Professor da UnB discute presença da cultura africana em palestra no Ibram

fjkdfjkdfj

Palestra sobre Museu Afro Brasil no auditório do Ibram em Brasília

“Falar da presença negra não é falar só de escravidão’”, afirmou Nelson Fernandes Inocêncio, professor do Departamento de Artes visuais da Universidade de Brasília (UnB), durante palestra na quarta-feira (26), no Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), em Brasília.

O professor que também coordena o Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares da UnB, apresentou sua recém-defendida tese de doutorado, cujo tema é Museu Afro Brasil no contexto da diáspora: dimensões contra-hemogênias das artes e culturas negras.

A palestra foi organizada pela Coordenação de Pesquisa e Inovação Museal (CPIM), ligada ao Departamento de Processos Museais (DEPMUS) do Ibram, com o objetivo de estimular estudos na área e circular conhecimentos da academia, que conversem com a Museologia.

Integram a mesa de debates Alvaro Marins, coordenador da CPIM, Luciana Palmeira e Marijara Queiroz, museólogas do DEPMUS, e Leonardo Neves, também museólogo do Centro Nacional de Estudos e Documentação da Museologia (Cenedom/Ibram).

Subjetividade e representação

Nelson Inocêncio

Nelson Inocêncio fala sobre sua tese de doutorado apresentada na Universidade de Brasília

O principal ponto tratado por Inocêncio foi a tentativa de entender a criação do Museu Afro Brasil, em São Paulo (SP).  Ele busca analisar a conjuntura que precedeu a criação do museu, assim como a sucessão de fatos, como o debate sobre a discriminação racial e “todo um aglomerado de condições subjetivas reunidas”, explicou, que deu possibilidade para a construção do espaço.

Segundo ele, o diferencial do museu Afro Brasil é juntar diversas áreas, falando da presença negra na cultura brasileira em abordagens diferentes. O palestrante ressaltou ainda que o objetivo do museu é se tornar um espaço de arte representativo.

Nelson Inocêncio citou nomes de artistas e ativistas negros que contribuíram para a formação da história, dando ainda um breve histórico dos que conseguiram ingressar no cenário artístico brasileiro, mesmo diante de uma realidade elitista.

Além de abordar pontos de destaque do museu, o professor, contudo, questionou alguns posicionamentos relativos a exposições sobre cultura negra. Faça o download da palestra (arquivo zipado) ou ouça no seu reprodutor de áudio (mp3).

Texto e foto: Ascom/Ibram
Última atualização: 31.3.2014

Museu Afro Brasil é tema de palestra no Ibram na quarta (26)

Prédio do Museu Afro Brasil no Parque do Ibirapuera em SP

Prédio do Museu Afro Brasil no Parque do Ibirapuera em SP

No dia 26 (quarta-feira), às 15h, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), em Brasília, recebe Nelson Fernandes Inocêncio, professor Adjunto no Departamento de Artes Visuais da Universidade de Brasília (UnB), para uma palestra sobre o Museu Afro Brasil, localizado em São Paulo (SP).

Com o tema Museu Afro Brasil no contexto da diáspora: dimensões contra-hegemônicas das artes e culturas negras, a palestra parte de sua tese de doutorado defendida este ano na Unb.

Os estudos do professor estão voltados prioritariamente para a presença negra na História da Arte na Cultura Visual. Desde 2001 é o Coordenador do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros pertencente ao Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares da UnB.

O debatedor convidado é Leonardo Neves, museólogo do Centro Nacional de Estudos e Documentação da Museologia (Cenedom/Ibram). A palestra tem entrada franca e acontece no Auditório do Ibram (Setor Bancário Norte, Quadra 2 Bloco N – Edifício CNC III – Sobreloja).

A atividade, organizada pela Coordenação de Pesquisa e Inovação Museal do Ibram, ligado ao Departamento de Processos Museais, tem como objetivo fazer circular o conhecimento produzido pela academia no campo de atuação dos museus, bem como estimular o desenvolvimento de pesquisas sistemáticas que versem sobre os a museologia, os museus e seus acervos.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação/Internet