Inscrições abertas para edital de exposições do Museu Alfredo Andersen

O Museu Alfredo Andersen, em Curitiba, Paraná, está com inscrições abertas para as exposições de 2013.

Podem se inscrever artistas de todo o país, e também aqueles que tenham tido, ao longo da trajetória artística, vínculo com o Ateliê de Arte do Museu Alfredo Andersen como orientador, aluno, palestrante ou ministrante de workshop.

As inscrições encerram no dia 25 de janeiro e o resultado será divulgado no dia 1º de fevereiro de 2013.

Maiores informações sobre inscrições, assim com as plantas das salas expositivas podem ser visualizados no site do museu: www.maa.pr.gov.br


Iniciativas de museologia social também participam da 10ª Semana de Museus

De 14 a 20 de maio, o Ponto de Memória LGBT, em Maceió (AL), realiza a exposição fotográfica Make up – A segunda pele de uma Drag Queen, com imagens do fotógrafo Flávio Cansanção.

Já o Ecomuseu Natural do Mangue de Sabiaguaba, no Ceará, promove durante toda a semana exibição de filmes, trilhas, passeio de barco, canoagem, palestras e outras atividades. Já a programação do Ecomuseu da Amazônia, em São João do Outeiro (PA), inclui ação educativa, exposição e sarau.

Museu da Maré (RJ) também integra programação da 10ª Semana de Museus

Em São Paulo, o Ponto de Memória Museu Ibaô promove, de 17 a 20 de maio, o Seminário de Patrimônio Cultural Imaterial Cultura Viva e lança, no dia 19, o projeto Pontos de Memória Museu Comunitário Ibaô Memória local e social da Capoeira e das culturas de matriz africana.

O Museu de Periferia, em Curitiba (PR), inaugura seu novo espaço com a exposição Memórias e Sonhos do Sítio Cercado. Nos dias 19 e 20, das 14 às 20h, o museu promove ainda Roda de Memória e apresentação de grupos culturais.

No Rio de Janeiro (RJ), o Museu da Rocinha Sankofa Memória e História promove, no dia 18, seminário sobre o desafio de preservar a memória e a história locais dentro de seu território. O Museu de Favela (MUF), o Museu da Maré e o Museu do Horto também trazem programações especiais. Conheça a programação completa aqui.

Texto e foto: Divulgação Pontos de Memória

Ibram e Correios fecham acordo para criação do Museu Paulo Leminski

Poema desenho de Paulo Leminski e João Suplicy

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) e a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos deram início na quarta-feira (23), a uma parceria voltada para a criação do Museu Nacional da Poesia Paulo Leminski, em Curitiba (PR).

O museu será instalado na antiga sede central dos Correios na capital paranaense. O prédio, que conta com 4 mil metros quadrados, foi inaugurado em 1934 e encontra-se subutilizado desde 1998, quando houve mudança de sede da empresa.

A partir de agora, as duas instituições darão início a uma série de reuniões técnicas que vão definir os detalhes relativos à instalação do museu. A direção dos Correios já anunciou que, em paralelo a este trabalho, vai financiar a completa restauração do prédio, que custará R$ 4 milhões.

A ideia é que o museu reúna acervo pessoal do poeta curitibano Paulo Leminski e exponha sua obra de forma interativa – a exemplo do que já é feito em instituições como o Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo. A previsão é de que o museu seja inaugurado até 2013, como parte das comemorações de 350 anos dos Correios.

Texto: Ascom/MinC
Imagem: Livro Winterinverno/divulgação

Exposição Amazônia Viva de Tyryetê-Kaxinawa em Curitiba

A exposição Amazônia Viva, de Tyryetê-Kaxinawa, está aberta ao público até o dia 14 de agosto, no Museu Botânico Municipal, em Curitiba. A proposta é relatar visualmente a história da chegada do “homem branco” na floresta e a destruição acarretada, a extração da borracha nos seringais e a mobilização dos povos da floresta.

Tyryetê-Kaxinawa é o nome indígena de Jaime da Silva Araújo, que fora Companheiro de militância de Chico Mendes, Marina Silva, José Lutsemberg entre outros em prol dos direitos dos trabalhadores extrativistas e da preservação da Amazônia.

A mostra é uma realização do Museu de Arqueologia e Etnologia da UFPR (MAE), com apoio da Fundação Tyryetê-Kaxinawa, da Fundacen e da Secretaria Municipal do Meio Ambiente da Prefeitura de Curitiba.
Serviço
“mazônia Viva: Tyryete-Kaxinawa”
Quando: 03 a 14 de agosto
Onde: Rua Eng Ostoja Roguski – Jardim Botânico – Curitiba
Horários: segunda a sexta das 8h30 às 12h e das 13h às 17h. Sábados, domingos e feriados das 8h às 18h
Mais informações: (41) 3313-2042 (MAE – Reserva Técnica) / (41) 3362-1800 (Museu Botânico).

Fonte: UFPR

Como você vê o seu bairro? MUPE convida estudantes a descrever o Sítio Cercado

Estudantes da Escola Guilherme Lacerda Braga Sobrinho e da Escola Municipal Madre Teresa de Calcutá, ambas no Sítio Cercado, em Curitiba, foram convidados a colocar no papel como eles veem seu bairro. O resultado foram cerca de 150 desenhos e redações, que revelam características locais presentes no imaginário dos alunos, dentre elas o grande adensamento habitacional, o trânsito de automóveis, a violência urbana e os equipamentos de lazer das escolas, como gangorras e escorregadores.

O material, que já foi exposto no primeiro encontro Teia da Memória, em dezembro de 2009, em Salvador, foi reproduzido fotograficamente e transcrito pela equipe do Museu de Periferia – MUPE seguindo critérios museolólgicos de documentação e arquivamento e agora pode ser acessado no portal do museu http://acervomupe.wordpress.com/

Através da exposição do material na internet, o MUPE pretende aprimorar os critérios de catalogação e publicação dos desenhos, em diálogo com Instituto Brasileiro de Museus – ibram, e reunir colaborações de historiadores, psicólogos, pedagogos, museólogos e demais profissionais que possam contribuir na implementação do projeto.

O projeto “ Como você vê o seu bairro” é uma iniciativa do Museu de Periferia – MUPE, que pretende estimular a discussão sobre a “memória viva” nas escolas do Sítio Cercado, incentivando os estudantes a perceber seu território, sua cultura e as características de seu ambiente. Para a composição da memória do bairro, também está prevista a realização de entrevistas com os moradores mais antigos do bairro.

MUPE – O Museu da Periferia vem sendo organizado por moradores do bairro Sítio Cercado, em Curitiba, desde abril de 2009. A ideia foi inspirada na experiência dos Pontos de Memória Museu da Maré (na Favela da Maré) e o MUF – Museu de Favela (no Cantagalo Pavão-Pavãozinho), ambos na cidade do Rio de Janeiro.

Em setembro de 2009, a pedido da comunidade, foi realizada a oficina Museu, Memória e Cidadania, ministrada pelo diretor do Departamento de Processos Museais do Ibram, Mário Chagas, para a instalação do Ponto de Memória. A iniciativa também recebeu apoio de artistas, entidades, associação de moradores, Associação Cultural de Negritude e Ação Popular e de articuladores do Museu da Maré e MuF.

O MUPE integra o projeto Pontos de Memória, uma parceria entre os Programas Mais Cultura, do Ministério da Cultura, através do Ibram, e do Pronasci, do Ministério da Justiça, com apoio da Organização dos Estados Ibero-americanos – OEI.

Sítio Cercado – O bairro era praticamente uma área rural até o final da década de 70 e teve um crescimento gigantesco nos últimos 30 anos. Fica na zona sul da cidade e concentra cerca de 150 mil habitantes.