o projeto. “A difusão e a valorização do acervo cultural são considerados indispensáveis para o cumprimento do papel social pertinente aos museus. Por isso, o Projeto DAMI tem o objetivo de digitalizar os cerca de 300 mil itens do acervo do Museu Imperial, visando à preservação, difusão e gestão desse acervo”, explicou.

O coordenador técnico do Projeto DAMI, Plácido Rios Moreira Júnior, também falou ao público, apresentando o trabalho desenvolvido. “Um dos aspectos importantes do projeto, e também um desafio, foi a integração das bases de dados dos três setores: Museologia, Arquivo Histórico e Biblioteca. Cada tipo de acervo tem suas especificidades e nomenclaturas próprias, então, tivemos que encontrar campos em comum para facilitar ao usuário na hora de realizar uma busca”.

Fonte: Divulgação Museu Imperial

Museu Imperial completa 70 anos e inicia digitalização de acervo

Comemorando 70 anos de criação na próxima segunda-feira, 29 de março, o Museu Imperial apresenta uma das iniciativas mais importantes de sua história. O projeto de Digitalização do Acervo do Museu Imperial (DAMI), vai disponibilizar no novo portal da instituição, que será lançado na mesma data, imagens de todo o seu acervo, composto por mais de 200 mil documentos, 55 mil livros e periódicos e 7 mil objetos de arte.

O aniversário será marcado também pelo lançamento da publicação “Caderno de Conservação – Coleção Chapéus”, de Eliane Marchesini Zanatta e apresentação do Sarau Imperial. Serão entregues medalhas comemorativas em homenagem às pessoas que ajudaram a enriquecer o acervo por meio de doações. Haverá também exibição de produtos para a loja do museu.

Segundo o diretor do Museu, Maurício Ferreira, o projeto DAMI levará mais de uma década para ser concluído, mas o público poderá desfrutar das informações já a partir do dia 29 de março, quando serão disponibilizadas duas coleções: do visconde de Itaboraí, Joaquim José Rodrigues Torres (1802-1872), e do compositor Carlos Gomes, doada ao Museu por sua filha Ítala Vaz de Carvalho.

Confira a programação das comemorações

O Museu Imperial está localizado na Rua da Imperatriz, 220, Centro, Petrópolis-RJ. Informações: (24) 2245-5550